Página 1 dos resultados de 520 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Efeito do ácido giberélico no metabolismo amido-sacarose durante o amadurecimento da banana (Musa acuminata var. Nanicão); Effects of gibberellic acid on metabolism starch-sucrose during banana ripening (Musa acuminta var. Nanicão)

Rossetto, Maria Rosecler Miranda
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.74%
O amadurecimento é uma etapa exclusiva do estágio de desenvolvimento dos frutos, que envolve uma série de transformações metabólicas a partir de diferentes fontes de energia. Ele é mediado por um dinâmico complexo enzimático, resultando em síntese/degradação e conversão de compostos que tornarão o fruto aceitável para o consumo. Dependendo do tipo de fruto, essa fonte de energia pode ser na forma de ácidos orgânicos, sacarose vinda da própria planta e na forma de amido. A banana (Musa acuminata) é uma fruta de comportamento climatérico que utiliza como principal fonte de carbono o amido, que é reduzido durante o climatério de teores que variam de 12 a 20% a menos de 1 %. Concomitante à esta degradação, o teor de sacarose pode atingir até 15%, dependendo da cultivar. O ácido giberélico (GA3) é um fitohormônio da família das giberelinas que tem sido muito estudado em cereais por aumentar a transcrição gênica das α-amilase. Em frutos, ele é responsável por manter a textura firme e o teor de sólidos solúveis, e atrasar o amadurecimento. Ao estudar a influência do GA3 no metabolismo amido-sacarose em fatias de banana, observou-se neste trabalho que o fitohormônio não alterou o pico respiratório nem a síntese de etileno. Entretanto...

Diferentes ambientes para avaliacao da sensibilidade ao acido giberelico em genotipos de trigo (triticum aestivum l.); Different environment for the evaluation of giberellic acid sensitivity in wheat (Tritícum aestivum L.) genotypes

Canci, Paulo Cesar; Carvalho, Fernando Iraja Felix de; Barbosa Neto, Jose Fernandes; Oliveira, Marco Antonio Rott de; Franco, Francisco de Assis
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.74%
O presente trabalho foi conduzido com o objetivo de analisar diferentes ambientes para a identificação de genótipos portadores de genes redutores da estatura de planta em trigo, através da reação de sensibilidade ao ácido giberélico (AG). O experimento foi instalado no ano de 1995 em casa de vegetação (CV) e laboratório (LA) na Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - FA/UFRGS, Porto Alegre e a campo (CA), em Eldorado do Sul, RS. Foram avaliados 6 genótipos de diferentes estaturas de planta em O e IDOppm de AG em CV e LA e O , 100 e 1OOOppm de AG aplicados quando as plantas apresentavam duas e quatro folhas em CA. A determinação da estatura foi realizada aos 20 dias após a aplicação do tratamento em CV, 18 dias em LA e em quatro avaliações semanais em CA. A separação dos genótipos de acordo com a sensibilidade ao AG foi possível nos três ambientes, sem que a ordem de resposta fosse alterada. A diferença de estatura entre os tratamentos foi utilizada para a comparação entre ambientes e as maiores diferenças de estatura foram observadas em CV e CA. A interação genótipo x ambiente não foi significativa revelando a possibilidade de realização do teste em campo. Para todos os tratamentos aplicados foi possível identificar os genótípos sensíveis ao AG a partir dos 7 dias...

Caracteres para identificacao de genotipos de trigo sensiveis ao acido giberelico; Traits to identify the giberellic acid sensitivity of wheat genotypes

Canci, Paulo Cesar; Carvalho, Fernando Iraja Felix de; Barbosa Neto, Jose Fernandes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.03%
Distintos caracteres foram utilizados para avaliar a sensibilidade de genótipos de trigo de diferentes estaturas ao ácido giberélico em laboratório e em casa de vegetação, visando a identificação de genótipos portadores de genes redutores da estatura de planta. Foram avaliadas a altura de planta, altura da inserção da lâmina da primeira e segunda folha, comprimento da lâmina da primeira e segunda folha e a diferença entre a altura de inserção da lâmina da segunda e primeira folha. As determinações foram realizadas aos 20 e 28 dias após a germinação em laboratório e em casa de vegetação, nos genótipos submetidos às doses de 0 e 100ppm de ácido giberélico. A diferença entre os tratamentos com e sem ácido giberélico, para todos os caracteres, foi utilizada para a análise a fim de garantir a inexistência da interação genótipo x ambiente. Foram obtidas correlações expressivas para altura da inserção da lâmina da segunda folha e diferença da altura de inserção da lâmina da segunda e primeira folha em casa de vegetação e entre estatura de planta e comprimento da segunda folha em laboratório. Os valores obtidos em casa de vegetação foram superiores aos de laboratório para a maioria dos caracteres avaliados...

