Página 1 dos resultados de 40 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Aproveitamento do resíduo da produção de etanol a partir de farelo de mandioca, como fonte de fibras dietéticas

LEONEL, M.; CEREDA, M. P.; ROAU, X.
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 241-245
POR
Relevância na Pesquisa
26.57%
O presente trabalho teve por objetivo analisar resíduos do farelo de mandioca resultantes de processos de hidrólise enzimática para obtenção de etanol; visando o aproveitamento destes como fonte de fibras dietéticas. Foram realizados quatro ensaios enzimáticos utilizando as enzimas amilolíticas, a-amilase e amiloglucosidase, complementadas ou não com celulase e/ou pectinase. Os resíduos foram caracterizados quanto à composição centesimal, pH, acidez, perfil de açúcares e quanto às fibras (FDA, FDN, celulose, hemicelulose, lignina, açúcares neutros). Realizou-se também a análise microscópica dos resíduos. Pelos resultados obtidos na caracterização dos resíduos calculou-se a energia metabolizável aparente (EM). Observou-se que independente do ensaio enzimático todos os resíduos podem ser usados como fonte de fibras insolúveis. Os resíduos resultantes dos ensaios com pectinase apresentaram uma proporção aproximada de 1:1:1 de amido, fibras e açúcares, sendo a glicose o açúcar majoritário, e com energia metabolizável aparente de cerca de 2,6 kcal/g. Já os resíduos, onde não se utilizou a pectinase a proporção foi de 2:1:1 aproximadamente e a energia 3,1 kcal/g. A análise microscópica dos resíduos mostrou a presença de amido não hidrolisado preso às células em todos os ensaios enzimáticos sendo que...

Perfil químico da parede celular e suas implicações na digestibilidade de Brachiaria brizantha e Brachiaria humidicola

Brito, Cláudio José F. Alves de; Rodella, Roberto Antonio; Deschamps, Francisco Carlos
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1835-1844
POR
Relevância na Pesquisa
26.72%
No presente trabalho foram determinadas a composição química e a digestibilidade de diversas frações de Brachiaria brizantha e Brachiaria humidicola, após 70 dias de crescimento. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com cinco repetições para cada espécie. As plantas coletadas foram subdivididas nas frações apical, mediana e basal para as folhas e mediana e basilar para caules, de acordo com sua localização. Foram determinadas as concentrações de fibra em detergente neutro (FDN), proteína bruta (PB), lignina, ácido p_cumárico, ácido ferúlico e açúcares neutros (glicose, xilose e arabinose) e a digestibilidade in situ após 48 horas de período de incubação ruminal. As diferentes frações das espécies estudadas apresentam distinta composição química, cujos efeitos são observados na digestibilidade. A B. brizantha apresentou maiores concentrações de FDN no caule e PB nas folhas. Isto resultou em coeficientes de digestibilidade maiores em relação à B. humidicola. A diferença de digestibilidade entre caule e folhas e nas frações mais velhas pode estar relacionada ao tipo de condensação da lignina presente nos tecidos. Evidências na concentração e na proporção dos ácidos p_cumárico e ferúlico sugerem esta relação. A concentração de ácidos fenólicos esteve relacionada com a digestibilidade da matéria seca e a lignina com a digestibilidade da FDN. A análise dos ácidos fenólicos pode se constituir em importante ferramenta para avaliar o grau de condensação da lignina na parede celular dos diferentes tecidos das plantas forrageiras. A concentração de açúcares neutros não apresentou um padrão definido na composição dos diferentes tecidos. A arabinose foi o único açúcar que apresentou relações com a digestibilidade da matéria seca e com a concentração de ácidos fenólicos.; In the present paper the chemical composition and digestibility of several Brachiaria brizantha and Brachiaria humidicola fractions were determined after 70 days of growth. The experimental design was completely randomized with five replications for each specie. According to the position...

