Página 1 dos resultados de 2107 itens digitais encontrados em 0.010 segundos

Aleitamento materno e obesidade em crianças pré-escolares

Correia, Teresa; Carvalho, Cristina; Dias, Tânia; Correia, Pedro Miguel Gomes Pereira
Fonte: XIV Encontro Nacional APEO Publicador: XIV Encontro Nacional APEO
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
67.23%
O aleitamento materno é um processo, aparentemente fisiológico inerente à espécie humana mas que é condicionado por aspectos sociais, culturais e históricos. A prática da amamentação não é instintiva, implica aprendizagem por parte da mulher e protecção da sociedade. O aleitamento materno é um dos factores preponderantes na alimentação das crianças que permeiam a relação mãe-filho. A Organização Mundial de Saúde (OMS) na tentativa de uniformizar conceitos relativos à prática da amamentação, definiu diferentes categorias de aleitamento materno, das quais salientamos: Aleitamento materno: quando a criança recebe leite materno (directo da mama ou ordenhado), independentemente de receber ou não outros alimentos; Aleitamento materno exclusivo: quando a criança recebe somente leite materno, directo da mama ou ordenhado, ou leite humano de outra fonte, sem outros líquidos ou sólidos, com excepção de gotas ou xaropes contendo vitaminas, sais de reidratação oral, suplementos minerais ou medicamentos. A OMS recomenda o aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida e o aleitamento materno até aos dois anos ou mais. Objectivos: Investigar a relação do aleitamento materno na obesidade infantil. Metodologia: Estudo epidemiológico de corte transversal com 240 crianças entre os 2 e os 6 anos de idade residentes no Concelho de Bragança. A variável de exposição foi o aleitamento materno...

Conhecimentos e práticas de trabalhadores de um centro infantil acerca do aleitamento materno; Knowledge and pratices of workers at a child center related to breastfeeding

Maciel, Aline Ferreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/11/2008 PT
Relevância na Pesquisa
67.24%
Esta pesquisa teve como objetivo caracterizar conhecimentos e práticas de trabalhadores de Centro Infantil (CI ou creche) relativos ao aleitamento materno, por meio de um estudo de caso realizado num serviço vinculado a um hospital escola no município de São Paulo. Realizou-se identificação das rotinas relativas ao aleitamento e entrevista com 10 trabalhadores que atuaram em situações de aleitamento materno na creche com crianças menores de um ano, nos últimos cinco anos (2003 2007). Tendo em vista as funções dos trabalhadores do CI, participaram do estudo 7 auxiliares de desenvolvimento infantil, a auxiliar de enfermagem, o auxiliar administrativo e a diretora, uma vez que todos estes profissionais potencialmente executam ações que podem influenciar o aleitamento materno naquele local. Os resultados foram agrupados em quatro grandes temas: A Importância do Aleitamento Materno na Creche, A Prática do Aleitamento Materno Depende das Mães, Facilidades Relacionadas ao Aleitamento Materno na Creche e Dificuldades Relacionadas ao Aleitamento Materno na Creche. Os respondentes manifestam que o leite materno é importante para o desenvolvimento da criança, todavia, com comentários genéricos, uma vez que seus conhecimentos são provenientes de sua prática diária...

Caracteristícas do aleitamento materno no município de Joinville, SC; Characteristics of breastfeeding in the city of Joinville, SC

Nascimento, Maria Beatriz Reinert do
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
67.19%
O aleitamento materno é o modo mais natural e seguro de alimentação na primeira infância. O leite humano proporciona uma combinação única de nutrientes, células vivas e elementos de defesa, assim como benefícios nutricionais, imunológicos, psicológicos e econômicos reconhecidos e inquestionáveis, tanto a curto como a longo prazo. Como política global de saúde pública, a Organização Mundial da Saúde recomenda que a amamentação seja exclusiva até o sexto mês de vida. Após essa idade, alimentos complementares devem ser iniciados, e o aleitamento materno mantido beneficamente até dois anos ou mais. É essencial tomar conhecimento das condições de saúde, de assistência e de vida de uma determinada população, inclusive àquelas relativas à nutrição infantil, para tanto, o diagnóstico rápido dos índices de aleitamento materno em campanhas de vacinação constitui uma importante estratégia. O objetivo geral desse estudo foi determinar a prevalência do aleitamento materno entre os lactentes menores de um ano de idade no município de Joinville (SC). Os objetivos específicos foram: caracterizar o tipo de aleitamento entre os lactentes menores de um ano de idade, conhecer a prevalência do aleitamento materno exclusivo em lactentes de quatro e seis meses de vida...

