Página 1 dos resultados de 615 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Abertura comercial e esforço tecnológico no Brasil; Trade openness and technological effort in Brazil

Teodoro, Naysa Brasil
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/05/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.41%
O Brasil apresentou nas décadas de 80 e 90 taxas de crescimento econômico substancialmente inferiores às de outras economias emergentes. Apesar das taxas brasileiras terem se elevado a partir de 2004, tal mudança é, em parte, atribuída a uma conjuntura favorável, de altos preços das commodities. As novas teorias de crescimento econômico ressaltam a relevância do investimento em tecnologia para se alcançar um crescimento sustentável no longo prazo. No entanto, o desempenho brasileiro em investimento em P&D é relativamente baixo quando comparado ao de outros países. Teorias Schumpeterianas de crescimento e trabalhos sobre comércio internacional ressaltam a importância da criação de um ambiente favorável ao investimento em P&D, através do estimulo à competição industrial e empresarial que é criada com a abertura comercial. Sendo assim, o presente estudo pretende avaliar empiricamente o impacto da competição internacional sofrida pelas firmas brasileiras sobre suas decisões de investimento em P&D. Para isso, será construído um modelo relacionando as variáveis relevantes, e serão utilizadas técnicas econométricas, a partir de dados da PINTEC, PIA e outras bases de dados industriais.; Brazilian growth rates in the 80's and 90's were lower than in other emerging economies. The new theories of economic growth emphasize the relevance of investment in technology to achieve sustainable growth in the long term. However...

A Política de Garantia de Preços Mínimos - PGPM e a atuação da Companhia Nacional de Abastecimento - CONAB no período após a abertura comercial: mudança institucional e novos instrumentos; The Minimum Price Guarantee Policy (Política de Garantia de Preços Mínimos, PGPM) and the actions of the National Food Supply Company (Companhia Nacional de Abastecimentos, CONAB) in the period subsequent to the raising of commercial trade barriers: an institutional shift and new instruments

Almeida, André Martins de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.59%
A presente pesquisa teve como objetivo geral analisar como a evolução da economia brasileira condicionou a atuação da CONAB e a mudança dos instrumentos da PGPM a partir da abertura comercial. No decorrer da década de 1990, observou-se que a CONAB teve que adaptar os instrumentos tradicionais da PGPM, Aquisição do Governo Federal - AGF e Empréstimo do Governo Federal - EGF, em consequência da crise fiscal do Estado e do processo de abertura comercial. Além das adaptações da AGF e do EGF, a CONAB criou novos instrumentos como, por exemplo, o Prêmio de Escoamento do Produto - PEP, como forma de diminuir a intervenção na agricultura e reduzir a necessidade de estoques públicos. As atuações da CONAB se direcionaram, a partir de 1995, às regiões de fronteiras; assim, os estoques públicos e o abastecimento alimentar da nação - em especial, das principais commodities amparadas pela PGPM, milho e arroz - começaram a ser gradativamente supridos por meio das exportações e das importações. Diante da redução da participação da PGPM e da atuação da CONAB na agricultura, no ano de 2003, através do Programa Fome Zero - PFZ, o Governo Federal insere a CONAB e a PGPM no contexto da política de segurança alimentar e nutricional do país. Tendo como um dos eixos estruturais do PFZ a agricultura familiar...

