Página 1 dos resultados de 5888 itens digitais encontrados em 0.031 segundos

Análise espacial e espaçotemporal da Aids no município de São Paulo entre 2001 e 2010; Spatial and space time analysis of AIDS in São Paulo between 2001 and 2010

Aguiar, Breno Souza de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.21%
Dos casos de Aids notificados no Brasil desde 1981, 14 % ocorreram no município de São Paulo. A vigilância epidemiológica da Aids permite identificar características da doença na população após a infecção pelo HIV. O estudo ecológico pretende descrever o perfil epidemiológico da Aids no município de São Paulo entre 2001 e 2010 a partir da análise espacial e espaçotemporal dos casos notificados na população com 13 anos e mais segundo gênero, faixa etária, raça / cor, escolaridade, categoria de exposição, local de residência e ano de diagnóstico. Foram notificados 28146 casos, com predomínio de transmissão pela via sexual. Observou-se diminuição das taxas de incidência na população em geral, exceto nos homens de 13 a 29 anos e nas pessoas acima de 60 anos. A razão de sexo na faixa etária de 13 a 19 anos aumentou para 2,7 casos em homens para cada caso em mulher. Na população masculina a proporção de casos aumentou entre os homossexuais com maior concentração na região Central da cidade; nas mulheres a via de transmissão heterossexual predominou em todo o município. Após geocodificação e análise espacial de dados foram identificados três aglomerados espaciais na população masculina e 10 na feminina...

Análise espacial da Leishmaniose Visceral Canina em Presidente Prudente – SP: abordagem geográfica da saúde ambiental

Matsumoto, Patricia Sayuri Silvestre
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xvii f. : il., mapas
POR
Relevância na Pesquisa
66.16%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Geografia - FCT; A Geografia da saúde busca analisar padrões de morbimortalidade de acordo com a distribuição da doença no espaço. Através da análise espacial dos sistemas de saúde, equipamentos e serviços e sua utilização, considera a influência biogeográfica e antrópica, demonstrando a importância do meio geográfico no aparecimento e distribuição de doenças, visando fornecer bases seguras para os programas de saúde pública. Quando aliada ao uso de tecnologias do geoprocessamento, por exemplo, os Sistemas de Informação Geográfica (SIGs), tem oferecido importantes subsídios para a área da saúde, identificando fatores e condicionantes na ocorrência de uma doença. Tendo por base a abordagem geográfica da saúde, o objetivo deste trabalho foi analisar a evolução espacial e temporal dos casos de Leishmaniose Visceral Canina (LVC), bem como seus condicionantes, identificando padrões de comportamento no município de Presidente Prudente – SP. Para isso, elaboramos um banco de dados com os casos de LVC e do Inquérito Sorológico Canino (ISC) – dados do Centro de Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde de Presidente Prudente - e com as variáveis ambientais – com imagens de satélite e levantamentos de campo na área urbana. Aplicamos técnicas estatísticas...

Análise espacial do risco ambiental da suinocultura na bacia hidrográfica do lajeado dos fragosos - Concórdia/SC

Cesario, Vítor Moretzsohn
Fonte: Florianópolis, SC. Publicador: Florianópolis, SC.
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 108 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.16%
TCC(graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Tecnológico. Engenharia Sanitária e Ambiental.; A densidade de suínos em bacias hidrográficas no estado de Santa Catarina tem se elevado, aumentando a concentração de nutrientes em proporções maiores do que aquelas que podem ser assimiladas pelos sistemas naturais, comprometendo os corpos d’águas, especialmente no município de Concórdia, maior produtor suínos no Estado. Enquanto índices da produção mostram a evolução da suinocultura no Estado, outros apontam para o aumento dos riscos ambientais. Através da utilização de softwares cada vez mais específicos, como o ArcGIS na análise espacial e o AHP na análise multicritério, verificam-se importantes avanços para identificação de áreas frágeis, sob o ponto de vista ambiental. Neste estudo elaborou-se mapas com análise de escala de risco para a Bacia Hidrográfica do Lajeado dos Fragosos (Concórdia/SC), atribuindo critérios físicos e de produção, como declividade do terreno, tipo de solo, uso e ocupação do solo, distância ao corpo receptor, precipitação e densidade de suínos. Estes fatores foram mapeados dentro do perímetro da bacia, através do ArcGis, subdivididos em classes e submetidos à análise de especialistas...