Reprodução social & aleitamento materno (estudo populacional no Município de Itupeva, SP); Social reproduction & breastfeeding (population study in Itupeva city, SP, Brazil)

Toriyama, Aurea Tamami Minagawa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/08/2002 PT
Relevância na Pesquisa
67.21%
Apesar do movimento em prol do aleitamento natural e dos esforços para deter o desmame precoce, a freqüência e a duração do aleitamento materno no Brasil permanecem inferiores às recomendações da Organização Mundial de Saúde. Os poucos estudos com base populacional sobre a situação da amamentação no Brasil, em sua maioria tem se baseado no referencial teórico da multicausalidade como explicativo do desmame precoce e dos fatores que favorecem ou dificultam a amamentação. Enquanto sub-projeto de uma investigação mais ampla, este estudo transversal de base populacional pretendeu verificar como são associados o perfil de reprodução social das famílias - formas de trabalhar e de viver - e a situação de aleitamento materno. Foi realizado numa amostra significativa de 261 crianças menores de 2 anos, residentes na área urbana da cidade de Itupeva (SP). A partir de um modelo teórico hierarquizado, centrado na categoria da reprodução social, foram compostos os perfis de reprodução social, utilizando-se uma base teórico-metodológica-operacional que pré-definiu três grupos sociais homogêneos (GSHs). Para avaliar os padrões de aleitamento materno foram utilizados os indicadores recomendados pela OPS/OMS, sendo a freqüência e a duração mediana calculadas a partir da técnica da tábua de vida. Verificou-se a associação entre as variáveis estudadas através de análise bivariada (teste X2; P<0...

Conhecimento e práticas de profissionais de enfermagem das equipes de saúde da família, de um município do interior de Minas Gerais, sobre a promoção ao aleitamento materno; Knowledge and practices of nursing professionals of family health teams in a city in Minas Gerais on breastfeeding promotion

Fonseca, Mariana de Oliveira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
67.19%
Apesar de conhecidos os benefícios do aleitamento materno, seus índices ainda se encontram aquém do recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Neste sentido, práticas de promoção desenvolvidas pelos profissionais de enfermagem, da Estratégia de Saúde da Família, dotados de habilidades e conhecimento, podem elevar a prevalência e duração desta prática social. Este estudo teve como objetivos: analisar a atuação dos profissionais de enfermagem das equipes de saúde da família na promoção ao aleitamento materno; caracterizar seu perfil sociodemográfico, profissional, de trabalho e de amamentação; e identificar seu conhecimento e suas práticas de promoção. Tratou-se de estudo observacional, transversal, descritivo e exploratório que foi desenvolvido nas unidades de saúde da família da zona urbana do município de Uberaba/MG. A população do estudo constituiu-se por 85 profissionais de enfermagem que estavam atuando nas equipes de saúde da família no momento da coleta dos dados, entre março e julho de 2010. Os dados foram coletados por meio de dois questionários, sendo um para enfermeiros e outro para técnicos de enfermagem. Ademais, em um segundo momento, foi realizada a coleta dos dados por meio da observação. Os dados foram processados e analisados no programa Statistical Package for Social Sciences...

Aleitamento materno em lactentes com e sem fissura labial: estratégias de enfrentamento e nível de estresse materno; Breastfeeding in infants with and without cleft lip: coping strategies and level of maternal stress