Influência da fonte de carbono na produção de fruto-oligossacarídeos, na composição da parede celular e na expressão de genes relacionados à sua biossíntese em Fusarium solani (Mart) Sacc. e Neocosmospora vasinfecta E. F. Sm; Effect of carbon source on the production of fructooligosaccharides, in the cell wall composition and expression of genes related to the biosynthesis Fusarium solani (Mart) Sacc. and Neocosmospora vasinfecta E. F. Sm

Daiane Felberg Antunes Galvão
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/05/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.57%
Fruto-oligossacarídeos (FOS) são frutanos de baixo peso molecular produzidos por microorganismos. O interesse em FOS vem aumentando uma vez que eles são considerados ingredientes funcionais benéficos à saúde humana. Com o objetivo de analisar como a produção de FOS e a composição da parede celular de fungos filamentosos é afetada pela fonte de carbono, os fungos Fusarium solani (URM 3338) e Neocosmospora vasinfecta (URM 3329) foram cultivados em meios contendo cinco fontes de carbono diferentes (sacarose, inulina, glucose, frutose ou glucose mais frutose, todos a 1%) e coletas foram realizadas aos 5, 10 e 15 dias de crescimento. A partir do meio de cultivo filtrado foram analisados o pH, teores de açúcar total, açúcares redutores e proteínas, a presença de FOS e atividades enzimáticas invertásica e inulinásica. A partir do micélio, a biomassa foi quantificada e a parede celular foi isolada e sua composição em açúcares neutros, ácidos urônicos e quitina analisada. Foi avaliada também a expressão relativa de genes de síntese de parede celular b-1,3-glucano sintase e quitina sintases. Os dois fungos utilizaram todas as fontes de carbono crescendo nas diferentes condições. Atividade de hidrólise foi detectada no meio contendo sacarose ou inulina para o fungo F. solani...

Estudo sobre a composição química e possíveis aplicações do folhelho de uva

Mendes, Joana Andreia Saraiva
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.96%
O principal objectivo deste trabalho consistiu no estudo da composição química do folhelho de modo a estimar as suas possíveis aplicações, nomeadamente, na produção de pastas e biocompósitos. O folhelho foi caracterizado quanto ao seu teor em cinzas (7,8%), extractáveis em acetona (5,7%), diclorometano (5,5%) e água (26,4%), proteínas (18,8%), taninos (13,8%), resíduo insolúvel em ácido a 72 % (22,4%), celulose Kürscher e Höffer (20,8%) e hemiceluloses (24,9%). Por análise de açúcares neutros verificou-se que é essencialmente constituído por celulose, mas também por mananas, arabinanas, xilanas e xiloglucanas. A existência de celulose foi confirmada pelas técnicas de análise dos açúcares neutros, FTIR, RMN de 13C CP/MAS e DRX, com um grau de cristalinidade de 66,1%. O tratamento do folhelho com ácido peracético, foi a solução encontrada para a obtenção de pastas. A pasta obtida foi caracterizada por análise de açúcares neutros, por FTIR e por RMN de 13C CP/MAS, concluindo-se que é essencialmente constituída por celulose e por compostos poliméricos do tipo cutina. A cutina, isolada pela extracção da pasta com diclorometano, é essencialmente polimérica. Pela identificação dos seus compostos livres e esterificados...

Produção, isolamento e caracterização química do exopolissacarídeo do fungo da podridão branca da madeira Tramentes versicolor

