Página 1 dos resultados de 1322 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Modelo e ferramenta para avaliação da agilidade no gerenciamento de projetos; A framework and tool for the project management agility assessment

Conforto, Edivandro Carlos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.57%
As pesquisas com o objetivo de relacionar o uso de práticas do gerenciamento ágil, desempenho e sucesso do projeto apresentam limitações como baixa qualidade semântica de construtos, dados e instrumentos de coleta com escalas subjetivas e pouco confiáveis, impedindo a verificação da eficácia dessas práticas. Outro problema é a tentativa de relacioná-las diretamente com o desempenho ou sucesso do projeto. Neste trabalho discute-se a hipótese de que a adoção de práticas dessa teoria e o desempenho do projeto não possuem relacionamento direto. Propõe-se a tese de que há um elemento intermediário, denominado neste trabalho de construto agilidade, que pode ser designado como um desempenho. As práticas provenientes da teoria de gerenciamento ágil (ditas ágeis), em conjunto com outros fatores ambientais, contribuiriam para o desempenho em agilidade, e este, por sua vez contribuiria para o desempenho e sucesso do projeto. Considerando esta hipótese, são três os objetivos desta pesquisa: 1) definir agilidade em gerenciamento de projetos; 2) propor um modelo conceitual capaz de explicar a relação entre práticas de gestão de projetos, fatores críticos organizacionais e o desempenho em agilidade, verificando-o; e 3) propor uma ferramenta de diagnóstico da agilidade em gerenciamento de projetos para profissionais...

Modelo para atualização de roadmaps utilizando conceitos de agilidade e inteligência competitiva; Model to update the roadmaps using concepts of agility and competitive intelligence

Carlos, Rafael
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
O roadmapping foi introduzido pela Motorola há mais de 26 anos como uma abordagem para apoiar o planejamento integrado de mercado, produtos e tecnologia. O principal objetivo do roadmapping é a criação de roadmaps, representações visuais em forma de diagramas e tabelas, que capturam e sintetizam informações de mercado, produtos, tecnologias e recursos em um plano com metas para novos desenvolvimentos. A introdução do processo de roadmapping compreende uma série de desafios. Um dos principais, segundo estudos recentes, é a dificuldade de sustentar o processo de roadmapping, ou seja, manter os roadmaps atualizados após a construção do primeiro mapa. Esta dificuldade pode ser atribuída ao fato de que a maioria das aplicações se baseia na utilização de especialistas externos à organização para coleta e análise de informações, o que é proibitivo para algumas organizações em função dos custos envolvidos e a uma lacuna na literatura, que não apresenta um modelo que oriente os praticantes em como manter os roadmaps atualizados. Este estudo apresenta um modelo de atualização de roadmaps que explora duas teorias conjuntamente: a utilização de conceitos do ciclo de inteligência competitiva e princípios de agilidade. Descreve-se o desenvolvimento de um modelo para atualização de roadmaps desenvolvido a partir de uma pesquisa-ação em uma organização do segmento de bens de consumo para a construção civil. Como resultados...

Gerenciamento ágil de projetos : fatores de sucesso determinantes da agilidade e facilitadores de resultados inovadores

