Página 1 dos resultados de 1413 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Conhecimentos dos alunos do 4º ano de Enfermagem da Universidade Fernando Pessoa - Unidade de Ponte de Lima acerca do Acidente Vascular Cerebral

Pais, Ana Catarina Baptista
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
96.64%
Trabalho apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Licenciada em Enfermagem; Segundo estudos recentes a população portuguesa está mais envelhecida. Com este, surgem diversas alterações fisiológicas que contribuem como factor de risco para a ocorrência do Acidente Vascular Cerebral. Esta é uma patologia muito comum actualmente e para além de causar inúmeras incapacidades, constitui uma das principais causas de morte. Desta forma a responsabilidade dos profissionais de saúde, bem como de todos os que vão agora iniciar a sua profissão nesta área é acrescida. Surgiu assim a necessidade de realizar este estudo, cujo tema escolhido foi: “Conhecimentos dos alunos do 4º ano de enfermagem da Universidade Fernando Pessoa – Unidade de Ponte de Lima acerca do Acidente Vascular Cerebral”. Para a execução do presente trabalho científico foram formulados os seguintes objectivos: -“ Identificar os conhecimentos dos alunos do 4º ano de enfermagem da Universidade Fernando Pessoa – Unidade de Ponte de Lima acerca do Acidente Vascular Cerebral.” -“Identificar os acontecimentos dos alunos do 4º ano de enfermagem da Universidade Fernando Pessoa – Unidade de Ponte de Lima acerca dos sinais e sintomas de um Acidente Vascular Cerebral.” -“Identificar os conhecimentos dos alunos do 4º ano de enfermagem da Universidade Fernando Pessoa – Unidade de Ponte de Lima acerca das alterações/incapacidades resultantes do doente que sofreu Acidente Vascular Cerebral.” -“Identificar os conhecimentos dos alunos do 4º ano de enfermagem da Universidade Fernando Pessoa – Unidade de Ponte de Lima acerca do tratamento no doente com Acidente Vascular Cerebral.” -“Identificar os conhecimentos dos alunos de enfermagem da Universidade Fernando Pessoa – Unidade de Ponte de Lima acerca do papel do enfermeiro perante o doente com Acidente Vascular Cerebral.” Para conseguir dar resposta aos objectivos formulados optou-se pela realização de um estudo descritivo com abordagem quantitativa em que foi utilizado o questionário como instrumento de recolha de dados. O mesmo foi aplicado a uma amostra de 14 alunos do 4º ano de enfermagem da Universidade Fernando Pessoa – Unidade de Ponte de Lima a 5 de Julho de 2012. Abstract According to recent studies the Portugues population is more aged...

O acidente vascular cerebral na área de abrangência do hospital universitário da USP; The stroke in the coverage area of the USP's university hospital

Bustos, Iara Rosa da Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
96.64%
O acidente vascular cerebral é considerado problema crítico de saúde pública no Brasil, tendo sido, em 2005, a principal causa de morte no país, seguido pela doença coronariana. Esta dissertação integra a etapa 2 do projeto Vigilância Epidemiológica da Doença Cerebrovascular. The WHO STEPwise approach to stroke surveillance aplicado no Distrito de Saúde Escola do Butantã, São Paulo (SP), Brasil. Foram analisadas as taxas de mortalidade e os anos potenciais de vida perdidos em decorrência do acidente vascular cerebral no período de 1997 a 2007 por sexo, faixa etária e acima de 35 anos nos seis distritos administrativos da área de abrangência do Hospital Universitário, totalizando 2 036 óbitos. Utilizou-se também a área técnica de detecção de aglomerados (cluster) por acidente vascular cerebral nos 489 setores censitários. Foram analisados 645 casos de acidente vascular cerebral no período de julho de 2004 a dezembro de 2007, utilizando como covariáveis sexo e faixas etárias acima de 35 anos de idade. Foi proposto e aplicado um questionário a fim de caracterizar os domicílios das pessoas que faleceram de acidente vascular cerebral em 53 domicílios entre julho de 2004 a junho de 2005. As taxas de mortalidade em decorrência do acidente vascular cerebral seguiram as tendências de queda na área de abrangência do Hospital Universitario de 1997 a 2007. A utilização da técnica de detecção de aglomerados (cluster) puramente espacial...

