Página 1 dos resultados de 799 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

O rumo das exportações brasileiras de produtos de base agrícola a partir das negociações da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA)

Barbosa, Alexandre Englert
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
O estudo analisa a orientação das exportações brasileiras de seis produtos de base agrícola (açúcar, café, frango, fumo, soja e o suco de laranja), procurando observar se ela vem ocorrendo em direção da futura Área de Livre Comércio das Américas (ALCA), valendo-se do Índice de Orientação Regional. Busca também avaliar a importância destes produtos na pauta de exportações brasileiras, através do índice de Vantagens Comparativas Reveladas (VCR). Descreve as tarifas de importação de alguns países que irão compor a ALCA juntamente com o Brasil, no intuito de concluir o benefício da eliminação das mesmas para cada um dos produtos. Constata-se que os produtos brasileiros deverão beneficiar-se da abertura comercial promovida através da ALCA, salvo no caso da carne de frango que deve ser considerado como um produto sensível para que não sofra concorrência dos EUA num primeiro momento.

Impacto da ALCA sobre o setor moveleiro gaucho

Lottici, Eb Barbosa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
Os debates sobre os temas de comércio internacional têm crescido no Brasil a ponto de mobilizarem a opinião pública, em torno da importância da integração econômica dos países, bem como as desvantagens inerentes a este processo. Essas discussões tendem a crescer ainda mais com a proximidade da criação da ALCA, prevista para janeiro de 2006. Dentro desse contexto de globalização e formação de blocos econômicos, empresários ligados ao setor moveleiro vem investindo na modernização do parque industrial, bem como na capacitação da mão de obra. O Governo Federal vem promovendo pesquisas, com o intuito de apresentar informações ao setor, de forma a prepará-lo para competir internacionalmente. Desta forma, o setor moveleiro nacional tem aumentado a sua representatividade dentro da economia brasileira e a sua produtividade, em alguns segmentos, tem se aproximado dos níveis internacionais. O Objetivo geral desse trabalho é o de contextualizar a ALCA dentro da história econômica mundial, apresentando a proposta de sua criação, os resultados das negociações, assim como os dados econômicos e comerciais dos principais países envolvidos nessa negociação. Especificamente, abordaremos o setor moveleiro do estado do RS A proposta desse trabalho é identificar o impacto da implantação da ALCA sobre a indústria moveleira local...

Impacto da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA) e potencial antidumping

Barbosa, Alexandre Englert
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
Este trabalho tem o intuito de investigar os efeitos de uma das principais barreiras atualmente impostas ao comércio internacional: o antidumping. Embora seja um instrumento legal de combate ao comércio desleal – o dumping –, a utilização do referido instrumento passou a ser mais intensa após a redução das barreiras tarifárias promovidas pelas sucessivas rodadas de negociações multilaterais e acordos preferenciais de comércio. Concomitantemente, a prática indiscriminada do antidumping passou a estar cada vez mais dissociada da existência do próprio dumping. Nesse sentido, este trabalho avalia os impactos do antidumping sob duas óticas. A primeira, ex-post, identifica os efeitos dos processos antidumping iniciados desde o início da década de 1990 pelos EUA sobre diversos produtos brasileiros, especialmente no que tange ao desempenho das importações daquele país. Para tanto, utiliza-se a metodologia de Mudança de Regime Markoviano, que permite avaliar as alterações ocorridas ao longo do tempo na série de importações, avaliando médias, variâncias e probabilidades de transição entre regimes. Os resultados encontrados indicam que as iniciações dos processos antidumping usualmente ocorrem após um longo período – entre dois e três anos – de regime de crescimento (2% a.m)...