Pereira, Susana Raquel de Sousa
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
27.08%
O Trametes versicolor é um fungo da podridão branca da madeira com potencial aplicação como oxidante na indústria papeleira. Segundo a literatura, este fungo produz também uma (1-3)--glucana com actividade imunomoduladora, propriedades anti-tumorais e anti-microbianas. O objectivo deste trabalho foi produzir, isolar, solubilizar e caracterizar quimicamente o exopolissacarídeo (EPS) do fungo T. versicolor. O fungo foi produzido por fermentação em cultura líquida, tendo o material polimérico sido fraccionado de acordo com a sua solubilidade em soluções de etanol. As fracções obtidas foram analisadas quanto à composição em açúcares neutros, concentração de ácidos urónicos, massa molecular relativa e ligações glicosídicas. Foi também efectuada uma análise por espectroscopia de ressonância magnética nuclear (RMN) a uma das amostras. O material que precipitou em 80% de etanol continha 95% de açúcares neutros, sendo a glucose o açúcar maioritário (98%). Os restantes 2% de açúcares correspondem à arabinose e xilose. Apesar da literatura referir a solubilidade desta glucana em água, tal não se verificou após a precipitação em etanol, mesmo quando foi tentada a solubilização a 80ºC. No entanto...

Extração de xilanas de pasta branca kraft do E. globulus

Gomes, Teresa Margarida Pereira de Almeida
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
POR
Relevância na Pesquisa
26.5%
A indústria da pasta e do papel tem um importante peso na indústria portuguesa, contribuindo com 4,5% do PIB industrial. Antevendo alterações no cenário produtivo da indústria da pasta celulósica, a investigação científica tem desenvolvido trabalhos na área dos produtos alternativos ao papel de valor acrescentado, como a pasta solúvel e celulose micro-fibrilada (CMF), cuja produção pressupõe a eliminação das hemiceluloses mais abundantes da pasta (xilanas). Sendo o E. globulus a espécie de madeira mais usada no processamento da pasta celulósica kraft nacional, há um crescente interesse no desenvolvimento desses produtos a partir da pasta celulósica kraft branca dessa espécie. Nesse âmbito, o isolamento, a caracterização química e estrutural das xilanas, presentes na pasta branca, revelam-se muito importantes para o seu processamento posterior visando igualmente produtos de valor acrescentado. Sendo assim, este trabalho teve dois objetivos principais: 1.º) avaliação do perfil de extração alcalina das xilanas da pasta branca kraft do E. globulus com solução de hidróxido de sódio; 2.º) caracterização química e estrutural das xilanas isoladas. Foi determinado o teor de pentosanas removido e os parâmetros correspondentes que resultaram numa melhor relação entre a taxa máxima de remoção e o rendimento de xilana: extração com solução de NaOH 10% durante 1 hora. No entanto...

Caracterização Química do Folhelho Branco e do Folhelho Tinto Proveniente de Castas Típicas da Região do Dão

Mendes, Joana;; Lopes, Sónia; Prozil, Sónia; Evtuguin, Dmitry; Cruz‐Lopes, Luísa
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /06/2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.46%
Resumo O presente trabalho avalia e compara a composição química do folhelho branco e tinto, proveniente de castas típicas da região do Dão. A análise química mostra que o folhelho é constituído essencialmente por celulose, hemiceluloses, proteínas e extratáveis em água. Os compostos solúveis em água são constituídos principalmente por açúcares monoméricos (glucose e frutose) e por uma mistura complexa de hemiceluloses. A celulose do folhelho branco e tinto foi avaliada por difração de raios-X (DRX) e verificou-se que se trata de celulose I com um grau de cristalinidade de 66,1 e 72,8%, no folhelho tinto e branco, respetivamente. O teor de celulose no folhelho branco (12,5%) é bastante inferior quando comparado com o do folhelho tinto (20,8%). Os métodos espectroscópicos, nomeadamente RMN CP/MAS de 13C, permitiram verificar a presença de material ceroso e cuticular em ambos os folhelhos. Os extratáveis em diclorometano dos folhelhos são constituídos maioritariamente por ácidos gordos e terpenos.; Abstract The present study evaluates and compares the chemical composition of white and red grape skins, from grapes of the typical caste Dão region. Chemical analysis shows that grape skins are constituted essentially by cellulose...