Prevalência de acidente vascular cerebral em área de exclusão social na cidade de São Paulo, Brasil: utilizando questionário validado para sintomas; Stroke prevalence in a poor neighborhood of the city of São Paulo, Brazil: applying a stroke symptom questionnaire

Abe, Ivana Lie Makita
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/11/2010 PT
Relevância na Pesquisa
96.59%
A doença cerebrovascular é a maior causa de morte e uma grande causa de incapacidades no Brasil. A taxa de mortalidade no Brasil é uma das mais altas do mundo, principalmente entre os indivíduos com menor condição socioeconômica. A coleta de dados confiáveis e com qualidade sobre as características do acidente vascular cerebral (AVC) é essencial para sua prevenção. Entretanto, existem poucos estudos brasileiros sobre a prevalência da doença. A Organização Mundial de Saúde propõe uma estratégia de vigilância para o acidente vascular cerebral (The WHO STEPwise Approach to Stroke Surveillance) em 3 etapas. A etapa 1 analisa os eventos hospitalizados, a etapa 2, os eventos fatais na comunidade e a etapa 3, os casos de AVC na comunidade que não foram admitidos em hospitais. Por meio de padronização de instrumentos para coleta de dados nas três etapas, esta estratégia permite a comparação de dados sobre a epidemiologia do AVC ao longo do tempo e entre países. Este estudo transversal tem como objetivo avaliar a prevalência de acidente vascular cerebral na área de abrangência do Programa Saúde da Família no Jardim São Jorge, zona oeste do município de São Paulo, por meio da implantação do terceiro passo do WHO STEPS Stroke. Validou-se questionário sobre sintomas de AVC (fraqueza de membros em um dos lados do corpo...

Associação entre função executiva e sintomas depressivos em pacientes com acidente  vascular cerebral isquêmico; Association between depressive symptoms and executive functions in ischemic stroke patients: a cross-sectional study

Sobreiro, Matildes de Freitas Menezes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.55%
INTRODUÇÃO: Associação entre sintomas depressivos e prejuízos cognitivos após o acidente vascular cerebral isquêmico tem sido descrito em vários estudos. Estudos recentes tem focado a associação de sintomas depressivos com a função executiva. A hipótese Depression Executive dysfunction tem sido investigada em pacientes com AVC e não se sabe se essa associação ocorre com algum grupo de sintomas depressivos específico. Portanto, o principal objetivo desse estudo, foi o de investigar a associação entre função executiva e grupos de sintomas depressivos no primeiro mês após o acidente vascular cerebral isquêmico e como objetivo secundário investigar a associação entre função executiva e grupos de sintomas depressivos em adultos jovens. MÉTODOS: Foram triados consecutivamente 343 pacientes admitidos na enfermaria da neuroclínica do Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Fizeram parte o estudo 87 pacientes que preencheram os critérios de inclusão e exclusão e foram incluídos no estudo. Eles foram submetidos aos testes neuropsicológicos que consistiu em: teste Fluência verbal fonêmica para as letras (F.A.S.), Dígitos Ordem Direta e Ordem Inversa, subteste da Escala Weschler de Inteligência para Adultos (WAIS-III-R) e as 03 partes do Stroop Teste. A avaliação psiquiátrica consistiu na entrevista estruturada para o diagnóstico pelo DSM-IV...

Associação entre qualidade de vida e sintomas depressivos em pacientes com acidente vascular cerebral; Association between quality of life and depressive symptoms in patients with stroke