Carvalho, Maria Lúcia Nejm de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
67.19%
Objetivos: Investigar o nível de estresse e as estratégias de enfrentamento adotadas na situação de aleitamento materno exclusivo e não aleitamento materno exclusivo para a comparação entre mães de lactentes com fissura labial e de lactentes sem fissura labial, com idades inferiores a seis meses; analisar e descrever interações entre nível de estresse materno, estratégias de enfrentamento, aspectos sociodemográficos, gênero, idade e extensão da fissura labial do lactente e tipo de aleitamento.Métodos: Estudo transversal, alinhado à perspectiva quanti-qualitativa, com amostra de 200 mães de lactentes com e sem fissura labial subdivididas em quatro grupos: grupo 1: 50 mães de lactentes com fissuras de lábio completas e incompletas e que estavam em aleitamento materno exclusivo, agendadas para o caso novo no Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC), grupo 2: 50 mães de lactentes sem fissuras de lábio em aleitamento materno exclusivo, atendidas em duas Unidades Básicas de Saúde (UBS), grupo 3: 50 mães de lactentes com fissuras de lábio completas e incompletas e que não estavam em aleitamento materno exclusivo, agendadas para caso novo no HRAC, grupo 4: 50 mães de lactentes sem fissuras de lábio e que não estavam em aleitamento materno exclusivo...

Processo coletivo para capacitação de profissionais de uma unidade básica de saúde em relação ao aleitamento materno; Proceso colectivo para la capacitación de los profesionales de una unidad básica de salud en relación al amamantamiento materno; Colective process of qualifying professionals of a basic health unit maternal breast feeding

Lipinski, Jussara Mendes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.18%
Este estudo de caso qualitativo realizou-se com profissionais que atuam em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) do município de Porto Alegre, no período de outubro de 2007 a novembro de 2009. Teve como objetivo geral analisar um processo coletivo de capacitação para o aleitamento materno em uma unidade básica de saúde e como objetivos específicos: identificar as temáticas necessárias para o desenvolvimento da capacitação; discutir as práticas dos profissionais relacionadas ao aleitamento materno; propor ações e/ou estratégias para trabalhar as temáticas identificadas. Utilizou-se como metodologia de pesquisa o estudo de caso com pressupostos da pesquisa participante. Os dados foram coletados em encontros participativos, utilizando-se, para registro dos mesmos, o diário de campo coletivo e instrumento para avaliação individual. Os dados foram analisados a partir da análise temática, proposta por Minayo. O estudo foi desenvolvido em duas etapas: na primeira, foi realizada capacitação com sete pré-natalistas da UBS e, na segunda, a capacitação foi ampliada a equipe, com quarenta profissionais; os dados decorrentes dos encontros deram origem a 5 temas: 1º) A necessidade de atualização das prenatalistas, no qual eles reconhecem a necessidade de realizarem suas práticas pautadas em conhecimentos atualizados...

Aleitamento materno

Brecailo, Marcela Komechen
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 1 v.| grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
67.19%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-graduação em Nutrição; A infância é uma fase de crescimento e desenvolvimento muito intensos, portanto uma das mais vulneráveis aos fatores externos aos quais o indivíduo está exposto. Um dos fatores preponderantes na alimentação das crianças menores de dois anos de idade é o aleitamento materno e o aleitamento materno exclusivo. São inúmeras suas vantagens para a mãe e para o bebê. Porém, sua prevalência no Brasil está muito aquém do recomendado. A atenção básica parece ser efetiva na promoção do aleitamento materno exclusivo, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da população. Objetivo: Verificar a associação entre o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade e as características socioeconômicas, demográficas, ambientais, de morbidades e biológicas das famílias assistidas pelo Programa Saúde da Família no município de Guarapuava - PR. Método: Trata-se de um estudo transversal de base analítica que incluiu crianças de 0 a 23,9 meses e suas mães biológicas, que residiam na área urbana de Guarapuava e eram assistidas pelo Programa Saúde da Família. Calculou-se uma amostra da população e...

Aleitamento materno e políticas públicas em Florianópolis

Parizoto, Giuliana Micheloto
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 236 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
67.25%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2013.; Diante da complexidade da amamentação, as ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno devem estar bem estruturadas, coordenadas e multisetoriadas. Entretanto, para se efetivar o aumento dessa prática, são necessários diagnósticos e ações no âmbito local respaldadas por políticas públicas organizadas em rede. O presente estudo apresenta abordagem quantitativa e qualitativa, tendo como questões de pesquisa: Qual a prevalência e os fatores associados à manutenção do aleitamento materno no município de Florianópolis em 2008 em crianças menores de um ano de idade? Como vem ocorrendo o cuidado de enfermagem nas redes de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno na perspectiva das políticas públicas no município de Florianópolis, a partir do significado das relações e interações vivenciadas pelos profissionais de enfermagem e mães? Os objetivos foram: Estimar a prevalência do aleitamento materno em crianças menores de um ano em 2008 no município de Florianópolis, SC e identificar os fatores associados à sua manutenção; Compreender o cuidado de enfermagem nas redes de promoção...

