Página 1 dos resultados de 10 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

Claustros serlianos em Portugal

Silva, Nuno Miguel
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
16.94%
Após uma pesquisa bibliográfica e estudo, o grupo dos Claustros Serlianos demonstrou maior pertinência e interesse em ser aprofundado, nomeadamente pela possibilidade deste motivo em clautros ter tido a primeira expressão em Portugal, com o Claustro de D. João III do Convento de Cristo em Tomar. O estado da arte relativo ao motivo Serliano em claustros está pontualmente abordado por alguns autores: George Kubler em A Arquitectura Portuguesa Chã, estuda os Claustros de Tomar e de S. Domingos de Benfica; Miguel Soromenho e Rafael Moreira dedicam-se, respectivamente, ao Claustro de S. Bento da Vitória no Porto e ao Claustro de Torralva em Tomar, em História da Arte Portuguesa volume II,Círculo de Leitores. Estas obras serão referênciais para este trabalho. Assim, esta reflexão terá como intuito estabelecer uma abordagem comparativa e de conjunto no uso da serliana nos claustros portugueses. “O Claustro de Tomar é muito mais complexo que qualquer desenho italiano do mesmo século.” 2 Pretende-se perceber como começa este “movimento”, o sentido inovador e o seu seguimento no uso da serliana; perceber o facto de ser tão breve; perceber o que leva a um intervalo de duas décadas entre o primeiro exemplo - o Claustro de Tomar do traçado de Torralva (1558-1564...

O convento de São João Novo dos Eremitas de Santo Agostinho : instituição, património e arte na cidade do Porto

Silva, Severino Emanuel Cruz da
Fonte: Porto : [Edição do Autor] Publicador: Porto : [Edição do Autor]
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
16.94%
Local paradisíaco de que se avista grande extensão da cidade, do rio Douro e de Gaia. Quem viveu neste convento pôde aproveitar o melhor da paisagem, do sossego e do bem-estar. Recolhimento e paz de espírito não foram apenas suposições. Na verdade eram a realidade do dia a dia dos agostinhos. Foi um belíssimo paraíso que se prolongou ao longo de mais de dois séculos. Embora fosse de facto um modo de vida , de trabalho e de amor fraternal. Este lugar, que foi de oração, ainda hoje sobressai pelo seu aspecto simples e sóbrio de todo o conjunto arquitectónico. Descansem na paz de Deus todos aqueles que trabalharam para o engrandecimento do convento e descansem, na mesma paz, todos aqueles que promoveram a sua destruição.

Do vinho de Deus ao vinho dos Homens : o vinho, os mosteiros e o Entre Douro e Minho

Marques, Gonçalo Nuno Ramos Maia
Fonte: Porto : [Edição do Autor] Publicador: Porto : [Edição do Autor]
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
16.94%
O presente trabalho procura demonstrar o papel desenvolvido pelas Ordens Religiosas- com um destaque particular para os Beneditinos, mas também Agostinhos e Monges-Cavaleiros de São João do Hospital - na promoção da viticultura e da vinificação no Entre Douro e Minho, desde o final da Idade Media aos séculos de "Antigo Regime". No seu capítulo introdutório, faz-se um levantamento exaustivo de alguns dados, apoiados em literatura especializada, relativos ao conhecimento da Província de Entre Douro e Minho e das origens da viticultura nesta região setentrional do território português. Já no segundo capítulo, são apresentados alguns dados relativos a preços e unidades de medida do vinho, salvaguardando as devidas variações na longa duração. Segue-se uma análise dos circuitos comerciais, perspetivando os principais mercados difusores e consumidores do vinho minhoto. No quarto capítulo tecem-se algumas considerações sobre o lugar das Ordens Religiosas no desenvolvimento da actividade agronómica, mormente enquadrada no campo da vitivinicultura. O quinto capítulo consubstancia o núcleo essencial de trabalho analítico da dissertação. Aqui se desenvolvem as características particulares de cada uma das casas monásticas analisadas...

