Página 1 dos resultados de 226 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Precipitação de CaCO3 em algas marinhas calcárias e balanço de CO2 atmosférico: os depósitos calcários marinhos podem atuar como reservas planetárias de carbono?; CaCO3 precipitation in marine calcareous seaweeds and the atmospheric CO2 concentration: can the marine calcareous deposits act as planetary carbon sinks?

Amancio, Carlos Eduardo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/09/2007 PT
Relevância na Pesquisa
57.19%
As atividades humanas nos últimos dois séculos vêm provocando um aumento na concentração de dióxido de carbono (CO2) atmosférico. Um dos efeitos desse aumento é um incremento na produtividade primária de algumas espécies vegetais terrestres, que dessa maneira atuam como sequestradoras de carbono. Nos oceanos, o CO2 é armazenado principalmente na forma de carbonato de cálcio (CaCO3), e o aumento na sua concentração leva a uma acidificação da água do mar e a uma menor disponibilidade de íons carbonato. Os animais que precipitam CaCO3 não serviriam como sequestradores de carbono porque o processo de calcificação produz CO2. Porém, a maioria das medidas de balanço de CO2 em comunidades calcárias marinhas negligenciam as formações de algas. Nas algas calcárias o CO2 produzido pela calcificação é aproveitado pela fotossíntese. Além disso, aumentos na concentração de CO2 podem levar a aumentos na taxa de crescimento, embora essas taxas possam ser afetadas por uma queda na disponibilidade de íons carbonato. O objetivo deste trabalho foi verificar se o aumento na concentração de CO2, e a acidificação da água do mar por ela causada, afetam o crescimento de algas calcárias. Tendo em vista a ausência de referências sobre trabalhos desse tipo com algas calcárias e considerando que as coralináceas não-articuladas...

Efeito de poluentes metálicos nos níveis de pigmentos fotossintéticos presentes em algas marinhas e avaliação do papel estrutural de carotenos em membranas miméticas; Effect of metallic pollutants in marine algae pigments contents and evaluation of carotenes structural features in mimetic membranes

Pereira Neto, Ana Maria
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/11/2007 PT
Relevância na Pesquisa
67.03%
Este trabalho envolve o estudo sobre os níveis de pigmentos fotossintéticos, carotenóides e clorofilas, presentes nas algas marinhas Tetraselmis gracilis e Gracilaria tenuistipitata, em condições de senescência celular e estresse antropogênico (poluição metálica). Em razão do papel fundamental dos carotenóides na organização de membranas tilacóides, o papel estrutural de carotenos e do extrato metanólico de T. gracilis em bicamadas lipídicas também foi avaliado. Para estes estudos foram realizados o cultivo, coleta e construção das curvas de crescimento das algas, obtenção dos cromatogramas típicos, identificação de alguns pigmentos fotossintéticos através de padrões, análise dos extratos brutos em diferentes fases de crescimento e respectiva quantificação. Foram realizados bioensaios de toxicidade dos metais Cd, Cu, Hg e Pb e foram estimados os parâmetros toxicológicos CE15 e CE50 (concentração efetiva para a redução de 15 e 50%, respectivamente, do crescimento algal). Os modelos de estresse agudo e crônico foram construídos para cada metal e a quantificação dos pigmentos fotossintéticos foi realizada. Lipossomos foram confeccionados com a incorporação de carotenos e do extrato metanólico de T. gracilis na bicamada e foram realizadas medidas de espalhamento de luz...

Modulação dos níveis de pigmentos e ácidos graxos em algas marinhas: função dos carotenóides e efeitos do estresse ambiental; Modulation of fatty acids and pigments in marine algae: function of carotenoids and environment stress