A ALCA à luz da análise dos sistemas-mundo e da teoria da dependência – apontamentos teórico-metodológicos

Carneiro, Flavio Lyrio
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 83 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.33%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio-Econômico. Economia.; O projeto de formação de uma área de livre comércio unindo a quase totalidade dos países americanos é apontado como um dos desafios necessários ao desenvolvimento da América Latina, por possibilitar uma ampliação das exportações, tidas como extremamente necessárias, tanto por gerar divisas para a manutenção de um ambiente estável para a sustentabilidade da dívida pública quanto por propiciar um maior crescimento econômico. Não obstante, existem vozes destoantes no debate, que afirmam as vicissitudes de tal projeto para os países da região. A maior parte das críticas à ALCA concentra-se no fato de que seria parte de um amplo projeto dos Estados Unidos para reafirmar ou recuperar sua hegemonia. Contudo, seria ingênuo crer que um plano que contemplasse apenas os interesses estadunidenses pudesse vicejar. Com efeito, é notável o interesse de parte da elite latinoamericana em firmar o acordo. De maneira a compreender essa dupla face do processo de formação da ALCA, este trabalho propõe a associação de duas vertentes teóricas que compartilham uma preocupação metodológica comum: a adoção de uma perspectiva que seja capaz de conceber o capitalismo global não como um agregado de economias nacionais independentes que travam relações exteriores entre si...

Argentina: entre o Mercosul e a Alca

Bernal-Meza,Raúl; Quintanar,Silvia
Fonte: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais Publicador: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
Este artigo procura mostrar que a Argentina não está numa encruzilhada na sua política externa, tendo que escolher entre Mercosul ou Alca. Ao contrário, a Argentina vê o Mercosul como um caminho que leva à Alca, afirmando uma posição que se tornou possível depois da confluência de outros fatores, como a posição brasileira frente a Alca e o modelo de integração regional proposta para o Mercosul.

O Mercosul e a Alca: os interesses (irre)conciliáveis da União Européia e dos EUA

Pinto,Messias de Sá; Guimarães,Maria Helena
Fonte: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais Publicador: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
Os interesses dos EUA na América Latina e a criação da Alca são fatores determinantes para explicar o propósito da União Européia de estabelecer um Acordo de Associação com o Mercosul. Enquanto que à UE interessa o alargamento do Mercosul, os EUA preferem, por meio da criação da Alça, induzir a sua dissolução e retirar vantagens da integração assimétrica. O nosso objetivo é demonstrar que, face aos cenários possíveis de evolução dos entendimentos regionais na América Latina, o mais plausível (co-existência do Mercosul, do Acordo de Associação UE/Mercosul, e da Alca) é também aquele que permite reconciliar os interesses da UE e dos EUA na região.

Democracia participativa e processo decisório de políticas públicas: a influência da campanha contra a Alca

Silva,Suylan de Almeida Midlej e
Fonte: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília Publicador: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
Este artigo analisa a influência da Campanha Nacional contra a Área de Livre Comércio das Américas (ALCA), realizada de 2002 a 2006, no processo decisório do acordo da Alca. Discute-se a relação entre democracia participativa e movimentos sociais contemporâneos, a exemplo do Movimento por uma Nova Globalização, e reflete-se sobre participação social nas políticas públicas. Os resultados apontam que as ações da Campanha não influenciaram diretamente no desfecho do acordo, mas demonstram que houve intensa participação social nas instâncias decisórias de negociação da Alca, experiência antes inexistente no tocante à política externa brasileira. Para esta pesquisa, foram realizadas 17 entrevistas semiestruturadas e sete grupos focais, com 44 participantes, perfazendo um total de 61 entrevistados.

Ilusão de acesso: o modelo ALCA

de la Reza,Germán A.
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
O presente artigo tem como foco a estrutura da ALCA e suas implicações nas disparidades econômicas no hemisfério. Analisa, em particular, as possibilidades de satisfação dos objetivos dos países da América Latina e do Caribe de acesso a mercados, levando em consideração as negociações hemisféricas em curso. Suas seções fornecem uma visão geral das contribuições, no sentido de demonstrar as conseqüências da ALCA para as economias pequenas; uma análise do processo de liberalização de tarifas de um ponto de vista fiscal; e, com base na noção de que várias barreiras não-tarifárias usadas pelos Estados Unidos tendem a continuar em operação depois de 2005, a última seção trata do significado de um processo de liberalização desigual nas Américas. No seu todo, pretende evidenciar a idéia de que a ALCA impõe um regime de comércio incapaz de servir como fonte de distribuição igualitária de benefícios econômicos dentro do hemisfério ocidental.