O uso da análise espacial no processo de integração terreno, condições meteorológicas e inimigo (PITCI) do exército brasileiro

Oliveira, Ivan Carlos Soares de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.19%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, 2006.; A busca por informações, incluindo a espacial, é essencial para o planejamento e para a execução das operações militares. A amplitude da operação a ser executada baseia-se no conhecimento sobre as forças oponentes, ou beligerantes, sobre o terreno e sobre as condições meteorológicas. A execução da atividade de Inteligência nas operações militares visa à produção de conhecimentos essenciais à condução de missões operacionais. Em tempo de paz busca-se a formação de um considerável banco de dados para cada área de possível emprego da Força Terrestre (FT), conforme as hipóteses de conflito levantadas. A análise da área de operações é dividida em três fases distintas: o estudo das caracte- rísticas do terreno, do clima (meteorológicas) e do inimigo. Neste trabalho são abordadas a duas primeiras: terreno e clima, tendo como área de estudo o Campo de Instrução de Formosa (CIF) do Exército Brasileiro, situado no Estado de Goiás, a leste do Distrito Federal. Foi construído um Sistema de Informações Geográficas (SIG), com o objetivo de rea- lizar a modelagem espacial do ambiente onde uma tropa pode ser empregada...

Concepção de curricula em análise espacial para o terceiro ciclo do ensino básico

Mota, Madalena Galvão de Melo e
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 11/11/2005 POR
Relevância na Pesquisa
66.23%
Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre em Ciência e Sistemas de Informação Geográfica; O estudo de cenários de relações territoriais, através da utilização de processos de análise espacial em Sistemas de Informação Geográfica (SIG), pode constituir um meio de romper com a lógica temática subjacente ao programa de Geografia do ensino básico. Não sendo necessário, de acordo com o Decreto-Lei 6/2001, que o programa seja leccionado segundo a ordem constante nas orientações curriculares, a verdade é que se tem tornado mais simples fazê-lo, até porque os manuais escolares assim se encontram organizados. Propõe-se uma abordagem do programa de Geografia do terceiro ciclo do ensino básico centrada em competências e conceitos de análise espacial em vez de temas específicos, utilizando a flexibilidade permitida pela legislação. O objectivo desta abordagem é o de desenvolver competências que permitam interpretar e manipular informação geográfica. Considera-se que a análise espacial em ambiente SIG poderá ter grande utilidade no terceiro ciclo do ensino básico por promover a interdisciplinaridade, bem como por serem métodos a usar em áreas curriculares não disciplinares. Desenvolvem competências ligadas à análise e tratamento de informação...

Análise espacial da mortalidade neonatal no Vale do Paraíba, 1999 a 2001

Nascimento,Luiz Fernando C; Batista,Getulio T; Dias,Nelson W; Catelani,Celso S; Becker,Daniela; Rodrigues,Luciana
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.29%
OBJETIVO: Analisar os padrões de distribuição espacial da mortalidade neonatal. MÉTODOS: Estudo ecológico e exploratório, utilizando técnicas de análise espacial dos dados de mortalidade neonatal no Vale do Paraíba paulista, nos anos 1999-2001. A análise estatística espacial utilizou uma base de dados georreferenciados de 35 municípios e rotinas de estatística espacial. Os dados de mortalidade foram obtidos na Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. As variáveis estudadas foram os coeficientes de mortalidade neonatal precoce, tardia e total, e o Índice de Desenvolvimento Humano relativos ao ano de 2000. Para avaliação da dependência espacial foram utilizados os coeficientes de autocorrelação de Moran global e o Índice de Moran local e analisadas as correlações entre as variáveis. RESULTADOS: Foram registrados 111.574 nascidos vivos, com 1.149 óbitos no período neonatal precoce (10,29/1.000 nascidos vivos), 285 no neonatal tardio (2,55/1.000 nascidos vivos) totalizando 1.434 óbitos no período neonatal (12,85/1.000 nascidos vivos). Os coeficientes de Moran (global) mostraram significância estatística (p<0,05) para as mortalidades neonatal precoce e neonatal total. Os índices locais mostraram agrupamentos de municípios onde ocorre dependência espacial na ocorrência das mortalidades precoce e total. CONCLUSÕES: A análise espacial permitiu identificar aglomerado espacial no médio Vale do Paraíba tanto para a mortalidade neonatal precoce como para a neonatal total.

