Página 1 dos resultados de 931 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Avaliação de novos fixadores em anatomia patológica

Pinto, Isabel Cristina Neves Vitó Bargueño
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.87%
Os eventuais efeitos nocivos para a saúde do Formol levaram ao desenvolvimento de novos fixadores para sua substituição. O presente trabalho propõe-se testar 2 desses novos fixadores ambientalmente menos perigosos, em Anatomia Patológica. Foram estudadas 63 amostras de tecidos, provenientes de 19 casos seguidos no hospital de S. João-Porto. sempre que possível foram estudados em cada caso fragmento de tecido normal e um fragmentos de tecido tumoral. Foram estudadas amostras de recto, útero, endométrio, prostata, estômago, intestino delgado, cólon, rim, vesícula biliar, mama, partes moles e tireoide tendo o processamento histológico sido executado nos fixadores Formaldeído tamponado a 4%, Finefix e RCL2. Após processamento, inclusão em parafina e corte, as amostras foram submetidas a técnicas de histoquímica (Hematolinina Eosina, PAS, PAS Após digestase, Orceína e Tricrómio Especial) e técnicas de imunohistoquímica (Desmina,Vimentina, P53, RE, Caderina, MIB, PSA, Tireoglobulina,CAM5.2, AE1AE3), Em termos de eficácia de actuação, os fixadores alcoolicos provocaram destruição tecidular, revelada principalmente pela técnica histoquímica PAS após digestase., e grande heterogeneidade (aferição da recuperação antigénica) em particular na imunocitoquimica. Estes resultados indicam que os novos fixadores apresentam limitações para aplicação de técnicas de histoquimica e imunocitoquimica...

Avaliação do risco químico no laboratório de histopatologia nos serviços de Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica

Ferro, Amadeu Borges; Ladeira, Carina; Viegas, Carla; Ribeiro, Cátia; Figueira, Edite
Fonte: Editora Eskalab Publicador: Editora Eskalab
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /10/2009 POR
Relevância na Pesquisa
66.87%
Vários agentes químicos são frequentemente manipulados nos Laboratórios de Anatomia Patológica. São fundamentais para o desenvolvimento de todos os procedimentos laboratoriais desenvolvidos num laboratório desta natureza. Desenvolveu-se um estudo exploratório-descritivo que apresentou como principal objectivo caracterizar a exposição dos Técnicos de Anatomia Patológica dos laboratórios de Histopatologia da região de Lisboa e Vale do Tejo aos diversos agentes químicos, através de um instrumento baseado no International Chemical Control Toolkit. Para tal, recorreu-se a um amostra de três hospitais, onde foram aplicadas, por três observadores independentes, cinco grelhas de avaliação que permitiram avaliar as condições relativas à segurança, higiene e saúde do trabalho, onde se observaram as medidas de protecção colectiva e individual, bem como o armazenamento geral e a gestão de resíduos. Foi possível constatar que apesar da existência de alguma preocupação a nível do risco de exposição química, ainda existem muitas lacunas ao nível das medidas de protecção colectiva e individual, armazenamento geral e gestão de resíduos hospitalares.

A influência da fixação na demonstração do glicogénio

Gasalho, Ana T.; Silva, Joana M.; Mendes, Margarida S.; Ladeira, Carina
Fonte: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica Publicador: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /05/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
A fixação é fundamental para a preservação dos tecidos e é o primeiro passo de uma técnica histológica de rotina cujo objectivo final é obter uma boa visualização das estruturas e, no caso da anatomia patológica, um diagnóstico. Algumas substâncias presentes nos tecidos, como é o caso do glicogénio, necessitam de uma solução fixadora específica capaz de prevenir a dispersão das suas moléculas, sendo a fixação do glicogénio favorecida se essa solução contiver álcool ou ácido pícrico na sua constituição. A preservação do glicogénio é fundamental porque da sua identificação podem depender diagnósticos, utilizando-se colorações histoquímicas como o Periodic Acid Schiff e o Carmim de Best para a sua visualização. Este estudo pretende comparar a qualidade da demonstração do glicogénio com PAS e Carmim de Best, em tecidos fixados com diferentes soluções fixadoras. O estudo foi efectuado a partir de cortes histológicos de fígados de porco, fixados em formol 10%, formol 10% tamponado, formol alcoólico, solução de Bouin e solução de Gendre e procedeu-se à análise estatística das avaliações feitas às lâminas. As soluções fixadoras que apresentaram melhores resultados para ambas as colorações foram o formol 10% tamponado e a solução de Gendre. Foi possível concluir que...