Pinto Junior, Ernani
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/08/2002 PT
Relevância na Pesquisa
67.31%
O estresse ambiental sobre algas marinhas pode ser causado por poluentes, ausência de nutrientes, variação da temperatura ou da intensidade luminosa. Embora vários grupos estudem os efeitos do estresse ambiental sobre a ecologia de animais marinhos, nos últimos anos, contudo, poucos pesquisadores têm investigado o seu efeito sobre a fisiologia das algas marinhas, sobretudo sobre a biossíntese e função de carotenóides e ácidos graxos. Deste modo, foram abordados experimentalmente a atividade antioxidante in vitro de alguns carotenóides encontrados em algas (determinação da constante de supressão (KQ) de oxigênio singlete (02 (1Δg)) e redução da lipoperoxidação em lipossomos incorporados com carotenóides) bem como a monitoração da biossíntese de pigmentos e os níveis de ácidos graxos em algumas espécies de algas cultivadas em situações de estresse ambiental, como exposição a metais pesados (Gracilaria tenuistipitata e Lingulodinium polyedrum), alta densidade populacional (Amphidinium cartareae, Nitzschia microcephala, Lingulodinium polyedrum, Minutocellus polymorphus e Tetraselmis gracilis), e intensidade luminosa (Lingulodinium polyedrum). Ainda, nas algas expostas a estas condições adversas, parâmetros de estresse oxidativo e indicadores enzimáticos do metabolismo oxidativo foram medidos...

Biocatalisadores de origem marinha (algas, bactérias e fungos) para redução estereosseletiva de cetonas; Biocatalysts from marine origin (algae, bacteria and fungi) for stereoselectivy reduction of ketones

Mouad, Ana Maria
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
57.18%
Neste trabalho foram realizadas reações de redução de cetonas empregando diferentes organismos marinhos como biocatalisadores (algas, fungos e bactérias). Nas triagens foram utilizados derivados de acetofenonas (o-iodoacetofenona, m-iodoacetofenona, p-iodoacetofenona, o-fluoracetofenona, o-cloroacetofenona, o-bromoacetofenona, o-nitroacetofenona) e duas cetonas 1,3-dicarboniladas: a 4,4,4-triflúor-1-(furan-2-il)butano-1,3-diona e a 4,4,4-triflúor-1-(naftalen-2-il)butano-1,3-diona. As reações com as algas marinhas Bostrychia tenella e a Bostrychia radicans levaram aos álcoois com excelentes seletividades (ee >98%), contudo, obtiveram-se baixas conversões. Foram isoladas as bactérias Bt-01 (B. tenella) e Bt-02 (B. radicans), as quais catalisaram as reduções das acetofenonas com resultados similares aos obtidos com as algas. Os fungos (Br-09, Br-23, Br-27, Br-61) isolados da alga B. radicans reduziram as acetofenonas com boas seletividades e conversões. Ainda, reações de redução das acetofenonas com quatro linhagens de fungos isolados da alga Sargassum sp (SMA2-C, SMA2-8, SMA2-58, SGPY-41) levaram a obtenção dos respectivos álcoois com diferentes conversões e seletividades. As reduções das cetonas 1,3-dicarboniladas foram realizadas com as algas B. tenella e B. radicans...

Estudos químicos e biológicos de algas marinhas do gênero Bostrychia Montagne (Rhodomelaceae, Rhodophyta) e fungos endofíticos associados; Chemical and biological studies in the seaweeds of Bostrychia Montagne (Rhodomelaceae, Rhodophyta) genus and endophytic fungi associated.

Erbert, Cíntia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
67.15%
O ambiente marinho, pela própria diversidade orgânica que representa, tem sido reconhecido como fonte promissora de metabólitos secundários biologicamente ativos. Algas marinhas produzem grande variedade de substância terpenoídicas, aromáticas e de origem policetídica, e bioensaios têm demonstrado importante potencial biológico relativo a estes metabólitos. Micro-organismos associados às algas, tais como fungos endofíticos, também representam importante e promissora fonte de produtos naturais com esqueletos estruturalmente diversos. Bostrychia é um gênero algal fisiológica e biogeograficamente bem estudado mas são escassas as informações quanto à sua composição química, predominando a descrição de polióis e de moléculas de baixo peso molecular. Neste trabalho, os resultados da comparação dos perfis cromatográficos de espécies de Bostrychia representam uma primeira abordagem qualitativa dos constituintes polares do conjunto de espécies desse gênero ocorrentes no litoral norte do estado de São Paulo, e deverá ser complementado por meio do isolamento e identificação estrutural de seus constituintes majoritários. O isolamento de fungos endofíticos a partir de B. radicans (coletadas em ambiente de costão rochoso e manguezal) e B. tenella (coletadas no costão rochoso) possibilitou a preservação de 135 linhagens disponíveis para estudos posteriores. Dentre as linhagens isoladas de B. radicans costão...

