Página 1 dos resultados de 450 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Aspectos da Cultura Científica Portuguesa até 1772; Aspects of the portuguese scientific culture before 1772

Martins, Décio Ruivo
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
36.53%
Uma opinião manifestada sobre a cultura científica portuguesa do século XVIII é a de que se vivia um profundo atraso, cuja responsabilidade foi atribuída aos jesuítas que detinham a primazia do ensino no país. Estas opiniões eram fundamentadas pelo facto de que a Filosofia, que então oficialmente se ensinava, mantinha ainda alguma influência da Escolástica, onde se pregavam os dogmas peripatéticos. Um argumento frequentemente utilizado para se justificar a opinião de que se vivia um ambiente de profunda ignorância e estagnação científico-cultural foi o facto das obras de Newton, Gassendi, Galileu, entre outros autores, se encontrarem oficialmente interditas ao ensino no Colégio das Artes, anteriormente à Reforma Pombalina dos estudos. O estudo feito sobre a actividade científica e pedagógica ocorrida nos Colégios das Artes, em Coimbra, e de Santo Antão, em Lisboa, bem como na Universidade de Évora, ao longo de todo o século XVII e no século XVIII, até ao ano de 1759, bem como no Colégio dos Oratorianos, na Casa das Necessidades em Lisboa, entre 1745 e 1760, permite concluir que a situação do ensino das ciências físico-matemáticas, antes da Reforma Pombalina, não foi tão miserável, como o pretendiam defender os seus mais empenhados defensores. Foram vários os professores e cientistas...

Ecologias do Julgamento na Actividade Científica: A Constituição do Viável Entre o Ajustamento e a Justificação

Nunes, João Arriscado
Fonte: Centro de Estudos Sociais Publicador: Centro de Estudos Sociais
Tipo: Trabalho em Andamento
POR
Relevância na Pesquisa
46.32%
A partir da crítica dos estudos sociais da ciência às abordagens dualistas na sociologia e na história das ciências, propõe-se uma abordagem ecológica da actividade científica e, em particular, das formas de julgamento nela implicadas, que procura lidar com aspectos como a heterogeneidade constitutiva do conhecimento e da prática científica, a co-construção da ciência e da sociedade, a contingência e indeterminação do trabalho científico e a articulação de escalas e de mundos sociais que o caracterizam.; Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, no âmbito do projecto "Os Mundos Sociais da Ciência e da Tecnologia em Portugal: Os Casos da Oncobiologia e das Novas Tecnologias de Informação" (PCSH/SOC/1150/95), em curso no Centro de Estudos Sociais.

Utilização do índice-h para caracterizar a quantidade e a qualidade da produção científica : o caso da investigação em Engenharia Civil produzida em Universidades Portuguesas

Torgal, Fernando Pacheco
Fonte: Universidade do Minho. Departamento de Engenharia Civil Publicador: Universidade do Minho. Departamento de Engenharia Civil
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 20/01/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.13%
A aferição da qualidade da produção científica pode ser efectuada através de diversos parâmetros. O índice-h proposto em 2005 pelo Professor J. Hirsch da Universidade da Califórnia, é um dos mais utilizados e talvez o mais conhecido. Sendo um índice muito simples o mesmo padece de algumas limitações, que não lhe retiram no entanto a importância que muitos autores e instituições lhe reconhecem. O presente artigo contém uma análise do índice-h de artigos da área científica de engenharia civil produzidos em seis Universidades Portuguesas (UA, UC, UM, UNL, UP e UTL). A mesma permite concluir que com excepção de alguns muito meritórios casos pontuais, a maior parte da investigação realizada nesta área ainda não é uma prática com reconhecimento suficiente em termos internacionais, pelo que se torna necessário agir no sentido de rapidamente se inverter esta situação, criando incentivos para o efeito. Propõe-se por isso que os investigadores da área da engenharia civil titulares de um índice-h=9 sejam considerados ilegíveis para a atribuição do prémio “Estimulo à Excelência”.

