Página 1 dos resultados de 50 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

Efeitos da administração de melatonina sobre a resposta imune em ratos Wistar na amebíase hepática; Effects of melatonin administration on the immune response of Wistar rats in amebic liver abscess

Fernandez, Vania
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/10/2012 PT
Relevância na Pesquisa
38.14%
Os trofozoítos de Entamoeba histolytica após se evadirem de uma complexa resposta imune ao nível da mucosa intestinal, invadem o epitélio, podendo disseminar-se pela circulação portal, atingindo o fígado e outros órgãos. A amebíase hepática é a forma mais comum de amebíase extraintestinal e corresponde a menos de 1% dos casos clínicos de amebíase. A modulação das respostas imunológicas frente à administração de substâncias farmacologicamente ativas em modelos experimentais infectados por diferentes patógenos tem contribuído de maneira importante nas investigações de terapias alternativas para colaborar no tratamento das diferentes doenças parasitárias. A melatonina (N-acetil-5- metoxitriptamina) é uma indolamina cuja síntese ocorre na glândula pineal e em vários locais extrapineais, como, as células do sistema imune, retina, medula óssea, pele, leucócitos, e trato gastrointestinal. É uma molécula pleiotrópica que possui atividades imunoestimulatórias e efeitos pró e anti-inflamatórios. O presente estudo teve como objetivo avaliar um possível efeito imunomodulatório subseqüente à administração oral de melatonina em ratos da linhagem Wistar machos infectados no fígado pela cepa HM1-IMSS de Entamoeba histolytica na fase aguda da amebíase hepática experimental. Foram utilizados vários parâmetros como: dosagens das citocinas IFN-?...

Estudo comparativo de tecnicas parasitologicas e imunologica no diagnostico de parasitos intestinais

Celia Regina Mendes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/02/2002 PT
Relevância na Pesquisa
27.35%
O diagnóstico parasitológico deve ser realizado de maneira apropriada, com maior sensibilidade e especificidade para a detecção dos parasitos intestinais, uma vez que dele dependerá o tratamento específico. Foi desenvolvido um estudo comparativo para avaliar a concordância entre os métodos Kato-Katz e Coprotest® na detecção de helmintos em 332 indivíduos do município de Pedro de Toledo e entre os métodos de Coprotest®, Lutz, hematoxilina férrica e ELISA (antígenos nas fezes) para diagnóstico de protozoários em 86 pacientes com história de amebíase intestinal. Na comparação de Kato-Katz com Coprotest®, observou-se uma diferença significativa para Trichuris trichiura que foi de 16,2% no Kato-Katz e de 7,5% no Coprotest®. Devido a essa diferença comparou-se amostras positivas e negativas do método de Coprotest® com número de ovos por grama de fezes (opg) obtido pelo método de Kato-Katz. Quando o método de Coprotest® foi negativo, contou-se 65 opg pelo Kato-Katz e quando o Coprotest® foi positivo, esse número foi maior, 199 opg. O Coprotest® mostrou-se inferior ao Kato-Katz quando a intensidade de infecção foi baixa. Não houve diferença significativa para Entamoeba histolytical Entamoeba dispar entre os métodos Lutz...

Amebíase: análise de 165 casos de internação hospitalar onde se encontrou amebíase intestinal.

Hulmann, José Leocádio Rezende
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 43 p.| grafs.,tabs.
Relevância na Pesquisa
27.69%
Trabalho de Conclusão de Curso - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Pediatria, Curso de Medicina, Florianópolis, 1982