Aleitamento Materno: Condicioanntes na sua Manutenção

Zangão, Otília; Mendes, Felismina
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
67.28%
Introdução: Sendo o aleitamento materno uma prioridade para o século XXI, torna-se necessário verificar as condicionantes para a manutenção do aleitamento materno em exclusivo até aos 6 meses e em complemento até aos 2 anos ou mais (OMS, 2001). “O aleitamento depende de diversos fatores sócio culturais, profissionais, nível de educação e da ação dos profissionais de saúde e dos meios de informação. Em Portugal, vários estudos avaliaram a prevalência do aleitamento materno. Porém, além da prevalência, conhece-se ainda pouco sobre os fatores que condicionam a amamentação, nomeadamente a influência dos estilos de vida, do nível de educação e dos meios de comunicação social do peso relativo da opinião dos profissionais de saúde sobre a adesão das mães ao aleitamento” (Sandes, Nascimento, Figueira, Gouveia, Valente, Martins, Correia, Rocha & Da Silva, 2007: 195). Atualmente, os estilos de vida diferentes, que não coadjuvam a amamentação, com mães e avós que não amamentaram e/ou não foram amamentadas, são fatores que levam à não manutenção do aleitamento materno para além dos primeiros meses. Por outro lado, o aleitamento materno é uma capacidade que se aprende, vulnerável a falta de informação...

Aleitamento materno : O papel do pai

Abrantes, Georgina Maria Travasso Mota
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /11/2014 POR
Relevância na Pesquisa
67.19%
Enquadramento: O aleitamento materno é a forma mais saudável de alimentar um lactente, trazendo incontestáveis benefícios para a criança, mãe, família, ambiente e sociedade. A participação do pai ao longo da gravidez através do acompanhamento da mãe, e o suporte oferecido após o nascimento do bebé pode influenciar positivamente o sucesso do aleitamento materno pelo apoio e segurança oferecidos, contribuindo ainda para a satisfação do casal. Objetivos: Analisar a importância atribuída pelo pai à sua participação no Aleitamento Materno; Identificar qual o tipo de participação (física, doméstica ou afetiva) a que atribui maior importância; Identificar alguns fatores que possam relacionar-se com a importância atribuída pelo pai à sua participação no Aleitamento Materno. Métodos: Realizou-se um estudo quantitativo, descritivo-correlacional. Os dados foram recolhidos através de questionário, aplicado a 83 pais de recém-nascidos em aleitamento materno, internados na Obstetrícia ou Neonatologia do Centro Hospitalar Cova da Beira. Resultados: Verificou-se que 43,4% dos participantes tinham entre 31-36 anos; 33,7% concluíram o 12º ano; 44,6% com relação conjugal entre 1-5 anos; 66,3% casados; 54...

Aleitamento materno nos concelhos de Cascais, Amadora e Sintra: porquê o abandono precoce?

Alves, A; Lamy, S; Henriques, G; Virella, D; Carreiro, H; Lynce, N; Machado, MC
Fonte: ASIC - Associação de Saúde Infantil de Coimbra Publicador: ASIC - Associação de Saúde Infantil de Coimbra
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //1999 POR
Relevância na Pesquisa
67.18%
Em Portugal, apesar de existirem elevadas taxas de adesão ao aleitamento materno nos primeiros dias de vida, há um declínio importante no primeiro mês de aleitamento que se mantém, embora menos acentuado, até ao 6º mês. Este trabalho teve como objectivos: 1) conhecer a prevalência do aleitamento materno até aos 6 meses de idade nos conselhos de Cascais, Sintra e Amadora; 2) identificar factores associados com o abandono do aleitamento materno; 3) verificar se a adesão e manutenção do aleitamento materno é menor quando há maior precocidade na alta da Maternidade. Aplicou-se um inquérito por telefone a 143 mães de lactentes cujo parto tinha ocorrido 6 meses antes. Iniciaram a amamentação 97,3% das mães. Ao fim de 1 mês, 80,6% mantinham o aleitamento materno, aos 3 meses 48,3% e aos 6 meses 22,4%. Razões pouco consistente foram invocadas por 74% das mães para a introdução do leite artificial e por 66% das mães para o abandono do aleitamento materno. O abandono precoce do aleitamento materno associou-se à introdução de suplemento com leite artificial. As mães que referiram não ter necessitado de mais apoio para manter o aleitamento materno (61%) foram as que abandonaram mais cedo. O médico assistente foi...