Clérigos regulares nas ordenações sacras da Sé de Coimbra no século XV

Gomes, Saul António
Fonte: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa Publicador: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
16.94%
Neste artigo, o Autor, partindo do estudo das matrículas de ordens sacras da Sé de Coimbra, existentes entre os anos de 1399 e 1491, avalia a evolução demográfica geral do Clero nesta Diocese e as linhas sociológicas estruturantes que caracterizavam todo o “processo de clericalização” desde a recepção da primeira tonsura até à obtenção do presbiterado. Incide, depois, sobre o clero regular presente, avaliando a representatividade dos professos das velhas Ordens monásticas (Cónegos Regrantes, Beneditinos, Cistercienses e religiosos das Ordens Militares de Avis e de Cristo), bem como o elevadíssimo peso, posto que não surpreendente na história eclesiástica medieval portuguesa, dos claustrais das novas Ordens (Dominicanos, Franciscanos, Jerónimos, Eremitas Agostinhos e Trinitários), as quais atravessavam, em Quatrocentos, um período de profunda recomposição, de que se recolhem importantes e inéditos ecos nas fontes arquivísticas em causa.; In this article, the Author, based on the study of sacred orders registration in the See of Coimbra, existing between 1399 and 1491, evaluates the general demographic evolution of the Clergy in this Diocese and the structuring sociological lines that characterized all the “clericalization process” since the reception of the first tonsure until the acquisition of presbytery. It focus then...

A edificação da cristandade no Oriente português: questões em torno da ordem dos eremitas de santo Agostinho no limiar do século XVII

Gonçalves,Margareth de Almeida
Fonte: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Departamento de História Publicador: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Departamento de História
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
16.94%
O artigo oferece elementos para um estudo da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho da Província de Portugal na segunda metade do século XVI e primeiras décadas dos Seiscentos. Para tanto, três eixos de abordagem são destacados e procuram orientar a reflexão acerca de conjunturas diversas: a reforma religiosa da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho e as conexões cortesãs nos Quinhentos; o papel dos agostinhos na construção dos dispositivos disciplinares após o Concílio de Trento (1543-1563); e a presença da ordem no Índico.

O império dos mil anos e a arte do "tempo barroco": a águia bicéfala como emblema da Cristandade

Trindade,Jaelson Bitran
Fonte: Museu Paulista, Universidade de São Paulo Publicador: Museu Paulista, Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
16.94%
O artigo revela que, entre meados do século XVII e meados do XVIII, no meio eclesiástico das ordens religiosas (jesuítas, franciscanos, agostinhos, cistercienses, carmelitas etc.) e do episcopado, houve a adoção progressiva do símbolo imperial, a águia bicéfala, atributo do Império Cristão, do Sacro-Império Romano Germânico. Entretanto, em campo religioso, essa águia imperial do tempo do barroco aparece despojada de insígnias políticas (espada, cetro, globo), adornando altares, ostensórios, arcos-cruzeiros, fachadas de templos, portas, cúpulas, paredes, púlpitos, lavatórios sacros, esculturas e pinturas da Virgem e do Menino, vestes litúrgicas, etc.; relacionada, portanto, ao culto e aos dogmas da fé católica - nas obras artísticas, muitas vezes, a associação entre a dupla águia e a unidade carneespírito, humano-divino, princípio axial da fé católica, representada pela Virgem-Mãe e o Cristo é indicada de forma direta. A pesquisa tem localizado e identificado numerosos remanescentes da dupla águia em campo religioso em Portugal e Espanha e em suas antigas conquistas e domínios da América, Ásia e África, e também na Itália, sendo que jamais a historiografia relativa ao doloroso parto da Era Moderna no Ocidente se deu conta de tal fenômeno. Simbolizando o poder absoluto...

A adaptação da Igreja de Santa Cruz a Museu de Arte Sacra de Vila Viçosa

Salgueiro, Tiago Passão
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
16.94%
A análise que se pretende efectuar através deste trabalho está baseada numa retrospectiva histórica da evolução verificada desde a edificação do Convento de Santa Cruz até ao projecto de implementação do Museu de Arte Sacra, que todavia não se encontra concluído. O objectivo subjacente a este princípio analítico procura estabelecer as principais etapas relacionadas com a construção do edificio conventual, os seus principais impulsionadores, a contextualização social, económica e política de Vila Viçosa nas primeiras décadas do séc. XVI, a caracterização da presença da ordem dos Agostinhos em Portugal e a sua influência na edificação de espaços conventuais e a identificação de propostas de carácter arquitectónico e museológico para a instalação de um Museu de Arte Sacra e recuperação da Igreja. Desta forma, a análise dos processos que condicionaram o desenvolvimento desta iniciativa, assim como os principais intervenientes, constitui um eixo vital para a compreensão de todo este projecto. A necessidade de preservar um espólio artístico de enorme valor patrimonial para Vila Viçosa constitui outra vertente que foi analisada de forma detalhada, com especial destaque para a identificação de estratégias que foram desenvolvidas pela entidade tutelar para a conservação e recuperação do acervo que se aí se encontra actualmente disponível...