O Brasil e a ALCA: um estudo a partir da Argentina

Cortes,María Julieta
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
A proposta da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA), lançada por George Bush (pai), e seu novo impulso, dado por Clinton, foram recebidos com muita cautela no Brasil. A partir de 1990, o governo Collor de Mello, diante do esgotamento do modelo de desenvolvimento interno baseado na substituição de importações, pleiteou uma recomposição da política externa adaptada ao novo projeto. Desse modo, iniciou-se a abertura paulatina do mercado interno, acompanhada de um incremento nas importações superior ao das exportações. Nesse contexto, o Brasil propôs a liberalização do comércio internacional em bases recíprocas. No presente trabalho, e tendo como marco de referência o projeto ALCA, identificam-se no Brasil posturas favoráveis e contrárias ao mesmo, que resumem os inúmeros debates em torno da melhor forma de se defender os interesses nacionais brasileiros: privilegiar a ALCA ou o Mercosul?; a negociação via acordos bilaterais ou conjunta com os sócios do Mercosul, via Acordos 4+1?; o recomeço do Mercosul e a concretização de acordos com a União Européia ou a busca de novas parcerias (associações) no sistema internacional? Em seguida, consideram-se as posições assumidas pelas administrações de Fernando Collor de Mello...

A formação da ALCA e os prováveis efeitos sobre as exportações agrícolas brasileiras

Fonsêca,Márcia Batista da; Hidalgo,Álvaro Barrantes
Fonte: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural Publicador: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.47%
Na última década do século XX, os principais empreendimentos de integração com que o Brasil se envolveu foram o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) e as negociações em torno da formação da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA). A integração regional junto com a liberalização comercial beneficiou profundamente o setor agrícola brasileiro e hoje o país apresenta-se no cenário da ALCA como o segundo maior exportador de produtos agrícolas do bloco. Os efeitos provocados sobre o comércio estão relacionados diretamente às restrições comerciais antes impostas aos parceiros e ao volume de comércio inicialmente verificado entre esses países. Tendo em vista esse aspecto, o objetivo deste estudo é o de conhecer os prováveis efeitos da participação do Brasil na ALCA no que diz respeito às exportações de café, cacau, soja, açúcar, suco de laranja e carnes no período 1999-2002. Essa análise é feita sob a ótica do equilíbrio parcial, desenvolvido por Laird e Yeats (1986) para estimar os efeitos de primeira ordem, ou seja, as reduções das restrições comerciais através da abordagem das elasticidades. A conclusão a que se pode chegar com relação às simulações feitas para o período 1999-2002, com a liberalização total das restrições comerciais impostas pelos países membros da ALCA às exportações brasileiras...

A Alca e as principais implicações para o trabalho e a saúde dos trabalhadores

Druck,Graça; Franco,Tânia
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
O artigo faz uma análise da Alca no contexto de globalização e de hegemonia neoliberal. Aborda suas possíveis implicações à luz do Nafta, em curso desde 1994, cujos resultados evidenciam um processo de precarização do trabalho, das condições ambientais e de saúde dos trabalhadores. A flexibilização e a desregulamentação dos direitos, das legislações de proteção ao emprego, à saúde e ao meio ambiente são estratégias cada vez mais utilizadas pelos grandes grupos capitalistas na defesa da livre mobilidade dos capitais. A Alca representa uma síntese do processo de globalização. No caso brasileiro, as dimensões do trabalho e (des)emprego, da saúde e do ambiente têm sido fortemente degradadas nos últimos 10 anos, como resultado da desregulamentação e da flexibilização. A possibilidade da Alca representa não só a continuidade desse processo, mas o seu aprofundamento num patamar que levará a uma regressão social sem precedentes. No entanto, conclui-se que as respostas dos movimentos antiglobalização, os fóruns setoriais e internacionais, as conferências, as redes de contrapoderes, hoje nos mais diferentes países e regiões do mundo, indicam ser possível uma outra América, um outro mundo.

O Brasil diante da ALCA: integração ou perda de soberania?