Tudesco, Ana Paula Kloeckner
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
27.28%
No contexto da gestão de projetos surgiram novas abordagens com o objetivo de acompanharem mudanças no ambiente de negócio com agilidade e gerando assim resultados inovadores no desenvolvimento de novas tecnologias, produtos e serviços. O Gerenciamento Ágil de Projetos (GAP) surgiu a partir da união de alguns princípios e valores, os quais têm como principal diferencial das demais abordagens em gestão de projetos o foco nos indivíduos. Considerando esse foco, é necessário evidenciar quais fatores podem estar associados ao sucesso de implementação do GAP para a obtenção da agilidade e de resultados inovadores. Dessa forma, o objetivo geral do presente estudo é identificar os fatores de sucesso do gerenciamento ágil de projetos e de que maneira podem contribuir, através das práticas do gerenciamento ágil, na obtenção da agilidade e resultados inovadores em projetos. Os objetivos específicos são: (i) identificar as práticas, fatores de sucesso, indicadores e ferramentas do gerenciamento ágil de projetos evidenciados na literatura; (ii) identificar a importância desses fatores de sucesso para determinar a agilidade e facilitar a inovação; (iii)identificar as práticas associadas aos fatores de sucesso evidenciados no presente estudo entre profissionais da área; (iv) caracterizar e estruturar uma estrutura de implementação do gerenciamento ágil de projetos com base nos fatores de sucesso identificados em uma empresa de serviços. Para responder a cada um dos objetivos apresentados...

Agilidade na contratação de projetos de pesquisa do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento da ANEEL

Bacellar, André Melo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
27.38%
O trabalho teve como objetivo investigar a agilidade nas contratações de projetos de pesquisa no âmbito do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). A pesquisa foi motivada pela demora na contratação de alguns projetos e pelo insucesso na contratação de outros, com o concorrente acúmulo de recursos a serem investidos. O primeiro objetivo específico foi a identificação das restrições do programa de P&D da ANEEL e seleção daquelas que afetam a contratação de projetos de pesquisa. O segundo objetivo é a proposição de alternativas para aumentar a agilidade na contratação de projetos de pesquisa. O trabalho foi dividido em duas etapas que correspondem aos objetivos específicos e são apresentadas em dois artigos. A primeira procurou investigar as variáveis do problema. A segunda etapa procurou propor alternativas para agilizar o processo de contratação de projetos de pesquisa das empresas. Na primeira etapa foi aplicado método para lidar com problemas sociais complexos ao longo de reuniões específicas. Uma das reuniões foi realizada com especialistas em pesquisa e outra com os envolvidos no programa de pesquisa. As informações foram trabalhadas e validadas com os participantes. Para desenvolver a segunda etapa...

Teste de agilidade para tênis proposto por Monte (2004)

Rodrigues, Osvaldo André Furlaneto
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: viii, 87 f.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
27.28%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Desportos. Programa de Pós-Graduação em Educação Física.; Este estudo do tipo quase-experimental teve como objetivo verificar a especificidade de um teste de agilidade para tenistas, criado a partir de um sistema automatizado proposto por Monte (2004a). Como parâmetro de comparação de desempenho foi utilizado o teste de agilidade de Shuttle Run. Os dois testes foram aplicados em 32 indivíduos, categorizados em tenistas (T=21) e não-tenistas (NT=11), como grupo controle. Primeiramente foram coletados os dados baseados no protocolo de Monte para tenistas, concebido a partir de um instrumental eletrônico interfaceado a um computador portátil, para aquisição precisa e automática dos tempos. Em um segundo momento foi aplicado o protocolo de agilidade padronizado (Shuttle Run). Também foram coletados dados referentes a variáveis antropométricas de massa corporal, estatura, envergadura, comprimentos e perímetros de membros inferiores, bem como o tempo de prática no Tênis de Campo para o primeiro grupo (T). Os dados foram tratados no software Statistica 5.5, onde foram empregados a estatística descritiva, o Teste "t" de Student para amostras independentes e o coeficiente de Correlação Linear de Pearson (com níveis de confiança p<0...