Efeitos do thidiazuron e do ácido giberélico sobre as características dos cachos dos cultivares de videira vênus, centennial seedless e niagara rosada

Botelho, Renato Vasconcelos
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: xv, 136 f. : il., gráfs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
67.08%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Agronomia (Horticultura) - FCA; tratamentos. Em todos os experimentos o delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, com 6 repetições e 2 cachos por parcela. A coleta dos cachos foi realizada quando o tratamento testemunha atingiu teor de sólidos solúveis totais mínimo de 14ºBrix. Para cada cacho foram avaliados: massa, comprimento e largura dos cachos, bagos e engaços; relação comprimento/largura dos bagos; número de bagos e número de sementes por bago. Para cada parcela foram realizadas análises de teor de sólidos solúveis totais, acidez total titulável e pH do mosto de 100 bagos. Pelos resultados obtidos, verificou-se que para o cultivar Vênus, o thidiazuron apresentou como principal efeito o aumento do número de bagos. O ácido giberélico, quando aplicado após o florescimento, aumentou a massa dos cachos; a massa e o comprimento dos bagos; e reduziu o número de sementes-traço. Os maiores aumentos das dimensões dos bagos foram obtidos quando realizaram-se duas aplicações. Houve efeito sinérgico entre ácido giberélico e thidiazuron, em aplicações pós-florescimento, incrementando a massa, o comprimento e o número dos bagos. Os melhores resultados...

Indução floral do copo de leite colorido (Zantedeschia sp) com ácido giberélico (GA3) aplicado vias irrigação, foliar e imersão, nas condições de Botucatu, SP

Muçouçah, Fernando Juabre
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: viii, 68 f. : il., gráfs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
66.74%
Pós-graduação em Agronomia (Irrigação e Drenagem) - FCA; O presente trabalho foi conduzido na área experimental do Departamento de Engenharia Rural da Faculdade de Ciências Agronômicas - FCA, UNESP, campus de Botucatu/SP, com o objetivo de estudar a indução floral de Zantedeschia sp, com a aplicação de ácido giberélico (GA3), fornecido via água de irrigação, aplicação foliar e tratamento por imersão, nas condições de Botucatu/SP, a fim de se determinar a dosagem, a época e o modo de aplicação, visando-se otimizar o sistema instalado, facilitando o manejo da cultura. Não foi possível avaliar estatisticamente os dados referentes à produtividade de flores, pois estes não apresentaram distribuição normal de probabilidade, alguns tratamentos não emitiram flores. Considerando o número total de flores produzidas ao longo de 86 dias, o tratamento convencional por imersão pré-plantio (100 mg.L-1) emitiu 4 flores, num total de 10 vasos; enquanto que os tratamentos T12 (15 dias pós plantio-200 mg.L-1 de GA3) e T35 (15+30 dias pós plantio-500 mg.L-1 de GA3) produziram 7 e 6 flores, respectivamente, por 10 vasos. Os demais tratamentos produziram quantidades inferiores em relação à testemunha. A ausência de produção para alguns tratamentos e a baixa produtividade dos tratamentos em geral...

Influência do anelamento e do ácido giberélico em características do cultivar apireno de uvas Maria