Abcesso hepático amebiano na criança: caso clínico

Pinheiro, A.; Ferreira, R.; Leça, A.
Fonte: Nascer e Crescer Publicador: Nascer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /09/2009 POR
Relevância na Pesquisa
27.35%
A infecção humana por Entamoeba histolytica tem uma distribuição mundial, com zonas endémicas situadas nos trópicos. A manifestação mais comum é a colite amebiana. O fígado é o órgão extra-intestinal mais frequentemente envolvido. Descreve-se o caso clínico de uma criança do sexo masculino, com nove anos de idade, internada no decurso de quadro clínico de febre alta e dor abdominal, com nove dias de evolução; referia a ingestão de água não canalizada e contacto com cães. Ao exame físico destacava-se a presença de hepatomegalia e dor à palpação no hipocôndrio direito. Analiticamente apresentava parâmetros sugestivos de infecção com leucocitose e proteína C reactiva elevada. A ecografia hepática revelou lesão ocupando espaço. A serologia positiva para Entamoeba histolytica e o exame parasitológico das fezes com quistos deste mesmo parasita permitiram o diagnóstico etiológico. Após terapêutica com metronidazol, seguido de paramomicina, assistiu-se a uma boa evolução clínica. No inquérito epidemiológico, apesar de referência a ingestão de água não canalizada, não foi possível a demonstração inequívoca da fonte de infecção. A amebíase é uma entidade patológica pouco frequente em Portugal...

Rectorragias Como Forma de Apresentação de Amebíase

Quintela, C; Saiote, J; Bettencourt, MJ; David Marques, A
Fonte: Sociedade Portuguesa de Coloproctologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Coloproctologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.69%
A amebíase é uma doença infecciosa com diferentes formas de apresentação. Trata-se de um doente de 32 anos, sexo masculino, raça caucasiana, natural e residente em Lisboa, admitido na consulta de Proctologia por rectorragias. O exame objectivo e a avaliação laboratorial não mostraram alterações. Na sigmoidoscopia observaram-se úlceras entre 3 e 5 mm na mucosa rectal e da sigmoideia com friabilidade. A histologia revelou: manutenção da arquitectura, sem depleção das células caliciformes, infiltrado inflamatório intenso, misto com muitos polimorfonucleares neutrófilos e agregados linfóides da lâmina própria, criptite e úlcera com exsudado necroinflamatório, identificando-se Entamoeba histolytica. Medicado com metronidazol com resolução clínica, endoscópica e histológica.

Abcesso Hepático Amebiano. A Propósito de um Caso Clínico

Valente, M; Acúrcio, L; Estrada, H; Mihon, C; Neves, D; Margarido, E; Teixeira, H
Fonte: Sociedade Portuguesa de Medicina Interna Publicador: Sociedade Portuguesa de Medicina Interna
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
27.69%
A amebíase é uma das doenças parasitárias mais comuns no mundo. As principais formas invasivas da doença são a colite amebiana e o abcesso hepático. Apresenta-se o caso clínico de um homem de 42 anos admitido com um quadro agudo de febre elevada e dor abdominal no hipocôndrio direito com dois dias de evolução. A tomografia axial computorizada do abdómen revelou a presença de 3 lesões abcedadas a nível do lobo direito do fígado. Tratando-se de um doente residente em área endémica de amebiase colocou-se o diagnóstico diferencial entre abcesso amebiano hepático versus abcesso piogénico, situações com abordagem terapêutica distinta. O quadro clínico e a serologia positiva para Entamoeba histolytica confirmaram o diagnóstico de abcesso amebiano hepático. Os autores apresentam uma breve revisão desta entidade, rara nos países desenvolvidos, que no adequado contexto epidemiológico deve ser considerada no diagnóstico diferencial dos abcessos hepáticos.

Rectorragias Como Forma de Apresentação de Amebíase

Quintela, C; Saiote, J; Bettencourt, MJ; David Marques, A
Fonte: Sociedade Portuguesa de Coloproctologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Coloproctologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.69%
A amebíase é uma doença infecciosa com diferentes formas de apresentação. Trata-se de um doente de 32 anos, sexo masculino, raça caucasiana, natural e residente em Lisboa, admitido na consulta de Proctologia por rectorragias. O exame objectivo e a avaliação laboratorial não mostraram alterações. Na sigmoidoscopia observaram-se úlceras entre 3 e 5 mm na mucosa rectal e da sigmoideia com friabilidade. A histologia revelou: manutenção da arquitectura, sem depleção das células caliciformes, infiltrado inflamatório intenso, misto com muitos polimorfonucleares neutrófilos e agregados linfóides da lâmina própria, criptite e úlcera com exsudado necroinflamatório, identificando-se Entamoeba histolytica. Medicado com metronidazol com resolução clínica, endoscópica e histológica.