Caracterização do material de reserva em feijão-guandu, lablabe e mucuna

Seno,Maria Silvia; Gomes,Laurecir; Cortelazzo,Angelo Luiz
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1996 PT
Relevância na Pesquisa
26.5%
Com o intuito de caracterizar, em nível citoquímico, as principais reservas presentes em guandu, lablabe e mucuna, sementes foram fixadas e processadas para a microscopia, utilizando-se tanto métodos gerais como específicos para proteínas, lipídios, polissacarídeos neutros e ácidos, procedendo-se, à dosagem e à caracterização dessas reservas nas sementes. O amido revelou-se como principal material, seguido por proteínas e, em menor grau, por lipídios. O conteúdo de amido foi de 55% da matéria seca (MS) para guandu, 53% para lablabe e 40% para mucuna. As proteínas foram mais abundantes em lablabe, com 26% da MS, seguindo-se o guandu (19%) e a mucuna (17%). Lipídios representaram menos de 2% da MS dessas sementes, com uma quantidade maior em mucuna do que nas demais espécies. As análises dos açúcares neutros presentes indicaram grande conteúdo de glicose em função do amido e quantidade apreciável de galactose e arabinose, sempre em maior quantidade em mucuna. Os perfis eletroforéticos revelaram semelhança maior entre as proteínas de guandu e lablabe, sugerindo maior proximidade filogenética entre tais espécies. As proteínas mais abundantes apresentaram massa molecular relativa entre 65 e 70 kg/mol.

Transformações bioquímicas de abacaxi minimamente processado armazenado sob atmosfera modificada

Prado,Mônica Elisabeth Torres; Chitarra,Adimilson Bosco; Bonnas,Deborah Santesso; Pinheiro,Ana Carla Marques
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
46.72%
Realizou-se estudo sobre a influência da atmosfera modificada com diferentes concentrações de gases durante o armazenamento de abacaxi cv. Smooth cayennne minimamente processado, por oito dias, à temperatura de 5ºC e 85% de UR. Foram realizadas análises de açúcares neutros, celulose, hemicelulose e poliuronídeos totais na parede celular. O abacaxi minimamente processado foi acondicionado sob duas Atmosferas Modificadas Ativas, uma com 5% de O2 e 5% de CO2 (AM1),outra com 2% de O2 e 10% de CO2 (AM2),e uma Atmosfera Modificada Passiva (Controle) durante 8 dias de armazenamento. O uso de atmosferas modificadas ativas permitiu que o abacaxi minimamente processado sofresse menor degradação da parede celular com menor solubilização das hemiceluloses. Abacaxis minimamente processados e armazenados sob atmosfera modificada obtiveram uma vida de prateleira média de 6 dias, a 5º C.

Modificações dos componentes de parede celular do melão tipo Galia durante a maturação

MENEZES,Josivan B.; CHITARRA,Adimilson B.; CHITARRA,M. Isabel F.; BICALHO,Urquisa O.
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1997 PT
Relevância na Pesquisa
26.96%
O presente estudo caracterizou quantitativa e qualitativamente as mudanças nos componentes de parede celular do melão tipo Galia, híbrido Nun 1380, associadas ao processo de maturação. Os frutos foram avaliados em cinco estádios de maturação (I-V). O material de parede celular e suas frações foram determinados por gravimetria. Determinou-se o conteúdo de açúcares neutros na fração hemicelulósica e no resíduo celulósico, o teor de ácidos urônicos e o grau de esterificação na fração de substâncias pécticas, e o teor de cálcio total e ligado. A fração de substâncias pécticas foi submetida à cromatografia de filtração em gel e os açúcares neutros da fração hemicelulósica foram analisados por cromatografia a gás. O conteúdo do material de parede celular (MPC) mostrou pouca variação durante a maturação. O conteúdo de ácidos urônicos da fração péctica e o conteúdo de açúcares neutros na fração hemicelulósica (ramnose, arabinose e glicose) apresentaram tendência de redução com o avanço da maturação do fruto. Praticamente não houve variação para o grau de esterificação (% de esterificação) da fração de substâncias pécticas e para o teor de cálcio ligado. Houve redução no teor de celulose durante a maturação. A cromatografia em gel não revelou tendência de despolimerização das substâncias pécticas.