Efeitos de um programa de complex training, na agilidade com bola, velocidade máxima, na eficácia do cruzamento e do remate em jovens atletas de futebol

Cavaco, Bráulio Manuel da Silva Venâncio
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
Dissertação de Mestrado em Ensino de Educação Física, nos Ensinos Básico e Secundário; O Complex Training (CXT) resulta da, combinação do treino da força, com treino pliométrico na mesma sessão. Este método tem sido recentemente utilizado com sucesso na preparação de atletas de várias modalidades. O presente estudo teve como objetivos, primeiramente, testar os efeitos de um programa de CXT com 6 semanas de duração, na agilidade com bola, velocidade máxima, na eficácia do cruzamento e do remate em jovens atletas de futebol; e comparar o efeito de duas sessões semanais de CXT com uma sessão semanal de CXT em adição às sessões regulares de treino de futebol. A amostra foi constituída por 15 adolescentes do sexo masculino praticantes de futebol, posteriormente divididos aleatoriamente em três grupos. Um grupo usufruiu de uma sessão de CXT (GCT1) adicional às sessões semanais de treino de futebol (n = 5; 13.80 ± 0.45 anos de idade); um grupo usufruiu de duas sessões de CXT (GCT2) adicionais às sessões semanais de treino de futebol (n = 4; 14.20 ± 0.45 anos de idade); e um grupo de controlo (CONT) que apenas cumpriu as sessões semanais de treino de futebol (n = 6; 14,20 ± 0.84 anos de idade). Foi efetuada uma análise de variância...

Impactos de variáveis climáticas na agilidade de bezerros Nelore neonatos

Toledo,Luciandra Macedo; Costa,Mateus José Rodrigues Paranhos da; Titto,Evaldo Antonio Lencioni; Figueiredo,Leopoldo de Andrade; Ablas,Denise de Souza
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
Com os objetivos de identificar os padrões comportamentais nas relações materno-filiais de bovinos da raça Nelore, de entender as interferências ambientais nesta relação e de propor soluções práticas de manejo, foram realizadas medidas de comportamento das atividades de 112 vacas e seus bezerros nas primeiras horas após o parto, em duas propriedades situadas em Sertãozinho e Brotas, no Estado de São Paulo. Foram analisadas as variáveis: tempo para ficar em pé (LP) e tempo para mamar (LM), em minutos, nos bezerros e tempo de contato com a cria (TCC) e tempo deitada (TD), em porcentagem, nas vacas. Foram registradas a temperatura e a umidade relativa do ar para o cálculo do índice de temperatura e umidade do ar (ITU), correlacionando-se esse índice com as variáveis comportamentais. Os resultados mostraram efeitos significativos (P<0,05) de propriedade e de local do parto em relação ao rebanho e ao ITU. A LP pode ser uma medida de vigor em bezerros e mostrou-se influenciada por diversos fatores ambientais. O TCC teve efeito significativo (P<0,05) na LP. A seleção de bovinos de corte deve incluir as características de agilidade dos bezerros recém-nascidos e do cuidado maternal das vacas como ferramentas para otimização e viabilidade econômica dessa exploração.

Preditores espaço-temporais do andar para testes de capacidade funcional em pacientes com doença de Parkinson

Sánchez-Arias,MDR; Silveira,CRA; Caetano,MJD; Pieruccini-Faria,F; Gobbi,LTB; Stella,F
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia Publicador: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2008 PT
Relevância na Pesquisa
27.34%
OBJETIVOS: Determinar quais parâmetros espaço-temporais são preditores do andar de indivíduos com doença de Parkinson idiopática para os testes de resistência aeróbia e agilidade, propostos pela bateria de testes da American Alliance for Health, Physical Education, Recreation and Dance (AAHPERD). MATERIAIS E MÉTODOS: Foram selecionados seis homens e seis mulheres com comprometimento e estágio da doença em níveis leve e moderado, que realizaram os testes de agilidade e resistência aeróbia, conforme o protocolo da AAHPERD, e andaram 8m sobre uma passarela. Uma câmera digital registrou uma passada central. Marcadores foram fixados no quinto metatarso e na face lateral do calcâneo do membro inferior direito e no primeiro metatarso e na face medial do calcâneo do membro inferior esquerdo. As variáveis dependentes selecionadas foram: tempo nos testes de agilidade e resistência e as variáveis cinemáticas (comprimento da passada - CP, cadência - CAD, duração da passada - DP, duração da fase de duplo suporte - DDS, duração do suporte simples - SS, duração da fase de balanço - DB e velocidade da passada - VP). RESULTADOS: Para agilidade, o teste de Pearson apontou correlação estatisticamente significativa entre as variáveis CP (r=-0...