Guajardo, Valeri Alexandra Delgado
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.75%
INTRODUÇÃO: O comprometimento da qualidade de vida após o acidente vascular cerebral tem sido associado com a sintomatologia depressiva. Entretanto, até o momento não se tem estudos investigando se a associação da sintomatologia depressiva com a qualidade de vida é independente da qualidade de vida no momento basal. Este estudo teve como objetivo principal investigar a associação entre sintomas depressivos detectados um mês após o acidente vascular cerebral e a qualidade de vida três meses posteriores ao acidente vascular cerebral e avaliar se essa associação independe da qualidade vida um mês após o acidente vascular cerebral. Como objetivo secundário visou investigar a associação entre sintomas depressivos detectados três meses após o acidente vascular cerebral e a qualidade de vida três meses após o acidente vascular cerebral e avaliar se essa associação independe da qualidade vida um mês após o acidente vascular cerebral. MÉTODOS: Neste estudo foram triados de modo consecutivo 343 pacientes admitidos na enfermaria de Neurologia do Hospital das Clínicas de São Paulo. Destes, foram elegíveis 106 pacientes, e 67 foram avaliados prospectivamente um e três meses após o acidente vascular cerebral. A avaliação psiquiátrica consistiu na aplicação da entrevista clínica estruturada para diagnóstico pelo DSM-IV e na versão de 31 itens da escala de Hamilton para depressão (HAM-D-31); a avaliação da qualidade de vida foi realizada com a versão de 36 itens do inventario de qualidade de vida do Medical Outcomes Study (SF-36). As avaliações foram realizadas em 2 momentos...

Hipertensão arterial e acidente vascular cerebral

Santos Neto, Leopoldo Luiz dos; Toledo, Maria Alice de Vilhena; Souza, Patrícia Medeiros de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
96.57%
7 p.; Estima-se que, anualmente, 20 milhões de novos casos de acidente vascular cerebral ocorrem no mundo. Desse total, a mortalidade pode ser de cinco milhões de indivíduos. Os 15 milhões restantes são de casos não fatais de acidente vascular cerebral, e um terço evolui com alguma seqüela neural. Estudos observacionais identificaram que a pressão arterial correlaciona-se, diretamente e continuadamente, com os eventos iniciais do acidente vascular cerebral isquêmico e hemorragia cerebral. O objetivo do tratamento anti-hipertensivo visa fundamentalmente a reduzir o risco de morbimortalidade nas doenças cardiovasculares. A identificação de tratamentos seguros e eficazes na prevenção e no controle da pressão arterial é, portanto, prioridade no controle desta grave enfermidade. O objetivo dessa revisão é enfatizar conceitos atuais sobre o tratamento da hipertensão artéria e prevenção do acidente vascular cerebral, de acordo com as diretrizes nacionais e internacionais. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT; Estimates are that annually 20 milion new cases of cerebral stroke take place. From these, mortality is thougth to be as high as 5 milion. The remaining 15 milion non-fatal strokes and one third will have any neurological sequela of any kined. Observational studies identified a continuous and direct relation between blood pressure and initial events of both isquemic and hemorrhagic cerebrovascular disease. The aim of anti-hypertensive treatment is fundamentally to reduce the morbidity and mortality in cardiovascular diseases. Identification of safe treatments and effective prevencive measures for arterial hypertension is therefore essential for controlling this serious disease. The objective of this review is to emphasize prophylactics of cardiovascular diseases according to national and international guidelines.

Avalia????o da efetividade do tratamento hospitalar do acidente vascular cerebral agudo no Sistema ??nico de Sa??de-SUS: utiliza????o da mortalidade hospitalar como Indicador de desempenho

Rolim, Cristina L??cia Rocha Cubas
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
Relevância na Pesquisa
96.58%
OBJETIVO: Avaliar a efetividade do tratamento hospitalar do Acidente Vascular Cerebral Agudo no Sistema ??nico de Sa??de SUS, comparando a mortalidade hospitalar ajustada entre pacientes que realizaram ou n??o a tomografia computadorizada. M??TODO: A fonte de informa????o utilizada foi o Sistema de Informa????o Hospitalar do SUS (SIH-SUS). Foram selecionadas 328.087 interna????es ocorridas no SUS em todo o territ??rio nacional entre abril de 2006 e dezembro de 2007. As interna????es foram reunidas e estudadas em 4 grupos: Acidente Isqu??mico Transit??rio (CID-10: G459); Acidente Vascular Cerebral Hemorr??gico (CID-10: I60; I61 e I62); Acidente Vascular Isqu??mico (CID-10: I63) e Acidente Vascular Cerebral n??o especificado (CID-10: I64). Foram utilizadas as mortalidades hospitalares at?? o s??timo e at?? o trig??simo dias, como medidas de resultado para comparar pacientes que realizaram e n??o realizaram tomografia computadorizada. RESULTADOS: Em geral os pacientes que realizaram a tomografia computadorizada apresentaram menores taxas de mortalidade hospitalar em rela????o ??queles que n??o realizaram o exame, sendo essa diferen??a em favor da realiza????o do exame observada principalmente at?? o segundo dia de interna????o em todos os 4 grupos. A diferen??a entre os que realizaram e os que n??o realizaram o exame foi acentuada no grupo do Acidente Vascular Isqu??mico (OR: 0...