The god's empire of the thousand years and the art in "baroque era": the double-headed eagle as emblem of christendom; O império dos mil anos e a arte do "tempo barroco": a águia bicéfala como emblema da Cristandade

Trindade, Jaelson Bitran
Fonte: Universidade de São Paulo. Museu Paulista Publicador: Universidade de São Paulo. Museu Paulista
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
16.94%
O artigo revela que, entre meados do século XVII e meados do XVIII, no meio eclesiástico das ordens religiosas (jesuítas, franciscanos, agostinhos, cistercienses, carmelitas etc.) e do episcopado, houve a adoção progressiva do símbolo imperial, a águia bicéfala, atributo do Império Cristão, do Sacro-Império Romano Germânico. Entretanto, em campo religioso, essa águia imperial do tempo do barroco aparece despojada de insígnias políticas (espada, cetro, globo), adornando altares, ostensórios, arcos-cruzeiros, fachadas de templos, portas, cúpulas, paredes, púlpitos, lavatórios sacros, esculturas e pinturas da Virgem e do Menino, vestes litúrgicas, etc.; relacionada, portanto, ao culto e aos dogmas da fé católica - nas obras artísticas, muitas vezes, a associação entre a dupla águia e a unidade carneespírito, humano-divino, princípio axial da fé católica, representada pela Virgem-Mãe e o Cristo é indicada de forma direta. A pesquisa tem localizado e identificado numerosos remanescentes da dupla águia em campo religioso em Portugal e Espanha e em suas antigas conquistas e domínios da América, Ásia e África, e também na Itália, sendo que jamais a historiografia relativa ao doloroso parto da Era Moderna no Ocidente se deu conta de tal fenômeno. Simbolizando o poder absoluto...

O património edificado em Vila Viçosa no século XVIII: encomenda, financiamento e construção

Filipe, Carlos Joaquim Campino
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
16.94%
Mestrado em História Moderna e Contemporânea, especialidade em Cidades e Património; Ao longo do século XVIII, Vila Viçosa voltou a conhecer um novo ciclo de intervenções no conjunto do seu património arquitectónico, provavelmente o mais importante depois do período áureo quinhentista. As intervenções enquadraram-se no conjunto de obras iniciadas na casa Ducal, pelo monarca D. João V, que vieram a ter a continuidade no reinado de seu filho, D. José I. Promovem-se, na segunda metade daquele século, várias reformas arquitectónicas realizadas em edifícios existentes e a construção de novas edificações, numa encomenda que terá partido da iniciativa de várias entidades: eclesiástica, régia e privada. No âmbito da campanha de obras ocorridas, concentrámos o estudo entre os anos 1753 e 1768, cuja intervenção artística se manifestou nas seguintes empreitadas: na Igreja do Convento de Nossa Senhora da Graça (Panteão dos Duques de Bragança) – construção de uma balaustrada no coro alto e dos altares e retábulos da capela-mor e laterais do cruzeiro; a edificação de um novo edifício destinado à Câmara, Cadeia e Oficinas da vila; na Igreja romeira de Nossa Senhora da Lapa dos Milagres de Vila Viçosa – construção do altar e retábulo da capela-mor; e...

The building of Christianity in Portuguese Orient: issues about the hermits of Saint Augustine in the beginning of the 17th Century; A edificação da cristandade no Oriente português: questões em torno da Ordem dos Eremitas de santo Agostinho no limiar do Século XVII

Gonçalves, Margareth de Almeida
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, D. História
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2014 POR
Relevância na Pesquisa
16.94%
This article offers elements for a study of the Order of Hermits of Saint Augustine in the Province of Portugal in the second half of the 16th century and first decades of the 17th century. For the purpose of analysis, three main approaches are highlighted to try to guide the reflection on diverse contexts: the reform of the religious Order of the Hermits of St. Augustine and the connections with the royal court in the 16th century; the role of the Augustinians in the construction of discipline after the Council of Trent (1543-1563); and the presence of the order in the Indian Ocean.; O artigo oferece elementos para um estudo da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho da Província de Portugal na segunda metade do século XVI e primeiras décadas dos Seiscentos. Para tanto, três eixos de abordagem são destacados e procuram orientar a reflexão acerca de conjunturas diversas: a reforma religiosa da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho e as conexões cortesãs nos Quinhentos; o papel dos agostinhos na construção dos dispositivos disciplinares após o Concílio de Trento (1543-1563); e a presença da ordem no Índico.