Análise espacial e determinação de áreas para o controle da malária no Estado de Rondônia

Rodrigues,Aline de Freitas; Escobar,Ana Lúcia; Souza-Santos,Reinaldo
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.15%
Este trabalho discute o uso de análise espacial para confecção de mapas de risco para malária no Estado de Rondônia, entre 1994 e 2005. Para análise do padrão espacial, foram utilizados os índices de Moran global e local. Com base nos valores do Índice Parasitário Anual, pode-se afirmar que os municípios que constituem a área de maior risco são os de urbanização mais recente, caracterizados por: maior crescimento populacional, maior número de famílias assentadas e elevado percentual de área desmatada. O Moran Map mostrou que os agregados de municípios com maior risco para malária sofreram processo de espalhamento para a região noroeste e nordeste do estado. Já nos municípios considerados como de menor risco, o processo se deu em direção ao sudeste. As técnicas utilizadas em nosso estudo merecem ser comparadas com a atual metodologia utilizada pela Secretaria de Vigilância Sanitária na determinação de áreas de risco e repasse financeiro para controle da malária.

Utilização de ferramentas de análise espacial na vigilância epidemiológica de leishmaniose visceral americana - Araçatuba, São Paulo, Brasil, 1998-1999

Camargo-Neves,Vera Lucia Fonseca de; Katz,Gizelda; Rodas,Lilian Aparecida Colebrusco; Poletto,Daniela Witacker; Lage,Lisete Cruz; Spínola,Roberta Maria Fernandes; Cruz,Oswaldo Gonçalves
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.15%
O controle da Leishmaniose Visceral Americana (LVA) está fundamentado no combate ao vetor e na eliminação do reservatório doméstico da área de foco - 200 metros em torno do caso humano ou canino. O presente trabalho tem como objetivo discutir a utilização de técnicas de análise espacial na vigilância epidemiológica da LVA no Município de Araçatuba, São Paulo, buscando estabelecer um modelo de vigilância epidemiológica em base territorial, redirecionando as estratégias de controle atualmente adotadas. Verificou-se que a transmissão da LVA não foi homogênea no município: a transmissão humana ocorreu nas áreas com maiores taxas de prevalência canina. A dispersão do vetor parece restrita a poucos domicílios, embora não tenha sido possível estabelecer um perfil da densidade vetorial. Visando estudar a distribuição do vetor e variáveis correlacionadas está sendo realizado estudo de campo por amostragem de domicílios, que permitirá o desenvolvimento de novas ferramentas de análise espacial e, possivelmente, permitirá redefinir as propostas de controle da endemia em ambiente urbano.

Análise da demanda de casos de hanseníase aos serviços de saúde através do uso de técnicas de análise espacial

Lapa,Tiago Maria; Albuquerque,Maria de Fátima P. Militão de; Carvalho,Marilia Sá; Silveira Júnior,José Constantino
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.15%
O desafio para redução da prevalência da Hanseníase, endemia de grande importância no cenário brasileiro, tem se fundamentado na descentralização para os serviços de atenção básica. Descreveu-se inicialmente a estruturação e a oferta dos serviços para o atendimento de casos de hanseníase. Em seguida analisou-se a evolução dos indicadores epidemiológicos e operacionais, tomando como referência os períodos pré e pós a municipalização. Por fim, a análise espacial permitiu identificar a distribuição territorial da ocorrência da endemia e analisar o padrão de áreas geográficas construídas segundo o atendimento pelas unidades de saúde e sua evolução. A partir da localização geográfica dos centróides dos setores censitários de residência, e usando técnica de alisamento espacial, com base na estimativa de Kernel, foram construídas áreas de domínio de atendimentos de cada unidade. Após a municipalização, observa-se aumento da detecção e tratamento pelo município, reduzindo a evasão a outros municípios, mudanças no comportamento da demanda, com aumento da clientela referida no uso dos serviços, e alterações importantes nos indicadores epidemiológicos e operacionais.