Impacto da abertura comercial sobre a produtividade da indústria brasileira

Silva, Danielle Barbosa Lopes da
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
NONE
Relevância na Pesquisa
66.52%
Dentro do atual contexto econômico brasileiro, não existem dúvidas da importância de se discutir o tema produtividade industrial. Dentre os vários benefícios que um aumento da produtividade industrial pode gerar, há de se destacar a manutenção de preços baixos, a redução das taxas de juros e aumento do investimento e consumo. Além disso, o aumento da produtividade industrial ao reduzir o custo da produção e aumentar a sua escala, torna os produtos nacionais com preços mais competitivos no comércio internacional. Alguns fatores que levam ao aumento da produtividade industrial são: redução do emprego, utilização de insumos e de maquinária de melhor qualidade, aperfeiçoamento das técnicas produtivas e aumento da competição. Com exceção da redução do emprego, pode-se afirmar que esses fatores que geraram um aumento da produtividade são resultados da abertura da economia no início dos anos 90. Como o crescimento da produtividade industrial coincidiu com a mudança de orientação da política comercial brasileira, podemos considerar que a liberalização do comércio influenciou positivamente a produtividade. Os objetivos principais desse trabalho são calcular e analisar a evolução da produtividade total dos fatores para a indústria brasileira e seus setores de atividade no período de 1989 a 2001 destacando o comportamento da indústria após a reforma implementada no início da década de 90 e verificar se a abertura comercial impactou positivamente a produtividade industrial e de seus setores.

A inserção externa da economia catarinense a partir da abertura comercial e estabilidade econômica do país

Rodrigues, Júlia Vieira
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 89 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.55%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio-Econômico. Economia.; O processo da globalização trouxe uma nova forma de comércio e interação entre os países. Com a abertura da economia mundial os países puderam comercializar entre si e aumentar seus conhecimentos. A competitividade entre os países que participam do comércio mundial se elevou. Esta intensificação da competitividade se deve as novas tecnologias nas áreas da informática e das telecomunicações, assim como a liberalização financeira, permitindo maior mobilidade do capital. Sendo assim, na década de 1990, o Brasil abre sua economia a fim de participar da evolução e do desenvolvimento ocorrido em outros países, tanto da nova dinâmica industrial como no âmbito comercial. É dentro deste contexto que as indústria nacionais irão se reestruturar para enfrentar as novas condições de comércio baseado nas novas tecnologias. Santa Catarina obteve benefícios com a abertura comercial e pode importar equipamentos e máquinas modernos que proporcionassem a reestruturação e modernização das indústrias catarinenses e um salto na balança comercial. Estudos mostraram que as indústrias catarinenses se aprimoraram e modernizaram obtendo destaque como estado exportador dentro do país. A expansão do comércio internacional ocorreu através da diversificada pauta de exportação do estado...

Emissões de C02 e impacto ambiental: uma análise dos impactos da abertura comercial, tipos de energia e composição do PIB sobre a intensidade das emissões

Vieira, Alexandre Eick Martins
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 124 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.41%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio-Econômico. Economia.; Junto com o aumento da consciêntização sobre o meio ambiente, de organizações mundias e países desenvolvidos, provocou uma pressão sobre a regulação da poluição nas economias industriais. De acordo com a Hipótese dos Portos de Poluição, um rápido crescimento de indústria sujas deve ser observado nas economias abertas em desenvolvimento que são pouco regulamentadas. Com o objetivo de identificar se há uma transferência na produção de manufaturados de energia suja dos países industrializados para os países em desenvolvimento, foi aplicado o método clássico de regressão Mínimos Quadrados Ordinários (MQO), para estruturar regressões simples e múltiplas afim de identificar os níveis de emissões de CO2 per capita, que trata-se da nossa variável dependente, em função das variáveis independentes, que são: PIB per capita; PIB industrial per capita; PIB de serviços per capita; Abertura comercial; Consumo de energia; Uso de energias renováveis; Uso de energias limpas; Uso de energias sujas. O período a ser analisado é de 1989 até 2009, com uma amostra de 6 países desenvolvidos e 5 países em desenvolvimento.

Especialização Setorial do Comércio Internacional Condiciona o Impacto da Abertura Comercial Sobre a Renda?

Faleiros,João Paulo Martin; Alves,Denisard Cneio de Oliveira
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.59%
Este artigo avalia se o grau de especialização das exportações e importações em commodities cria possível não linearidade entre abertura comercial e renda per capita. Em outras palavras se a composição da pauta de exportação e importação pode alterar a eficiência que a abertura comercial possui em explicar o diferencial de renda entre nações. Para isso, aplica-se o modelo de painel com transição suave para 110 países, seguindo o mesmo procedimento de Frankel e Romer (1999), evitando assim problemas de endogeneidade. Os resultados empíricos indicam que a especialização das exportações em commodities pode fazer com que a abertura comercial seja menos eficaz em elevar a renda quando comparada a países que possuem pauta de exportações com vantagens comparativas em manufaturados. Por outro lado, esta situação de menor eficácia associada à especialização em commodities deixa de ser válida, caso a pauta de importações esteja fortemente especializada no setor de manufaturados...