Relação dos saltos vertical, horizontal e sêxtuplo com a agilidade e velocidade em crianças

Coledam,Diogo Henrique Constantino; Arruda,Gustavo Aires de; dos-Santos,Júlio Wilson; Oliveira,Arli Ramos de
Fonte: Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo Publicador: Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.34%
Os objetivos do presente estudo foram: 1) verificar a relação dos saltos vertical, horizontal e sêxtuplo com a agilidade e velocidade de 5, 10 e 25 m; 2) verificar a capacidade desses saltos em predizer o desempenho da agilidade e velocidade de 5, 10 e 25 m em crianças. Vinte e oito meninos (9,47 ± 0,64 anos) e 30 meninas (9,69 ± 0,70 anos) foram avaliados. Os valores de correlação entre a agilidade, velocidade de 5, 10 e 25 m foram, respectivamente, r = 0,63, 0,51, 0,44 e 0,64 com o salto vertical, r = 0,68, 0,62, 0,28 e 0,62 com o salto sêxtuplo, e r = 0,60, 0,50, 0,26 e 0,57 com o salto horizontal. O salto vertical e o salto sêxtuplo foram capazes de predizer o desempenho da agilidade e da velocidade de 25 m (p < 0,05). Além disso, demonstraram capacidade de predizer a velocidade de 5 e 10 m, respectivamente (p < 0,05). Os testes de salto vertical e sêxtuplo podem ser utilizados para avaliação e controle do treinamento com crianças praticantes de atividades que demandam agilidade e velocidade, uma vez que ambos os saltos predisseram o desempenho da agilidade e velocidade, o que não ocorreu com o salto horizontal.

Avaliação do desempenho em agilidade na gestão de projetos

Almeida,Luís Fernando Magnanini de; Conforto,Edivandro Carlos; Luis da Silva,Sérgio; Amaral,Daniel Capaldo
Fonte: Associação Brasileira de Engenharia de Produção Publicador: Associação Brasileira de Engenharia de Produção
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.34%
ResumoOs estudos sobre gerenciamento ágil ainda não foram capazes de evidenciar a relação direta entre práticas ágeis e desempenho do projeto. A hipótese é que a combinação adequada de práticas e fatores críticos organizacionais podem levar a uma maior agilidade na gestão e, consequentemente, melhor desempenho no projeto. Este artigo apresenta uma avaliação empírica inicial dessa hipótese. Avalia-se desempenho em agilidade em duas equipes de uma mesma organização, e que, a priori, são usuárias de abordagens distintas de gestão de projetos: tradicional e ágil. Os resultados indicam que práticas como planejamento iterativo, uso de artefatos visuais para gestão e envolvimento ativo do cliente estão positivamente relacionadas com o melhor desempenho em agilidade. Há evidências de que fatores críticos de agilidade, como disponibilidade do cliente e colocalização da equipe, podem contribuir para maior agilidade e para maximizar os resultados do uso de práticas do gerenciamento ágil.