Abcesso Hepático Amebiano. A Propósito de um Caso Clínico

Valente, M; Acúrcio, L; Estrada, H; Mihon, C; Neves, D; Margarido, E; Teixeira, H
Fonte: Sociedade Portuguesa de Medicina Interna Publicador: Sociedade Portuguesa de Medicina Interna
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
27.69%
A amebíase é uma das doenças parasitárias mais comuns no mundo. As principais formas invasivas da doença são a colite amebiana e o abcesso hepático. Apresenta-se o caso clínico de um homem de 42 anos admitido com um quadro agudo de febre elevada e dor abdominal no hipocôndrio direito com dois dias de evolução. A tomografia axial computorizada do abdómen revelou a presença de 3 lesões abcedadas a nível do lobo direito do fígado. Tratando-se de um doente residente em área endémica de amebiase colocou-se o diagnóstico diferencial entre abcesso amebiano hepático versus abcesso piogénico, situações com abordagem terapêutica distinta. O quadro clínico e a serologia positiva para Entamoeba histolytica confirmaram o diagnóstico de abcesso amebiano hepático. Os autores apresentam uma breve revisão desta entidade, rara nos países desenvolvidos, que no adequado contexto epidemiológico deve ser considerada no diagnóstico diferencial dos abcessos hepáticos.

Ensaio clínico com um nôvo sal: etilclordifene no tratamento da amebíase intestinal crônica

Huggins,Donald
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1969 PT
Relevância na Pesquisa
27.35%
O autor relata seus resultados iniciais obtidos com nova substância amebicida - Etilclordifene, em 22 pacientes tratados no Instituto de Medicina Tropical da F.M.U.F.Pe. A dose empregada em adultos foi de 600 mg por dia, durante cinco dias e 300 mg por dia, durante cinco dias para crianças. Obteve cura parasitológica em 95,4% dos casos (21 pacientes) e excelente tolerância. Conclui ser o nóvel medicamento bastante ativo na amebíase intestinal crônica e certamente deverá ocupar posição privilegiada entre os demais produtos amebicidas ora em voga.

Tratamento da amebíase intestinal crônica: estudo comparativo entre diversos amebicidas

Huggins,Donald
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/1970 PT
Relevância na Pesquisa
27.35%
O autor, realizando um estudo comparativo entre a tolerância e eficácia terapêutica de diversos amebicidas ensaiados no Instituto de Medicina Tropical da F.M.U.F.Pe., Brasil, durante o período de 1959 a 1969, verificou que a CLEFAMIDA foi a droga que forneceu e melhor índice de cura parasitolóqica - 100%. Pelo exposto e apesar da existência de substâncias empregadas atualmente em curtos períodos de tratamento (5 dias), conclui ser a CLEFAMIDA o medicamento de escolha no tratamento da amébíase intestinal crônica.

Tratamento da amebíase intestinal por meio de pequenas quantidades diárias de etofamida, usadas em esquemas de curta duração

Levi,Guido Carlos; Amato Neto,Vicente; Konichi,Sélia Reiko
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1973 PT
Relevância na Pesquisa
27.69%
Por meio da etofamida, trataram os autores 40 indivíduos acometidos de amebíase intestinal e representados por crianças e adultos de ambos os sexos. Os esquemas posológicos recomendados para os componentes de dois grupos de 20 elementos foram os seguintes: A) 100 mg três vezes em 24 horas, durante cinco dias; B) 100 mg, cinco vezes em 24 horas, durante três dias. Foi expressiva a percentagem global de 90% de curas obtidas, mas a administração de maior quantidade diária da droga, durante período mais curto, mostrou-se dotada de melhor efetividade e possibilitou a eliminação da parasitose de todas as pessoas medicadas. O estudo que efetuaram, correspondente à amebíase intestinal assintomática, oligossintomática ou aparente como colite crônica, deixou patente a eficácia do remédio usado, que praticamente não causou distúrbios colaterais e pode ser prescrito segundo planejamentos singelos e executáveis com facilidade.