Pommer,Celso Valdevino; Terra,Maurilo Monteiro; Pires,Erasmo José Paioli; Picinin,Adriana Hermont; Passos,Ilene Ribeiro da Silva
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1995 PT
Relevância na Pesquisa
66.88%
Estudou-se o efeito da incisão anelar, de forma isolada ou em conjunto com ácido giberélico, sobre os cachos e as bagas do cultivar apireno Maria (IAC 514-6), de vinhedos comerciais em Jundiaí (SP). Os tratamentos efetuados 14 dias após a floração foram: (1) plantas aneladas; (2) plantas aneladas com racemos mergulhados em solução de ácido giberélico (GA3) a 200 mg/L; (3) plantas não aneladas com racemos mergulhados em igual solução e (4) testemunha: plantas e racemos desenvolvidos naturalmente. As características analisadas foram: massa, comprimento e largura dos cachos; número, massa, comprimento e largura de bagas; teor de sólidos solúveis e pH. A testemunha, sem anelamento e sem GA3, foi inferior aos demais tratamentos. O anelamento e o GA3 melhoraram extraordinariamente a massa, o comprimento e a largura dos cachos, e o número, a massa, o comprimento e a largura das bagas, em comparação com a testemunha. O efeito isolado do GA3 foi superior ao do anelamento em quase todas as características. O anelamento isolado induziu um teor de sólidos solúveis bastante superior ao dos demais tratamentos. O efeito conjunto do anelamento e do GA3 foi muito superior ao dos demais tratamentos, em todas as características físicas de cachos e de bagas.

Influência do ácido giberélico no desenvolvimento, produção e qualidade do fruto em cultura de pimentão (Capsicum annuum L.)

Lucchesi,A.A.; Minami,K; Yang,W.M.; Sumi,R.A.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1982 PT
Relevância na Pesquisa
66.74%
Foi aplciado, na cultura de pimentão variedade híbrida Cascadura x Agronômico 10 G, ácido giberélico (GA3), 10, 20 e 40 ppm, pulverizado, uma, três e seis vezes, com intervalos de uma semana, iniciando-se a primeira aplicação sete dias após o transplante , com a finalidade de se estudar a influência desse fitorregulador no desenvolvimento, produção e qualidade do fruto, nessa cultura. Conclui-se que a aplicação de 10 ppm, uma semana após o transplante, resultou em maior produção; maior peso médio do fruto e relativa precocidade. A dose de 40 ppm em se is aplicações consecutivas, resultou em pequena produção, mais tardia, com as plantas mostrando maior desenvolvimento vegetativo, folhas maiores e de coloração verde amarelada.

Influência do ácido giberélico na degradação do amido durante o amadurecimento da banana

Rossetto,Maria Rosecler Miranda; Lajolo,Franco Maria; Cordenunsi,Beatriz Rosana
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2004 PT
Relevância na Pesquisa
66.74%
O ácido giberélico (GA3) tem sido estudado com particular interesse na pós-colheita, pois melhora a qualidade e retarda a senescência dos frutos através de um complexo mecanismo de sinalização, interligado à atividade de enzimas responsáveis pelo processo do amadurecimento. Este hormônio vegetal, quando aplicado exogenamente, desempenha um papel importante no atraso da atividade de enzimas de parede celular, na síntese de carotenóides, degradação da clorofila e, em mangas, o GA3 diminuiu a atividade de amilases e peroxidases. A banana, fruto climatérico, tem como principal fonte de energia o amido. Este polissacarídeo é reduzido durante o climatério de teores que variam de 12 a 20%, dependendo da cultivar de banana, a menos de 1%, e o teor de sacarose pode aumentar até 12 vezes quando a fruta está amadurecida. No metabolismo de hidrólise do amido, as amilases parecem desempenhar um papel fundamental no início desta degradação, pois acredita-se que só endoamilases são capazes de atacar grânulos inteiros, fornecendo substrato para atuação de outras enzimas até a formação de açúcares. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da infiltração de giberelina A3 em fatias de banana no amadurecimento e degradação do amido. Observou-se que o fitohormônio não interferiu no climatério respiratório...

EFEITO DO ÁCIDO GIBERÉLICO NO RENDIMENTO DE TUBÉRCULOS DE BATATA

Lovato,Cláudio; Medeiros,Sandro Luís Petter; Streck,Nereu Augusto
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1994 PT
Relevância na Pesquisa
66.74%
RESUMO Em um experimento objetivando avaliar o efeito da quebra de dormência de "batata-semente", com ácido giberélico, sobre o rendimento de tubérculos, verificou-se que "batata-semente" imersas por 20 minutos em solução a 10 ppm, produziram plantas que recobriram mais uniforme e rapidamente o solo, o que determinou rendimento 44% superior à testemunha.