Análise espacial dos focos de Biomphalaria glabrata e de casos humanos de esquistossomose mansônica em Porto de Galinhas, Pernambuco, Brasil, no ano 2000

Araújo,Karina Conceição Gomes Machado; Resendes,Ana Paula da Costa; Souza-Santos,Reinaldo; Silveira Júnior,José Constantino; Barbosa,Constança Simões
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.27%
O presente artigo mostra a distribuição espacial da esquistossomose, correlacionando focos de caramujos com os casos humanos, por meio de análise espacial. As localidades estudadas foram Merepe III, Pantanal, Salinas e Socó, que representam 70% da área habitada de Porto de Galinhas. No inquérito realizado em 2000, foram identificados 15 focos do vetor Biomphalaria glabrata; os casos humanos foram diagnosticados e registrados por quarteirão de residência. A análise espacial foi realizada no programa TerraView, utilizando-se o estimador de intensidade kernel. Com relação aos focos de moluscos vetores, as taxas de infecção total variaram entre 15% e 32,4%. Os resultados da análise indicam a existência de uma forte tendência espacial para o risco de transmissão nas localidades de Salinas e Socó. Em Merepe, ocorreu o maior número de focos, mas as taxas de infecção dos moluscos foram as mais baixas e a análise espacial evidenciou menor concentração de risco em relação às outras localidades estudadas. Com relação aos casos humanos, observaram-se duas áreas em que os aglomerados de maior intensidade são representados por tons mais escuros.

Análise espacial da vulnerabilidade social da gravidez na adolescência

Ferreira,Rosiane Araújo; Ferriani,Maria das Graças Carvalho; Mello,Débora Falleiros de; Carvalho,Ione Pinto de; Cano,Maria Aparecida; Oliveira,Luiz Antônio de
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.19%
O objetivo deste estudo foi apresentar uma análise espacial da vulnerabilidade social da gestação na adolescência, por meio do geoprocessamento de dados sobre nascimento e morte, existentes nos bancos de dados do Ministério da Saúde, com intuito de subsidiar ações e estratégias no processo de gestão intersetorial com base na problematização da análise espacial em áreas-bairros. Os mapas temáticos sobre educação, ocupação, parição e situação marital das mães, referentes a todos os nascimentos e óbitos no município, apresentaram correlação espacial com a gestação na adolescência. A sobreposição desses mapas temáticos produziu o mapa da vulnerabilidade social da gestação na adolescência e da mulher. O geoprocessamento revelou-se de grande importância para o estudo da vulnerabilidade social.

Análise espacial do risco de mortalidade por causas externas em idosos no estado de pernambuco, entre 2004 e 2008

Silva, Elisângela Campos da; Leal, Márcia Carréra Campos (Orientadora); Moreira, Rafael da Silveira (Coorientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
66.15%
As causas externas se apresentam como um grande problema de saúde pública da atualidade e acometem predominantemente as pessoas de faixas etárias mais jovens, porém também são importantes causas de morte entre os idosos. O objetivo do estudo foi analisar a distribuição espacial das mortes por causas externas em idosos, identificando áreas de agrupamento para risco de morte, assim como os determinantes socioeconômicos, demográficos, e de morbidade relacionados com essas mortes no estado de Pernambuco entre 2004 e 2008. Trata-se de um estudo ecológico utilizando municípios pernambucanos como unidades de análise. A população do estudo foi a média de óbitos por causas externas, ocorridos entre as pessoas de 60 anos e mais residentes no Estado. Para a análise espacial foi inicialmente calculado os coeficientes de mortalidade por causas externas. Para identificar os fatores de risco fez-se teste de adesão a curva normal (teste de Kolmogorov Smirnov). Após a constatação da normalidade dos dados, construiu-se a matriz de correlação de Pearson. Observou-se que a média de óbitos por causas externas em idosos foi de 88,8/100.000 habitantes, com predominância do sexo masculino. A faixa etária mais atingida foi a dos 80 anos e mais. Concluiu-se que em Pernambuco os acidentes de trânsito...