Ensaio clínico com etofamida no tratamento da amebíase intestinal crônica em crianças

Huggins,Donald; Maciel,Marluce F.
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1975 PT
Relevância na Pesquisa
27.35%
Os AA. trataram 40 crianças portadoras de amebíase intestinal crônica, cujas idades variaram entre dois (três casos) a seis anos (cinco doentes), com Etofamida na apresentação de suspensão (cada 5 ml contém 100 mg da substância ativa), na dose de 100 mg cinco vezes ao dia e durante três dias consecutivos (dose total de 1,5 g). O controle de cura parasitológica foi realizado pelas técnicas de Faust e cols. e de Hoffman, Pons e Janer no 10., 15.° e 25.° dias após o tratamento, sendo também usada a hematoxilina férrica neste último controle. Obtiveram os AA. 90% de cura parasitológica (36 enfermos) e excelente tolerância ao medicamento.

Ausência de amebíase invasiva em aidéticos homossexuais masculinos, no Recife

Alencar,Luiz Cláudio Arraes de; Magalhães,Vera; Melo,Vilma Marcelina de; Aka,Ivanise; Magalhães,Marcelo; Kobayashi,Seiki
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1996 PT
Relevância na Pesquisa
37.69%
Estudou-se a incidência da Entamoeba histolytica entre aidéticos homossexuais masculinos com o objetivo de determinar se entre esses pacientes o protozoário, incapaz de produzir doença na população geral do Recife, causaria amebíase invasiva. Dos 77 pacientes incluídos na investigação, apenas um (1,3%) albergava a E. histolytica. A eletroforese em gel de amido da linhagem, isolada mostrou um perfil de isoenzimas compatível com o zimodema 1, não patogênico. Além disso, nenhum dos pacientes examinados apresentou no soro anticorpos anti-ameba, verificados pelos testes de precipitação em ágar e imunoenzimático. Estes resultados mostraram que, mesmo entre indivíduos de sistema imunológico comprometido, as linhagens de E. histolytica prevalentes no Recife carecem de potencialidades patogênicas. Não se justifica, portanto, o emprego do metronidazol nos portadores de cistos de ameba, sejam eles aidéticos ou não.

Diagnóstico de amebíase intestinal utilizando métodos coproscópicos e imunológicos em amostra da população da área metropolitana de Belém, Pará, Brasil

Póvoa,Marinete Marins; Arruda,José Eduardo Gomes; Silva,Mônica Cristina de Moraes; Bichara,Cléa Nazaré Carneiro; Esteves,Paulo; Gabbay,Yvone Benchimol; Machado,Ricardo Luiz Dantas
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2000 PT
Relevância na Pesquisa
27.35%
O artigo expõe a comparação de métodos de diagnóstico de Entamoeba histolytica em amostra da população de Belém do Pará. Foram analisadas amostras fecais de crianças e adultos (Grupo I), amostras fecais e soros de adultos (Grupo II) e material fecal de crianças (Grupo III). Nos grupos I e III foram empregados os métodos direto com lugol (MD), Faust e cols. (MFF) e ELISA (detecção de coproantígeno anti-GIAP de E. histolytica); no grupo II, MD, hematoxilina férrica (HF), MFF, ELISA e reação de imunofluorescência indireta (RIFI) para detecção de anticorpos IgG. A positividade encontrada foi de 10,50%, empregando (MD + MFF) e de 28,99% pelo ELISA. Não houve correlação entre positividade e grupo etário. No Grupo II (n = 87), a positividade encontrada foi de 4,59% pelos métodos coproscópicos (MD + MFF), 8,04% por HF, 4,59% pela RIFI e 21,83% pelo ELISA. O teste de ELISA foi o mais sensível para todos os grupos. Conclui-se que a RIFI ainda não é ferramenta útil para diagnóstico desta protozoose. O teste de ELISA, de fácil execução, foi feito em 1/3 do tempo usado para HF e RIFI, melhorando a qualidade do diagnóstico. Recomenda-se o ELISA como método de diagnóstico nos caso suspeitos de infecções com E. histolytica.