Avaliação da agilidade das empresas; Evaluation of enterprises' agility

Costa, Mário Jorge Moura
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.49%
Dissertação de mestrado integrado em Engenharia e Gestão Industrial; Devido ao fenómeno da globalização e à constante mudança dos mercados, a “era da agilidade” está a acentuar-se no mundo dos negócios. As empresas procuram desenvolver estratégias para se tornarem mais competitivas e responderem ao mercado de forma mais eficiente. Neste trabalho, foi efetuada uma revisão da literatura com vista a clarificar os principais requisitos que diferenciam uma empresa ágil dos tradicionais modelos de negócio, e quantificar a importância dos mesmos dentro de uma organização. Seguidamente, desenvolveu-se um modelo de avaliação com o objetivo de determinar o nível de agilidade das empresas. Um conjunto de indicadores da agilidade são propostos e agrupados em quatro infraestruturas: produção, mercado, pessoas e informação. A união dos diferentes níveis de agilidade de cada infraestrutura determina o índice de agilidade global da organização. Tendo por base esse modelo, realizou-se ainda um estudo junto de algumas empresas, através de um inquérito, a fim de estimar a agilidade dessas mesmas organizações. Por fim, é apresentada uma análise aos resultados desse inquérito. O objetivo primordial deste trabalho assenta no desenvolvimento de um modelo credível de avaliação da agilidade das empresas. Um modelo capaz de quantificar o nível de agilidade das organizações...

Efeito do treinamento pliom??trico para verificar a agilidade em atletas de futsal feminino

Menezes, Pablo de Souza
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.28%
O objetivo do presente estudo foi verificar a influ??ncia de exerc??cios pliom??tricos para agilidade de atletas universit??rios de futsal feminino. A pesquisa foi caracterizada por um estudo com interven????o. A amostra foi composta por 20 atletas do sexo feminino, com idade de 18 a 21 anos, sendo 10 do grupo controle e 10 do grupo interven????o. A coleta de dados foi realizada durante o per??odo de treinamento da equipe de futsal feminino do Uniceub. A avalia????o da agilidade foi feita atrav??s do teste de shuttle run. Os dados coletados foram analisados atrav??s de estat??stica descritiva por interm??dio do programa SPSS vers??o 21.0 com obten????o da m??dia e desvio padr??o das vari??veis estudadas adotando-se para an??lise, n??vel de signific??ncia p ??? 0,05. Em rela????o ?? agilidade, os resultados encontrados para a equipe (GC) Pr?? 12,65??1,00 P??s 12,64??0,86 e (GI) Pr?? 11,52??0,66 P??s 10,67??0,42. Os resultados mostraram que, houve uma diferen??a significante no resultado do p??s teste no grupo interven????o em rela????o ao pr?? e ao grupo controle. O estudo considera valido o uso de treinamento pliom??trico para influ??ncia na agilidade de praticantes de futsal.

Teste funcional de desempenho da agilidade para jogadores de polo aquático competitivo: validade, confiabilidade e sensibilidade da medida

Tucher, Guilherme
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
Tese de Doutoramento em Ciências do Desporto; Os testes existentes no polo aquático que são realizados na água procuram representar um situação específica de jogo. Entretanto, voltam-se principalmente aos deslocamentos horizontais de nado. Dessa forma, desconsideram as ações rápidas de mudança de posicionamento corporal realizadas próximas ao gol, onde o corpo assume um posicionamento mais vertical. Além disso, não ponderam a relevância da tomada de decisão e antecipação que são importantes para a adequada realização das ações no polo aquático. Assim, com o objetivo de testar a agilidade na mudança de posicionamento corporal tendo como pré-requisito a tomada de decisão, foi proposto o Teste Funcional de Desempenho da Agilidade (TFDA). O TFDA é caracterizado como um teste de tomada de decisão onde o jogador testado move-se tão rapidamente quanto possível dentro de uma área de 3 m2 tendo como referência o passe feito por outro jogador. No entanto, para sua utilização, os critérios relativos a confiabilidade, sensibilidade e validade da sua medida precisam ser testados. Inicialmente, a confiabilidade do TFDA foi verificada por meio da avaliação de quinze jogadores (16,3 ± 1,8 anos de idade) com no mínimo dois anos de experiência competitiva. Duas repetições de familiarização foram realizadas. Posteriormente...

