Página 1 dos resultados de 599 itens digitais encontrados em 0.073 segundos

Desigualdades no uso e acesso aos serviços de saúde entre a população idosa do município de São Paulo ; Inequalities in use and access to health care services among the elderly population in São Paulo.

Louvison, Marilia Cristina Prado
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/08/2006 PT
Relevância na Pesquisa
135.91%
Objetivos: Este estudo é parte do Projeto Saúde, Bem-estar e Envelhecimento (SABE), com o objetivo de identificar as desigualdades no acesso e uso de serviços de saúde entre idosos no município de São Paulo, Brasil. Métodos: Em 2000, foram entrevistados, 2143 indivíduos com 60 anos ou mais, utilizando-se o questionário padronizado do SABE. A amostra foi obtida em dois estágios, utilizando-se setores censitários com reposição, probabilidade proporcional à população e complementação da amostra de pessoas de 75 anos. Os dados finais foram ponderados, de forma a serem expandidos. Foi mensurado o uso de serviços hospitalares (internações) e ambulatoriais (consultas médicas) nos últimos quatro meses e o não uso de serviços de saúde (mesmo precisando), relacionando-os com fatores de capacidade, necessidade e predisposição (renda total, escolaridade, seguro saúde, morbidade referida, auto-percepção, sexo e idade). Resultados: A proporção dos entrevistados que referiu ter utilizado algum serviço de saúde, nos últimos quatro meses, foi de 4,7 por cento com relação à internação hospitalar e 64, 4 por cento com referência ao atendimento ambulatorial. Dos atendimentos ambulatoriais, 24,7 por cento ocorreu em hospital público e 24...

Desigualdades no acesso aos serviços de saúde : o caso dos cuidados primários; Inequalities in access to health services: the case of primary care

Martins, Soraia Maria da Rocha Ferreira
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
126.11%
Dissertação de mestrado em Economia Social; O trabalho apresentado tem como objetivo o estudo das desigualdades no acesso aos cuidados de saúde, em particular aos cuidados de saúde primários. Estes representam o primeiro contacto dos utentes com os serviços de saúde. Apesar da evolução significativa da esperança de vida da população portuguesa e da diminuição da taxa de mortalidade ao longo dos últimos anos, as dificuldades em aceder a determinados cuidados de saúde em Portugalainda persistem. Neste sentido realizamos uma análise teórica sobre o conceito de cuidados primários e acesso aos serviços de saúde. Foram também alvo de análise as dimensões do acesso, mencionadas pelos diversos autores e diferentes estudos já publicados. Para a concretização do estudo empírico, foi utilizado um conjunto de variáveis quantitativas recolhidas pela Administração Central do Sistema de Saúde, sendo que o principal objetivo desta investigação consistiu em perceber se as variáveis em análise permitem, ou não, concluir sobre a existência de desigualdades no acesso aos cuidados primários. Para tal, socorremo-nos de um conjunto de “testes/procedimentos estatísticos”. A análise realizada pemite-nos concluir que existem desigualdades no acesso aos cuidados de saúde primários ao nível regional...

O acesso de pessoas idosas e pobres aos cuidados de saúde primários

Sá, Diana Marta Salgado e
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
136.11%
Este estudo teve como objectivo explorar o acesso aos cuidados de saúde primários por um grupo de pessoas idosas e pobres em dois centros de saúde do Distrito do Porto, um Centro de Saúde Urbano (CSU) e um Centro de Saúde Rural (CSR). O referencial teórico foi baseado em estudos da literatura e no modelo comportamental do uso de serviços de saúde. Os dados qualitativos foram auferidos através de observação livre e entrevistas semi-estruturadas. A análise dos dados foi realizada com base no referencial teórico, com o apoio do programa de pesquisa qualitativa QSR INVivo. Os resultados deste estudo, demonstram que o acesso é realizado com regularidade. Os factores positivos deste acesso são: a gratuidade dos cuidados de saúde primários, o acolhimento dos profissionais - médicos(as), enfermeiros(as), recepcionistas e técnicos de saúde, a competência médica. Os aspectos negativos do acesso realizado detectados, neste estudo, são: custo da medicação que é pouco comparticipada, e por sua vez afecta o rendimento familiar; custo do tratamento provocado pela falta de especialistas de saúde. As barreiras encontradas pelas pessoas idosas do CSU foram: estrutura física inadequada; a distância que percorrem para aceder; falta de estacionamento e de estacionamento gratuito; custo dos transportes públicos; baixa reforma e o tempo de espera para a consulta. Já as barreiras encontradas pelos participantes do CSR foram: tempo de espera prolongado para ter nova consulta; falta de transporte público relacionada com os poucos horários existentes; o horário de atendimento do centro de saúde e a falta de profissionalismo e competências dos enfermeiros. O acesso efectivo é favorecido pelo facto das pessoas idosas se sentirem melhores com os cuidados de saúde e expressarem essa satisfação com os(as) profissionais envolvidos(as) neste cuidado. No entanto...