Abertura comercial e inflação: uma análise para dados em painel

Machado,João Batista de Britto; Sachsida,Adolfo; Mendonça,Mário Jorge Cardoso de
Fonte: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE Publicador: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.52%
Este estudo tem como objetivo tentar verificar a existência de uma relação robusta entre inflação e abertura comercial por meio do emprego da metodologia de dados em painel. Romer (1993), usando dados de cross-section para uma amostra ampla de países, concluiu que existe uma forte relação negativa entre essas duas variáveis. Diferentemente, Terra (1997, 1998), usando a mesma base de dados, mostra que isto somente ocorre para países cujo endividamento externo tem influência sobre a condução da política monetária, ou seja, países altamente endividados. Os resultados encontrados no presente trabalho, a partir da aplicação da metodologia para dados em painel, se aproximam daqueles obtidos por Terra (1997, 1998) e mostram que a correlação negativa entre inflação e abertura comercial desaparece quando se leva em consideração o efeito individual de cada país, sendo que ela somente persiste para países com médio e elevado grau de endividamento externo.

Taxa de câmbio social e abertura comercial

Ferreira,Léo da Rocha
Fonte: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.52%
O objetivo geral deste artigo é avaliar o impacto da abertura comercial brasileira na taxa de câmbio social. O seu objetivo específico é desenvolver e calcular uma medida apropriada para a taxa de câmbio social a ser utilizada na análise de projetos de investimentos no Brasil. Utilizando um modelo de custo de oportunidade da divisa para estimar taxa de câmbio social, o estudo conclui que não houve alteração importante no ordenamento das atividades econômicas segundo o grau de proteção efetiva. A tendência declinante da taxa de câmbio social é resultado da abertura comercial iniciada no final dos anos oitenta e da mudança da política cambial brasileira de janeiro de 1999.

Criação e destruição de emprego na indústria e os efeitos do câmbio e da abertura comercial: o caso da indústria gaúcha nos anos 1990

Ribeiro,Eduardo Pontual; Pereira,Filipe Keuper Rodrigues
Fonte: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.56%
A compreensão da dinâmica do emprego é um ponto importante na agenda de pesquisa e política econômica. Este artigo busca trazer maiores evidências sobre o seu comportamento, estudando, primeiro, os fluxos de emprego na indústria, tomando o caso do Rio Grande do Sul nos anos 1990; e, segundo, o efeito do câmbio e da abertura comercial sobre estes fluxos. Quanto aos fluxos, identificamos uma significativa heterogeneidade entre as empresas estudadas, em que, dentro de cada setor, há criação e destruição simultânea de postos de trabalho, mesmo quando de forte retração do emprego setorial e agregado. Quanto ao efeito do câmbio e da abertura, depreciações reduzem a destruição e aumentam a criação de emprego de modo simétrico, levando a uma criação líquida de emprego, sem influenciar a realocação de postos de trabalho. Uma maior abertura leva à expansão do emprego, por efeito de redução da destruição. O efeito da abertura é menor que o efeito do câmbio e de choques de demanda, sugerindo que a abertura em si não foi a grande responsável pela redução do emprego industrial na década de 1990, em nossa amostra.