Relação dos saltos vertical, horizontal e sêxtuplo com a agilidade e velocidade em crianças; Relationship of vertical, horizontal and sextuple jumps with agility and speed in children

Coledam, Diogo Henrique Constantino; Arruda, Gustavo Aires de; dos-Santos, Júlio Wilson; Oliveira, Arli Ramos de
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2013 POR
Relevância na Pesquisa
27.34%
Os objetivos do presente estudo foram: 1) verificar a relação dos saltos vertical, horizontal e sêxtuplo com a agilidade e velocidade de 5, 10 e 25 m; 2) verificar a capacidade desses saltos em predizer o desempenho da agilidade e velocidade de 5, 10 e 25 m em crianças. Vinte e oito meninos (9,47 ± 0,64 anos) e 30 meninas (9,69 ± 0,70 anos) foram avaliados. Os valores de correlação entre a agilidade, velocidade de 5, 10 e 25 m foram, respectivamente, r = 0,63, 0,51, 0,44 e 0,64 com o salto vertical, r = 0,68, 0,62, 0,28 e 0,62 com o salto sêxtuplo, e r = 0,60, 0,50, 0,26 e 0,57 com o salto horizontal. O salto vertical e o salto sêxtuplo foram capazes de predizer o desempenho da agilidade e da velocidade de 25 m (p < 0,05). Além disso, demonstraram capacidade de predizer a velocidade de 5 e 10 m, respectivamente (p < 0,05). Os testes de salto vertical e sêxtuplo podem ser utilizados para avaliação e controle do treinamento com crianças praticantes de atividades que demandam agilidade e velocidade, uma vez que ambos os saltos predisseram o desempenho da agilidade e velocidade, o que não ocorreu com o salto horizontal.; The aim of the present study were: 1) To verify the relationship of vertical, horizontal and sextuple jumps with agility and velocity of 5...

Effects of chronic pain in highly competitive athletes on the body schema, motor performance and humor states; Efeitos da dor crônica em atletas de alto rendimento em relação ao esquema corporal, agilidade psicomotora e estados de humor

Thurm, Bianca Elisabeth; Universidade São Judas Tadeu.
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; "Artigo Não Avaliado por Pares"; Descritiva Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 18/07/2008 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
37.21%
http://dx.doi.org/10.5007/1980-0037.2008v10n2p214Body schema (BS) is the capacity to recognize the parts and dimensions of the body blindfolded. Over and underestimation are alterations of this awareness. The presence and intensity of a chronic pain can interfere in the BS and also change moods. We assessed the BS of high competitive athletes (men and women), with chronic pain, so as to identify the effects of the pain on the motor agility and on their moods. Thirty-six individuals were divided into two groups: 1) active, without pain (n=20) and 2) athletes with chronic pain (n=16). We used the Image Marking Procedure (IMP) and the Kinaesthetic Size Estimating Apparatus (KSEA) to assess the BS. Tender point examination was performed, the motor agility through the Grooved Pegboard test and the moods through the POMS test. The BS of the groups showed underestimation for the height and underestimation for the width of the other segments, mainly the waist. The group with pain presented a signifi cant difference between the genders: the men presented more awareness of the width between the shoulders and the waist; the women between the trochanters. The KSEA showed overestimation in all the body parts in the group without pain, and the group with pain underestimation (except for the width of the waist). The number of painful points was no different between the groups. The motor agility was greater in the women with pain. With regard to the mental health...

General agility and upper limbs agility in trained and untrained third-aged women; Agilidade geral e agilidade de membros superiores em mulheres de terceira idade treinadas e não treinadas