Amplificação em imunocitoquímica: estudo comparativo de sistemas de polímeros

Ferro, Amadeu Borges; Rodrigues, Ana Margarida
Fonte: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica Publicador: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /05/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
Desde o início da utilização da imunocitoquímica em anatomia patológica, um dos objectivos tem sido detectar as quantidades mais ínfimas de antigénio, tornando-o visível ao microscópio óptico. Vários sistemas de amplificação têm sido aplicados de forma a concretizar este objectivo, tendo surgido um grupo genérico de métodos simples e que apresentam uma amplificação superior: são os denominados métodos do polímero indirecto. Tendo em conta a variedade de métodos disponíveis, os autores propõem-se comparar a sensibilidade de quatro sistemas de amplificação, que recorrem ao método do polímero indirecto com horseradish peroxidase (HRP). Foram utlizadas lâminas de diferentes tecidos fixados em formol e incluídos em parafina, nos quais se procedeu à utilização de 15 antigénios distintos. Na amplificação recorreu-se a quatro sistemas de polímero indirecto (Dako EnVision+ System K4006; LabVision UltraVision LP Detection System TL-004-HD; Novocastra NovoLink RE7140-k; Vector ImmPRESS Reagent Kit MP-7402). A observação microscópica e classificação da marcação obtida foi feita com base num algoritmo que enquadra intensidade, marcação específica, contraste e fundo num score global que pode tomar valores entre 0 e 25. Para o tratamento estatístico foi utilizado o teste oneway ANOVA com post-hoc de tukey (alfa=0.05). O melhor resultado obtido em termos de par média/desvio-padrão dos scores globais foi o do NovoLink (22.4/2.37) e o pior EnVision+ (17.43/3.86). Verificou-se ainda que existite diferença estatística entre os resultados obtidos pelo sistema NovoLink e os sistemas UltraVision (p=.004)...

Satisfação profissional dos técnicos de anatomia patológica, citológica e tanatológica dos hospitais públicos e de gestão, S.A. da Sub-Região de Saúde de Lisboa

Ferro, Amadeu Borges; Adriano, Andreia; Palma, João; Quintino, Maria Fernanda; Sousa, Marisa
Fonte: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica Publicador: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2007 POR
Relevância na Pesquisa
86.87%
A satisfação profissional tem vindo a ser descrita como o estado emocional positivo resultante do prazer que se tem com as experiências do trabalho, estando intrinsecamente relacionada com factores como desempenho profissional, saúde física e mental e com a auto-estima do trabalhador. Neste estudo pretende-se estudar o nível de satisfação profissional dos Técnicos de Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica (APCT) que desempenham funções nos hospitais públicos e de gestão S.A. da Sub-Região de Lisboa. A satisfação profissional foi classificada quantitativamente, segundo as abordagens baseadas na discrepância entre expectativas e resultados. Para tal, recorreu-se a um questionário validado que compreende itens passíveis de medir a satisfação profissional global e as suas dimensões - Remuneração, Segurança no Emprego,Condições de Trabalho & Saúde, Relações de Trabalho & Suporte Social, Status & Prestígio, Autonomia & Poder e Realização Pessoal e Profissional & Desempenho Organizacional, permitindo ainda verificar a Importância Motivacional que os técnicos inquiridos atribuem a cada uma destas. O referido instrumento de medida continha também uma questão aberta para sugestões dos técnicos...