A abertura comercial brasileira 1988 -2007. 2009

Freitas, Lívia Moreira de
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.62%
Este estudo teve como objetivo estudar os impactos da abertura comercial brasileira na economia do país, a partir de 1988 até o ano de 2007, e sua relação com a inserção internacional do país, enfocando o Produto Interno Bruto (PIB) e a balança comercial. A hipótese a ser testada é que a abertura comercial brasileira colaborou para a maior inserção internacional do Brasil. Entre as principais conclusões se tem que, de fato, a abertura contribuiu para o aumento da inserção do país no mundo e para o seu desenvolvimento.; This study aims to analyze the impacts of the Brazilian trade opening on its economy, in the period of 1988 to 2007, and its relation with the international Brazilian insertion, focusing the Gross Domestic Product (GDP) and the trade balance. The hypothesis tested shows that the Brazilian trade opening helped the international Brazilian insertion. Among the main conclusions is that, indeed, the opening contributed to the increase of the country insertion in the world and to its development.; Relações Internacionais

Condicionantes e diretrizes de política para a abertura comercial brasileira: relatório final; Texto para Discussão (TD) 313: Condicionantes e diretrizes de política para a abertura comercial brasileira: relatório final; Constraints and policy guidelines for the Brazilian trade liberalization: final report

Oliveira, Gesner (Coordenador); Alain, Marcelo; Franklin, Ana Paula; Lui, Roberto; Barros, José Roberto Mendonça de; Wexler, Sérgio
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.63%
Este texto ressalta aspectos principais da pesquisa sobre os condicionantes e obstáculos ao programa de liberalização comercial ora em curso. A Seção I contém uma retrospectiva da política de comércio exterior no Brasil e discute as medidas recentes de abertura nesta perspectiva histórica. A Seção II procura captar a percepção do setor privado em relação à abertura comercial. Nesta parte, a preocupação central consiste em avaliar a credibilidade da reforma junto às empresas; e, conforme sugerido por outras experiências na América Latina, este constitui um dos principais ingredientes para o sucesso do programa. Sugere-se, ademais, uma hierarquização dos principais problemas envolvidos na transição de uma economia fechada como a brasileira para uma situação de maior exposição aos fluxos de comércio. A Seção III aponto, por fim, possíveis implicações e diretrizes para a política de comércio exterior. Optou-se por omitir três capítulos do relatório original para evitar um texto excessivamente longo. Detalhes metodológicos, bem como uma breve descrição das experiências argentina, coreana e mexicana e uma análise preliminar do desempenho comercial no período recente podem ser encontrados no estudo original.; 108 p.

Inflation and trade openness revised: an analysis using panel data; Texto para Discussão (TD) 1148: Inflation and trade openness revised: an analysis using panel data; Inflação e abertura comercial revistas: uma análise com dados em painel

Sachsida, Adolfo; Mendonça, Mário Jorge Cardoso de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
EN-US
Relevância na Pesquisa
66.56%
Neste artigo é estimada a relação entre inflação e abertura comercial [e.g., Romer (1993)] usando a metodologia de dados em painel. A vantagem desse método é a possibilidade de testar com maior grau de acuidade a hipótese sugerida por Terra (1998) de que a relação negativa entre abertura e inflação se deve à presença, na amostra, de países severamente endividados durante o período da crise da dívida externa. Os resultados econométricos dão suporte aos achados de Romer (1993), mostrando que a relação negativa entre abertura comercial e inflação não está restrita a um subconjunto de países e nem a um específico período de tempo.; 12 p.

Abertura comercial e disparidade de renda entre países: uma análise empírica; Texto para Discussão (TD) 728: Abertura comercial e disparidade de renda entre países: uma análise empírica; Trade openness and income disparities between countries: an empirical analysis

Pedroso, Ana Cristina de Souza; Ferreira, Pedro Cavalcanti
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.7%
O trabalho investiga a relação entre abertura comercial e renda per capita entre países sob dois enfoques econométricos. São utilizadas variáveis instrumentais para lidar com o problema de simultaneidade entre renda e abertura comercial. Uma análise em corte transversal de países para 1988 examina a relação entre níveis de renda per capita e grau de abertura. No enfoque em painel, cujas estimações compreendem o período 1960/85, é feita uma análise das mudanças de renda per capita e grau de abertura. Os resultados gerados pela pesquisa mostram pouca relevância da abertura comercial para explicar a disparidade de renda entre os países. Portanto, em termos de políticas públicas, os governos não devem abrir suas economias calcados na ideia de que a abertura é condição suficiente para alcançar um maior nível de renda.; 29 p.