Determinação da infecção por Entamoeba histolytica em residentes da área metropolitana de Belém, Pará, Brasil, utilizando ensaio imunoenzimático (ELISA) para detecção de antígenos

Silva,Mônica Cristina de Moraes; Monteiro,Christiane do Socorro Pereira; Araújo,Bruna dos Anjos Veloso; Silva,Jacilene Valdevina; Póvoa,Marinete Marins
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
27.69%
O status epidemiológico da amebíase está sendo reavaliado desde que a Entamoeba histolytica (patogênica) foi considerada espécie distinta de Entamoeba dispar (não patogênica). Em nosso estudo, realizamos pesquisa de antígenos de E. histolytica em amostras fecais de pacientes residentes na cidade de Belém, Pará, Brasil, utilizando ensaio imunoenzimático (E. histolytica Test, TechLab Inc., Blacksburg, Estados Unidos) disponível comercialmente. Foram analisadas 845 amostras, com positividade em 248 (29,35%). A infecção por E. histolytica foi maior no grupo etário acima de 14 anos (30,36%) que no grupo de 0-14 anos (28,28%), porém sem significância estatística (p < 0,05). Do total de amostras analisadas, 334 foram também investigadas por métodos parasitológicos (direto, Hoffman e Faust et al.). Houve discordância nos resultados dos métodos ELISA e coproscópico em 83 amostras (24,85%), com maior número de positivos no teste imunoenzimático. Assim, nossos resultados sugerem que a amebíase intestinal é um importante problema de saúde pública na Região Metropolitana de Belém.

Discriminação da infecção causada pela Entamoeba histolytica (Schaudinn, 1903) e Entamoeba dispar (Brumpt, 1925) em escolares da rede pública da cidade de Maceió-AL.; Discrimination of infection caused by Entamoeba histolytica (Schaudinn, 1903) and Entamoeba dispar (Brumpt, 1925) in children from the public the city of Maceió-AL.

Santos, Rafael Vital dos
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; BR; Biologia; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; BR; Biologia; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; UFAL
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
28.04%
Amebiasis is a severe infection caused by the protozoan parasite Entamoeba histolytica (Schaudinn, 1903). This species is morphologically indistinguishable from Entamoeba dispar (Brumpt, 1925), considered to be non-pathogenic and unable to cause invasive illness. The differentiation between these two species by immunological and molecular biology techniques is important to determine the epidemiological situation, therapeutic intervention, and profilaxis of invasive amebiasis. The aim of this study was to discriminate infection caused by E. histolytica and E.dispar in schoolchildren population in the city of Maceió, Alagoas. A cross-sectional study was carried out among 1,003 students in state public schools. Stool examination by sedimentation technique was conducted in order to evaluate frequency of enteroparasites, and for screening of students infected with E. histolytica/E. dispar complex. Positive exams for Entamoeba cysts were further submitted to antigen detection assay by enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA), and polymerase chain reaction (PCR), for specific diagnosis of the infection. Frequency of intestinal parasites among the examined population was high, being detected 54.8% (550/1,003) students harbouring at least one species of helminth or protozoan parasites. Most of the students families (57.5%)...

Prevalência da Entamoeba histolytica em alunos de escolas públicas da cidade de Maceió

de Albuquerque Cavalcanti Duarte, Iasmin; Amelia Vieira Maciel, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
28.04%
A amebíase é uma infecção causada pela Entamoeba histolytica e considerada importante causa de morbi-mortalidade no mundo. O estudo epidemiológico da amebíase tem sido reavaliado desde que a E. histolytica, a causadora da forma patogênica, foi distinta da E. dispar, causadora da forma não patogênica. A recomendação da Organização Mundial de Saúde é fazer o tratamento apenas nos pacientes com diagnóstico específico da infecção pela E. histolytica. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a prevalência da E. histolytica em alunos de 4 15 anos das escolas públicas da cidade de Maceió, mediante aplicação em série dos testes de microscopia e ensaios imunoenzimáticos: ENZYMEBA® (Instituto de Medicina Tropical Pedro Kouri ,Havana, Cuba) e E. histolytica II® (TechLab Inc., Blacksburg, Estados Unidos). O ENZYMEBA® confirmou todos os resultados positivos para E. histolytica/E. dispar detectado pela microscopia seguido pela aplicação do teste E. histolytica II® que detectou a presença de E. histolytica. Um total de 1.798 amostras fecais foi analisado de alunos de 18 escolas públicas. A prevalência da infecção para E. histolytica/E. dispar pela microscopia e confirmado pelo teste ENZYMEBA® foi de 3...

Gepatic amebiasis in Lisbona. Apropos of a clinical case.; Amebíase hepática em Lisboa. A propósito de um caso clínico.