Actuação dos técnicos de anatomia patológica no exame macroscópico: caracterização em 2006

Marques, Ana J.; Areia, Filipa R.; Marques, Vanda M.; Casimiro, Paula; Mendonça, Paula
Fonte: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica Publicador: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2007 POR
Relevância na Pesquisa
86.96%
Dadas as diferentes realidades e necessidades vividas em cada laboratório de Anatomia Patológica (AP), o Técnico de Anatomia Patológica (TAP) é responsável por diversas actividades, consoante as necessidades de cada serviço. É, assim, objectivo deste estudo determinar qual o tipo de actuação dos TAP a nível do exame macroscópico. Para tal foram realizadas 13 entrevistas a TAP em 13 hospitais de Lisboa e Vale do Tejo, sendo estes inquiridos relativamente à sua actuação no exame macroscópico de biópsias, peles ou outras peças, na preparação das peças antes do exame e relativamente ao seu nível de actuação aquando do exame macroscópico efectuado pelo Médico Anatomo-Patologista (MAP). Verificou-se que em todos os hospitais estudados o TAP faz o exame macroscópico das biópsias e auxilia o MAP quando este faz o exame macroscópico das peças. Constatou-se ainda que as restantes actividades desempenhadas pelos TAP não estão estritamente definidas e são reflexo do quotidiano de cada laboratório de AP. Concluiu-se existir variabilidade inter-hospitalar respeitante à actuação dos TAP a nível do exame macroscópico, sendo ressaltada a importância da implementação de medidas que permitam a uniformização das práticas laboratoriais a este nível.

Percepção dos técnicos de anatomia patológica face à perigosidade dos agentes químicos utilizados nos laboratórios de histopatologia

Ferro, Amadeu Borges; Ladeira, Carina; Viegas, Carla; Ribeiro, Cátia; Figueira, Edite
Fonte: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica Publicador: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2007 POR
Relevância na Pesquisa
86.87%
Os agentes químicos são frequentemente manipulados nos Laboratórios de Anatomia Patológica (AP), provocando uma preocupação crescente com a segurança, higiene e a saúde dos técnicos de AP. Não existe conhecimento relativo à percepção que os profissionais evidenciam relativamente à perigosidade das substâncias químicas e que paralelismo esta possui com a real perigosidade, tendo em conta que existem instrumentos internacionais que permitem quantificar o risco associado a cada um dos agentes químicos. O objectivo do trabalho é identificar a percepção dos técnicos de AP relativamente à perigosidade das substâncias químicas utilizadas nos laboratórios de histopatologia dos serviços de AP na região de Lisboa e Vale do Tejo e comparar essa percepção com a perigosidade definida pelos instrumentos internacionais, constituindo, desta forma, um índice de discrepância. Também se procuraram listar os principais sintomas/doenças potencialmente associados à actividade profissional. Para tal, recorreu-se a uma amostra não probabilística, constituída por dezassete técnicos de AP que trabalham em três hospitais na referida região. O instrumento de recolha de dados consistiu num questionário que agrupava questões sobre a temática proposta...

Exposição profissional a formaldeído em laboratórios de anatomia patológica: que realidade em Portugal?

Ladeira, Carina; Viegas, Susana; Carolino, Elisabete; Prista, João; Gomes, Manuel C.; Brito, Miguel
Fonte: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa Publicador: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /10/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.87%
O formaldeído é um gás incolor, solúvel na água e que reage rapidamente com o local de contacto. É utilizado nos laboratórios de Anatomia Patológica (AP) como fixador de células e tecidos - importante local de exposição ocupacional ao formaldeído, nomeadamente por médicos patologistas, técnicos de AP e auxiliares de acção médica. Objectivos do estudo: conhecer a exposição a formaldeído nos laboratórios hospitalares de Anatomia Patológica em Portugal; comparar a frequência de MN em linfócitos do sangue periférico e em células esfoliadas da mucosa bucal dos trabalhadores expostos a formaldeído nos laboratórios de AP – patologistas, técnicos de AP e auxiliares com controlos.

Educação e regulamentação profissional dos técnicos de Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica em Portugal

Ladeira, Carina
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /11/2009 POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
Profissional de APCT: conteúdo funcional regulado pelo D.L. nº 564/99 de 21/12, D.L. nº 261/93 de 24/07, D.L. nº 320/99 de 11/08; planeia, processa, avalia e controla as várias fases de estudo e tratamento de amostras de tecidos colhidos no organismo vivo ou morto, para observação macroscópica e microscópica, óptica ou electrónica, com vista à realização do diagnóstico anátomo-patológico; aplica conhecimentos de morfologia normal, histologia, biologia celular/molecular e genética, bem como conhecimentos processuais de técnicas e métodos cito e histopatológicos avaliando a qualidade dos seus resultados; tem como grandes áreas de intervenção o diagnóstico/prognóstico e a prevenção da doença, o Técnico de Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica desenvolve ainda acções e colabora em programas de rastreio, educação e promoção para a saúde.