Wallace Cavalcante da Silva, David; Ferreira da Costa Lima, Marcos (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.33%
A presente pesquisa tem como objeto de análise as prováveis conseqüências da política externa brasileira para o desenvolvimento nacional diante da possibilidade da formação da Área de Livre Comércio das Américas-ALCA, projeto de formação de uma zona de livre comércio entre todos os países do continente americano, exceto Cuba, lançado por proposta do governo dos Estados Unidos, na I Cúpula das Américas, em 1994. As fundamentações teóricas se localizam nas análises do processo da globalização, etapa do capitalismo iniciada com o aprofundamento da liberalização dos mercados financeiros, a partir do último quartel do Século XX, cuja dinâmica é dada pelas grandes corporações internacionais, redefinindo o papel e a configuração do Estado Nação a partir da formação dos blocos econômicos regionais, dinamizando zonas de livre comércio, uniões aduaneiras e mercados comuns entre países. No contexto específico da América Latina desenvolve-se o papel da consolidação dos Estados Unidos da América como potência hegemônica imperialista, localizando historicamente as relações externas do Brasil numa bilateralidade dependente formatada ao longo do Século XX, sem desconsiderar os conflitos conjunturais...

O Brasil diante da ALCA: integração ou perda de soberania?

Fernando de Morais Neri, David; Ferreira da Costa Lima, Marcos (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.33%
A presente pesquisa tem como objeto de análise as prováveis conseqüências da política externa brasileira para o desenvolvimento nacional diante da possibilidade da formação da Área de Livre Comércio das Américas-ALCA, projeto de formação de uma zona de livre comércio entre todos os países do continente americano, exceto Cuba, lançado por proposta do governo dos Estados Unidos, na I Cúpula das Américas, em 1994. As fundamentações teóricas se localizam nas análises do processo da globalização, etapa do capitalismo iniciada com o aprofundamento da liberalização dos mercados financeiros, a partir do último quartel do Século XX, cuja dinâmica é dada pelas grandes corporações internacionais, redefinindo o papel e a configuração do Estado Nação a partir da formação dos blocos econômicos regionais, dinamizando zonas de livre comércio, uniões aduaneiras e mercados comuns entre países. No contexto específico da América Latina desenvolve-se o papel da consolidação dos Estados Unidos da América como potência hegemônica imperialista, localizando historicamente as relações externas do Brasil numa bilateralidade dependente formatada ao longo do Século XX, sem desconsiderar os conflitos conjunturais...

Abertura comercial e integração regional : impactos da ALCA sobre as exportações agrícolas brasileiras numa abordagem de eqülíbrio parcial

Fonsêca, Márcia Batista da; Hidalgo, Álvaro Barrantes (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.52%
Na última década do século XX, o governo brasileiro iniciou uma política de liberalização do comércio externo voltada para atender às expectativas de inserção do país no contexto das economias globalizadas e promover a estabilização interna. Esse processo foi realizado em concomitância com a participação do país em acordos regionais de livre comércio com o objetivo de ampliar suas relações comerciais. Os principais empreendimentos de integração com que o Brasil se envolveu nesse período foram a implementação do Mercado Comum do Cone Sul (MERCOSUL) e as negociações em torno da formação da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA). Os processos de liberalização comercial, estabilização econômica e integração regional foram realizados simultaneamente e o setor agrícola foi particularmente beneficiado com todas as mudanças e o Brasil apresenta-se hoje no cenário da ALCA como o segundo maior exportador de produtos agrícolas do bloco. Tendo em vista esse aspecto, o objetivo deste estudo é o de capturar os prováveis efeitos da participação do Brasil na ALCA no que diz respeito às exportações de café, cacau, soja, açúcar, suco de laranja, carnes e fumo no período 1989-2002. Os efeitos provocados sobre o comércio estão relacionados diretamente às restrições comerciais antes impostas aos parceiros e ao volume de comércio inicialmente verificado entre esses países. O presente trabalho visa avançar no que já foi feito...

O Brasil e a ALCA : uma reflexão analítica dentro do contexto histórico - perspectivas e entraves