Relação entre a qualidade de vida e a acessibilidade aos cuidados de saúde primários no concelho de Ribeira de Pena

Machado, Carla Alexandre Martins
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
145.96%
Dissertação de Mestrado em Enfermagem Comunitária; Introdução: A perceção da qualidade de vida é reconhecida como um preditor da mortalidade, da utilização dos serviços de saúde e do estado de saúde dos sujeitos (Vintém, 2008). A acessibilidade aos serviços de saúde consignada nas políticas de saúde nacionais (Lei nº 56/79), apresenta-se como uma importante dimensão do desempenho dos sistemas de saúde associado à oferta (Travassos & Martins, 2004; Mendes, 2009; Vieira, 2010). Com o presente estudo, objetivou-se: identificar o nível de qualidade de vida relacionada com a saúde dos utentes dos Cuidados de Saúde Primários; verificar se existe relação entre a qualidade de vida relacionada com a saúde e a acessibilidade aos Cuidados de Saúde Primários; identificar as variáveis que afetam a qualidade de vida relacionada com a saúde. Metodologia: Estudo transversal do tipo descritivo-correlacional, com uma abordagem quantitativa. A colheita de dados decorreu entre junho e outubro de 2012, tendo-se constituído uma amostra acidental de 420 utentes dos Cuidados de Saúde Primários do concelho de Ribeira de Pena. Na avaliação da qualidade de vida relacionada com a saúde empregou-se o questionário o Medical Outcomes Study...

Acessibilidade e perceção de equidade nos cuidados de saúde primários no concelho de Vila Real

Mateus, Sónia Fidalgo
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
146.05%
Dissertação de Mestrado em Enfermagem Comunitária; Introdução: Os cuidados de saúde primários afiguram-se como a porta de entrada dos indivíduos no sistema de saúde, devendo ser universalmente acessíveis a todos. A evidência mostra que a implementação deste nível de cuidados de forma sólida permite a obtenção de melhores resultados em saúde, nomeadamente na redução das iniquidades em saúde. O desenvolvimento das iniquidades baseia-se na distribuição desigual do poder, dos rendimentos e dos bens, que se repercute nas condições de vida das pessoas e, por conseguinte, na sua acessibilidade aos cuidados de saúde e educação. A acessibilidade é um dos importantes determinantes da equidade no estado de saúde. Objetivos: Caracterizar a acessibilidade e a perceção de equidade nos cuidados de saúde primários, analisar os fatores que determinam a acessibilidade e a perceção de equidade e verificar se existe relação entre a acessibilidade e a perceção de equidade. Metodologia: Estudo de natureza quantitativa, de carácter transversal, correlacional-descritivo, realizado entre janeiro e junho de 2012, onde foi aplicado um questionário que avaliou as características sociodemográficas, a acessibilidade e a perceção de equidade nos cuidados de saúde primários...

Tradução para português do questionário de análise de percursos de acesso aos cuidados de saúde mental

Ramos, J; Oliveira, N
Fonte: Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E. Publicador: Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E.
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
145.97%
O estudo dos percursos de acesso aos cuidados de saúde mental permite compreender e analisar os padrões de procura de ajuda de uma determinada população, através da caracterização dos seus pacientes, dos intervenientes no processo de prestação de cuidados e do tempo decorrido entre cada contacto com profissionais de saúde, entre outras variáveis. Para tal, é necessário um questionário que permita recolher de forma sistematizada estes dados. Um destes instrumentos, denominado “Encounter Form”, criado pela Organização Mundial de Saúde para o primeiro estudo de percursos de acesso em saúde mental, é aqui traduzido para português.