Estudo da exposição profissional a formaldeído em laboratórios hospitalares de anatomia patológica

Viegas, Susana; Prista, João
Fonte: Sociedade Portuguesa de Medicina do Trabalho Publicador: Sociedade Portuguesa de Medicina do Trabalho
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
67.09%
A exposição a formaldeído é reconhecidamente um dos mais importantes factores de risco presente nos laboratórios hospitalares de anatomia patológica. Neste contexto ocupacional, o formaldeído é utilizado em solução, designada comummente por formol. Trata-se de uma solução comercial de formaldeído, normalmente diluída a 10%, sendo pouco onerosa e, por esse motivo, a eleita para os trabalhos de rotina em anatomia patológica. A solução é utilizada como fixador e conservante do material biológico, pelo que as peças anatómicas a serem processadas são previamente impregnadas. No que concerne aos efeitos cancerígenos, a primeira avaliação efectuada pela International Agency for Research on Cancer data de 1981, actualizada em 1982, 1987, 1995 e 2004, considerando-o como um agente cancerígeno do grupo 2A (provavelmente carcinogénico). No entanto, a mais recente avaliação, em 2006, considera o formaldeído no Grupo 1 (agente carcinogénico) com base na evidência de que a exposição a este agente é susceptível de causar cancro nasofaríngeo em humanos. Constituiu objectivo principal do estudo desenvolvido caracterizar a exposição profissional a formaldeído em laboratórios hospitalares de anatomia patológica. O estudo incidiu sobre 10 laboratórios hospitalares de anatomia patológica situados em Portugal Continental. Foi avaliada a exposição dos trabalhadores considerando três grupos profissionais (Técnicos de Anatomia Patológica...

Novas abordagens na intervenção do técnico de anatomia patológica em comunidades escolares

Dôro, Patrícia; Rocha, Ana; Santo, Flávia; Sousa, Ana; Mendonça, Paula; Costa, Francisco
Fonte: APTAP Publicador: APTAP
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
Introdução: Atualmente, o consumo abusivo de álcool nos jovens inicia-se precocemente. Todavia, os problemas de saúde e os comportamentos de risco associados podem ser prevenidos ou reduzidos através de programas escolares efetivos. Neste contexto, os Técnicos de Anatomia Patológica (TAP), podem contribuir para proporcionar conhecimentos que promovam estilos de vida saudáveis. Objetivos: Procurou-se perceber o papel do TAP na promoção de comportamentos saudáveis nos alunos de 9º ano dos Agrupamentos de Escolas da Portela e Moscavide e Visconde Juromenha e, posteriormente, como pode o reforço dos conhecimentos relacionados com o álcool potenciar a adoção de estilos de vida saudáveis. Métodos: Aferiram-se, através de questionário, as práticas de consumo, crenças relativas ao álcool e conhecimentos dos alunos sobre as repercussões no organismo. O questionário foi aplicado ao Grupo de Estudo (GE), após a ministração de uma ação de informação e esclarecimento (AIE), e ao Grupo de Controlo (GC), sem a participação na ação. Resultados e Discussão: Verificou-se um score médio de 48,8% para o GE e de 46,2% para o GC. A diferença entre GE e GC apenas foi estatisticamente significativa no Agrupamento de Escolas da Portela e Moscavide...

Recomendações técnicas para a determinação imuno-histoquímica do status HER2 em carcinoma da mama: consenso