Sistemas de informação geográfica e análise espacial de dados como ferramentas para determinação de agregação espacial de doenças: a hanseníase como modelo

Queiroz, José Wilton de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.28%
This work demonstrates the importance of using tools used in geographic information systems (GIS) and spatial data analysis (SDA) for the study of infectious diseases. Analysis methods were used to describe more fully the spatial distribution of a particular disease by incorporating the geographical element in the analysis. In Chapter 1, we report the historical evolution of these techniques in the field of human health and use Hansen s disease (leprosy) in Rio Grande do Norte as an example. In Chapter 2, we introduced a few basic theoretical concepts on the methodology and classified the types of spatial data commonly treated. Chapters 3 and 4 defined and demonstrated the use of the two most important techniques for analysis of health data, which are data point processes and data area. We modelled the case distribution of Hansen s disease in the city of Mossoró - RN. In the analysis, we used R scripts and made available routines and analitical procedures developed by the author. This approach can be easily used by researchers in several areas. As practical results, major risk areas in Mossoró leprosy were detected, and its association with the socioeconomic profile of the population at risk was found. Moreover, it is clearly shown that his approach could be of great help to be used continuously in data analysis and processing...

Parâmetros genéticos e fenotípicos em arroz irrigado estimados por método de análise espacial; Genetic and phenotypic parameters in rice crop estimated by method of spatial analysis

Guimarães, Paulo Henrique Ramos
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Genetica e Melhoramentode Plantas; Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos - EAEA (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Genetica e Melhoramentode Plantas; Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos - EAEA (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.26%
Some spatial analysis methods have been applied in order to mitigate environmental variation. The objective of this study was to evaluate the efficiency of spatial statistical, through the method of Papadakis, relative to the analysis to augmented blocks Federer in the correction of environmental variation. Were evaluated 198 progenies S0:2 of rice and four witnesses for augmented blocks of Federer. Data set were taken in the grain yield (GY, kg ha- 1) and plant height (PH, cm). The data set were subjected to variance analyses and were estimated the genetic and phenotypic parameters. The different approaches (BAF and Papadakis) were compared as to their estimates of genetic and phenotypic parameters. The ranking of adjusted means in the two models analyzed was performed, and calculated the Spearman correlation. There have been improvements in the statistics that depict the experimental accuracy when the spatial analysis was, that affect the estimates of genetic and phenotypic parameters. The use of the Papadakis method yielded fewer iterations compared to BAF for the same value of . Was able to gain direct selection for the AP and PG characters when the Papadakis method was used. With the use of spatial analysis selection was less influenced by the effect of environmental variation. Finally it was found that the spatial analysis methods were effective in the removal of environmental effects highlighting the Papadakis method...

Análise espacial da mortalidade neonatal no Vale do Paraíba, 1999 a 2001; Spatial analysis of neonatal mortality in Paraíba Valley, Southeastern Brazil, 1999 to 2001