Modificações dos componentes de parede celular do melão tipo Galia durante o armazenamento sob refrigeração

MENEZES,Josivan B.; CHITARRA,Adimilson B.; CHITARRA,Mª. Isabel F.; BICALHO,Urquisa O.
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1997 PT
Relevância na Pesquisa
26.96%
Esta pesquisa avaliou as modificações dos componentes estruturais de parede celular do melão tipo Galia (Cucumis melo L. var. reticulatus) durante o armazenamento refrigerado (7°C±1, UR: 88% ±3). O material de parede celular e suas frações foram determinados por gravimetria. Determinou-se o conteúdo de açúcares neutros na fração hemicelulósica e no resíduo celulósico, o teor de ácidos urônicos e o grau de esterificação na fração de substâncias pécticas, e o teor de cálcio total e ligado. A fração de substâncias pécticas foi submetida à cromatografia de filtração em gel e os açúcares neutros da fração hemicelulósica foram analisados por cromatografia a gás. O conteúdo de material de parede celular mostrou pouca variação durante o armazenamento. As variações mais expressivas foram registradas nas frações isoladas da parede celular (fração de substâncias pécticas, fração hemicelulósica e fração celulósica), sendo que para as duas primeiras verificou-se redução durante o armazenamento e para a última observou-se elevação. O conteúdo de açúcares neutros não celulósicos mostrou tendência de redução apenas durante as duas semanas iniciais de armazenamento. Praticamente, não houve alteração no grau de esterificação e nos conteúdos de cálcio total e cálcio ligado. A principal característica foi a manutenção dos níveis de xilose e glicose na parede celular...

Aproveitamento do resíduo da produção de etanol a partir de farelo de mandioca, como fonte de fibras dietéticas

LEONEL,M.; CEREDA,M. P.; ROAU,X.
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/1999 PT
Relevância na Pesquisa
26.57%
O presente trabalho teve por objetivo analisar resíduos do farelo de mandioca resultantes de processos de hidrólise enzimática para obtenção de etanol; visando o aproveitamento destes como fonte de fibras dietéticas. Foram realizados quatro ensaios enzimáticos utilizando as enzimas amilolíticas, a-amilase e amiloglucosidase, complementadas ou não com celulase e/ou pectinase. Os resíduos foram caracterizados quanto à composição centesimal, pH, acidez, perfil de açúcares e quanto às fibras (FDA, FDN, celulose, hemicelulose, lignina, açúcares neutros). Realizou-se também a análise microscópica dos resíduos. Pelos resultados obtidos na caracterização dos resíduos calculou-se a energia metabolizável aparente (EM). Observou-se que independente do ensaio enzimático todos os resíduos podem ser usados como fonte de fibras insolúveis. Os resíduos resultantes dos ensaios com pectinase apresentaram uma proporção aproximada de 1:1:1 de amido, fibras e açúcares, sendo a glicose o açúcar majoritário, e com energia metabolizável aparente de cerca de 2,6 kcal/g. Já os resíduos, onde não se utilizou a pectinase a proporção foi de 2:1:1 aproximadamente e a energia 3,1 kcal/g. A análise microscópica dos resíduos mostrou a presença de amido não hidrolisado preso às células em todos os ensaios enzimáticos sendo que...