O uso de ácido giberélico em solução nutritiva na avaliação precoce de estatura de genótipos de trigo hexaplóide

Dornelles,Ana Lúcia Cunha; Carvalho,Fernando Irajá Félix de; Federizzi,Luiz Carlos; Tavares,Maria Jane Cruz de Melo Sereno; Amaral,Adriane; Langlois,Patrícia
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1995 PT
Relevância na Pesquisa
67.2%
Seis genótipos de trigo hexaplóide de estatura e sensibilidade ao ácido giberélico conhecidas, foram utilizadas para testar a técnica de avaliação precoce de estatura de planta com o uso de solução nutritiva contendo ácido giberélico em potes colocados em condições de ambiente controlado. Foram utilizados três períodos de exposição das plântulas ao ácido giberélico: sem ácido giberélico (zero dias); ácido giberélico a partir do 8° dia de ensaio (7 dias); e, ácido giberélico durante todo o ensaio (15 dias). Foram realizadas em todas as plântulas três medições: comprimento de coleóptilo (COL); altura de inserção da lâmina da primeira folha (PRI); e, altura da plântula (TOT). Estas variáveis (COL, PRI e TOT) e as diferenças entre elas: DIF1 (PRI - COL), DIF2 (TOT - COL) e DIF3 (TOT - PRI) foram comparadas e testadas para definição da mais representativa para identificação do efeito do ácido giberélico. O uso de ácido giberélico em solução nutritiva foi eficiente na distinção de genótipos com diferentes estaturas, independente do período que foi administrado. As variáveis PRI e DIF1 foram as melhores para detectar a sensibilidade da plântula ao ácido giberélico.

Diferentes ambientes para avaliação da sensibiliade ao ácido giberélico em genótipos de trigo (Triticum aestivum L.)

Canci,Paulo Cesar; Carvalho,Fernando Irajá Felix de; Barbosa Neto,José Fernandes; Oliveira,Marco Antônio Rott de; Franco,Francisco de Assis
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1997 PT
Relevância na Pesquisa
66.74%
O presente trabalho foi conduzido com o objetivo de analisar diferentes ambientes para a identificação de genótípos portadores de genes redutores da estatura de planta em trigo, através da reação de sensibilidade ao ácido giberélico (AG). O experimento foi instalado no ano de 1995 em casa de vegetação (CV) e laboratório (LA) na Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - FA/UFRGS, Porto Alegre e a campo (CA), em Eldorado do Sul, RS. Foram avaliados 6 genótípos de diferentes estaturas de planta em 0 e I00ppm de AG em CV e LA e 0, 100 e l000ppm de AG aplicados quando as plantas apresentavam duas e quatro folhas em CA. A determinação da estatura foi realizada aos 20 dias após a aplicação do tratamento em CV, 18 dias em LA e em quatro avaliações semanais em CA. A separação dos genótípos de acordo com a sensibilidade ao AG foi possível nos três ambientes, sem que a ordem de resposta fosse alterada. A diferença de estatura entre os tratamentos foi utilizada para a comparação entre ambientes e as maiores diferenças de estatura foram observadas em CV e CA. A interação genótipo x ambiente não foi significativa revelando a possibilidade de realização do teste em campo. Para todos os tratamentos aplicados foi possível identificar os genótípos sensíveis ao AG a partir dos 7 dias...

Uso do ácido giberélico na quebra de dormência e de dominância apical em batata

Bisognin,Dilson Antônio; Centenaro,Ricardo; Missio,Evandro Luiz
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1998 PT
Relevância na Pesquisa
66.74%
O experimento foi conduzido em laboratório e a campo no ano de. 1996 com o objetivo de avaliar o efeito do ácido giberélico (GA), aplicado via foliar ou por aspersão nos tubérculos, na quebra de dormência e de dominância apical em diferentes tipos de tubérculos-semente das cultivares Macaca, Baronesa e Monte Bonito. Os tratamentos via foliar foram aplicados sete dias antes da eliminação da parte aérea, nas doses de 0, 250, 500, 750 e 1000 g/ha de GA e por aspersão nos tubérculos logo após a colheita, nas concentrações de 10 e 30ppm. Não houve interação entre a aplicação de GA x cultivar ou GA x tipo de tubérculo. A aplicação via foliar resultou em aumento na percentagem de tubérculos brotados e no número de brotos/tubérculo e na redução do número de dias até a emergência. A aspersão nos tubérculos promoveu, na concentração de 30ppm, um aumento estimado de 113,6% no número de brotos/tubérculo e 37,8% no número de hastes/m² e uma redução de 25% no período até a emergência, em relação à testemunha. O aumento do rendimento e número total de tubérculos foi da ordem de 13,8% e 23,2%, e para o rendimento e número de tubérculos-semente esse aumento foi de 25,8% e 27,6%, em relação à testemunha. A aplicação de GA por aspersão nos tubérculos logo após a colheita acelera a brotação...