Nascimento, Luiz Fernando C; Batista, Getulio T; Dias, Nelson W; Catelani, Celso S; Becker, Daniela; Rodrigues, Luciana
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/2007 POR
Relevância na Pesquisa
66.24%
OBJETIVO: Analisar os padrões de distribuição espacial da mortalidade neonatal. MÉTODOS: Estudo ecológico e exploratório, utilizando técnicas de análise espacial dos dados de mortalidade neonatal no Vale do Paraíba paulista, nos anos 1999-2001. A análise estatística espacial utilizou uma base de dados georreferenciados de 35 municípios e rotinas de estatística espacial. Os dados de mortalidade foram obtidos na Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. As variáveis estudadas foram os coeficientes de mortalidade neonatal precoce, tardia e total, e o Índice de Desenvolvimento Humano relativos ao ano de 2000. Para avaliação da dependência espacial foram utilizados os coeficientes de autocorrelação de Moran global e o Índice de Moran local e analisadas as correlações entre as variáveis. RESULTADOS: Foram registrados 111.574 nascidos vivos, com 1.149 óbitos no período neonatal precoce (10,29/1.000 nascidos vivos), 285 no neonatal tardio (2,55/1.000 nascidos vivos) totalizando 1.434 óbitos no período neonatal (12,85/1.000 nascidos vivos). Os coeficientes de Moran (global) mostraram significância estatística (p; OBJECTIVE: To assess the spatial distribution of neonatal mortality. METHODS: An ecological and exploratory study using a spatial distribution of mortality data approach was carried out in the Paraiba Valley...

Utilização de ferramentas de análise espacial na vigilância epidemiológica de leishmaniose visceral americana - Araçatuba, São Paulo, Brasil, 1998-1999

Camargo-Neves,Vera Lucia Fonseca de; Katz,Gizelda; Rodas,Lilian Aparecida Colebrusco; Poletto,Daniela Witacker; Lage,Lisete Cruz; Spínola,Roberta Maria Fernandes; Cruz,Oswaldo Gonçalves
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.15%
O controle da Leishmaniose Visceral Americana (LVA) está fundamentado no combate ao vetor e na eliminação do reservatório doméstico da área de foco - 200 metros em torno do caso humano ou canino. O presente trabalho tem como objetivo discutir a utilização de técnicas de análise espacial na vigilância epidemiológica da LVA no Município de Araçatuba, São Paulo, buscando estabelecer um modelo de vigilância epidemiológica em base territorial, redirecionando as estratégias de controle atualmente adotadas. Verificou-se que a transmissão da LVA não foi homogênea no município: a transmissão humana ocorreu nas áreas com maiores taxas de prevalência canina. A dispersão do vetor parece restrita a poucos domicílios, embora não tenha sido possível estabelecer um perfil da densidade vetorial. Visando estudar a distribuição do vetor e variáveis correlacionadas está sendo realizado estudo de campo por amostragem de domicílios, que permitirá o desenvolvimento de novas ferramentas de análise espacial e, possivelmente, permitirá redefinir as propostas de controle da endemia em ambiente urbano.

Análise espacial dos focos de Biomphalaria glabrata e de casos humanos de esquistossomose mansônica em Porto de Galinhas, Pernambuco, Brasil, no ano 2000

Araújo,Karina Conceição Gomes Machado; Resendes,Ana Paula da Costa; Souza-Santos,Reinaldo; Silveira Júnior,José Constantino; Barbosa,Constança Simões
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.27%
O presente artigo mostra a distribuição espacial da esquistossomose, correlacionando focos de caramujos com os casos humanos, por meio de análise espacial. As localidades estudadas foram Merepe III, Pantanal, Salinas e Socó, que representam 70% da área habitada de Porto de Galinhas. No inquérito realizado em 2000, foram identificados 15 focos do vetor Biomphalaria glabrata; os casos humanos foram diagnosticados e registrados por quarteirão de residência. A análise espacial foi realizada no programa TerraView, utilizando-se o estimador de intensidade kernel. Com relação aos focos de moluscos vetores, as taxas de infecção total variaram entre 15% e 32,4%. Os resultados da análise indicam a existência de uma forte tendência espacial para o risco de transmissão nas localidades de Salinas e Socó. Em Merepe, ocorreu o maior número de focos, mas as taxas de infecção dos moluscos foram as mais baixas e a análise espacial evidenciou menor concentração de risco em relação às outras localidades estudadas. Com relação aos casos humanos, observaram-se duas áreas em que os aglomerados de maior intensidade são representados por tons mais escuros.