Caracterização física, físico-química, enzimática e de parede celular em diferentes estádios de desenvolvimento da fruta de figueira

Gonçalves,Carlos Antonio A.; Lima,Luiz Carlos de O.; Lopes,Paulo Sérgio N.; Prado,Mônica Elisabeth T.
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2006 PT
Relevância na Pesquisa
26.83%
Com o objetivo de avaliar a caracterização física, físico-química, enzimática e de parede celular, durante os diferentes estádios de desenvolvimento dos frutos da figueira sob irrigação, no norte de Minas Gerais, o presente trabalho foi desenvolvido durante o ciclo de produção 2001/2002, na Unidade de Produção Frutícola da Escola Agrotécnica Federal de Salinas (Eafsal), município de Salinas. Utilizaram-se, neste experimento, plantas com dois anos e meio de idade após o transplantio e com 12 ramos primários (pernadas), bem desenvolvidos e espaçamento de 2,5x1,5 m. O delineamento aplicado foi inteiramente casualizado, com duas repetições e um total de 40 plantas marcadas. Os dados coletados foram referentes ao ciclo de produção 2001/2002, para as plantas podadas em junho. Avaliou-se, durante os diferentes estádios de desenvolvimento dos frutos da figueira, a atividade enzimática, composição química, avaliações físicas, açúcares neutros e compostos de parede celular. À medida que a atividade de polifenoloxidase e peroxidase foi diminuindo, a atividade da poligalacturonase aumentou, no decorrer do desenvolvimento dos frutos. Os frutos atingiram ponto de colheita para a indústria e consumo in natura aos 30 e 75 dias da diferenciação das gemas em sicônio...

Perfil químico da parede celular e suas implicações na digestibilidade de Brachiaria brizantha e Brachiaria humidicola

Brito,Cláudio José F. Alves de; Rodella,Roberto Antonio; Deschamps,Francisco Carlos
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
26.72%
No presente trabalho foram determinadas a composição química e a digestibilidade de diversas frações de Brachiaria brizantha e Brachiaria humidicola, após 70 dias de crescimento. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com cinco repetições para cada espécie. As plantas coletadas foram subdivididas nas frações apical, mediana e basal para as folhas e mediana e basilar para caules, de acordo com sua localização. Foram determinadas as concentrações de fibra em detergente neutro (FDN), proteína bruta (PB), lignina, ácido p_cumárico, ácido ferúlico e açúcares neutros (glicose, xilose e arabinose) e a digestibilidade in situ após 48 horas de período de incubação ruminal. As diferentes frações das espécies estudadas apresentam distinta composição química, cujos efeitos são observados na digestibilidade. A B. brizantha apresentou maiores concentrações de FDN no caule e PB nas folhas. Isto resultou em coeficientes de digestibilidade maiores em relação à B. humidicola. A diferença de digestibilidade entre caule e folhas e nas frações mais velhas pode estar relacionada ao tipo de condensação da lignina presente nos tecidos. Evidências na concentração e na proporção dos ácidos p_cumárico e ferúlico sugerem esta relação. A concentração de ácidos fenólicos esteve relacionada com a digestibilidade da matéria seca e a lignina com a digestibilidade da FDN. A análise dos ácidos fenólicos pode se constituir em importante ferramenta para avaliar o grau de condensação da lignina na parede celular dos diferentes tecidos das plantas forrageiras. A concentração de açúcares neutros não apresentou um padrão definido na composição dos diferentes tecidos. A arabinose foi o único açúcar que apresentou relações com a digestibilidade da matéria seca e com a concentração de ácidos fenólicos.

Açúcares neutros, ácidos urônicos e condutividade elétrica do exsudato de sementes de algodoeiro (gossypium hirsutum l.), em função do tempo de duração do deslintamento químico

Chitarra,Luiz Gonzaga; Chitarra,Adimilson Bosco; Machado,José da Cruz; Menezes,Josivan Barbosa
Fonte: Instituto de Tecnologia do Paraná - Tecpar Publicador: Instituto de Tecnologia do Paraná - Tecpar
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1998 PT
Relevância na Pesquisa
46.72%
The objective of this work was to evaluate the efficiency of delinting time of cottonseeds through the electrical conductivity and the quantity of neutral sugars and uronic acids leaked from the seeds during imbibition in water, in function of the fractioning in water and the artificial ageing. The seeds were delinted with commercial sulphuric acid for 1.5 and 4.5 minutes, separeted according to the sedimentation fractions in water and submitted to artificial ageing for 0, 72 and 96 hours. Electrical conductivity, contents of neutral sugars and uronic acids were determinated from the exudate resulting from the seeds imbibition in relation different treatments. The results showed that the delinting time for 1.5 minutes provided higher values of electrical conductivity, higher contents of neutral sugars and lower contents of uronic acids in relation with delinted seeds.