Migração e saúde comunitária: Acesso a serviços de saúde, conhecimentos e comportamentos em relação ao VIH / SIDA

Sousa, Patrícia Maria Bocarro de
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
125.9%
Dissertação de Mestrado em Psicoloiga Comunitária; O acesso aos serviços de saúde é um direito humano fundamental, indispensável para garantir o desenvolvimento, o bem-estar e a dignidade do Ser Humano. A presente investigação pretende estudar na área do acesso aos serviços de saúde, os obstáculos que possam existir e, conhecimentos e comportamentos em relação ao VIH/SIDA em pessoas migrantes. A recolha de dados foi realizada com a população de migrantes que recorre à Unidade Móvel dos Médicos do Mundo, que respondeu a um questionário. Este instrumento de investigação é composto por um questionário desenvolvido pelo Observatório Europeu do Acesso aos Cuidados de Saúde dos Médicos do Mundo e por um questionário desenvolvido pela ONUSIDA que foi traduzido para português. Por um lado, esta investigação permitiu conhecer as dificuldades e obstáculos que os migrantes encontram no acesso a serviços de saúde e, por outro, permitiu compreender os conhecimentos e os comportamentos que os migrantes têm em relação ao VIH/SIDA. Os dados obtidos conduzem-nos a concluir que necessitamos de uma intervenção urgente, de modo a eliminar barreiras no acesso a serviços de saúde e a promover comportamentos protectores para a saúde dos migrantes.

Saúde mental, qualidade de vida e acesso aos cuidados de saúde na comunidade brasileira de Lisboa

Viana, Vanessa Ranieri Cervinho
Fonte: Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
136.03%
Introdução: A utilização de serviços de saúde tem implicações importantes para o estado de saúde das populações. As políticas de imigração adoptadas nos países de destino têm influência no estado de saúde das comunidades imigrantes. Políticas que limitam o acesso de imigrantes aos cuidados de saúde aumentarão a vulnerabilidade e os riscos na saúde. Apesar da imigração promover uma série de rupturas na vida do sujeito, migrar, por si só, não pode ser considerado como factor de risco no âmbito da saúde e da saúde mental. O peso dos determinantes socioeconómicos tem ganho relevância no estudo das migrações, estado de saúde geral e mental. Isto porque, em geral, os imigrantes estão em situação mais precária do que a população autóctone. O estatuto socioeconómico baixo, as condições precárias de habitação e de trabalho, a falta de suporte social e a irregularidade jurídica são indicadores de risco acrescido para a saúde mental. Neste sentido é um desafio de monta os governos estabelecerem medidas sustentadas e, simultaneamente, integradoras dos imigrantes. Em Portugal, considera-se que há escassez de estudos relacionados com a área das migrações e da saúde.Metodologia: Estudo exploratório...

Acesso aos cuidados de saúde da população residente em Portugal de origem chinesa

Marreiros, Laura Raquel dos Santos e Santos
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2010 POR
Relevância na Pesquisa
136.01%
As comunidades imigrantes assumem cada vez mais importância no nosso país, e, por isso, a área da saúde também deve acompanhar este fenómeno emergente. Este estudo foca-se na comunidade chinesa, parte da qual que se sabe que se encontra em posição não legalizada. O objectivo primário deste trabalho foi avaliar o grau do acesso aos cuidados de saúde por parte da comunidade chinesa residente em Portugal. Secundariamente, procurou-se saber as razões da ausência de cuidados de saúde nesta população – opções ou desconfianças em relação a determinado tipo de medicina, barreiras linguísticas, ilegalidade, ausência de sistema de saúde, entre outras –, e ainda, o grau de satisfação em relação à medicina que optaram. Este estudo foi realizado em Portugal continental, na sua grande maioria, na área metropolitana de Lisboa, e desenvolvido através de entrevistas realizadas com base num questionário, que englobava questões de dois tipos – quer sobre a possibilidade real do acesso aos cuidados de saúde na sociedade onde vivem presentemente, quer sobre as atitudes e as convicções face à(s) medicina(s) ocidental e/ou chinesa. Foi entrevistado um total de 33 indivíduos, simultaneamente de etnia e naturalidade chinesas...