Maia-Matos, Mário; Ferro, Amadeu Borges
Fonte: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica Publicador: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.87%
A determinação imuno-histoquímica do status HER2 é um elemento fundamental para o diagnóstico, prognóstico e indicação terapêutica em carcinoma da mama. A inconsistência de resultados da técnica imuno-histoquímica levou ao estabelecimento, em alguns países, de recomendações para melhorar a performance do teste. Com o objetivo de criar recomendações adaptadas à realidade portuguesa, a área científica de Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa e a Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica reuniram um painel de especialistas para a construção e estabelecimento de linhas de orientação técnica para a determinação do status HER2 em carcinoma da mama para a realidade portuguesa. O painel recomenda que o teste seja devidamente planeado do ponto de vista humano e material, com ênfase acentuado no controlo e garantia da qualidade de reagentes e procedimentos. A fase préanalítica é apontada como essencial para a qualidade do teste, nomeadamente um reduzido tempo de isquémia a frio, tempos mínimos de fixação de 6h para biópsias e 24h para peças cirúrgicas e máximo de 96h para ambas, bem como um controlo de qualidade de todos os reagentes utilizados. São estipulados critérios de seleção de controlos...

Implementação de um Sistema de Custeio num Laboratório de Anatomia Patológica

Fernando, Sandra Cristina
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 27/10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
As pequenas e médias empresas encontram-se sob pressão crescente para se manterem competitivas na economia cada vez mais global da actualidade, tendo necessidade de criar estratégias para atingir maior eficiência, capacidade de resposta ao mercado e adequada ges-tão de custos. As tomadas de decisão relativas a pricing, mix do produto e tecnologia de pro-cesso devem basear-se em informações de custo correctas e que se fundamentem em métodos ou sistemas de custeio criados à medida da empresa. A implementação de um sistema de cus-teio num Laboratório de Anatomia Patológica surgiu como resposta à necessidade notória de conhecer os custos dos exames que realiza, tendo sido avaliados os vários sistemas descritos na literatura. Como resposta à necessidade e realidade do Laboratório propõe-se um método de custeio de alocação directa dos custos directos aos exames (matérias-primas e mão-de-obra directa) e um método simplificado do Activity Based Costing através da aplicação de matrizes de dependência entre custos gerais e actividades e, actividades e exames. Os resultados obtidos reflectiram os custos incorridos, durante o ano de 2013 para os exames: biópsia, citologia convencional e imunocitoquímica. O conhecimento destes custos permitiu constatar a necessidade emergente da sua diminuição e de revisão dos acordos e convenções estabelecidos.

Percursos de vida e identidade de professores de anatomia patológica

Fernandes, Ana Rute Marques, 1980-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
67.07%
Tese de mestrado, Educação (Formação e Aprendizagem ao Longo da Vida), Universidade de Lisboa, Instituto de Educação, 2010; A identidade é um tema que tem conquistado a atenção de investigadores da área das Ciências Sociais e Humanas e da Educação, uma vez que se tem revelado um instrumento útil na compreensão e análise da sociedade, da escola e do indivíduo. Os professores de Anatomia Patológica constituem um grupo profissional que apresenta um currículo vitae muito particular, diferente de outros professores do ensino superior. Associar o estudo da identidade às opções formativas do professor de Anatomia Patológica, permitiu descrever e interpretar como o percurso de vida, em particular a formação académica e profissional, se manifesta no processo de construção da identidade de professores que leccionam o curso de Anatomia Patológica no ensino superior politécnico de uma escola superior de tecnologia da saúde e responder ao problema de investigação: Como é que os percursos de vida se revelam na identidade de professores de Anatomia Patológica? O presente estudo tem uma abordagem de investigação qualitativa, tendo-se realizado um estudo de caso múltiplo de três professores de Anatomia Patológica recorrendo à entrevista...

Controlo de qualidade: a cereja no topo do bolo

Lopes, A; Lourenço, A; Rodrigues, A; Silva, A; Ribeiro, C; Lourenço, H; Matos, R; Marques, S
Fonte: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica Publicador: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
67.02%
Prémio da Melhor Comunicação Oral; Introdução: As metodologias de controlo interno de qualidade são uma exigência dos sistemas de certificação e acreditação de laboratórios. A discussão/divulgação deste tipo de ferramentas no contexto da anatomia patológica facilitaria a sua implementação na rotina laboratorial, constituindo um desafio para todos os profissionais. Objectivos: Elaborar uma ferramenta de controlo interno de qualidade técnico (CIQT) diário, transversal à Macroscopia, Histologia, Citologia, Histoquímica, Imunohistoquímica e Microscopia Electrónica, de forma a detectar precocemente falhas e proceder, se possível, à sua correcção imediata. Material e Métodos: Em cada área laboratorial estabeleceram-se etapas de verificação (ex. microtomia) onde são identificados e registados os desvios observados (ex. dobras/pregas). Na etapa final, aplica-se uma escala de classificação transversal a amostras, lâminas e/ou grelhas. Esta é aplicada de acordo com parâmetros específicos de cada área e com o potencial impacto na interpretação dos desvios registados. Resultados: Obteve-se uma escala de avaliação qualitativa/quantitativa que permite classificar as diferentes unidades de trabalho de “Não satisfaz/1” (“presença de desvios que podem influenciar ou impedir a interpretação”) a “Muito Bom/5” (“ausência de desvios”). Na presença de desvios...

