Página 7 dos resultados de 352 itens digitais encontrados em 0.030 segundos

Impacto de um mecanismo de disparo da convecção na precipitação simulada com o modelo regional BRAMS sobre a bacia amazônica durante a estação chuvosa de 1999

Silva,Cláudio Moisés Santos e; Freitas,Saulo Ribeiro de
Fonte: Sociedade Brasileira de Meteorologia Publicador: Sociedade Brasileira de Meteorologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.47%
O objetivo deste artigo é mostrar o impacto da implementação de uma função de disparo da convecção na parametrização convectiva de Grell e Devenyi, contida no modelo atmosférico regional BRAMS (Brazilian developments on Regional Atmospheric Model). Para verificar o ciclo de precipitação foi usado um conjunto de dados do período chuvoso de 1999 no âmbito do projeto Large scale Biosphere-Atmosphere Experiment in Amazonia (LBA). A nova função de disparo de convecção é acoplada aos fluxos de calor sensível e latente à superfície. Além disso, possui a vantagem de considerar a média dos primeiros 60 hPa da troposfera para caracterizar a ascenção pseudo adiabática da parcela. Assim, a parcela em ascenção apresenta redução da Convective Available Potential Energy (CAPE), o modelo acumula menos CAPE nas primeiras horas do dia e com isso, o máximo de precipitação é atrasado (embora dependa da região analisada). Um aspecto negativo foi que a precipitação sobre a Cordilheira dos Andes aumentou relativamente à versão original. Conclui-se que o esquema apresenta vantagens e desvantagens e que faz-se necessário avaliar outras parametrizações do modelo...

Aspectos metodol??gicos sobre o emprego do m??todo do SCS com aux??lio de ferramentas de geoprocessamento no projeto de estruturas de drenagem de uma rodovia

Tassi, Rutin??ia; Bastos, Cezar Augusto Burkert; Miranda, Talita Caroline
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
35.97%
Como nem sempre encontramos dados observados que permitam a obten????o da vaz??o m??xima para o dimensionamento de obras hidr??ulicas de drenagem, ?? necess??rio utilizar m??todos hidrol??gicos que representem os principais processos da transforma????o da precipita????o em vaz??o. O presente artigo apresenta a compara????o entre o dimensionamento hidr??ulico de estruturas de drenagem de um trecho de rodovia, utilizando para obten????o das vaz??es de projeto o M??todo Racional e o Hidrograma Unit??rio Sint??tico (HUS) combinado com o m??todo do Curve Number (CN), estabelecido pelo Soil Conservation Service (SCS). Verificou-se que a economia obtida com o dimensionamento das estruturas segundo os m??todos do SCS seria, em m??dia, superior a 60% em rela????o ao uso do M??todo Racional. Tamb??m discute-se como podem ser utilizadas ferramentas de geoprocessamento na aplica????o das metodologias citadas, destacando as vantagens encontradas nesse processo.; The engineer frequently has not observed flow data, allowing the correct design of hydraulics drainage system, so it is necessary to use hydrologic methods to reproduce the transformation process precipitation in flow (runoff). Due your simplicity, the Rational Method still is used in these cases...

Distribui????o espacial e varia????es temporais da abund??ncia de ovos e larvas de Micropogonias furnieri no estu??rio da Lagoa dos Patos: registros hist??ricos e for??antes ambientais

Bruno, Marcelo Alexandre; Muelbert, Jos?? Henrique
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
35.97%
As esp??cies de peixes que ocorrem no estu??rio da Lagoa dos Patos (ELP) apresentam diferentes estrat??gias de desova que procuram otimizar um balan??o entre condi????es ambientais locais e remotas, e seu ciclo de vida. O presente trabalho descreve e analisa a distribui????o espacial, variabilidade temporal e a influ??ncia de vari??veis ambientais sobre a abund??ncia de ovos e larvas de Micropogonias furnieri no ELP. Foram utilizadas vari??veis ambientais e um banco de dados de ictiopl??ncton com registros hist??ricos. O ictiopl??ncton foi coletado com rede de pl??ncton com malha de 300 ou 500 ??m em amostras mensais e/ou quinzenais. An??lise de vari??ncia foi utilizada para testar os efeitos da varia????o temporal e distribui????o espacial sobre a abund??ncia m??dia de ovos e larvas. Salinidade, temperatura, press??o atmosf??rica e velocidade dos ventos foram importantes na variabilidade sazonal da abund??ncia, enquanto a precipita????o e vaz??o foram importantes para as diferen??as interanuais. A abund??ncia de ovos e larvas foi maior no estu??rio inferior e durante a primavera e ver??o. Estes resultados sugerem que a variabilidade na distribui????o dos primeiros est??gios de vida de M. furnieri ?? determinada por diferentes escalas temporais.; Fish species from the Patos Lagoon Estuary (PLE) adopt different spawning strategies to optimize the balance between remote and local environmental conditions during their life cycle. The purpose of this study was to describe and analyze the spatial distribution...