Imigração e saúde: a (in)acessibilidade das mulheres imigrantes aos cuidados de saúde

Topa,Joana; Neves,Sofia; Nogueira,Conceição
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
145.9%
A utilização dos serviços de saúde pelas populações imigrantes tem vindo a ser considerado um dos mais importantes indicadores da sua integração nas sociedades receptoras (Dias e col., 2009). No entanto, o conhecimento em torno da qualidade e da eficácia do acesso dos/as imigrantes aos cuidados de saúde, especialmente no que respeita às mulheres imigrantes, é ainda escasso em Portugal (Fonseca e col., 2005). Embora os estudos nacionais tenham vindo, nas últimas décadas, a procurar traçar os diferentes perfis sociais das mulheres imigrantes em Portugal, sobretudo no que concerne às suas relações familiares ou laborais (Wall e col., 2005), a investigação no domínio da saúde é ainda parca e exclusora de uma análise centrada no género ou interseccional. Neste texto apresenta-se uma reflexão sobre os determinantes que condicionam a (in)acessibilidade das mulheres imigrantes aos cuidados de saúde, enfatizando-se os fatores que poderão estar a agir no sentido contrário à sua integração neste setor.

Estudo SAIMI - Saúde e Acesso aos Serviços de Saúde dos Imigrantes do Subcontinente Indiano em Lisboa: Que Recomendações para Cuidados de Saúde Equitativos e Culturalmente Adaptados?; SAIMI Study - Health and Health Care Access by Immigrants from the Indian Subcontinent in Lisbon: What Recommendations for Equitable and Culturally Adequate Health Care?

Campos Matos, Inês; Unidade de Epidemiologia. Instituto de Medicina Preventiva e Saúde Pública. Faculdade de Medicina. Universidade de Lisboa. Lisboa. Portugal.; Alarcão, Violeta; Unidade de Epidemiologia. Instituto de Medicina Preventiva e Saúde Pú
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 29/05/2015 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
125.99%
Introdução: O crescimento da população imigrante em Portugal tem sido consistente nas últimas décadas. Apesar disto, a informação sobre a saúde das populações imigrantes é escassa. Esta investigação utiliza dados recolhidos junto da população oriunda do subcontinente indiano a residir no distrito de Lisboa para produzir recomendações para a prestação de serviços de saúde culturalmente adaptados.Material e Métodos: Estudo transversal junto da comunidade imigrante do subcontinente indiano (Bangladesh, Índia e Paquistão) a residir em Lisboa, selecionada com base numa técnica de amostragem bola de neve e recorrendo a inquiridores com acesso privilegiado à população-alvo. O questionário inquiriu sobre a saúde, o acesso aos cuidados de saúde, estilos de vida e atitudes perante a morte. Foi feita uma análise descritiva dos dados e uma comparação entre as três nacionalidades padronizada para a idade.Resultados: Foram administrados questionários a 1011 indivíduos com uma taxa de adesão de 97%. A maioria dos participantes eram adultos do sexo masculino. Os imigrantes indianos relataram mais frequentemente barreiras na utilização dos serviços de saúde e tinham uma maior frequência de doenças crónicas. Os imigrantes paquistaneses tinham piores indicadores de estilos de vida.Discussão: A população imigrante do subcontinente indiano tende a relatar mais dificuldades linguísticas no acesso aos cuidados de saúde quando comparada com outras populações imigrantes. Com base em recomendações da Organização Mundial da saúde...