Estudo químico, físico-químico e farmacológico dos carboidratos presentes no fitoterápico (Xarope Melxi®)

Michelle de Oliveira Ferreira, Catarina; da Paz Carvalho da Silva, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.57%
Melxi® é um fitoterápico produzido e comercializado pelo Laboratório Hebron. Composto basicamente por mel e abacaxi (Ananas comosus), o qual é usado como expectorante e fluidificante das secreções brônquicas e das vias aéreas superiores. O mel de abelha possui uma excelente qualidade nutricional (vitaminas, minerais, valor energético elevado) e propriedades medicinais (ação antioxidante e antisséptica). Dentre os açúcares existentes no mel, os monossacarídeos constituem a maior parte, variando de 85% a 95% da sua composição. O abacaxi não é fruta calórica, mas seu conjunto contém altas porcentagens de vitaminas A, B e C, assim como carboidratos, sais minerais e fibras, é fonte da enzima proteolítica bromelina, desta forma sendo excelente adjuvante da digestão. O presente trabalho objetivou analise os carboidratos presentes no Melxi®. O fitoterápico foi tratado com acetona para deslipidação e submetido à proteólise usando a enzima papaína. Os carboidratos extraídos foram analisados e caracterizados por dosagens espectrofotométricas, cromatografias de papel, camada delgada e de alta eficiência (HLPC), utilizando a coluna aminex HPX 87C da BioRad, fase móvel a água, velocidade de fluxo constante de 0...

Caracterização comparativa entre pectinas extraídas do pericarop de maracujá-amarelo (Passiflora edulis f. Flavicarpa)

Canteri, Maria Helene Giovanetti
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
26.72%
Resumo: As substâncias pécticas, polissacarídeos do grupo das fibras dietéticas, são amplamente utilizadas como agentes geleificantes e estabilizantes na indústria de alimentos. O principal processo industrial para obtenção de pectina está baseado na solubilização da protopectina, realizada em condições fracamente ácida a quente. Estudos recentes têm reportado a extração de pectina de novas matérias-primas sob diferentes condições, com influência sobre a qualidade e sobre o rendimento do produto final. O Brasil é o maior produtor e consumidor mundial de maracujá e os resíduos do processamento da indústria de suco são ainda subaproveitados. As cascas, que compreendem a maior parte do resíduo, poderiam ser usadas como matéria-prima alternativa para extração de pectina. A quantidade de subproduto por ano poderia alcançar 300 mil toneladas, com potencial de produzir 2 mil toneladas de pectina. O principal objetivo deste trabalho foi produzir pectina de alto padrão de qualidade e estabelecer um protocolo próprio de extração. Um planejamento central composto de 23 foi usado para determinar o efeito de variáveis independentes, contínuas e atuantes na extração de pectina de albedo de maracujá sobre variáveis dependentes a fim de maximizar a qualidade reológica da pectina. As variáveis independentes foram tempo (5-45 min)...