O pH da calda de aplicação e a absorção de ácido giberélico por frutas de laranja cv. ‘Valência’

Casagrande Jr.,João Guilherme; Fachinello,José Carlos; Faria,João Luiz Carvalho
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/1999 PT
Relevância na Pesquisa
67.12%
Com o objetivo de estudar os efeitos que o ácido giberélico causa em frutas de laranja ‘Valência’, quando aplicado em diferentes concentrações, e também sob diferentes pH na calda de aplicação, foi realizado experimento onde os tratamentos consistiram de 5 concentrações (0, 5, 10, 15 e 20 ppm) e 3 pHs (3, 4,5 e 6). A aplicação foi feita em maio, quando as frutas estavam com coloração verde-amarelada, e as coletas para avaliação feitas a cada 30 dias, até o mês de novembro. Foram feitas 7 coletas no total. As variáveis estudadas foram coloração da epiderme, espessura da casca, pH do suco, acidez total titulável (ATT), teor de sólidos solúveis totais (SST), relação SST/ATT, índice tecnológico e rendimento de suco. Os resultados obtidos não permitiram concluir que o ácido giberélico tenha influência sobre as características fisico-químicas do suco, tais como pH, rendimento, SST, AT, Ratio e índice tecnológico. A espessura da casca também não foi influenciada pelo AG3. No entanto, o ácido giberélico reteve a coloração verde da casca, segundo um gradiente no que diz respeito à concentração, no sentido de que ao aumentá-la, manteve por mais tempo a coloração verde das frutas. Este comportamento foi observado em maior ou menor escala...

Genetica da Insensibilidade ao Acido Giberelico em Genotipos de Trigo com Diferentes Estaturas.

FEDERIZZI, L.C.; CARVALHO, F.I.F. de; OLIVEIRA, M.A.R. de
Fonte: Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasilia, v.27, n.8, p.1183-1193, ago.1992 Publicador: Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasilia, v.27, n.8, p.1183-1193, ago.1992
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.97%
Estudou-se a heranca do carater insensibilidade ao ácido giberelico em trigo (Triticum aestivum L.), pela analise genetica de 21 cruzamentos envolvendo sete genotipos de diferentes estaturas, em todas as combinacoes possiveis. A analise da resposta ao acido giberelico das populacoes Pl, P2, Fl, F2, F3, RC1F1 e RC2F1, foi realizada em casa de vegetacao, sendo utilizados 100 ppm de AG3, e a diferenca visual entre a altura da segunda e a primeira folha das plantas de trigo como indicacao da resposta. A analise genetica permitiu identificar um gene para a insensibilidade com dominancia completa nos genotipos de baixa estatura, quando comparados com os genotipos de porte alto. Entretanto, foram identificados dois genes diferentes para a insensibilidade ao acido giberelico entre os genotipos de reduzida estatura, sendo um presente nos genotipos BTU e ALD e o outro nos genotipos JUR e ANA.; 1992

Efeito do anelamento e de doses de ácido giberélico na frutificação das uvas 'Niagara Rosada' e 'Vênus' nas regiões noroeste e da alta paulista do Estado de São Paulo.; Effect of girdling and gibberellic acid on the fruit set of 'Niagara Rosada' and 'Venus' grapevines growing in the northwest area of São Paulo state.