Concepções de saúde e doença mental : adaptação transcultural do instrumento de acesso aos cuidados em saúde mental

Morais, Camila de Aquino
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
135.96%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2014.; O conceito de saúde e doença reflete a conjuntura social, econômica, política e cultural, sendo influenciado pela época, lugar, classe social, valores individuais, concepções científicas, religiosas e filosóficas. O estudo dos conceitos de saúde/doença junto aos os indivíduos e grupos específicos permite adequar os serviços de prevenção e intervenção a cada população. O objetivo dessa tese é apresentar evidências de validade do instrumento Acesso aos Cuidados em Saúde Mental (ACSM), nome dado a versão brasileira do instrumento Access to Mental Health Care (AMHC). Para isso foram elaborados três artigos. O artigo I apresenta uma revisão narrativa das pesquisas realizadas sobre concepções e representações em saúde e doença mental e descreve os estudos preliminares do instrumento AMHC no exterior e no Brasil. O artigo II descreve o processo de adaptação transcultural (ATC) do instrumento AMHC para a versão brasileira (ACSM) e apresenta as evidências de validade do questionário ACSM. Os eixos de análise comparando a equivalência entre o instrumento original (AMHC) e o adaptado (ACSM) são apresentados em seis dimensões: equivalência conceitual...

Equidade no acesso aos cuidados de saúde : resultados de dois inquéritos realizados à população

Remoaldo, Paula Cristina Almeida; Costa, Maria Elisabete S.
Fonte: Universidade do Minho. Instituto de Ciências Sociais Publicador: Universidade do Minho. Instituto de Ciências Sociais
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2002 POR
Relevância na Pesquisa
125.86%
O presente artigo analisa a temática da acessibilidade, sobressaindo os resultados inerentes a dois inquéritos à população de dois concelhos representativos do distrito de Braga (Guimarães e Cabeceiras de Basto) e inserindo-se num projecto de investigação desenvolvido na Universidade do Minho e em parceria com a Sub-Região de Saúde de Braga durante o período de Abril de 1999 a Outubro de 2001. O projecto desenvolvido teve como objectivos principais realizar um levantamento exaustivo das unidades de saúde privadas e públicas existentes nos concelhos de Guimarães e de Cabeceiras de Basto e aferir qual é o grau de acessibilidade da população residente nestes dois concelhos aos cuidados privados e públicos de saúde. Neste artigo vamos considerar alguns elementos circunscritos às vertentes física, estrutural e funcional da acessibilidade, assim como alguns aspectos relacionados com a satisfação com os Cuidados de Saúde Primários.; Cet article analyse le thème de l'accessibilité aux soins de santé en ce qui concerne les résultats de deux enquêtes par interview faites à la population de deux municipes représentatifs du district de Braga (Guimarães et Cabeceiras de Basto). Cette étude fait partie d'un projet d'investigation réalisé dans l'Université du Minho (Portugal) et réalisé en conjoint avec la Région de Santé de Braga...

Acesso a cuidados de saúde primários por pessoas idosas pobres

Viana, Karen Tavares
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
136.08%
Este estudo teve como objectivo explorar o acesso de iim grupo de pessoas idosas e a pobres aos cuidados de saúde primários eni um centro de saúdc da região de Lisboa. O referencial teórico foi baseado no modelo compoltamenial de uso de serviços de saude e ein estudos da literatura. Os dados qualitativos foram obtidos através de observação livre e entrevistas semi-estrututadas. A análise dos dados foi realizada com base no referencial teórico, com o apoio do programa de pesquisa qualitativa QSR INVivo. Os resultados deste estudo demontram que o acesso é realizado coni dificuldades. Os factores positivos deste acesso são: a gratuidade dos cuidados de saúde primários. o acolhimento dos profissionais - médicos(as) e recepcionistas, a competéiicia médica. Os aspectos negativos do acesso realizado detectados. neste estudo, são: a ausência de uma equipa multidisciplinar, o foco redutor dos cuidados de saúde priniários. as limitações na estrutura física, a falta de organização do serviço, a longa lista de espera para o atendimento de cuidado especializado. O acessu efecrii~o e favorecido pelo facto das pessoas idosas percebem-se melhores com os cuidados de saúde e expressarem satisfação com os(as) profissionais envolvidos(as) neste cuidado. No entaiito; há inúmeros aspectos a serem melhorados para que ele seja plenamente efectivo e que estão expressos nas barreiras encontradas pelas pessoas quando frequentam o serviço de saúde...