Composição química e potencial biológico das algas vermelhas marinhas Laurencia filiformis, Laurencia intricata, Plocamium brasiliense e Ochtodes secundiramea da costa brasileira; Chemical composition and biological potency of the marine red algae Laurencia filiformis, Laurencia intricata, Plocamium brasiliense and Ochtodes secundiramea of the Brazilian coast

Gressler, Vanessa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
57.14%
O oceano apresenta uma vasta diversidade de espécies, entre elas as algas marinhas, as quais são usadas principalmente como fonte de alimentos, de produtos industriais e para uso medicinal. Considerando a biodiversidade encontrada, são poucos os estudos que verificam a composição química e atividade biológica de algas. Desta forma, o presente trabalho descreve especialmente compostos do metabolismo primário (lipídios, proteínas e aminoácidos), composição química volátil, e potencial antioxidante e antimicrobiano de quatro espécies de algas vermelhas da costa brasileira (Laurencia filiformis, Laurencia intricata, Plocamium brasiliense e Ochtodes secundiramea). As análises de lipídeos revelaram que estas algas são ricas em ácidos graxos poliinsaturados ω3 e ω6, mas que apresentam o ácido palmítico como majoritário. O teor de proteínas encontrado é considerável e aproximadamente 50% da composição de aminoácidos é de aminoácidos essenciais. Para extrair os compostos voláteis das algas selecionadas para o estudo, três métodos foram utilizados: arraste a vapor, extração por solvente e HS-SPME. A caracterização química dos compostos voláteis deu-se principalmente pela utilização de cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas (CG-EM). Ainda foram isolados e identificados dois compostos majoritários do óleo essencial de L. filiformis...

Extratos de algas marinhas como agentes antioxidantes e antimicrobianos e seus efeitos na qualidade de Minced de tilápia (Oreochromis niloticus); Seaweeds extracts as antioxidants and antimicrobial agents and their effects on quality of tilapia Minced (Oreochromis niloticus)

Cabral, Ingridy Simone Ribeiro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 04/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
67.36%
A extração de Carne Mecanicamente Separada de tilápia tem se destacado como um processo atraente pela possibilidade de maior recuperação da carne após a filetagem. Porém, a separação mecânica aumenta a superfície de exposição, levando à incorporação de oxigênio e consequentemente ao "off flavor" devido à rancidez, tornando necessário o uso de aditivos para sua conservação. A tendência é utilizar produtos naturais como alternativas aos aditivos químicos. Entre os produtos naturais, as algas marinhas apresentam, em sua composição, metabólitos secundários com alta atividade antioxidante e antimicrobiana. Esta pesquisa teve como objetivo avaliar a composição química e a atividade biológica de quatro algas marinhas e seus efeitos, quando aplicados em Minced de tilápia. As algas Nori, Kombu, Hijiki e Wakame foram extraídas por 2 e 7 dias, em temperatura ambiente, com etanol 60, 80 e 100%. O teor de compostos fenólicos, a atividade antioxidante e a antimicrobiana in vitro foram determinados. A atividade antioxidante por métodos acelerados, Rancimat e Oxipres, também foi avaliada. As algas bioativas tiveram seu perfil químico elucidado por cromatografia líquida e gasosa. Essas algas foram aplicadas em Minced de tilápia...

Algas Marinhas do litoral da Ilha Graciosa

Neto, Ana I.
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Relatório
Publicado em /06/1989 POR
Relevância na Pesquisa
56.83%
III Expedição Científica do Departamento de Biologia – Graciosa 1988.; As algas dos Açores tem sido, do ponto de vista sistemático, objecto de interesse de alguns cientistas (Seubert, 1844; Drouet, 1866; Agardh, 1870; Godman, 1870; Trealese, 1897; Gain, 1914; Schmidt, 1930, 1931; Palminha, 1957; Larkurn, 1960; Pryor, 1967; Fralick et al., 1985; Casto & Viegas, 1987; Reine, 1988; Fralik & Hehre, no prelo. 0s registos existentes para Graciosa limitam-se, no entanto, a nove taxa. Este trabalho tem como objectivo contribuir para uma inventariação da flora algológica desta ilha e surge como ponta de partida para um conhecimento mais profundo da algologia e da ecologia marinha das ilhas dos Açores

Algas marinhas do litoral de Santa Maria.