Cáto, Stella Consorte
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/05/2002 PT
Relevância na Pesquisa
67.2%
O presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo de avaliar o efeito do ácido giberélico em doses crescentes, isoladamente ou em conjunto com o anelamento de ramos e/ou com o desponte de cachos sobre as características dos cachos, bagos e engaços das cultivares de uvas de mesa Niagara Rosada e Vênus. Foram realizados dois experimentos para cada cultivar nas regiões noroeste e da alta paulista do Estado de São Paulo, e os delineamentos estatísticos utilizados foram em blocos ao acaso, com cinco repetições sendo quatorze e dezoito tratamentos para 'Niagara Rosada' e vinte e oito tratamentos para cada experimento com 'Vênus'. Para todos os experimentos, o ácido giberélico nas doses de 0; 10; 22,5; 35; 47,5; 60 e 72,5ppm, fo i aplicado quinze dias após o pleno florescimento, através da imersão total dos cachos, com exceção de um experimento com 'Niagara Rosada', no qual foi acrescido mais duas doses de 85 e 97,5ppm. O anelamento nos ramos produtivos foi realizado também nesta mesma época. No primeiro experimento com 'Niagara Rosada' detectou-se que não houve influência do anelamento de ramos sobre a massa e o tamanho médio dos bagos. Também, a dose de 35ppm de ácido giberélico sendo aplicada isoladamente originou incrementos na massa e tamanho médio dos cachos e bagos. Esta mesma dose quando aplicada conjuntamente com o anelamento de ramos proporcionou incrementos no teor de sólidos solúveis totais do mosto. No segundo experimento com 'Niagara Rosada'...

ANELAMENTO E ÁCIDO GIBERÉLICO NA FRUTIFICAÇÃO DA UVA 'MARIA' SEM SEMENTES

Kalil,Geovanita Paulino da Costa; Terra,Maurilo Monteiro; Kalil Filho,Antonio Nascimento; Macedo,Jefferson Luiz Vasconcello de; Pires,Erasmo José Paioli
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
66.97%
Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de avaliar a resposta do cultivar Maria (IAC 514-6) ao anelamento e à aplicação de ácido giberélico na concentração de 200ppm, no início ou após o florescimento, para as características dos cachos, bagos e engaços. O experimento foi realizado em Jundiaí, SP, e o delineamento estatístico foi inteiramente casualizado, com doze tratamentos e cinco repetições. Não foram detectados efeitos de época de anelamento ou de aplicação de ácido giberélico. Efeitos significativos do anelamento no tronco ou nos ramos e da aplicação do ácido giberélico ou de ambos os tratamentos foram detectados para as características estudadas. Os incrementos verificados para essas características foram semelhantes ao serem aplicados os fatores isoladamente ou em conjunto.

EFEITO DO ÁCIDO GIBERÉLICO SOBRE O COMPRIMENTO E DIÂMETRO DO CAULE DE PLÂNTULAS DE LIMÃO `CRAVO' (Citrus limonia Osbeck)

MODESTO,J.C.; RODRIGUES,J.D.; PINHO,S.Z. de
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/1996 PT
Relevância na Pesquisa
66.88%
O presente trabalho foi instalado em condições de campo com plântulas de limão `Cravo'(Citrus limonia Osbeck), em delineamento inteiramente casualizado, com três repetições no esquema de parcelas sub-divididas, onde os tratamentos principais foram 5 concentrações de ácido giberélico: T1 = 0, T2 = 25, T3 = 50, T4 = 100 e T5 = 150 ppm, parceladas em quatro pulverizações. Os tratamentos secundários foram as coletas do material, realizadas dos 70 aos 210 dias, em intervalos de 14 dias. Pelos resultados obtidos, o fitorregulador promoveu efeito favorável com relação ao incremento do comprimento do caule, sendo o tratamento de 150 ppm superior aos demais. O diâmetro do caule atingiu maiores dimensões com aplicação de ácido giberélico 50 e 25 ppm.

Efecto del ácido giberélico y etileno, aplicados en postcosecha, sobre la conservación de limones de invierno variedad Eureka