Análise espacial da mortalidade neonatal no Vale do Paraíba, 1999 a 2001

Nascimento,Luiz Fernando C; Batista,Getulio T; Dias,Nelson W; Catelani,Celso S; Becker,Daniela; Rodrigues,Luciana
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.29%
OBJETIVO: Analisar os padrões de distribuição espacial da mortalidade neonatal. MÉTODOS: Estudo ecológico e exploratório, utilizando técnicas de análise espacial dos dados de mortalidade neonatal no Vale do Paraíba paulista, nos anos 1999-2001. A análise estatística espacial utilizou uma base de dados georreferenciados de 35 municípios e rotinas de estatística espacial. Os dados de mortalidade foram obtidos na Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. As variáveis estudadas foram os coeficientes de mortalidade neonatal precoce, tardia e total, e o Índice de Desenvolvimento Humano relativos ao ano de 2000. Para avaliação da dependência espacial foram utilizados os coeficientes de autocorrelação de Moran global e o Índice de Moran local e analisadas as correlações entre as variáveis. RESULTADOS: Foram registrados 111.574 nascidos vivos, com 1.149 óbitos no período neonatal precoce (10,29/1.000 nascidos vivos), 285 no neonatal tardio (2,55/1.000 nascidos vivos) totalizando 1.434 óbitos no período neonatal (12,85/1.000 nascidos vivos). Os coeficientes de Moran (global) mostraram significância estatística (p<0,05) para as mortalidades neonatal precoce e neonatal total. Os índices locais mostraram agrupamentos de municípios onde ocorre dependência espacial na ocorrência das mortalidades precoce e total. CONCLUSÕES: A análise espacial permitiu identificar aglomerado espacial no médio Vale do Paraíba tanto para a mortalidade neonatal precoce como para a neonatal total.

Análise espacial da mortalidade infantil e adequação das informações vitais: uma proposta para definição de áreas prioritárias

Rodrigues,Mirela; Bonfim,Cristine; Portugal,José Luiz; Frias,Paulo Germano de; Gurgel,Idê Gomes Dantas; Costa,Tadeu Rodrigues; Medeiros,Zulma
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.16%
Estudo ecológico que objetivou analisar a relação entre o comportamento espacial da mortalidade infantil e a adequação das informações vitais. Para avaliar a adequação das informações sobre nascimentos (Sinasc) e óbitos (SIM) do Ministério da Saúde foi utilizado um método, já validado, que é constituído por cinco indicadores calculados por município, segundo o porte populacional. Os municípios foram classificados em: informações vitais consolidadas, em fase de consolidação ou não consolidadas. Na análise espacial, foram gerados os Polígonos de Voronoi para minimizar os problemas de proximidade entre os municípios, e o índice de Moran local para identificação dos agregados espaciais de mortalidade infantil. Identificou-se que 76,6% dos municípios apresentaram informações vitais consolidadas. Houve formação de cluster para a mortalidade infantil em 34 municípios, formando três agregados espaciais. Verificou-se associação entre a adequação das informações vitais e o comportamento espacial da mortalidade infantil. As técnicas de geoestatística foram preditivas na identificação de agregados espaciais com informações vitais consolidadas. A proposta contribuirá para a melhoria da qualidade da informação e o planejamento de ações visando à redução da mortalidade infantil.

Análise espacial da vulnerabilidade social da gravidez na adolescência

Ferreira,Rosiane Araújo; Ferriani,Maria das Graças Carvalho; Mello,Débora Falleiros de; Carvalho,Ione Pinto de; Cano,Maria Aparecida; Oliveira,Luiz Antônio de
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.19%
O objetivo deste estudo foi apresentar uma análise espacial da vulnerabilidade social da gestação na adolescência, por meio do geoprocessamento de dados sobre nascimento e morte, existentes nos bancos de dados do Ministério da Saúde, com intuito de subsidiar ações e estratégias no processo de gestão intersetorial com base na problematização da análise espacial em áreas-bairros. Os mapas temáticos sobre educação, ocupação, parição e situação marital das mães, referentes a todos os nascimentos e óbitos no município, apresentaram correlação espacial com a gestação na adolescência. A sobreposição desses mapas temáticos produziu o mapa da vulnerabilidade social da gestação na adolescência e da mulher. O geoprocessamento revelou-se de grande importância para o estudo da vulnerabilidade social.