Neto, Ana I.; Fralick, Richard A.; Baldwin, Heather P.; Hehre, Edward
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Relatório
Publicado em //1991 POR
Relevância na Pesquisa
67.08%
V Expedição Científica do Departamento de Biologia – Santa Maria e Formigas 1990.; Santa Maria, sendo a ilha do Arquipélago dos Açores localizada mais a oriente despertou desde há algum tempo o interesse de vários cientistas. De facto, os estudos de sistemática das algas marinhas do litoral desta ilha remontam ao século XIX (Drouet, 1866; Agardh, 1870; Trelease, 1897). Já no século XX Schmidt (1931) recolheu e determinou material algológico desta ilha e, mais recentemente, Fralick & Hehre (1990) incluiram material de Santa Maria na sua lista das algas verdes dos Açores. Ao integrar a Expedição Científica Santa Maria e Formigas/1990 o principal objectivo foi o de fazer uma actualização e eventual confirmação dos registos algológicos existentes para esta ilha, contribuindo simultaneamente para um conhecimento mais aprofundado da fitogeografia do litoral açoreano.

α-, β-caroteno e α-tocoferol em algas marinhas in natura

Sousa,Márcia Barbosa de; Pires,Kelma Maria dos Santos; Alencar,Daniel Barroso de; Sampaio,Alexandre Holanda; Saker-Sampaio,Silvana
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
67.03%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial de 32 espécies de algas marinhas das divisões Chlorophyta, Rhodophyta e Phaeophyta como fontes de α- e β-caroteno e α-tocoferol. Todas as clorofíceas analisadas apresentaram α- e β-caroteno. Os teores máximo e mínimo de α-caroteno foram detectados nas espécies do gênero Caulerpa e em Codium decorticatum, respectivamente; e β-caroteno foi mais baixo em Caulerpa mexicana e mais elevado em Ulva fasciata. Dentre as rodofíceas, 11 espécies apresentaram α-caroteno, com máximo em Botryocladia occidentalis. β-caroteno foi encontrado em todas as algas vermelhas analisadas com teores mínimo e máximo em Gracilaria caudata e Bryothamnion triquetrum, respectivamente. As feofíceas apresentaram apenas β-caroteno, com mínimo e máximo em Dictyopteris delicatula e Padina gymnospora, respectivamente. Na divisão Chlorophyta, α-tocoferol, foi máximo em Codium decorticatum e mínimo em Caulerpa prolifera. Na Rhodophyta, 12 espécies apresentaram α-tocoferol com teor máximo em Enantiocladia duperreyi. Na Phaeophyta, α-tocoferol foi encontrado com valores mínimo e máximo em Lobophora variegata e Dictyota dichotoma, respectivamente.

Produtos naturais de algas marinhas e seu potencial antioxidante

Rocha,Fabíola Dutra; Pereira,Renato Crespo; Kaplan,Maria Auxiliadora Coelho; Teixeira,Valéria Laneuville
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
67.1%
Os radicais livres e outros derivados ativos do oxigênio são inevitavelmente co-produzidos em algumas reações biológicas e exercem papel fisiológico importante. No entanto, essas espécies reativas têm sido descritas como fatores que participam diretamente dos mecanismos fisiopatológicos relacionados com a continuidade e as complicações de diversos estados patológicos como a aterosclerose, a diabetes, o câncer, a artrite reumatóide, entre outros. Dessa forma, a terapia antioxidante preveniria o desenvolvimento e a progressão dessas complicações. As algas marinhas representam uma importante fonte de substâncias antioxidantes naturais, uma vez que têm sistemas de defesas antioxidantes bem desenvolvidos. O presente trabalho é uma compilação das pesquisas realizadas sobre a atividade antioxidante de produtos naturais marinhos e extratos de algas marinhas bentônicas.