Estudo da exposição profissional a formaldeído em laboratórios hospitalares de anatomia patológica

Viegas, Susana Patrícia Costa
Fonte: Escola Nacional Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa Publicador: Escola Nacional Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
67.14%
RESUMO - A exposição a formaldeído é reconhecidamente um dos mais importantes factores de risco presente nos laboratórios hospitalares de anatomia patológica. Neste contexto ocupacional, o formaldeído é utilizado em solução, designada comummente por formol. Trata-se de uma solução comercial de formaldeído, normalmente diluída a 10%, sendo pouco onerosa e, por esse motivo, a eleita para os trabalhos de rotina em anatomia patológica. A solução é utilizada como fixador e conservante do material biológico, pelo que as peças anatómicas a serem processadas são previamente impregnadas. No que concerne aos efeitos para a saúde do formaldeído, os efeitos locais parecem apresentar um papel mais importante comparativamente com os efeitos sistémicos, devido à sua reactividade e rápido metabolismo nas células da pele, tracto gastrointestinal e pulmões. Da mesma forma, a localização das lesões correspondem principalmente às zonas expostas às doses mais elevadas deste agente químico, ou seja, o desenvolvimento dos efeitos tóxicos dependerá mais da intensidade da dose externa do que da duração da exposição. O efeito do formaldeído no organismo humano mais facilmente detectável é a acção irritante, transitória e reversível sobre as mucosas dos olhos e aparelho respiratório superior (naso e orofaringe)...

Erros pré-analíticos em anatomia patológica : prevalência, caracterização e consequências para a segurança do doente

Roque, Rúben Rodrigues
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
RESUMO - A literatura disponível revela que a maioria dos erros relacionados com os exames anatomopatológicos ocorre na fase pré-analítica. Existem alguns estudos que quantificam e caracterizam estes erros mas, não foram encontrados artigos publicados sobre o tema em hospitais portugueses. Foi objetivo deste estudo determinar qual a prevalência e características dos erros pré-analíticos em amostras anatomopatológicas e as suas consequências para a segurança do doente. Analisaram-se 10574 casos de exames anatomopatológicos, de cinco hospitais da região de Lisboa e Vale do Tejo. Os serviços de anatomia patológica registaram e caracterizaram, durante vinte dias, erros detetados nas amostras anatomopatológicas com origem nos serviços requisitantes. Posteriormente os hospitais foram caracterizados quanto aos procedimentos relativos à fase pré-analítica. A prevalência de erros aferida foi de 3,1% (n=330), com um intervalo de confiança a 95% compreendido entre os valores 2,8% e 3,5%. Para além destes resultados destacam-se os seguintes pontos: i. As amostras histológicas têm 4,1% de prevalentes e as de citologia 0,9%; ii. Foram registados erros em 2,6% das requisições e em 1,5% dos contentores com as amostras; iii. A aceitação dos casos com erro é a ação mais frequente (66...