Barreiras à utilização dos serviços de saúde pelos imigrantes do subcontinente indiano a residir em Portugal

Oiko, Carla Sayuri Fogaça
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
135.99%
Tese de mestrado em Bioestatística, Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2014; É reconhecido que a crescente imigração em Portugal tem provocado diversas implicações no Sistema Nacional de Saúde, devido, principalmente, às diferentes características dos grupos de imigrantes. Sabe-se ainda que os imigrantes do subcontinente Indiano estão entre os mais dissemelhantes da população lusitana e as suas características peculiares repercutem-se no seu estado de saúde e também no acesso aos cuidados de saúde. Foram analisados os dados do Projeto SAIMI-2, um estudo transversal com imigrantes do Bangladesh, Índia e Paquistão residentes no Distrito de Lisboa, a partir da técnica de amostragem bola-de-neve, combinada com o uso de um entrevistador com acesso privilegiado à população-alvo. O presente estudo tem por objetivo caracterizar estes imigrantes, incluindo o seu nível de saúde, pois reconhece-se que constituem um grupo vulnerável devido às barreiras que encontram nos serviços de saúde. Assim, foram identificados os possíveis fatores associados à utilização dos serviços de saúde oral e urgências, bem como aqueles que podem influenciar o vivenciamento de obstáculos nesse acesso. Foram criadas três variáveis respostas dicotómicas...

A Directiva 2011-24-UE, relativa ao exercício dos direitos dos doentes em matéria de cuidados transfronteiriços : análise : potenciais repercussões no direito de acesso aos cuidados de saúde transfronteiriços em Portugal

Sousa, Raquel Andrade Clemente Evans de
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
166.08%
RESUMO - 1. INTRODUÇÃO: Ao longo dos tempos, assistiu-se a um aumento da importância da Saúde Pública na Comunidade Europeia, mas só há relativamente pouco tempo teve o merecido lugar de destaque à luz da legislação comunitária. Neste contexto e com a adopção do Programa Europeu de Saúde Pública, surge a necessidade de actualizar o pensamento nesta área. Assim, é identificada uma oportunidade para formular uma estratégia, que seja passível de reduzir desigualdades e que também em compreenda as necessidades de saúde. Com o expandir da questão e com o propósito de reduzir as desigualdades, surge a Directiva 2011/24/UE, que visa regulamentar os direitos dos doentes em matéria de cuidados transfronteiriços. 2. OBJETIVO: Este trabalho apresenta como objetivo primordial analisar a Directiva 2011/24/UE, bem como a Lei n.º 52/2014, de 25 de Agosto, e identificar as principais barreiras, ao exercício do direito de acesso aos cuidados de saúde transfronteiriços, pelos beneficiários do SNS em Portugal, derivadas da aplicação de tais instrumentos legais. 3. METODOLOGIA: Foi utilizada uma abordagem analítica e documental, baseada na metodologia qualitativa. 4. CONCLUSÕES: As principais barreiras ao direito de acesso aos cuidados de saúde transfronteiriços...

Acesso aos cuidados de saúde da população residente em Portugal de origem chinesa

Marreiros, Laura Raquel dos Santos e Santos
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2010 POR
Relevância na Pesquisa
136.01%
As comunidades imigrantes assumem cada vez mais importância no nosso país, e, por isso, a área da saúde também deve acompanhar este fenómeno emergente. Este estudo foca-se na comunidade chinesa, parte da qual que se sabe que se encontra em posição não legalizada. O objectivo primário deste trabalho foi avaliar o grau do acesso aos cuidados de saúde por parte da comunidade chinesa residente em Portugal. Secundariamente, procurou-se saber as razões da ausência de cuidados de saúde nesta população – opções ou desconfianças em relação a determinado tipo de medicina, barreiras linguísticas, ilegalidade, ausência de sistema de saúde, entre outras –, e ainda, o grau de satisfação em relação à medicina que optaram. Este estudo foi realizado em Portugal continental, na sua grande maioria, na área metropolitana de Lisboa, e desenvolvido através de entrevistas realizadas com base num questionário, que englobava questões de dois tipos – quer sobre a possibilidade real do acesso aos cuidados de saúde na sociedade onde vivem presentemente, quer sobre as atitudes e as convicções face à(s) medicina(s) ocidental e/ou chinesa. Foi entrevistado um total de 33 indivíduos, simultaneamente de etnia e naturalidade chinesas...