Avaliação da Via Verde do Acidente Vascular Cerebral no Norte de Portugal: Caracterização e Prognóstico dos Utilizadores

Moutinho, M.; Magalhães, R.; Correia, M.; Silva, C.
Fonte: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.56%
Introdução: Em 2002 Portugal detinha uma das mais altas taxas de mortalidade por doenças cerebrovasculares entre os países europeus. Várias estratégias foram adoptadas para melhorar a prevenção da doença e o seu tratamento na fase aguda, entre as quais a criação da Via Verde do Acidente Vascular Cerebral. O objectivo deste trabalho é descrever a utilização e resultados desta estratégia no contexto de um registo prospectivo comunitário na Região Norte de Portugal. Material e Métodos: Foram registados todos os AVCs ocorridos entre 1 de Outubro de 2009 e 30 de Setembro de 2010 nos utentes inscritos no agrupamento de centros de saúde do Porto Ocidental e nos de Mirandela e Vila Pouca de Aguiar. Para a detecção de casos utilizaram-se múltiplas fontes de informação: notificação via WEB, e-mail, Alerta P1 e pesquisas sistemáticas em registos disponibilizados pelas entidades envolvidas - urgências hospitalares, listas de altas, procedimentos de diagnóstico, óbitos, Via Verde do Acidente Vascular Cerebral e serviço de atendimento de situações urgentes. Resultados: Ocorreram 600 AVCs em 241 000 habitantes (taxa de incidência de 250 / 100 000), dos quais 434 foram primeiros na vida (180 / 100 000). Foram registados 72 acessos à Via Verde do Acidente Vascular Cerebral...

A pessoa com depressão pós Acidente Vascular Cerebral

Pina, Josefina da Costa
Fonte: Instituto politécnico de Setúbal. Escola Superior de Saúde. Publicador: Instituto politécnico de Setúbal. Escola Superior de Saúde.
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /10/2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.61%
Relatório do Trabalho de Projeto realizado no âmbito do I Curso de Mestrado em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiatria.; Depressão Pós Acidente Vascular Cerebral (DPAVC) é a complicação mais frequente no Acidente Vascular Cerebral (AVC), com uma taxa de prevalência estimada em 60% (Sequeira et al 2006). As repercussões da doença são significativas pelo grau de limitação funcional que provocam (Terroni et al, 2008). De acordo com Ginkel et al (2010), é realçada a importância e o papel do enfermeiro na reabilitação física da pessoa com AVC, comparativamente à reabilitação mental, sendo pouco conhecidas as intervenções terapêuticas que podem ser realizadas nesta área. Consciencializados para a problemática existente e com intenção de intervir visando a promoção da Saúde Mental, abordamos neste documento a necessidade da continuidade de cuidados especializados em enfermagem de Saúde Mental, à pessoa com DPAVC. Para salientar o trabalho desenvolvido e as atividades realizadas de acordo com a intervenção pretendida, elaboramos um Projeto de Intervenção em Serviço (PIS). O PIS assenta na prática baseada na evidência em contexto da prática clínica e baseou-se na Metodologia de Projeto, com as etapas a ele inerentes. A etapa diagnóstica que serviu de base para este documento...