Fatores associados com a duração do aleitamento materno

Chaves,Roberto G.; Lamounier,Joel A.; César,Cibele C.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
67.19%
OBJETIVOS: Determinar os índices de aleitamento materno exclusivo e complementado e identificar variáveis que interferem na prática da amamentação no município de Itaúna (MG). MÉTODOS: Estudo longitudinal realizado com 246 mulheres assistidas na maternidade do Hospital Manoel Gonçalves, no município de Itaúna (MG). O acompanhamento das mães e recém-nascidos foi realizado mensalmente nos primeiros 12 meses após o parto ou até a interrupção da amamentação. A análise da duração do aleitamento materno exclusivo e complementado foi realizada utilizando procedimentos de análise de sobrevivência. O efeito das co-variáveis sobre o tempo de aleitamento foi avaliado através do modelo de regressão de Cox. RESULTADOS: A prevalência de aleitamento materno exclusivo no sexto mês foi de 5,3%, e de aleitamento materno aos 12 meses, 33,7%. A mediana de aleitamento materno exclusivo foi de 40 dias, e a mediana de aleitamento materno, 237 dias. A análise multivariada mostrou associação negativa (p < 0,05) entre o tempo de aleitamento materno exclusivo e as variáveis: intenção de amamentar (< 12 meses), peso do recém-nascido (< 2.500 g) e uso de chupeta. O menor tempo de aleitamento materno foi associado (p < 0,05) com idade materna (< 20 anos)...

Diagnóstico da situação do aleitamento materno no Estado do Piauí, Brasil

Ramos,Carmen Viana; Almeida,João Aprígio Guerra de; Alberto,Norma Sueli Marques da Costa; Teles,João Batista Mendes; Saldiva,Silvia Regina Dias Médici
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
67.17%
O objetivo do estudo foi realizar um diagnóstico da situação do aleitamento materno no Piauí, Brasil, durante a campanha de vacinação de 2006. A amostra constituiu-se de 1.963 crianças menores de um ano em 45 municípios. As medianas e probabilidades das categorias de aleitamento foram realizadas pela análise de probitos. Para análise da associação entre as variáveis do estudo e aleitamento materno/aleitamento materno exclusivo, utilizou-se o modelo de regressão logística multivariada. As probabilidades encontradas foram: 16% para o aleitamento materno exclusivo, 18% para o predominante na idade de 180 dias e 58% para aleitamento materno aos 361 dias. A duração mediana foi de 67 dias para o aleitamento materno exclusivo e 200 para aleitamento materno. Entre as crianças cujas mães pertenciam às classes econômicas C, D e E (p = 0,024) e moravam na zona rural (p = 0,009), o aleitamento materno foi maior. Não mamar nas primeiras 24 horas e utilizar chupeta e mamadeira reduziram a prevalência do aleitamento materno (p < 0,001). As prevalências encontram-se aquém das recomendações e refletem a necessidade de priorização das ações voltadas para o aleitamento no estado.