Ferreira, Leandro; Mestrando em Ciências da Motricidade Humana / IB/ UNESP/Rio Claro; Gobbi, Sebastião; Profº Dr. DEF/ IB/ UNESP/ Rio Claro
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Avaliado por Pares",; Avaliado por Pares; Descritiva Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/01/2003 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
37.41%
The objectives of this study were to verify the infl uence of training through generalized and supervised physical activities, on the general agility (GA) and upper-limb agility (ULA) of elderly women, in addition to verifying whether a relationship exists between these types of agility. Sixty women (59.7 ±5.9 years) were divided into two groups: a) trained group (TG) – participants of a supervised program of generalized physical activities, for at least one year, three weekly sessions of one hour each; b) an untrained group (UG) – with no practice of regular and supervised physical activities, besides every-day life activities. For GA evaluation, the agility and dynamic balance test designated by AAHPERD were applied and, for ULA, the plate tapping test designed by EUROFIT. The TG mean AAHPERD test time was 19.9 ± 2.7 seconds, and their EUROFIT Test TG score was 149 ± 23.2, while the UG achieved 21.7 ± 3.4 seconds on the AAHPERD test and scored 157 ± 24 points on the EUROFIT test. The difference between TG and UG was statistically signifi cant for the GA test, but the same was not true of the ULA test. The correlation between GA and ULA results was r=0.51. It is concluded that for elderly women: a) regular practice of general physical activities under supervision improves general agility level...

Tests of agility, reaction speed and velocity for tennis; Testes de agilidade, velocidade de reação e velocidade para o tênis de campo

Monte, Adilson; Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC.; Guidarini Monte, Fernanda; Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC.
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Avaliado por Pares",; Avaliado por Pares; Descritiva Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 23/11/2007 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
37.1%
The general objective of this paper is to publicize the development of a battery of tests of reaction speed, agility and velocity for tennis, called TATAM. The current composition includes tests of reaction speed, agility (approach to the net and service) and velocity (forwards, backwards and sideways running). The battery simulates game situations in which tennis players have to take decisions during the test and react using tennis techniques. What sets TATAM apart are the automatic timings in milliseconds and the implementation of situations in which players have to demonstrate their capacity in terms of reaction speed, which is as present in a game of tennis as are the basics. The system allows for the detection of moments when athletes have problems performing movements similar to those of a real game, making it possible to perfect their technique. The tests measure that which they propose to measure in an environment and with movements similar to those of a game of tennis. The system captures data in a consistent and reproducible manner. The report allows for analyses to be performed both individually and by category, both numerically and by classification. This test battery is of great value to coaches and athletes seeking excellence in sport since it allows for movements that are causing problems for sporting performance to be understood.; O objetivo geral deste artigo é tornar público o desenvolvimento de uma bateria de testes de velocidade de reação...

Relação entre a velocidade, a agilidade e a potência muscular de futebolistas profissionais

Rebelo,António N.; Oliveira,José
Fonte: Faculdade de Desporto da Universidade do Porto Publicador: Faculdade de Desporto da Universidade do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.1%
A velocidade, agilidade e a potência muscular são qualidades importantes para a performance física do futebolista. No presente estudo, avaliou-se o desempenho de futebolistas em testes de terreno e de laboratório para as referidas capacidades e determinou-se a força de associação entre elas. Foram avaliados 23 futebolistas profissionais participantes na Super Liga de Futebol Portuguesa, aos quais foram aplicados os seguintes testes: velocidade em 15m (V15), velocidade em 35m (V35), agilidade (AGI) e potência máxima(MP) em dinamómetro isocinético (Biodex - System 3 , NY, USA). A força de associação entre as medidas dos testes V15, V35 e AGI revelou ser moderadamente elevada a elevada (r=0,60 a 0,86). A MP dos músculos extensores e flexores do joelho mostrou uma correlação moderada com a performance no V15 e no AGI, mas apenas na velocidade angular mais alta (6.28 rad.s-1). Os resultados do presente trabalho sugerem que a MP é fundamental para o desempenho nos testes V15 e AGI. A determinação da MP em dinamómetro isocinético deve ser obtida em velocidades angulares tão elevadas quanto o instrumento o possibilite. Finalmente, embora os testes não se substituam uns aos outros, os testes V15 e AGI estarão mais próximos nos atributos que cada um deles avalia.