Estudo prospectivo sobre a incidência de infecção sistémica que precede um acidente vascular cerebral : tipos de infecção e tipos de acidentes vasculares cerebrais

Silva, Daniela Patrícia Leitão
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2010 POR
Relevância na Pesquisa
96.6%
Introdução: O papel da infecção aguda como factor de risco para Acidente Vascular Cerebral tem sido objecto de discussão há já muitos anos, e vários são os estudos que demonstram que a infecção na semana prévia, pode precipitar enfartes isquémicos, em todos os grupos etários, com uma prevalência que varia de 10-35%. Os estudos já realizados atribuem às infecções respiratórias, particularmente bacterianas, uma função de gatilho mais preponderante. Objectivos: Este estudo teve como objectivo investigar uma possível associação entre um AVC e infecções recentes, até uma semana antes do evento vascular. A par disso, procurou também encontrar alguma relação com algum grupo etário, com o tipo e subtipo de AVC, com a presença ou não de factores de risco cardiovasculares, e com o desenvolvimento de complicações durante o internamento, nesses doentes com infecção prévia. Também se tentou averiguar se existiria algum tipo de infecção mais predominantemente associado. Métodos: Foi realizado um estudo prospectivo durante os meses de Novembro, Dezembro de 2009 e Janeiro de 2010, na Unidade de Acidentes Vasculares Cerebrais do Centro Hospitalar Cova da Beira, onde se incluíram todos os doentes com AVC/AIT...

A influência de parâmetros socioculturais no reconhecimento do Acidente Vascular Cerebral

Sá, Juliana Marília Pereira de
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.59%
Introdução As doenças cerebrovasculares são uma das principais causas de morte em todo o mundo. Em Portugal, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é a principal causa de morte e incapacidade resultando num enorme impacto social. O reconhecimento do AVC e a recorrência imediata ao serviço de urgência maximizam a possibilidade de tratamento e recuperação. O objectivo deste estudo consiste na descrição das características sociais e culturais dos doentes que sofreram um AVC, e na relação que estas têm com o conhecimento de sinais e sintomas e percepção da gravidade permitindo, desta forma, construir uma campanha de educação para a saúde eficaz e adequada à população. Métodos Recolheram-se os dados dos doentes que estiveram internados na Unidade de Acidente Vascular Cerebral do Centro Hospitalar da Cova da Beira, entre Janeiro e Dezembro de 2011. Contactaram-se os doentes através de carta, tendo sido posteriormente aplicado um questionário por via telefónica. Este estudo foi aprovado por uma comissão de ética. Os dados colhidos foram analisados através de IBM Software Package for Social Sciences (SPSS®), versão 19.0 para Microsoft Windows®. Resultados Foram incluídos no estudo 101 indivíduos com a idade média de 72.3 anos. Sessenta e dois por cento eram do sexo masculino...

Testosterona e acidente vascular cerebral isquémico : avaliação do papel das hormonas sexuais masculinas na fisiopatologia da doença e do seu valor prognóstico

Costa, Sara Isabel Mendes
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.62%
Introdução: O risco de Acidente Vascular Cerebral (AVC) aumenta com a idade e os níveis de Testosterona, por sua vez, diminuem gradualmente a partir da idade adulta. Há evidências que apontam uma possível associação entre os níveis das hormonas sexuais masculinas e o acidente vascular cerebral. É ainda sugerido que baixos níveis de testosterona podem exercer algum efeito nos fatores de risco aterosclerótico. Por fim, ainda pouco se sabe acerca do papel da testosterona no prognóstico funcional do AVC. Objetivos: Este estudo visa verificar se existe relação entre os valores das hormonas sexuais masculinas e algum subtipo etiológico de AVC isquémico, segundo a Classificação Trial of ORG 10172 in Acute Stroke Treatment (TOAST), bem como com o prognóstico funcional dos doentes com AVC. Métodos: Realizou-se um estudo prospetivo, em oitenta e três pacientes internados na Unidade de AVC do Centro Hospitalar Cova da Beira, por AVC isquémico com evolução inferior a uma semana, e aos quais foram doseados os valores de testosterona total, hormona luiteinizante, hormona folículo estimulante e outras variáveis laboratoriais na primeira semana após ocorrência do AVC e num grupo de trinta controlos provenientes das diversas especialidades deste Centro Hospitalar. Os níveis destas hormonas foram comparados entre os indivíduos de cada subtipo de AVC de acordo com a Classificação TOAST...