Tendência do aleitamento materno em município da região centro-sul do estado de São Paulo: 1995-1999-2004

Ferreira,Luciana; Parada,Cristina Maria Garcia de Lima; Carvalhaes,Maria Antonieta de Barros Leite
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
67.21%
OBJETIVO: Avaliar a situação do aleitamento materno em 2004 no município de Botucatu, SP, e identificar sua tendência nos últimos 10 anos. MÉTODOS: Trata-se de um estudo epidemiológico, no qual foram comparados os resultados de 3 inquéritos populacionais transversais (1995-1999-2004), metodologicamente semelhantes, sobre a situação do aleitamento materno em crianças menores de 12 meses. Os dados foram obtidos em Campanhas de Multivacinação, a partir de questionário contendo um recordatório da alimentação das crianças no dia anterior à pesquisa. Para identificar a tendência dos diferentes tipos de aleitamento (aleitamento materno exclusivo, aleitamento materno predominante e aleitamento materno), foram comparadas as prevalências, segundo faixas etárias selecionadas (0-1 mês, 0-4 meses, 0-6 meses e 0-12 meses), nos 3 inquéritos. Os resultados foram submetidos a teste estatístico (teste z) para verificação das diferenças entre proporções. RESULTADOS: Para as crianças menores de 4 meses, houve aumento progressivo e de grande magnitude (19,1% em 1995 e 36,9% em 2004) do aleitamento materno exclusivo e diminuição do aleitamento materno predominante - diferenças estatisticamente significantes. O mesmo ocorreu para as crianças menores de 6 meses: 13...

Tempo de aleitamento materno exclusivo em recém-nascidos prematuros e a termo

Silva,Waléria Ferreira da; Guedes,Zelita Caldeira Ferreira
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2013 PT
Relevância na Pesquisa
67.17%
OBJETIVOS: determinar o tempo de aleitamento materno exclusivo de recém nascidos prematuros e observar se estes apresentam um índice de aleitamento materno exclusivo diferente do apresentado pelo município de Maceió, na I e II Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno nas Capitais Brasileiras e no Distrito Federal. Além de comparar o tempo de aleitamento materno e aleitamento materno exclusivo de recém nascidos prematuros e a termo e verificar as causas do desmame precoce e suas consequências. MÉTODO: trata-se de uma investigação de campo, de caráter exploratório e longitudinal da prevalência do aleitamento materno exclusivo de recém nascidos prematuro e à termo. RESULTADOS: o percentual de aleitamento materno e de aleitamento materno exclusivo de prematuros aos 6 meses. Houve diferença significante para a variável peso ao nascimento. Dentre as causas do desmame precoce, os fatores educacionais seguidos dos fatores culturais apareceram em maior porcentagem. Como consequência do desmame precoce a prática de hábitos orais ocorreu em 98,1% das crianças. CONCLUSÃO: as crianças prematuras permaneceram mais tempo em aleitamento materno e em aleitamento materno exclusivo que as nascidas a termo. Os fatores educacionais e culturais foram as principais causas do desmame precoce e sua consequência foi o uso de chupeta e mamadeira.

Aleitamento materno exclusivo : um estudo de intervenção randomizado na Zona da Mata Meridional de PernambucoAleitamento materno, Iniciativa Hospital Amigo da Criança, estudo de intervenção randomizado.

Bechara Coutinho, Sonia; Israel Cabral de Lira, Pedro (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
67.19%
Objetivos a) Avaliar as práticas da amamentação, em duas maternidades da cidade dos Palmares, Pernambuco, e comparar o perfil do aleitamento materno com os dados basais do estudo de coorte realizado na área, em 1998; b) Avaliar um programa de incentivo e apoio à amamentação, visando melhorar a prática do aleitamento materno exclusivo em quatro cidades da Zona da Mata Meridional de Pernambuco. Métodos a) Foram treinadas 90% das auxiliares de enfermagem e parteiras das duas instituições (A e B), no Curso de Manejo do Aleitamento Materno do UNICEF. Foram recrutadas e entrevistadas 350 mães, nas primeiras 48 horas e 10 dias após o parto, para avaliar as práticas da amamentação nas maternidades e o cumprimento do 4o ao 10o passo da Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC). Uma sub-amostra de 175 mães recebeu sete visitas domiciliares, para avaliar a prática do aleitamento, durante os seis primeiros meses de vida. b) Intervenção de base comunitária, randomizada, controlada para intervenção em aleitamento materno, através de visitas domiciliares. As 350 mães recrutadas foram divididas em: grupo controle (175), com cuidados convencionais de saúde e grupo de intervenção (175), que recebeu 10 visitas de mulheres da comunidade...