Memória (e) História da Matemática em Portugal (1900–1940): A construção de uma identidade científica europeia; História da Matemática

Nunes, Maria de Fátima
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.21%
O ponto de partida para uma digressão sobre a produção científica da História da Matemática em Portugal / Memória (pós Luzes) implica entrar na produção de cultura científica dos matemáticos portugueses. No contexto das práticas comemorativas de 1872, na gramática positivista da exaltação da reforma pombalina, fixa-se a primeira base: a Memória da Faculdade de Matemática e o seu carácter de excepcionalidade e de originalidade no contexto europeu, alargando o contributo da obra clássica de Francisco Borja de Garção Stockler Ensaio historico sobre a origem e progressos das mathematicas em Portugal (Paris, 1819). No contexto nacional e internacional fica marcado o território para a construção de uma memória (nacional e internacional) da Matemática em Portugal para o período do final da Monarquia Constitucional, para a República e também para a primeira fase do período do Estado Novo (1933–1940). A viragem do século XIX é marcada pela realização da Exposição Universal de Paris 1900 que enquadra a organização e edição de Les Mathématiques en Portugal au XIX ème Siècle (R. Guimarães); por outro lado, Francisco Boletim da SPM 65, Outubro 2010, pp. 39–53 40 Memória (e) História da Matemática em Portugal Gomes Teixeira atravessa vários eventos internacionais na primeira metade do século XX. A Exposição Ibero Americana de Sevilha...

O diagnóstico de concepções sobre os cientistas através da análise e discussão de histórias de ficção científica redigidas pelos alunos

Reis, Pedro; Galvão, Cecília
Fonte: Universidade de Vigo Publicador: Universidade de Vigo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
46.32%
Neste artigo recorre-se à análise qualitativa do enredo de histórias de ficção científica sobre o trabalho de um grupo de cientistas, redigidas por três alunos portugueses da disciplina de Ciências da Terra e da Vida do 11º ano, e à realização de entrevistas semi-estruturadas, com o objectivo duplo de diagnosticar concepções sobre os cientistas e discutir as potencialidades desta metodologia na investigação e na educação em ciência. A metodologia utilizada revelou-se bastante adequada ao diagnóstico de concepções dos alunos sobre as características dos cientistas, a actividade científica e as interacções entre ciência, tecnologia e sociedade. Entre os participantes, foi notória a falta de conhecimentos processuais e epistemológicos sobre a ciência, bem como a existência de diversas concepções estereotipadas e deturpadas sobre as características e a actividade dos cientistas. Diversos factores parecem contribuir para esta situação, nomeadamente, as práticas de sala de aula utilizadas pelos seus professores, as imagens de ciência veiculadas pelos meios de comunicação social e a ausência, nas aulas de ciências, de qualquer tipo de reflexão crítica sobre essas imagens.This study resorts to a qualitative analysis of the plot of science fiction stories about a group of scientists...

O diagnóstico de concepções sobre os cientistas através da análise e discussão de histórias de ficção científica redigidas pelos alunos

Reis, Pedro; Galvão, Cecília
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
46.32%
Neste artigo recorre-se à análise qualitativa do enredo de histórias de ficção científica sobre o trabalho de um grupo de cientistas, redigidas por três alunos portugueses da disciplina de Ciências da Terra e da Vida do 11º ano, e à realização de entrevistas semi-estruturadas, com o objectivo duplo de diagnosticar concepções sobre os cientistas e discutir as potencialidades desta metodologia na investigação e na educação em ciência. A metodologia utilizada revelou-se bastante adequada ao diagnóstico de concepções dos alunos sobre as características dos cientistas, a actividade científica e as interacções entre ciência, tecnologia e sociedade. Entre os participantes, foi notória a falta de conhecimentos processuais e epistemológicos sobre a ciência, bem como a existência de diversas concepções estereotipadas e deturpadas sobre as características e a actividade dos cientistas. Diversos factores parecem contribuir para esta situação, nomeadamente, as práticas de sala de aula utilizadas pelos seus professores, as imagens de ciência veiculadas pelos meios de comunicação social e a ausência, nas aulas de ciências, de qualquer tipo de reflexão crítica sobre essas imagens.

Apresentação da XII Expedição Científica do Departamento de Biologia : Pico 2005.

Tavares, João
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Relatório
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
36.43%
XII Expedição Científica do Departamento de Biologia - Pico 2005.; O Departamento de Biologia desenvolve actividades de ensino, investigação e prestação de serviços à comunidade em diversas áreas especializadas da Biologia e da Geografia, fundamentalmente na sua sede no Campus Universitário de Ponta Delgada, mas a sua actividade exige que se ultrapasse o limite da sede e ilha, ao serviço da comunidade e da ciência. Sendo desejável que esta actividade não fique somente consignada àquele espaço, mas abranja sempre que possível as restantes ilhas do arquipélago dos Açores, torna-se necessário ultrapassar diversas condicionantes de natureza financeira e logística, que viabilizem a continuação da actividade nas outras ilhas. Daí a importância do projecto “Expedições Científicas do Departamento de Biologia”, de interesse público, e um dos mais antigos da Universidade dos Açores, que existe desde o início da actividade do Departamento, e que é um dos projectos mais acarinhados pela sociedade açoriana, tendo em conta que tem reunido os mais diversos apoios a nível institucional, quer no domínio público, quer no privado. Ao deslocar-se para uma outra ilha do arquipélago dos Açores durante alguns dias...