Atividade antioxidante in vitro de extratos de algumas algas verdes (Chlorophyta) do litoral catarinense (Brasil)

Raymundo,Melissa dos Santos; Horta,Paulo; Fett,Roseane
Fonte: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo Publicador: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
56.9%
O efeito antioxidante de quatro espécies de algas marinhas do filo Chlorophyta (Codium decorticatum, Enteromorpha intestinalis, Ulva fasciata e Chaetomorpha anteninna) foi avaliado através da inibição da peroxidação do ácido linoléico em emulsão. Os extratos etéreos e metanólicos, na concentração de 0,01%, foram obtidos por extração seqüencial das biomassas secas. As espécies mais efetivas sobre a peroxidação lipídica foram Enteromorpha intestinalis e Chaetomorpha anteninna, com porcentagens de inibição acima de 70%. A habilidade dos extratos metanólicos para seqüestrar o peróxido de hidrogênio foi avaliada, obtendo-se valores médios para porcentagens de captura entre 1,26% e 20,01%. Além disto, quantificaram-se os teores de clorofila a, carotenóides totais e compostos fenólicos totais nas biomassas algais. Os resultados indicam que as algas verdes estudadas são uma fonte promissora de compostos biologicamente ativos com propriedades antioxidantes.

Avaliação da atividade antimalárica de extratos obtidos de algas marinhas no litoral do Rio Grande do Norte

Dantas, Gracielle Rodrigues
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas; Biodiversidade; Biologia Estrutural e Funcional. Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas; Biodiversidade; Biologia Estrutural e Funcional.
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.19%
Malaria is a major parasitic disease worldwide, accounting for about 500 million cases and causing 2 million to 3 million deaths annually. Four species are responsible for transmitting this disease to humans: Plasmodium falciparum, Plasmodium vivax, Plasmodium malariae and Plasmodium ovale. The parasite resistance to antimalarial drugs and the usual limitations of the vector control implications are contributing to the spread of the disease. The most of significant advances in the search for new antimalarial drugs is based on natural components, the main ones being currently used antimalarial drugs derived from plants. Research on natural products of marine origin (particularly algae) show that some species possess antiplasmodial activity. Knowing that the coast of Rio Grande do Norte is home to several species of algae, the present study was to evaluate, for the first time, the antimalarial activity of ethanolic extracts of seaweed Spatoglossum schroederi, Gracilaria birdiae and Udotea flabellum against Plasmodium falciparum 3D7 strain tests and in vitro using the murine model (Plasmodium berghei) for evaluation in vivo. These species were ground, macerated with ethanol for 24 hours and the extracts concentrated in rotaevaporador (45 ° C ± 5 ° C). For in vitro tests...

Algas marinhas bentônicas da Baía de Santos - alterações da flora no período de 1957-1978

Oliveira Filho, Eurico Cabral de; Berchez, Flávio Augusto de Souza
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/11/1978 POR
Relevância na Pesquisa
67.22%
O primeiro trabalho com caráter de flora a tratar das algas marinhas do Brasil foi publicado por Joly, em 1957, sobre a flora marinha da região de Santos, tendo-se constituído no marco mais significativo da Ficologia Brasileira. No referido trabalho Joly refere a existência de 105 espécies sendo 4 Cianofíceas, 22 Clorofíceas, 16 Feofíceas e 63 Rodofíceas. em levantamento que efetuamos no período de 1976-1978, coletando exatamente nos mesmo pontos visitados por Joly, encontramos apenas 68 espécies, sendo 4 Cianofíceas, 19 Clorofíceas, 6 Feofíceas e 39 Rodofíceas. Destas 68 espécies, 17 devem ter sido introduzidas recentemente e constituem novas referências para a área o que aumenta para 54 o número de espécies que existiam anteriormente na região e que não são mais encontradas no local. Isto significa que mais de 50% da flora original desapareceu nos últimos 20 anos. Os dados mostram ainda que as algas pardas foram as mais sensíveis às mudanças ambientais tendo havido uma diminuição de 62,5% no número de espécies que existiam na região na década de 50. Uma comparação da proporção de cada grupo nas décadas de 50 e 70 evidencia que houve uma pequena redução na representação das algas vermelhas e um aumento relativo na representação das algas verdes e azuis. Embora a poluição geral da Baía de Santos não tenha sido monitoreada nestes 20 anos seu aumento é notório e a ela devem ser atribuídas a maior parte das alterações detectadas na flora. A comparação da flora de Santos com a de regiões limítrofes leva á conclusão de que os efeitos da poluição já deviam exercer sua influência na composição florística da região mesmo na década de 50.