Cruz, Ireneu; Borges, Arlinda; Mota, J. Castel-Branco
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/1979 POR
Relevância na Pesquisa
27.69%
Descreve-se um caso de amebíase hepática num homem de 41 anos de idade e discutem-se as dificuldades diagnósticas, nomeadamente o significado da positividade da reacção de Widal para S. paratyphi B. Chama-se a atenção para o quadro clínico dominado por síndrome febril e hepatomegalia dolorosa, espontaneamente e a percussão, e revem-se as características clinicas, laboratoriais e radiológicas do abcesso hepático amebiano. Discute-se a terapêutica instituída com Metronidazol, notável pela sua elevada eficácia e ausência de toxicidade. Realça-se a necessidade do diagnóstico precoce desta afecção e a sua importância crescente entre nos, dado o elevado número de indivíduos residentes em Portugal, provenientes de regiões onde a amebíase é endémica.

Entamoeba histolytica: imunodiagnóstico, através de captura de antígeno fecal em amebíase entérica por um anticorpo monoclonal; Entamoeba histolytica: fecal antigen capture immunoassay for the diagnosis of enteric amebiasis by a monoclonal antibody

Urdaneta, Haydeé; Rangel, Antonio; Martins, Maria Sonia; Muñoz, Jose Francisco; Hernández M, Manuel
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/1996 ENG
Relevância na Pesquisa
27.69%
A amebíase mantém sua importância epidemiológica em países subdesenvolvidos onde sua prevalência a converteu na parasitose de maior morbidade e mortalidade após malaria e esquistosomose. Em regra, tanto o diagnóstico clínico como os levantamentos epidemiológicos assentam na identificação microscópica de cistos e/ou trofozoítos em extractos fecais. Este procedimento requer pessoal muito bem treinado, é laborioso, e frequentemente fornece resultados contraditórios. Para obviar estas dificuldades, no presente trabalho montamos uma técnica de diagnóstico imunoenzimático baseado na captura de um antígeno de 96 kDa presente nas fezes de indivíduos infectados pela E. hystolytica (COPROELISA-Eh). Triplicatas de 117 amostras fecais processadas pelo método de concentração do formol-éter foram definidas como positivas ou negativas por três microscopistas especialistas em amebíase. Outra alíquota foi submetida ao teste de captura de antígeno por um anticorpo monoclonal contra um antígeno de 96 kDa específico de membranas de cepas patogênicas de E. histolytica. Consideramos como positivos aqueles resultados em que densidades óticas estavam acima do valor dos controles negativos mais 2 desvios padrões. COPROELISA-Eh mostrou 94.4% de sensibilidade...

Determinação da infecção por Entamoeba histolytica em residentes da área metropolitana de Belém, Pará, Brasil, utilizando ensaio imunoenzimático (ELISA) para detecção de antígenos

Silva,Mônica Cristina de Moraes; Monteiro,Christiane do Socorro Pereira; Araújo,Bruna dos Anjos Veloso; Silva,Jacilene Valdevina; Póvoa,Marinete Marins
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
27.69%
O status epidemiológico da amebíase está sendo reavaliado desde que a Entamoeba histolytica (patogênica) foi considerada espécie distinta de Entamoeba dispar (não patogênica). Em nosso estudo, realizamos pesquisa de antígenos de E. histolytica em amostras fecais de pacientes residentes na cidade de Belém, Pará, Brasil, utilizando ensaio imunoenzimático (E. histolytica Test, TechLab Inc., Blacksburg, Estados Unidos) disponível comercialmente. Foram analisadas 845 amostras, com positividade em 248 (29,35%). A infecção por E. histolytica foi maior no grupo etário acima de 14 anos (30,36%) que no grupo de 0-14 anos (28,28%), porém sem significância estatística (p < 0,05). Do total de amostras analisadas, 334 foram também investigadas por métodos parasitológicos (direto, Hoffman e Faust et al.). Houve discordância nos resultados dos métodos ELISA e coproscópico em 83 amostras (24,85%), com maior número de positivos no teste imunoenzimático. Assim, nossos resultados sugerem que a amebíase intestinal é um importante problema de saúde pública na Região Metropolitana de Belém.