XIV Expedição Científica do Departamento de Biologia - Santa Maria 2009.

Tavares, João; Furtado, Duarte
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Relatório
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.32%
XIV Expedição Científica do Departamento de Biologia - SANTA MARIA 2009.; Não sendo possível na apresentação, do Relatório da XIV Expedição Científica SANTA MARIA 2009, dar conta de forma exaustiva dos resultados das actividades desenvolvidas ao longo do evento, já que se trata de uma competência dos responsáveis de cada equipa e tal acontecerá com a assinatura dos seus autores, em cada um dos trabalhos incluídos no presente número 36 da Série Relatórios e Comunicações do Departamento de Biologia. Porém, não podemos deixar passar esta oportunidade sem destacar alguns dos diferentes resultados que dão exclusividade ao evento e contribuem para as conclusões desta expedição, os quais a seguir se expõem: Das nove ilhas que constituem o Arquipélago dos Açores, Santa Maria é a ilha mais Oriental e Meridional do território insular. As ilhas dos Açores apresentam uma grande variedade de rochas, formas, estruturas e paisagens, que derivam, entre outros factores, da natureza dos magmas, do tipo de vulcanismo, dos condicionalismos geotectónicos intrínsecos à sua génese e em especial do seu posicionamento no Atlântico Norte, na junção tripla das placas litosféricas Euroasiática, Norte Americana e Africana (ou Núbia). Santa Maria distingue-se das restantes ilhas açorianas pelas suas características edafo-climáticas...

Projecto - XV Expedição Científica do Departamento de Biologia - São Jorge 2011.

Tavares, João; Furtado, Duarte
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Relatório
Publicado em /06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.37%
XV Expedição Científica do Departamento de Biologia - São Jorge 2011 (Projecto).; O Departamento de Biologia (DB) vai realizar, entre 25 e 31 de Julho de 2011, a XV Expedição Científica SÃO JORGE 2011. destinada à ilha do mesmo nome e que em 1992 foi objecto da VII Expedição Científica. Trata-se de prosseguir com as actividades estatutárias da Universidade dos Açores, em concreto com aquelas que são competência do DB, no que respeita à criação, transmissão e difusão da cultura da ciência e da tecnologia na Região Autónoma dos Açores. Como e do conhecimento geral, o DB desenvolve a actividade na sua sede, no Campus Universitário de Ponta Delgada. Para que esta actividade não fique somente consignada àquele espaço, torna-se necessário realizar actividades de investigação científica nas outras ilhas do Arquipélago. Dai a existência do projecto Expedições Científicas do DB, que remonta aos anos iniciais da fundação da Instituição, actualmente designada por Universidade dos Açores. Estes são desenvolvidos de preferência em períodos de pausa lectiva e tem sido sempre muito bem-vindos pelo comunidade visitada, que sempre contribuiu com um considerável apoio institucional público e privado. À semelhança dos eventos anteriores...

Actividade Científica e de Investigação num Hospital Central: Análise Retrospectiva de Dez Anos

Pereira-da-Silva, L; Afonso, S; Marques, A
Fonte: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2004 POR
Relevância na Pesquisa
66.63%
Introdução: A actividade científica faz parte do desempenho de um clínico da carreira médica hospitalar e os hospitais centrais devem ser a sede privilegiada da investigação clínica hospitalar. O objectivo do presente trabalho é o de avaliar retrospectivamente a actividade científica e de investigação de um hospital central, o Hospital de Dona Estefânia. Métodos: Foram avaliados, de 1993 a 2002 (dez anos), os resumos do Anuário do Hospital de Dona Estefânia, publicação anual que colige os trabalhos realizados pelo seu corpo clínico. O estudo incluiu a análise do tipo de trabalhos, a sua forma de divulgação e a produção científica, por intermédio da taxa de trabalhos por médico e por área de assistência. Resultados: Nos dez anos em análise foram incluídos 1821 trabalhos científicos, sendo 49.7% de investigação; a produção média anual do Hospital foi de 182 trabalhos, 165 comunicações e 24.5 publicações. Em 2002 foram considerados 312 médicos em 24 áreas de assistência, calculando-se uma razão por médico de 0.73 trabalhos científicos, dos quais 0.29 trabalhos de investigação. Discussão: O Anuário constituiu um excelente instrumento para medição directa da actividade científica e de investigação...