Calcificações malignas da mama: correlação mamografia-anatomia patológica

Vianna,Alberto Domingues; Marchiori,Edson
Fonte: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Publicador: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2002 PT
Relevância na Pesquisa
66.73%
Neste trabalho foram realizados 30 estudos de correlação entre os achados da mamografia e da anatomia patológica em 29 pacientes com tumores malignos na mama, cujas mamografias apresentaram calcificações relacionadas com as lesões. Os objetivos principais foram: verificar se as formas das calcificações corresponderam a tipos específicos de tumores e se as formas das calcificações estavam relacionadas aos locais onde eram formadas. Foram estudados dois aspectos objetivos das calcificações identificados nas mamografias: forma e distribuição. Este estudo concluiu que os carcinomas tipo comedo tiveram elevada freqüência de calcificações pleomorfas (95,5%) e padrão de distribuição ductal em 66,5% dos casos. Os carcinomas tipo cribriforme, quando não associados ao tipo comedo, evidenciaram somente calcificações arredondadas em 66,5% dos casos e predominância de distribuição indefinida (78,5%). Os tumores micropapilares, quando não associados ao tipo comedo, mostraram somente calcificações arredondadas em 66,5% dos casos e predominância do padrão de distribuição indefinido (66,5%). Nenhum tumor mostrou padrão de distribuição lobular. Calcificações amorfas na ausência de nódulo tumoral são suspeitas de carcinoma ductal infiltrante. De acordo com o padrão histológico arquitetural dos 30 tumores...

A percepção dos técnicos de anatomia patológica e médicos anatomo-patologistas quando à delegação do exame macroscópico aos técnicos de anatomia patológica

Marques, Ana J.; Areia, Filipa R.; Marques, Vanda M.; Casimiro, Paula; Mendonça, Paula
Fonte: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica Publicador: Associação Portuguesa de Técnicos de Anatomia Patológica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2007 POR
Relevância na Pesquisa
86.96%
Dado o reduzido número de Médicos Anatomo-Patologistas (MAP) e o crescente interesse demonstrado pelos Técnicos de Anatomia Patológica (TAP) numa delegação de tarefas a nível do exame macroscópico, considerou-se pertinente realizar um estudo que abordasse a possibilidade de expandir as actividades profissionais dos TAP à realização do mesmo. Este estudo pretendeu averiguar qual a percepção dos dois grupos profissionais, no exercício, na região de Lisboa e Vale do Tejo, sobre o tema em causa. Este estudo exploratório sustentado no modelo de formação dos Pathologist's Assistants em vigor nos EUA, teve como variáveis as competências dos TAP na realização do exame macroscópico e a percepção dos TAP e dos MAP no respeitante a esta questão. O principal instrumento de recolha de dados foi um questionário, sujeito a análise estatística, aplicado em 13 hospitais da região acima referida (n=108 indivíduos). Cerca de 95% dos TAP e 75% dos MAP concordam com a existência de TAP com formação específica para a realização do exame macroscópico. A percepção de ambos os grupos profissionais relativamente à aquisição desta nova competência pelos TAP é bastante favorável. Contudo, a maioria (65,85% dos TAP e 94...

Revisión de indicación de tiroidectomía y su correlación con la anatomía patológica

Ladenheim,S; Filipponi,A; Yglesias,J; Canonaco,E
Fonte: Revista argentina de endocrinología y metabolismo Publicador: Revista argentina de endocrinología y metabolismo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 ES
Relevância na Pesquisa
66.87%
Objetivo: 1. Determinar el porcentaje de patología tiroidea maligna en tiroidectomía en un hospital interzonal de la provincia de Buenos Aires. 2. Evaluar la indicación de tiroidectomías por motivos clínicos y/o citológicos, relacionándolos con la anatomía patológica. Materiales y Métodos: Evaluamos retrospectivamente las historias clínicas de 214 pacientes sometidos a cirugía tiroidea desde junio de 2004 a junio de 2010, correlacionando la indicación quirúrgica con la anatomía patológica. Para su análisis se dividieron a los mismos en dos grupos: 1) aquellos a los que se les indicó tiroidectomía utilizando criterios clínicos como bocio de gran tamaño, endotoráxico, crecimiento rápido del nódulo, fijeza, etc., presentando los mismos punciones tiroideas (PAF) benignas o insatisfactorias (n = 152), 2) aquellos a los que se les indicó tiroidectomía por presentar citología maligna o sospechosa de malignidad (n = 62). Resultados: De los 214 pacientes evaluados, 203 fueron mujeres y 11 varones, con una edad media de 43,3 años (17-64 años); realizándose tiroidectomía total en 117 casos y subtotal en 97. El 98 % de los pacientes (n = 210), tenían punciones prequirúrgicas, de las cuales el 24,7 %, fueron insatisfactorias. Presentaron hipocalcemia transitoria 17 pacientes (7...