Coelho Sobrinho, João; Raimundo Oliveira Vergolino, Jose (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.41%
O objetivo geral deste estudo é de propor uma reflexão acerca das negociações do bloco econômico ALCA, num contexto histórico, na busca de subsídios que apontem para as perspectivas e os entraves da inserção brasileira nesse mercado. Como objetivos específicos, procura: fazer uma retrospectiva do processo de globalização em geral seus pressupostos, sua realidade, seus desdobramentos; apontar o processo de mundialização brasileiro, enfocando a importância do Mercosul; analisar e discutir o advento da ALCA, propor uma visão prospectiva desse mercado para a América Latina e o Brasil em especial. O Brasil vivencia crise de natureza existencial, refletindo sua inadequação aos signos, códigos e retórica da ideologia mundialmente dominante e desencadeando a busca de uma mais atualizada e consentânea modelagem institucional.O estudo justifica-se, na busca de compreender o conflito entre a soberania dos estados- nacionais e os mandamentos da globalização, quer por um olhar, mesmo ligeiro, sobre o passado, quer à luz de alguns fatos contemporâneos. Desenvolvemos este estudo a partir do método dialético. Tomamos a dialética na concepção de Hegel, que com a sua preocupação com a história, a torna uma descrição prática do progresso cotidiano do mundo. O processo dialético é...

O Congresso Nacional e a política externa brasileira : posicionamento dos senadores frente às negociações para a formação da ALCA (1994-2005)

Oliveira, Rodrigo Regazonni de
Fonte: Câmara dos Deputados do Brasil Publicador: Câmara dos Deputados do Brasil
Tipo: monografia, dissertação, tese Formato: 138 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.33%
Analisa o posicionamento dos integrantes do Congresso Nacional frente às negociações para a formação da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA), a concentrar sua atenção sobre o Senado Federal, com eventuais incursões pela Câmara dos Deputados. O período por nós delimitado compreende, respectivamente, o lançamento da proposta pela integração continental, ocorrida na I Cúpula das Américas, nos EUA, em 1994, até o ano de 2005, em que se evidenciou a paralisação do processo negociador. Dois fatores estimularam-nos a realizar esta tarefa. Primeiro, colocar à prova a tese, disseminada pelo senso comum, de que o Parlamento não demonstra interesse por questões ou assuntos internacionais. Segundo, fornecer uma contribuição à escassa bibliografia disponível a respeito da relação entre os congressistas e a produção da política externa brasileira de integração regional, em particular. Apesar de não ignorarmos o papel predominante do Poder Executivo na formulação e condução da política externa nacional, e nem a comprovada carência de mecanismos participativos e decisórios formais à disposição do Parlamento para atuar nas diferentes facetas deste plano, procuramos aferir em que medida a atividade parlamentar se restringe ou não...

Os impactos ambientais industriais da Alca no Brasil; Texto para Discussão (TD) 962: Os impactos ambientais industriais da Alca no Brasil; Industrial environmental impacts of FTAA in Brazil

Motta, Ronaldo Seroa da
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
37.41%
Este estudo é uma tentativa de estimar os impactos ambientais industriais devidos à Alca no Brasil. Com base nos resultados setoriais do modelo CGE [Tourinho e Kume (2002)], estimamos as resultantes variações nos níveis de emissão de poluição e do uso de água e energia no setor industrial brasileiro devidas à Alca. Nossos resultados são muito interessantes, pois espera-se que os impactos ambientais diretos agregados da Alca sobre a economia brasileira sejam, em geral, de muito pouca monta e na direção de uma intensidade mais baixa na poluição do ar, em termos de material particulado e SO2, e de usos de energia. Por outro lado, poderá ocorrer um aumento na intensidade de poluição e uso da água e nas emissões de CO2. Essas alterações ocorrerão nos poucos setores onde já existem políticas tecnológicas e ambientais dinâmicas e motivação para atender às regras ambientais mais estritas do mercado de exportação. Analisamos, então, os determinantes da adoção de práticas de controle, estimadas em Seroa da Motta (2001) e Ferraz e Seroa da Motta (2002), mostrando que, além das sanções e da pressão do público, o setor industrial é motivado a melhorar seu desempenho por causa das restrições à expansão do mercado de exportação. Com base em todas essas evidências...