Effect of polysaccharide addition on the foaming properties of egg white protein in aqueous and high sugar contente systems = Efeito da adição de polissacarídeos nas propriedades espumantes de proteínas da clara de ovo em sistemas aquoso e com alto teor de açúcares; Efeito da adição de polissacarídeos nas propriedades espumantes de proteínas da clara de ovo em sistemas aquoso e com alto teor de açúcares

Mitie Sônia Sadahira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.75%
Nos confeitos aerados (marshmallow e nougat), a espuma é produzida pela aeração de xaropes de açúcares, estabilizada por proteínas tais como proteínas da clara de ovo (PCO). A pectina, polissacarídeo aniônico, pode formar complexos eletrostáticos com proteína em pH abaixo do ponto isoelétrico da proteína. A hidroxipropilmetilcelulose (HPMC) é um polissacarídeo neutro com propriedades emulsificantes. O trabalho visou estudar as propriedades espumantes (capacidade de aeração e estabilidade da espuma) da PCO na presença destes polissacarídeos em solução aquosa e sistema modelo de açúcares. Na primeira etapa, foram avaliados os efeitos das interações PCO/polissacarídeo nas propriedades espumantes em solução aquosa. Os efeitos da concentração de biopolímeros (2,0-4,0% p/p), proporção PCO:pectina (15:1-55:1) e temperatura (70-80 °C) nas propriedades espumantes no pH 3,0 foram avaliados, utilizando delineamento composto central. Na proporção PCO:pectina 15:1, os complexos eram próximos da eletroneutralidade e com tamanho médio de 95,91+ ou - 8,19 µm, conduzindo para maior estabilidade da espuma quanto à desproporção. Na proporção 55:1, os complexos não eram eletricamente neutros e com tamanho médio de 45...

Resíduo do processamento da palmenira-real (Archontophoenix alexandrae) orgânica

Simas, Karina Nunes de
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: [167] f.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
26.72%
Dissertação (mestrado)- Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciencias Agrarias. Programa de Pós-Graduação em Ciência dos Alimentos; A industrialização do palmito para produção de conservas contribui para a geração de grande quantidade de resíduos sólidos, dentre eles folhas e bainhas foliares. O objetivo deste trabalho foi avaliar as propriedades tecnológicas, físico-químicas e sensoriais dos resíduos do processamento da palmeira-real (bainhas foliares) na elaboração de biscoitos fibrosos sem glúten. A microestrutura das bainhas foliares foi avaliada utilizando microscopia eletrônica de varredura e microscopia de fluorescência. Farinha de palmeira-real foi elaborada e avaliada quanto à composição química, açúcares neutros, ácidos urônicos e atividade antioxidante em extratos metanólicos e aquosos pelos métodos 2,2-azino-bis-(3-etilbenzotiazolina-6-ácido sulfônico) (ABTS) e 2,2-difenil-1-picrilhidrazila (DPPH). A composição química e propriedades físicas de biscoitos sem glúten contendo diferentes concentrações de farinha de palmeira-real (0-30 %) foram, também, determinadas. Amostras de massas de biscoitos sem glúten foram avaliadas através da análise de perfil de textura e os parâmetros de firmeza...

Influência de fatores estruturais no processo de gelificação de pectinas de alto grau de metoxilação

Brandão,Edimir M.; Andrade,Cristina T.
Fonte: Associação Brasileira de Polímeros Publicador: Associação Brasileira de Polímeros
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1999 PT
Relevância na Pesquisa
26.72%
RESUMO: Duas amostras de pectina de alto grau de metoxilação, amostras A e B, foram purificadas, levando-se em conta os teores em grupos metoxílicos. Sua caracterização estrutural foi realizada através de dosagem de açúcares neutros com auxílio de cromatografia gasosa, GLC, e determinação do grau de metoxilação por técnicas de cromatografia líquida de alta resolução, HPLC. A amostra A apresentou teores mais elevados em açúcares neutros totais e grau de metoxilação mais alto. As viscosidades intrínsecas, [eta] = 3,68 dL/g e [eta] = 3,56 dL/g foram determinadas a pH 7,0 para as amostras A e B, respectivamente. A pH 3,0, valores menores foram obtidos. A gelificação das amostras foi investigada, em função da concentração e da temperatura, medindo-se os módulos de armazenamento, G', e de perda, G", em função do tempo. A pH 3,0 a pectina A apresentou taxas de gelificação mais elevadas, tanto em função da concentração como da temperatura.