Abertura comercial e disparidade de renda entre países : uma análise empírica

Pedroso, Ana Cristina de Souza
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
PT-BR
Relevância na Pesquisa
56.64%
O trabalho investiga a relação entre abertura comercial e renda para um grupo de países, utilizando uma análise em painel. Inicialmente são discutidos o significado de abertura e a correlação entre as diferentes proxies tanto ao longo do tempo quanto para um dado instante de tempo. As estimações compreendem o período 1960-1985 e são utilizadas variáveis instrumentais para lidar com o problema de simultaneidade entre renda e abertura comercial. Os resultados gerados pela pesquisa mostram a pouca relevância da abertura comercial para explicar a disparidade de renda entre os países, reforçando a questão de que a conexão entre a abertura comercial e o crescimento econômico ainda não está clara do ponto de vista empírico.; p. 49-72

Evolução da produtividade industrial brasileira e abertura comercial; Texto para Discussão (TD) 651: Evolução da produtividade industrial brasileira e abertura comercial

Rossi Júnior, José Luiz; Ferreira, Pedro Cavalcanti
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.59%
Este trabalho avalia a evolução da produtividade industrial brasileira — utilizando um painel de 16 setores da indústria de transformação no período 1985/97 — e o papel da abertura econômica neste processo. Os resultados mostram que a produtividade da indústria brasileira, seja ela medida pelo conceito de produtividade total dos fatores (PTF) ou de produtividade do trabalho, passou por duas fases distintas: de 1985 a 1990, há um processo de estagnação e de 1990 a 1997, a indústria passa a apresentar significativas taxas de crescimento. A abertura comercial, caracterizada por menores tarifas nominais e menores taxas de proteção efetiva, exerce um efeito positivo sobre o aumento da produtividade. Em todas as regressões do modelo — em que se utilizam técnicas de estimação em painéis — não se pode rejeitar a hipótese de que aumentos nas barreiras comerciais implicam menores taxas de crescimento da produtividade do trabalho e da PTF. Este resultado confirma a evidência internacional de que países mais abertos crescem mais rápido e desestimularia a adoção de políticas de restrição comercial como estratégia de desenvolvimento e de proteção à indústria nacional.; 31 p. : il.

Inflation and trade openness revised : an analysis using panel data; Discussion Paper 162 : Inflation and trade openness revised : an analysis using panel data; Inflação e abertura comercial revistas : uma análise com dados em painel

Sachsida, Adolfo; Mendonça, Mário Jorge Cardoso de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Discussion Paper
EN-US
Relevância na Pesquisa
66.56%
Neste artigo é estimada a relação entre inflação e abertura comercial [e.g., Romer (1993)] usando a metodologia de dados em painel. A vantagem desse método é a possibilidade de testar com maior grau de acuidade a hipótese sugerida por Terra (1998) de que a relação negativa entre abertura e inflação se deve à presença, na amostra, de países severamente endividados durante o período da crise da dívida externa. Os resultados econométricos dão suporte aos achados de Romer (1993), mostrando que a relação negativa entre abertura comercial e inflação não está restrita a um subconjunto de países e nem a um específico período de tempo.; 12 p.

O que (não) sabemos sobre a relação entre abertura comercial e mercado de trabalho no Brasil; O que (não) sabemos sobre a relação entre abertura comercial e mercado de trabalho no Brasil: Texto para Discussão (TD) 843; What (not) know about the relationship between trade openness and labor market in Brazil: Discussion Paper 843

Soares, Sergei; Servo, Luciana M. Santos; Arbache, Jorge Saba
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.55%
Este artigo resenha o atual debate no Brasil sobre a relação entre abertura comercial e mudanças no mercado de trabalho. O artigo faz uma resumida apresentação das principais considerações teóricas envolvidas no debate, identifica os principais fatos observados no período 1990/99, levanta o que consideramos ser as principais questões no debate e as tentativas de respostas dadas pela literatura nacional e, finalmente, sugere linhas futuras de pesquisa.; 28 p.