Que Actividade Científica Importa?

Pereira-da-Silva, L
Fonte: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 OTHER
Relevância na Pesquisa
46.29%

Vinte Anos de Actividade Cientifica

Neto, MT
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
46.5%
O dinamismo e capacidade de actualização de uma equipa médica traduzem-se na actividade científica de uma unidade de saúde. Essa actividade constitui por isso um meio de avaliar o seu desempenho. Objectivo: Foi nosso objectivo avaliar a actividade científica médica desenvolvida na unidade de cuidados intensivos neonatais (UCIN) do Hospital de Dona Estefania desde a abertura, em Abril de 1983, ate a comemoração dos seus 20 anos, em Abril de 2003. Material e Métodos: Os dados foram coligidos a partir dos curricula dos elementos da equipa, dos arquivos da unidade, da publicação do Anuário entre 1993 e 2001 e da memória de alguns elementos. Foram englobados os seguintes itens: presidência e moderação de conferências, palestras e mesas redondas; conferências, palestras e comunicações livres; trabalhos publicados; participação em estudos mu1ticêntricos nacionais e internacionais; estudos prospectivos desenvolvidos pela própria unidade; trabalhos indexados em Medline e citações; colaboração em teses de doutoramento e mestrado; participação em conselhos científicos, editorais ou redactoriais de revistas cientificas; e, finalmente, a actividade desenvolvida no âmbito de corpos directivos de sociedades científicas. Excluiram-se as apresentações em reuniões da unidade...

A Propósito de Actividade Científica

Neto, MT
Fonte: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
46.2%

Actividade Científica e de Investigação num Hospital Central: Análise Retrospectiva de Dez Anos

Pereira-da-Silva, L; Afonso, S; Marques, A
Fonte: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2004 POR
Relevância na Pesquisa
66.63%
Introdução: A actividade científica faz parte do desempenho de um clínico da carreira médica hospitalar e os hospitais centrais devem ser a sede privilegiada da investigação clínica hospitalar. O objectivo do presente trabalho é o de avaliar retrospectivamente a actividade científica e de investigação de um hospital central, o Hospital de Dona Estefânia. Métodos: Foram avaliados, de 1993 a 2002 (dez anos), os resumos do Anuário do Hospital de Dona Estefânia, publicação anual que colige os trabalhos realizados pelo seu corpo clínico. O estudo incluiu a análise do tipo de trabalhos, a sua forma de divulgação e a produção científica, por intermédio da taxa de trabalhos por médico e por área de assistência. Resultados: Nos dez anos em análise foram incluídos 1821 trabalhos científicos, sendo 49.7% de investigação; a produção média anual do Hospital foi de 182 trabalhos, 165 comunicações e 24.5 publicações. Em 2002 foram considerados 312 médicos em 24 áreas de assistência, calculando-se uma razão por médico de 0.73 trabalhos científicos, dos quais 0.29 trabalhos de investigação. Discussão: O Anuário constituiu um excelente instrumento para medição directa da actividade científica e de investigação...

Que Actividade Científica Importa?

Pereira-da-Silva, L
Fonte: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 OTHER
Relevância na Pesquisa
46.29%

Vinte Anos de Actividade Cientifica

Neto, MT
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
46.5%
O dinamismo e capacidade de actualização de uma equipa médica traduzem-se na actividade científica de uma unidade de saúde. Essa actividade constitui por isso um meio de avaliar o seu desempenho. Objectivo: Foi nosso objectivo avaliar a actividade científica médica desenvolvida na unidade de cuidados intensivos neonatais (UCIN) do Hospital de Dona Estefania desde a abertura, em Abril de 1983, ate a comemoração dos seus 20 anos, em Abril de 2003. Material e Métodos: Os dados foram coligidos a partir dos curricula dos elementos da equipa, dos arquivos da unidade, da publicação do Anuário entre 1993 e 2001 e da memória de alguns elementos. Foram englobados os seguintes itens: presidência e moderação de conferências, palestras e mesas redondas; conferências, palestras e comunicações livres; trabalhos publicados; participação em estudos mu1ticêntricos nacionais e internacionais; estudos prospectivos desenvolvidos pela própria unidade; trabalhos indexados em Medline e citações; colaboração em teses de doutoramento e mestrado; participação em conselhos científicos, editorais ou redactoriais de revistas cientificas; e, finalmente, a actividade desenvolvida no âmbito de corpos directivos de sociedades científicas. Excluiram-se as apresentações em reuniões da unidade...