Antioxidant in vitro activity of extracts of some green seaweed (Chlorophyta) from southern Brazilian coast; Atividade antioxidante in vitro de extratos de algumas algas verdes (Chlorophyta) do litoral catarinense (Brasil)

Raymundo, Melissa dos Santos; Horta, Paulo; Fett, Roseane
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2004 POR
Relevância na Pesquisa
56.9%
The antioxidant activity of four species of green seaweeds of the phylo Chlorophyta (Codium decorticatum, Enteromorpha intestinalis, Ulva fasciata and Chaetomorpha anteninna) collected at the seacoast of the State of Santa Catarina, Brazil, was evaluated by means of the inhibition of peroxidation of linoleic acid converted into emulsion. Both ethereal and methanolic extracts were obtained from dried biomasses by sequential extraction procedures in concentrations of 0.01%. The most efficient species towards lipid peroxidation were E. intestinalis and C. anteninna with inhibition yields above 70% .The capacity of methanolic extracts to quench hydrogen peroxide was also estimated. Mean values varied from 1.26 to 20.01%. Chlorophylls a, total carotenoids and phenolic compounds were also quantified in the biomasses. Results indicated that studied green seaweeds are a very promising source of biologically active compounds with antioxidant properties.; O efeito antioxidante de quatro espécies de algas marinhas do filo Chlorophyta (Codium decorticatum, Enteromorpha intestinalis, Ulva fasciata e Chaetomorpha anteninna) foi avaliado através da inibição da peroxidação do ácido linoléico em emulsão. Os extratos etéreos e metanólicos...

Determinação dos teores de Na, K, P e proteínas em algumas algas marinhas

Yokoyama, M. Y.; Guimarães, O.
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 09/12/2005 POR
Relevância na Pesquisa
66.95%
Determinação dos teores de Na, K, P e proteínas em algumas algas marinhas

PRODUTOS NATURAIS DE ALGAS MARINHAS E SEU POTENCIAL ANTIOXIDANTE E ANTIMICROBIANO

CABRAL, INGRIDY SIMONE RIBEIRO; Universidade de São Paulo - USP; SHIRAHIGUE, LIGIANNE DIN; Universidade de São Paulo - USP; DE ARRUDA, LIA FERRAZ; Universidade de São Paulo - USP; CARPES, SOLANGE TEREZINHA; Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 02/01/2012 POR
Relevância na Pesquisa
67.15%
Esta revisão de literatura teve como objetivo apresentar os produtos de algas marinhas disponíveis no mercado, as atividades antioxidante e antimicrobiana por elas apresentadas, os principais compostos envolvidos nessas bioatividades, além de aspectos fundamentais sobre a exploração e comercialização desses produtos naturais. Os dados descritos na literatura evidenciam o grande potencial das algas marinhas como fontes naturais de ingredientes funcionais. O estudo da composição química, além da descoberta dos mecanismos de ação que envolvem as atividades biológicas das diversas espécies de algas, será interessante fonte de dados para a exploração de novas drogas de interesse para as indústrias farmacêutica e de cosméticos, bem como de novos ingredientes funcionais para a indústria alimentícia.

Produtos Naturais de Algas Marinhas Bentônicas; Marine Natural Products from Seaweeds