Vivência de acolhimento por mulheres vítimas de estupro que buscam os serviços de saúde; Host experience by female rape victims in search of healthcare services

Barros, Luciana de Amorim
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; Brasil; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; Brasil; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; UFAL
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
145.94%
The following study has as its object the refuge to women victims of rape in the health services. Violence against women is a complex phenomenon with roots in inequality of gender, showing repercussion on the lives of those who has experienced it, making it a health problem with substantial prevalence and incidence. Sexual violence is one of the expressions of violence against women, and it involves rape, sexual violation by fraud and sexual harassment. This is a descriptive, exploratory study with a qualitative approach that aims to understand the experience of female rape victims in search for health care in the network that assists women in situation of sexual violence. 11 women, aged over 18 years were interviewed, with rape report, assisted in the clinic of a maternity-hospital, reference to support women in situation of sexual violence in Maceió, Alagoas, Brazil. Ethical aspects were respected, based on Resolution 196/96 and 466 /2012 of the Brazilian Health Council approved by the Research Ethics Committee from Federal University of Alagoas under No. 16313413.9.0000.5013, the data collection was held between the months of July and November in 2013. The data were organized with support of Minayo’s content analysis, based on the following categories: (De) Access to health care...

Gestão e saúde: o comportamento das famílias na gestão da saúde: impacto na esperança média de vida e no desenvolvimento

Oliveira, Ivo Dinis de
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
125.89%
Tese de Doutoramento em Gestão; O presente estudo representa uma investigação sobre a importância da gestão de saúde familiar no desenvolvimento, verificando assim a contribuição da gestão da saúde familiar para a esperança média de vida e o seu papel no desenvolvimento local, com as suas complexas relações causais. A promoção da saúde familiar passou a ser aprendida dentro das famílias, cujas crenças, valores e padrões de comportamento de saúde são formados e passados às gerações futuras. Verificamos que as condições de trabalho e em que vivem os cidadãos está relacionada com o seu nível de saúde, por via dos determinantes sociais de saúde (DSS). O modelo desenvolvido nesta tese, parte da análise dos determinantes invisíveis da saúde familiar, passando para o contributo que a gestão dos mesmos pode ter no aumento da qualidade de vida e da esperança média de vida. Concluímos que o facto de se considerar uma pessoa saudável não é independente da idade, atividade profissional, escolaridade, condições de habitação, número de residentes, ter filhos a residir, praticar exercício físico, hábitos tabágicos, visitar o médico de família ou um especialista. A mesma variável mostrou-se independente em relação ao estado civil ou às idas ao médico quando se está doente. A maioria vai ao médico por doença ou prevenção...

Perspectivas sobre o acesso aos tratamentos de fertilidade em Portugal; Visión de los utilizadores sobre el acceso a los tratamientos de fertilidad en Portugal; Perspectives on access to in vitro fertilization in Portugal

Silva, S.; Barros, H.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2012 ENG
Relevância na Pesquisa
126.01%
OBJETIVO: Analisar as motivações para escolha de tratamentos de fertilização in vitro em serviços públicos e privados, bem como identificar propostas que melhorem a qualidade desses. MÉTODOS: Estudo qualitativo e interpretativo, baseado em 15 entrevistas semiestruturadas com pessoas que tentaram conceber por meio de técnicas de procriação medicamente assistida em Portugal (nove mulheres, um homem e cinco casais). As entrevistas foram realizadas entre julho de 2005 e fevereiro de 2006 nos distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto e Lisboa, em casa ou no local de trabalho dos entrevistados. RESULTADOS: Os usuários avaliaram o acesso aos tratamentos de fertilidade no serviço público ou privado sobretudo com base nas suas experiências individuais, reclamando acesso mais barato, rápido e amigável, em espaços adequados, com gestão apropriada dos tempos de espera e serviços médicos atenciosos. Tais percepções foram associadas a visões sobre a necessidade de combater a estigmatização da infertilidade e defender os direitos da criança e a sustentabilidade do sistema de saúde. Os entrevistados procuraram equilibrar a redução do tempo de espera e cuidados mais atenciosos com os custos envolvidos. A escolha dos serviços dependeu da renda e do local de residência dos usuários...