Abertura comercial e inflação: uma análise para dados em painel

Machado, João Batista de Britto; Sachsida, Adolfo; Mendonça, Mário Jorge Cardoso de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2005 POR
Relevância na Pesquisa
66.52%
In this article we estimate the relation between inflation and trade openness [e.g; Romer (1993)] using modern panel data techniques. Our rationale is as follows: the higher the gains, in terms of product, in generating an inflationary "surprise", the greater the incentives will be for the government to effect such a "surprise". Therefore, in the absence of an independent monetary authority - or a credible monetary authority - able to restrain the governmental incentive to generate inflation, trade openness would act as a "brake" for the gains generated by the inflationary "surprise". Consequently, more open countries would have fewer incentives to generate inflation, thus pointing to a negative relation between inflation and trade openness.; Este estudo tem como objetivo tentar verificar a existência de uma relação robusta entre inflação e abertura comercial por meio do emprego da metodologia de dados em painel. Romer (1993), usando dados de cross-section para uma amostra ampla de países, concluiu que existe uma forte relação negativa entre essas duas variáveis. Diferentemente, Terra (1997, 1998), usando a mesma base de dados, mostra que isto somente ocorre para países cujo endividamento externo tem influência sobre a condução da política monetária...

Taxa de câmbio social e abertura comercial

Ferreira, Léo da Rocha
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de RP Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de RP
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2005 POR
Relevância na Pesquisa
66.52%
The purpose of this paper is to analyze the impact of the trade liberalization process on social exchange rates in Brazil. The main objective is to develop and estimate an appropriate measure for the social exchange rates to be used in the evaluation of investment projects in Brazil. Using an opportunity cost for foreign exchange model to estimate the social exchange rates, the study concludes that there were no important modifications in the ranking of economic activities according to the rates of effective protection. The impact of the trade liberalization process and the change in exchange rate policy regime will only be fully measured in the medium and long run. However, an indication of its effects on the social exchange rates can clearly be observed by the declining tendency of the social exchange rates.; O objetivo geral deste artigo é avaliar o impacto da abertura comercial brasileira na taxa de câmbio social. O seu objetivo específico é desenvolver e calcular uma medida apropriada para a taxa de câmbio social a ser utilizada na análise de projetos de investimentos no Brasil. Utilizando um modelo de custo de oportunidade da divisa para estimar taxa de câmbio social, o estudo conclui que não houve alteração importante no ordenamento das atividades econômicas segundo o grau de proteção efetiva. A tendência declinante da taxa de câmbio social é resultado da abertura comercial iniciada no final dos anos oitenta e da mudança da política cambial brasileira de janeiro de 1999.

Criação e destruição de emprego na indústria e os efeitos do câmbio e da abertura comercial: o caso da indústria gaúcha nos anos 1990

Ribeiro, Eduardo Pontual; Pereira, Filipe Keuper Rodrigues
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de RP Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de RP
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2006 POR
Relevância na Pesquisa
66.56%
The goal of this article is to study job and worker flows in manufacturing and the effect of trade liberalization, looking at the case of Rio Grande do Sul State in the 1990’s. Job flows suggest significant heterogeneity and that within each sector there is simultaneous job creation and destruction. Regarding the effect of the exchange rate and trade liberalization, depreciation reduces job destruction and increase job creation symmetrically, leading to net job growth. Yet, there is no effect on job reallocation. Greater openness expands manufacturing by reducing job destruction. The effect of the exchange rate and demand shocks are larger than the effect of trade openness, suggesting that trade liberalization was not the main reason for manufacturing employment contraction over the period.; A compreensão da dinâmica do emprego é um ponto importante na agenda de pesquisa e política econômica. Este artigo busca trazer maiores evidências sobre o seu comportamento, estudando, primeiro, os fluxos de emprego na indústria, tomando o caso do Rio Grande do Sul nos anos 1990; e, segundo, o efeito do câmbio e da abertura comercial sobre estes fluxos. Quanto aos fluxos, identificamos uma significativa heterogeneidade entre as empresas estudadas...