O uso de tomografia computadorizada nas internações por Acidente Vascular Cerebral no Sistema Único de Saúde no Brasil

Rolim,Cristina Lúcia Rocha Cubas; Martins,Monica
Fonte: Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.59%
O Acidente Vascular Cerebral é um dos principais motivos de internação no Sistema Único de Saúde. O exame de tomografia computadoriza tem sido indicado como o principal método diagnóstico de imagem para a definição do tratamento do Acidente Vascular Cerebral. O objetivo desse artigo é avaliar a utilização de exames de tomografia computadorizada em internações por Acidente Vascular Cerebral com base nas informações do Sistema de Informação Hospitalar do Sistema Único de Saúde. O universo de estudo incluiu as internações de pacientes adultos ocorridas no Brasil e financiadas pelo Sistema Único de Saúde entre abril de 2006 e dezembro de 2007. A análise dos dados foi descritiva para o conjunto de casos de Acidente Vascular Cerebral e para cada subgrupo separadamente. Das 328.087 internações por Acidente Vascular Cerebral, observou-se que em 73,5% o exame não foi realizado. Nas internações que realizaram tomografia computadorizada, 22,3% tiveram acesso a um exame e somente 4,2% a dois exames. Além de subutilizado, o exame de tomografia computadorizada, quando realizado, não trouxe melhora na codificação adequada do subgrupo da doença.

Sinais de Alarme de Enfarte Agudo do Miocárdio e Acidente Vascular Cerebral: uma observação sobre conhecimentos e atitudes

Branco, Maria João; Nunes, Baltazar
Fonte: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge. Departamento de Epidemiologia Publicador: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge. Departamento de Epidemiologia
Tipo: Relatório
Publicado em /12/2008 POR
Relevância na Pesquisa
96.64%
O Departamento de Epidemiologia realizou um estudo com o objectivo de avaliar o grau de conhecimento que a população portuguesa do Continente, com telefone fixo, tem dos sinais de alarme do Enfarte Agudo do Miocárdio e do Acidente Vascular Cerebral. O estudo, descritivo transversal, constou de um inquérito realizado por entrevista telefónica, no segundo trimestre de 2008, a um dos elementos de 18 e mais anos, residente nas unidades de alojamento (UA) que integram a amostra de famílias ECOS. Esta amostra é aleatória e constituída por 1033 UA, com telefone fixo, estratificada por Região de Saúde do Continente, com alocação homogénea. As variáveis colhidas contemplaram a caracterização dos inquiridos, nomeadamente, no que diz respeito: à “experiência” sobre EAM e AV; ao reconhecimento de sinais de alarme do Enfarte Agudo do Miocárdio (EAM) e Acidente Vascular Cerebral (AVC); ao comportamento adoptado perante a ocorrência de um Enfarte ou AVC; e conhecimento sobre a campanha “Seja mais rápido que um Enfarte/AVC”. Obtiveram-se 732 questionários válidos. Os resultados permitem concluir: a percentagem de respondentes (≥18 anos) que: -Identificaram «dor no peito, sensação de desconforto/opressão/peso/ardor no meio do peito» como sinal de alarme de Enfarte Agudo do Miocárdio foi de 84%; -Identificaram «encher-se de suores frios com sintoma de náusea e vómitos» como sinal de alarme de Enfarte Agudo do Miocárdio foi de 48%; -Identificaram «dor no peito...

Estudo prospectivo sobre a incidência de infecção sistémica que precede um acidente vascular cerebral : tipos de infecção e tipos de acidentes vasculares cerebrais

Silva, Daniela Patrícia Leitão
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2010 POR
Relevância na Pesquisa
96.6%
Introdução: O papel da infecção aguda como factor de risco para Acidente Vascular Cerebral tem sido objecto de discussão há já muitos anos, e vários são os estudos que demonstram que a infecção na semana prévia, pode precipitar enfartes isquémicos, em todos os grupos etários, com uma prevalência que varia de 10-35%. Os estudos já realizados atribuem às infecções respiratórias, particularmente bacterianas, uma função de gatilho mais preponderante. Objectivos: Este estudo teve como objectivo investigar uma possível associação entre um AVC e infecções recentes, até uma semana antes do evento vascular. A par disso, procurou também encontrar alguma relação com algum grupo etário, com o tipo e subtipo de AVC, com a presença ou não de factores de risco cardiovasculares, e com o desenvolvimento de complicações durante o internamento, nesses doentes com infecção prévia. Também se tentou averiguar se existiria algum tipo de infecção mais predominantemente associado. Métodos: Foi realizado um estudo prospectivo durante os meses de Novembro, Dezembro de 2009 e Janeiro de 2010, na Unidade de Acidentes Vasculares Cerebrais do Centro Hospitalar Cova da Beira, onde se incluíram todos os doentes com AVC/AIT...