Práticas de aleitamento materno de crianças menores de dois anos de idade com base em indicadores da Organização Mundial da Saúde

SALDAN,Paula Chuproski; VENANCIO,Sonia Isoyama; SALDIVA,Silvia Regina Dias Medici; PINA,Juliana Coelho; MELLO,Débora Falleiros de
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
67.22%
Objetivo Avaliar práticas de aleitamento materno de crianças menores de dois anos de idade com base em indicadores da Organização Mundial da Saúde. Métodos Estudo transversal realizado durante Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite 2012 em Guarapuava, Paraná. Os acompanhantes de 1.814 crianças responderam ao questionário estruturado sobre alimentação da criança nas últimas 24 horas. Foram avaliados nove indicadores de aleitamento materno da Organização Mundial da Saúde. As estimativas foram calculadas por pontos e intervalos de confiança de 95%. Resultados Das crianças avaliadas, 79,3% (IC95,0%=76,2-82,0) foram colocadas para mamar na primeira hora de vida. Apesar de 96,0% (IC95,0%=94,6-97,0) das crianças iniciarem a amamentação, a prevalência de aleitamento materno exclusivo em menores de 6 meses foi baixa: 36,0% (IC95,0%=30,7-41,7). A prevalência da continuidade do aleitamento materno com um e dois anos foi de 35,8% (IC95,0%=30,0-42,1) e 21,1% (IC95,0%=16,2-27,0) respectivamente. A duração mediana do aleitamento materno foi de 351,6 dias (IC95,0%=330,3-373,0), totalizando 11,7 meses. O aleitamento materno em idade apropriada...

Situação do aleitamento materno na área urbana do município de Anápolis GO; Situation of breastfeeding in the urban area of the city of Anapolis - GO

PEREIRA, Sandra Valeria Martins
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.27%
The promotion, protection, and support of breastfeeding is included among the actions set out in the agenda of comprehensive care of children and in the plan for reducing child mortality in Brazil. However, the estimates of prevalence and the median of exclusive breastfeeding and breastfeeding full found for the set of Brazilian capitals and the Federal District are still far below the level considered to be minimum by WHO. On the other hand, the epidemiology of breastfeeding is not yet known due to the country's continental dimensions, making necessary the diagnosis in smaller geographic units, (states and municipalities) This study sought to analyze the epidemiology situation of breastfeeding in children born and living in the urban area of Anápolis in the state of Goiás, Brazil. Initially an exploratory bibliographic study was conducted in search of possible determinants of breastfeeding practices in Brazil, and to do so a review was carried out of this literature with articles published between 2002 to 2010 in the databases of the National Library of Medicine (MEDLINE), Scientific Electronic Library Online (SCIELLO), and Cochrane Library. Of the twenty-two articles selected, 40 explanatory variables for early cessation of breastfeeding practices were found where the most frequent and bigger association force were: use of dummy...

Padrão de aleitamento materno durante os seis primeiros meses de vida : comparação de duas coortes

Kummer, Suzane Cerutti
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.2%
A importância do aleitamento materno na saúde das crianças está bem estabelecida, sendo que especialistas do mundo inteiro reconhecem a superioridade do leite humano como alimento para a criança pequena. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que todas as crianças sejam alimentadas exclusivamente com leite humano por 4-6 meses e continuem a recebê-lo complementado por outros alimentos por 2 anos ou mais. Os esforços feitos internacionalmente e em nosso país têm determinado incremento nos índices de aleitamento materno nas duas últimas décadas, ainda que permaneçam abaixo dos padrões recomendados em todas as regiões pesquisadas. A escassez de informações sobre a tendência do padrão de aleitamento materno em nosso meio estimulou a realização deste estudo. Duas coortes de crianças nascidas no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), uma no ano de 1987 e outra em 1994, foram comparadas em relação aos padrões de aleitamento materno durante os seis primeiros meses de vida. Os dois estudos foram prospectivos, tendo sido acompanhadas 202 crianças em 1987 e 187 crianças em 1994, durante os seis primeiros meses de vida ou até que houvesse a interrupção da amamentação. O acompanhamento foi realizado através de correspondência no estudo de 1987 e através de visitas domiciliares no estudo de 1994. Foram incluídas na amostra somente crianças com peso de nascimento igual ou superior a 2500 g...