Valéria L. Teixeira; Universidade Federal Fluminense
Fonte: Revista Virtual de Química Publicador: Revista Virtual de Química
Tipo: ; Formato: binary/octet-stream
Publicado em 04/07/2013 PT
Relevância na Pesquisa
67.22%
Produtos naturais de algas marinhas bentônicas são estudados com o objetivo de se buscar novas substâncias de valor industrial, para o conhecimento de seu papel ecológico e como uma ferramenta poderosa no estabelecimento dos limites taxonômicos de espécies, gêneros e famílias de algas marinhas. A presente revisão mostra as principais características dos produtos naturais de macroalgas marinhas pertencentes as Divisões Chlorophycta – Classe Ulvophyceae (macroalgas verdes marinhas), Ochrophyta – Classe Phaeophyceae (macroalgas pardas marinhas) e Rhodophyta (macroalgas vermelhas). São apresentados os principais exemplos de produtos naturais isolados de espécies da costa brasileira, suas principais atividades biológicas observadas, sua importância ecológica, taxonômica e evolutiva. DOI: 10.5935/1984-6835.20130033; Natural products from seaweeds have been studied with the aim of finding new drugs of industrial value, understanding their ecological role, and well as establishing the limits of taxonomic species, genera and families of marine algae. The present review shows the main features of natural products from seaweeds of the Divisions Chlorophyta – Class Ulvophyceae (green seaweeds), Ochrophyta – Class Phaeophyceae (Brown seaweeds) and Rhodophyta (red seaweeds). The most important examples of natural products isolated in the Brazilian coast are presented along with their main biological activities and their ecological...

Contribuição ao levantamento taxonômico das algas marinhas bentônicas do mangue do Itacorubi - Florianópolis - Ilha de Santa Catarina - Brasil. I - Chlorophyta; Contribuição ao levantamento taxonômico das algas marinhas bentônicas do mangue do Itacorubi - Florianópolis - Ilha de Santa Catarina - Brasil. I - Chlorophyta

Hadlich, Rosany Marly; Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1984 POR
Relevância na Pesquisa
67.15%
The present work is a taxonomic survey of the benthonic marine algae from the Itacorubi Mangrove of Santa Catarina Island, Florianópolis, Santa Catarina State, Brazil. There were identified 6 taxa, pertainig to the divisions Chlorophyta, distribuited in 4 genera. The family best representatived was Cladophoraceae, with three species of Rhizochonium genus. The species of most of incident percentage were Rhizoclonium riparium and Boodleopsis pusilla. During all year algae tooke advantage comparing with pneumatophore.; 0 presente trabalho é o levantamento taxonômico das algas marinhas bentônicas da divisão Chlorophyta do Mangue do Itacorubi, Florianópolis, Ilha de Santa Catarina, Estado de Santa Catarina, Brasil. Foram identificados seis taxons distribuidos em quatro gêneros. A família melhor representada foi Cladophoraceae corn três espécies do gênero Rhizoclonium. As espécies de maior porcentagem de ocorrência foram Rhizoclonium riparium e Boodleopsis pusilla. Durante todo o ano prevaleceu a ocorrência de algas sobre pneumatóforos.

Contribuição ao levantamento taxonômico das algas marinhas bentônicas do mangue do Itacorubi - Florianópolis - Ilha de Santa Catarina - Brasil – II Rhodophyta; Contribution to the taxonomic survey of the survey of the Benthonic marine algae from the Itacorubi Mangrove - Florianopolis - Santa Catarina Island - Brazil - II Rhodophyta

Hadlich, Rosani Marly; Bouzon, Zenilda Laurita; Universidade Federal de Santa Catarina
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1985 POR
Relevância na Pesquisa
66.95%
Este trabalho se refere as algas marinhas bentônicas, divisão RHODOPHYTA, coletadas no mangue do Itacorubi, Florianópolis, Ilha de Santa Catarina, Estado de Santa Catarina, Brasil. (27°34'05" Lat. S e 48°30'45" Long. W.). Foram identificados 9 taxons distribuídos em 5 gêneros. São citações novas para o Estado: Caloglossa ogasawaraensis Okamura e Murrayella periclados (C. Agardh) Schmitz. Apresentamos uma lista das espécies com descrições contendo observações ecológicas, estágios reprodutivos, distribuição mensal, associação entre as espécies e preferência de substrato.;   The present work is about the marine benthic algae RHODOPHYTA division, collected from the Itacorubi mangrove, in FlorianOpolis, Island of Santa Catarina, Santa Catarina State, Brazil.(27° 34'05" Lat. S e 48°30'45" Long. W.) There were identified 9 taxa, distribuited in 5 genera. Two species are reported for the firsttime for the Santa Catarina State: Caloglossa ogasawaraensis Okamura and Murrayella periclados (C. Agardh) Schmitz. We present a list of the species with descriptions contaning ecological observations, reprodutive stages, monthly distribution, association among the species and substract preference.