TREINAMENTO COM PESOS E INDICADORES DE AGILIDADE DE MULHERES IDOSAS

Conceição, Miguel Soares; Bonganha, Valéria; Leivas, Fábio Bitencourt; Bruno, Giancarlo; Vechin, Felipe Cassaro; Chacon-Mikahil, Mara Patrícia Traina; Madruga, Vera Aparecida
Fonte: Conexões Publicador: Conexões
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 23/07/2010 POR
Relevância na Pesquisa
27.34%
Resumo O presente estudo teve como objetivo analisar os efeitos de diferentes tipos de treinamentos sobre o nível de agilidade de mulheres idosas. Foram selecionadas 42 mulheres idosas saudáveis e ativas fisicamente, divididas em três grupos: grupo treinamento com pesos (GTP, n=14), grupo resistência muscular localizada (GRML, n=14), e grupo controle (GC, n=14). Os programas tiveram duração de 12 semanas, com freqüência de três sessões em dias alternados. O indicador de agilidade foi avaliado por meio de um teste de agilidade adaptado da AAHPERD. Os resultados mostram diferença estatisticamente significante no indicador de agilidade somente para o GTP, o GRML melhorou o tempo obtido no teste, embora de maneira não significativa. Podemos concluir que o treinamento com pesos parece ter influenciado preterivelmente a agilidade de mulheres idosas, podendo contribuir para a manutenção da autonomia e da agilidade desta população. Palavras-Chave Treinamento com pesos; Atividades da vida diária, Idosos. EFFECTS OF STRENGTH TRAINING ON AGILITY IN OLDER WOMEN Miguel Soares Conceição Valéria Bonganha Fábio Bitencourt Leivas Giancarlo B. M. Bruno Felipe Cassaro Vechin Mara Patrícia Traina Chacon-Mikahil Vera Aparecida Madruga Abstract This study had as aim to analyze the effects of different types of physical training in the agility levels of elderly women. It was selected 42 healthy and active elderly women divided into three groups: group of strength training (GTF...

O EFEITO AGUDO DO TREINO DE ALONGAMENTO ESTÁTICO DOS MÚSCULOS ÍSQUIOS-TIBIAIS NA AGILIDADE DO TENISTA

Muniz, Marcos Aurélio Borges; Mascarenhas, Luis Paulo Gomes; Grzelczak, Marcos Tadeu; Souza, Wallace Bruno de; Pedrassani, Camila; Souza, William Cordeiro de; Paula, Sérgio Dimas de; Lima, Valderi Abreu de
Fonte: Conexões Publicador: Conexões
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 11/07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
O presente estudo buscou como objetivo avaliar o efeito agudo do treino de alongamento estático dos músculos ísquios-tibiais na agilidade do tenista. A amostra foi composta por 10 tenistas que praticam o esporte Tênis de Campo três vezes por semana, duas horas por dia, com média de idade de 32,8 ± 2,09 anos, peso 83,7 ± 7,76, estatura 1,82m ± 6,74 e Índice de Massa Corporal (IMC) de 25,18 ± 1,78. Foi realizado o teste de elevação de membro inferior estendido de Kendall, para detectar o encurtamento dos músculos ísquios-tibiais. O ângulo médio foi obtido na flexão da perna estendida em direção à pelve do membro inferior direito e esquerdo. Para avaliação de pré e pós-teste de agilidade foi aplicado o teste de Shuttle-Run. Na análise dos dados foi utilizado à estatística descritiva: média, desvio padrão (dp), frequência de percentual (%), correlação de Pearson (r) e teste t de student com nível de significância de 0,05. Foi observado que houve uma diferença significativa nos testes de agilidade antes e pós alongamento estático, com valor de t=1,479; e p=0,045. Assim, foi possível verificar uma melhora de 17% na média do desempenho do teste de agilidade, com a aplicação do treino de alongamento estático dos músculos ísquios-tibiais.