The use of correspondence analysis and cluster analysis to the perception related to the international commerce: the case of South-Brazilian furniture industry and the FTAA barriers; El uso del análisis de correspondencia y de cluster para la percepción de las relaciones en el comercio internacional: el caso de la industria de muebles del sur de Brasil y las barreras al Alca; O uso da análise de correspondência e de cluster para a percepção das relações no comércio internacional: o caso do setor de móveis sul-brasileiro e as barreiras à Alca

da Silva, João Carlos Garzel Leodoro; Martins, Gilson; Hosokawa, Roberto Tuyoshi; Rochadelli, Roberto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.41%
The main goal of this study is to analyze the perception of the high administration of companies in the furniture industry of Brazil's South region concerning threats of the Free Trade Area of the Americas (FTAA). Correspondence Analysis and Cluster Analyses were applied due to the use of categorical data. The main results are that the high administrations of furniture companies are favorable to a general concept of a free trade treat, but not to the immediate adoption of the FTAA. At the same time they consider that the main competitor countries in the FTAA are USA, Mexico and Canada. It was also verified that the high administrations attribute more importance to the external barriers than the internal barriers. However, it is inferred that this difference between external barriers and internal barriers is probably biased by the organizational culture of the companies that usually prefer to indicate problems of which other organizations are responsible than its own fragilities, because this would imply in changes in the company - like changes in the organizational culture, more investments, and other changes that almost always lead to short term traumas. The main barriers cited by the high administrations were: the exchange policy...

Empirical analysis of the economic impact from ALCA and Mercosul consolidation on Brazil; Análise empírica do impacto econômico da ALCA e da consolidação do Mercosul sobre o Brasil

Azevedo, André Filipe Zago de; Universidade do Vale do Rio dos Sinos; Feijó, Flávio Tosi; Fundação Universidade Federal de Rio Grande
Fonte: Editora UFPR Publicador: Editora UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 06/09/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.41%
This paper analyses the impact of the FTAA creation and the deepeningof Mercosul on trade flows, GDP and welfare in Brazil and its Mercosur partnersbased on a computable general equilibrium model from the Global Trade AnalysisProject (GTAP). The first simulation examines the economic effects of the FTAAformation between 1995 (initial equilibrium) and 2016 (year of consolidation ofthe bloc) supposing the establishment of a Free Trade Area in 2016. The secondsimulation analyses the effects of the establishment of Mercosul’s common externaltariff (CET) in 2006. Brazil benefits from both scenarios with regards to welfare gains, with FTAA formation bringing benefits marginally higher than the deepeningof Mercosul.; Este artigo analisa o impacto da criação da ALCA e do aprofundamentodo Mercosul sobre os fluxos de comércio, PIB e bem-estar sobre o Brasil e seusparceiros do bloco através do modelo de equilíbrio geral computável Global TradeAnalysis Project (GTAP). A primeira simulação examina os efeitos econômicos daformação da ALCA entre 1995 (equilíbrio inicial) e 2016 (ano da consolidação dobloco) supondo a formação de uma Zona de Livre Comércio em 2016. A segundasimulação analisa os efeitos do estabelecimento da Tarifa Externa Comum (TEC) doMercosul em 2006. O Brasil se beneficia com as duas situações...

¿Mercosur o Alca?: Clase dominante, gobierno e inserción regional en los inicios del Kirchnerismo

Kan,Julián
Fonte: Sociohistórica Publicador: Sociohistórica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2013 ES
Relevância na Pesquisa
37.47%
El objetivo de este trabajo es analizar la relación entre gobierno, corporaciones empresarias de la clase dominante y los proyectos MERCOSUR y ALCA en los inicios del gobierno de Kirchner. La hipótesis principal es que los cambios en la inserción regional de Argentina desde 2003 (reconstrucción del MERCOSUR y rechazo al ALCA), tuvieron entre una de sus causas a las acciones de corporaciones como la Unión Industrial Argentina (UIA) y la Sociedad Rural Argentina (SRA). Como afirma Katz (2006) aquella reconfiguración regional, además de estar influenciada por las protestas sociales antineoliberales, también respondió a la demanda de una diferente inserción regional por parte de las clases dominantes locales. Mediante el análisis de la prensa escrita y de documentación de las corporaciones, observaremos los posicionamientos sobre el ALCA y el MERCOUSR, el tipo de intervención del gobierno que reclaman y por qué apoyan o rechazan las negociaciones entre 2003 y 2004, en la reunión de la Ronda Doha de Cancún de la Organización mundial de Comercio (OMC) y en las Minicumbres del ALCA de Miami y Puebla, donde quedaron trabadas las negociaciones del ALCA y se produjo la reorientación del MERCOSUR.