Soto Recoba, Paola Andrea
Fonte: Universidad de Chile Publicador: Universidad de Chile
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
66.93%
Ingeniero Agrónomo; No disponible a texto completo; Esta investigación tuvo como objetivo determinar el efecto de aplicaciones de ácido giberélico y etileno en postcosecha sobre la maduración y desórdenes fisiológicos en limones de invierno variedad Eureka, que permitan mejorar la calidad y vida de almacenaje. Se realizaron cuatro ensayos con limones provenientes de la RM y V Región, en la exportadora Propal ubicada en la comuna de Hijuelas, Provincia de Quillota, V Región, entre el 2 de junio y el 10 de agosto de 2006. En el ensayo 1 se utilizaron concentraciones de 50; 150; 250 y 350 mg·L-1 de GA3, en el ensayo 2 se utilizaron las mismas concentraciones de GA3 mencionadas anteriormente, después de haber sido tratados los limones con 3 mg·L-1 de etileno a 22°C durante 5 días de exposición. En el Ensayo 3 y 4, los limones fueron tratados con 5 mg·L-1 de etileno con dos temperaturas diferentes 6°C y temperatura ambiente (12 a 14°C) respectivamente, durante 4 y 7 días de exposición. Todos los ensayos constaron con un tratamiento con fruta testigo sin aplicación. Los frutos de los cuatro ensayos se almacenaron a una temperatura de 8°C y con aproximadamente 85 a 90% de humedad relativa durante 30 días. En el caso del ensayo 1...

Germinación de semillas de chile simojovel (Capsicum annuum L.) previamente expuestas a NaCl y ácido giberélico

De la Rosa,M; Arce,L; Villarreal,JA; Ibarra,L; Lozano,J
Fonte: Phyton (Buenos Aires) Publicador: Phyton (Buenos Aires)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 ES
Relevância na Pesquisa
67.08%
Semillas de chile de Simojovel fueron tratadas con NaCl 0,5 M y posteriormente puestas a germinar en una solución de ácido giberélico a diferentes concentraciones. En una primera fase se utilizaron tratamientos con y sin exposición previa a NaCl combinados con dosis de 0, 100, 200, 300 y 400 mg/L de ácido giberélico. De acuerdo a los resultados de esta primera fase, se llevó a cabo una segunda etapa para encontrar una concentración óptima de ácido giberélico, y se utilizaron concentraciones de 0, 350, 400, 450 y 500 mg/L combinado con los tratamientos de exposición previa a NaCl. Los experimentos de ambas etapas fueron dispuestos en un diseño experimental completamente al azar con arreglo factorial de 2 x 5 en cuatro repeticiones. El mayor (p=0,01) porcentaje de germinación (91,75%) se obtuvo en semillas previamente expuestas a NaCl y tratadas con ácido giberélico a una concentración de 350 mg/L. La exposición previa de semillas de chile simojovel a NaCl, y subsiguiente tratamiento con ácido giberélico, incrementó significativamente la germinación de dichas semillas.

Aplicación de ácido giberélico en precosecha y cera en poscosecha a frutos de limón mexicano

Álvarez-Armenta,Rosario; Saucedo-Veloz,Crescenciano; Chávez-Franco,Sergio; Medina-Urrutia,Víctor; Colinas-León,María Teresa; Báez-Sañudo,Reginaldo
Fonte: Instituto Nacional de Investigaciones Forestales, Agrícolas y Pecuarias Publicador: Instituto Nacional de Investigaciones Forestales, Agrícolas y Pecuarias
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 ES
Relevância na Pesquisa
66.91%
Este trabajo se efectuó en una huerta comercial ubicada en Tecomán, Colima, México durante 2006, para determinar el efecto precosecha de la aplicación de ácido giberélico (AG3) en frutos de limón mexicano. Se realizaron 3, 2, 1 y 0 aplicaciones de 10 mg L-1 de ácido giberélico a frutos en desarrollo a los 64, 78 y 92 días después de la antesis. Además, un día después de la cosecha, se aplicó una cubierta con cera de carnauba a la mitad de los frutos de cada tratamiento. El efecto del regulador de crecimiento y de la cera de carnauba en los frutos de limón se evaluó al final de un período de almacenamiento en refrigeración a 9 °C, durante 35 días y de la exposición durante siete días a 20 ºC, para simular condiciones de comercialización. Los parámetros considerados para determinar la acción de los reguladores de crecimiento exógenos fueron: índice de color; sólidos solubles totales (ºBx), acidez titulable, ácido ascórbico y pérdida de peso. Los resultados obtenidos revelaron que el tratamiento de tres aplicaciones de 10 mg L-1 de AG3 + cera, mantuvo las características de calidad de los frutos de limón al final de ambos períodos de almacenamiento. Así, la combinación del regulador y la cera retrasaron la senescencia...