Papel da quimiocina CXCL12 no Acidente Vascular Cerebral Isquémico : revisão da literatura

Elvas, Filipa Catarina Bernardino D'
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /10/2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.64%
Este documento encontra-se dividido em dois capítulos: o primeiro capítulo incide sob a vertente de investigação e o segundo aponta para a experiencia profissionalizante relativa ao estágio realizado na vertente de Farmácia Comunitária, que cessa o plano curricular do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas. O Acidente Vascular Cerebral (AVC) assume-se, ainda, como a primeira causa de mortalidade e uma das causas primordiais de incapacidade em Portugal. Este problema grave de saúde pública está provido de um enorme impacto pessoal, familiar e social, tornando-o numa doença com elevados custos económicos. A quimiocina CXCL12, originalmente chamada de fator 1 derivado das células do estroma, é um membro da subfamília CXC e encontra-se expressa em todos os tipos de células do Sistema Nervoso Central. Está documentado que após a ocorrência de um AVC Isquémico, os recetores desta quimiocina, portanto o CXCR4 e o CXCR7, estão sobreregulados no cérebro. A quimiocina abordada demonstrou desempenhar um papel significativo em modelos animais de Acidente Vascular Cerebral Isquémico, contudo o seu papel no Acidente Vascular Cerebral humano é incerto. Investigações neste âmbito, efetuadas em seres humanos, são escassas e apresentam declarações antagónicas acerca de uma quimiocina que parece prometer avanços na clínica da patologia tão fatal nos dias de hoje...

A influência de parâmetros socioculturais no reconhecimento do Acidente Vascular Cerebral

Sá, Juliana Marília Pereira de
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.59%
Introdução As doenças cerebrovasculares são uma das principais causas de morte em todo o mundo. Em Portugal, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é a principal causa de morte e incapacidade resultando num enorme impacto social. O reconhecimento do AVC e a recorrência imediata ao serviço de urgência maximizam a possibilidade de tratamento e recuperação. O objectivo deste estudo consiste na descrição das características sociais e culturais dos doentes que sofreram um AVC, e na relação que estas têm com o conhecimento de sinais e sintomas e percepção da gravidade permitindo, desta forma, construir uma campanha de educação para a saúde eficaz e adequada à população. Métodos Recolheram-se os dados dos doentes que estiveram internados na Unidade de Acidente Vascular Cerebral do Centro Hospitalar da Cova da Beira, entre Janeiro e Dezembro de 2011. Contactaram-se os doentes através de carta, tendo sido posteriormente aplicado um questionário por via telefónica. Este estudo foi aprovado por uma comissão de ética. Os dados colhidos foram analisados através de IBM Software Package for Social Sciences (SPSS®), versão 19.0 para Microsoft Windows®. Resultados Foram incluídos no estudo 101 indivíduos com a idade média de 72.3 anos. Sessenta e dois por cento eram do sexo masculino...

Testosterona e acidente vascular cerebral isquémico : avaliação do papel das hormonas sexuais masculinas na fisiopatologia da doença e do seu valor prognóstico