A Propósito de Actividade Científica

Neto, MT
Fonte: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
46.2%

Patologia Mamária: avaliação da actividade científica nacional através de indicadores bibliométricos (1995- Julho 2005)

Donato, H; Oliveira, CF
Fonte: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra Publicador: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
46.4%
Introdução e Objectivos A análise bibliométrica da produção científica portuguesa na área da patologia da mama durante os anos de 1995 à actualidade (Julho de 2005) dá-nos a visão sobre a actividade científica desenvolvida nesta temática e possibilita a caracterização de alguns aspectos relevantes e a sua evolução temporal. Material e Métodos Estudaram-se os documentos recolhidos da produção científica nacional na área da patologia mamária entre 1995 e Julho de 2005 em 3 bases de dados, Medline (com interface de pesquisa PubMed), Science Citation Index e Índex das Revistas Médicas Portuguesas. A partir do número de artigos encontrados e das revistas onde foram publicados aplicámos indicadores bibliométricos quantitativos e qualitativos. Os indicadores quantitativos baseados no número de artigos publicados, dão-nos a posição de Portugal na área da patologia da mama dentro da comunidade científica internacional, assim como, conhecer a participação das distintas instituições e organismos nacionais e das áreas geográficas na produção científica, e também a determinação da colaboração internacional. Com os indicadores qualitativos estudámos a influência, a visibilidade da produção científica. São indicadores baseados na classificação das revistas onde estão publicados os artigos e nas citações que receberam. Utilizámos o Science Citation Índex para determinar o número de citações obtidas pelos artigos que recolhemos nas pesquisas efectuadas. E o Factor de Impacto (FI) das revistas publicado anualmente no Journal Citation Reports (JCR). Apesar de todas as suas limitações é difícil não aceitar a opinião que o Factor de Impacto constitui na actualidade um dos poucos meios...

Vinte Anos de Actividade Científica

Neto, Maria Teresa
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.56%
O dinamismo e capacidade de actualização de uma equipa médica traduzem-se na actividade científica de uma unidade de saúde. Essa actividade constitui por isso um meio de avaliar o seu desempenho. Objectivo; Foi nosso objecdvo avaliar a actividade científica médica desenvolvida na unidade de cuidados intensivos neonatais (UCIN) do Hospital de Dona Estefânia desde a abertura, em Abril de 1983, até à comemoração dos seus 20 anos, em Abril de 2003. Material e Métodos; Os dados foram coligidos a partir dos curricula dos elementos da equipa, dos arquivos da unidade, da publicação do Anuário entre 1993 e 2001 e da memória de alguns elementos. Foram englobados os seguintes itens: presidência e moderação de conferencias, palestras e mesas redondas: conferências, palestras e comunicações livres; trabalhos publicados; participação em estudos multicêntricos nacionais e internacionais; estudos prospectivos desenvolvidos pela própria unidade; trabalhos indexados em Medline e citações; colaboração cm teses de doutoramento e mestrado; participação em conselhos científicos, editorais ou redactoriais de revistas científicas; e, finalmente, a actividade desenvolvida no âmbito de corpos directivos de sociedades científicas. Excluíram-se as apresentações em reuniões da unidade...

Motivações para a actividade sexual numa amostra de mulheres portuguesas em relações de curta e longa duração

Costa, Daniela Ferreira da
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
36.35%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; Introdução: Os problemas existentes com a definição actual da perturbação de desejo sexual hipoactivo, prendem-se, nomeadamente, com o critério referente à ausência ou diminuição de desejo para a actividade sexual, que tem sido criticado pelo facto de que frequentemente a actividade sexual ocorre na ausência de desejo sexual. O desejo sexual apresenta-se como apenas uma das diversas motivações referidas pelas mulheres, para se envolverem em actividade sexual. Objectivo: Explorar as motivações para a actividade sexual numa amostra de mulheres Portuguesas com relações de curta e longa duração. Método: 639 mulheres Portuguesas (M idades=28.54) responderam a um questionário de auto-resposta contendo itens relacionados com a motivação para iniciar e aceitar actividade sexual (Basson, Brotto & Luria, não publicado). O estudo foi divulgado num portal português dirigido a mulheres e através do método snowball via e-mail. Resultados: As análises factoriais explicativas das motivações para “Iniciar” e “Aceitar” actividade sexual mostraram a existência de 9 factores - Obrigação/Evitar Conflitos, Satisfação/Bem-Estar, Bem-Estar Físico...