Costa, Sara Isabel Mendes
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.62%
Introdução: O risco de Acidente Vascular Cerebral (AVC) aumenta com a idade e os níveis de Testosterona, por sua vez, diminuem gradualmente a partir da idade adulta. Há evidências que apontam uma possível associação entre os níveis das hormonas sexuais masculinas e o acidente vascular cerebral. É ainda sugerido que baixos níveis de testosterona podem exercer algum efeito nos fatores de risco aterosclerótico. Por fim, ainda pouco se sabe acerca do papel da testosterona no prognóstico funcional do AVC. Objetivos: Este estudo visa verificar se existe relação entre os valores das hormonas sexuais masculinas e algum subtipo etiológico de AVC isquémico, segundo a Classificação Trial of ORG 10172 in Acute Stroke Treatment (TOAST), bem como com o prognóstico funcional dos doentes com AVC. Métodos: Realizou-se um estudo prospetivo, em oitenta e três pacientes internados na Unidade de AVC do Centro Hospitalar Cova da Beira, por AVC isquémico com evolução inferior a uma semana, e aos quais foram doseados os valores de testosterona total, hormona luiteinizante, hormona folículo estimulante e outras variáveis laboratoriais na primeira semana após ocorrência do AVC e num grupo de trinta controlos provenientes das diversas especialidades deste Centro Hospitalar. Os níveis destas hormonas foram comparados entre os indivíduos de cada subtipo de AVC de acordo com a Classificação TOAST...

Transition of care for the elderly after cerebrovascular accidents - from hospital to the home; Transição do cuidado com o idoso após acidente vascular cerebral do hospital para casa; Transición del cuidado del adulto mayor despues del accidente cerebral vascular del hospital para casa

Rodrigues, Rosalina Aparecida Partezani; Marques, Sueli; Kusumota, Luciana; Santos, Emanuella Barros dos; Fhon, Jack Roberto da Silva; Fabrício-Wehbe, Suzele Cristina Coelho
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/02/2013 ENG; POR
Relevância na Pesquisa
96.58%
OBJETIVO: examinar a transição do cuidado em famílias que cuidam de idosos que sofreram o primeiro episódio de acidente vascular cerebral. METODOLOGIA: foi utilizado o estudo de caso etnográfico instrumental. A amostra foi constituída por 20 sujeitos, sendo 10 cuidadores e 10 idosos, com 65 anos ou mais, de ambos os sexos, com diagnóstico de primeiro episódio de acidente vascular cerebral, capazes de se comunicarem, demandando cuidado de um cuidador principal na família. Os dados foram coletados por meio de entrevistas, observações, documentos existentes e notas de campo. Foram utilizadas técnicas de análises qualitativa para codificar, classificar os dados e formular categorias significativas, o que gerou tipologias de cuidado. RESULTADOS E DISCUSSÃO: a ideia central foi a transição do cuidado e mostrou o contexto em três tipologias: o processo de cuidar do idoso dependente, estratégias para o processo de cuidar e impacto e aceitação das limitações. CONCLUSÃO: os dados indicaram que o cuidado com o idoso, após o acidente vascular cerebral, é um desafio para a família. Os dados possibilitaram elaborar uma proposta de modelo para a organização do trabalho, visando a integralidade do cuidado nos serviços de saúde...

O uso de tomografia computadorizada nas internações por Acidente Vascular Cerebral no Sistema Único de Saúde no Brasil

Rolim,Cristina Lúcia Rocha Cubas; Martins,Monica
Fonte: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós -Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.59%
O Acidente Vascular Cerebral é um dos principais motivos de internação no Sistema Único de Saúde. O exame de tomografia computadoriza tem sido indicado como o principal método diagnóstico de imagem para a definição do tratamento do Acidente Vascular Cerebral. O objetivo desse artigo é avaliar a utilização de exames de tomografia computadorizada em internações por Acidente Vascular Cerebral com base nas informações do Sistema de Informação Hospitalar do Sistema Único de Saúde. O universo de estudo incluiu as internações de pacientes adultos ocorridas no Brasil e financiadas pelo Sistema Único de Saúde entre abril de 2006 e dezembro de 2007. A análise dos dados foi descritiva para o conjunto de casos de Acidente Vascular Cerebral e para cada subgrupo separadamente. Das 328.087 internações por Acidente Vascular Cerebral, observou-se que em 73,5% o exame não foi realizado. Nas internações que realizaram tomografia computadorizada, 22,3% tiveram acesso a um exame e somente 4,2% a dois exames. Além de subutilizado, o exame de tomografia computadorizada, quando realizado, não trouxe melhora na codificação adequada do subgrupo da doença.