Influencia das fabricas de fertilizantes na composicao das aguas da chuva e subterranea (Rio Grande,RS)

Garcia, Marina Reback Domingues; Mirlean, Nicolai; Casartelli, Maria Regina de Oliveira; Baisch, Paulo Roberto Martins
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
35.94%
A concentra????o de fluoreto foi determinada, atrav??s do m??todo potenciom??trico, com eletrodo ??on seletivo, na ??gua da chuva e na ??gua subterr??nea, no munic??pio de Rio Grande. Os teores de fluoreto na ??gua da chuva variaram de 0,05 a 4,40 ppm, enquanto que na ??gua subterr??nea as concentra????es de fluoreto variaram entre 0,08 e 2,20 ppm. Os resultados mostram que os teores de fluoreto na ??gua da chuva coletada no ponto de amostragem est?? relacionada ?? dire????o do vento e aos par??metros de chuva (pH e condutividade). Mesmo em regi??es mais afastadas das f??bricas (10 km de dist??ncia), as concentra????es de fluoreto podem atingir valores que superam muitas vezes o teor de background mundial para ??guas de chuva, apresentando forte evid??ncia do efeito das atividades industriais realizadas nas f??bricas de fertilizantes. As concentra????es de fluoreto nas ??guas subterr??neas mostram uma tend??ncia de diminui????o com afastamento das f??bricas.; Fluoride concentration was determined by potentiometric method in rainwater and in groundwater at Rio Grande city. In rain water, the range of fluoride concentration was 0.05 ??? 4,40 ppm, and in ground water it was 0,08 ??? 2,20 ppm. It was concluded that fluoride concentration in rainwater has relation to wind direction and rain parameters (pH and conductivity). Up until distant places from the factories (10 km)...

O paradigma penal contemporâneo: o estado penal como estado de exceção permanente

Ramos, Jonas Machado
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
35.96%
O presente trabalho teve por objetivo empreender uma análise acerca dos impactos da emergência e sedimentação da sociedade do risco nos sistemas penais das sociedades ocidentais, mormente seus reflexos sobre o paradigma do Direito Penal classicamente concebido e sua irresistível transformação em mecanismo de gestão do risco na sociedade contemporânea. Para tanto, partimos da hipótese central de que a sociedade do risco global, tal qual desenvolvida pelas análises de Ulrich Beck, precipita o surgimento de uma sociedade do medo tanto real e inegável quanto sentido e imaginado, isto é, produto inexorável de uma certa sensibilidade psicologicamente produzida pelas ameaças dos riscos catastróficos de dimensões globais (riscos ecológicos, sanitários, bélicos, etc. ) e da insegurança generalizada. Assim, pretendeu-se analisar as raízes desse processo de produção do medo e, a partir do enfoque de François Ost sobre o tempo do Direito, abordar o estado de urgência enquanto nova modalidade temporal, a fim de identificá-los como contributos decisivos ao aparecimento do paradigma punitivo erigido sob o manto de Estado de Exceção e instrumentalizado por um Direito Penal cada vez mais violento. Relacionando as mudanças sociais contemporâneas...

Isolamento, propriedades bioqu?micas e estudos biol?gicos do inibidor proteico da Macrotyloma axillare

Oliveira, Marcelo Eur?pedes
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Biol?gicas. N?cleo de Pesquisas em Ci?ncias Biol?gicas, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Biol?gicas. N?cleo de Pesquisas em Ci?ncias Biol?gicas, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
35.97%
Os extratos de sementes e cotil?dones da Macrotyloma axillare tratados termicamente a 90OC por 30 min. seguido de precipita??o por etanol frio na faixa de concentra??o de 60-80% resulta na purifica??o parcial de inibidores de protease do tipo Bowman Birk. O isolamento das isoformas com elevado teor de pureza ? alcan?ado por meio de cromatografias de troca i?nica. A an?lise dos cromatogramas em resinas carregadas demonstra uma redu??o da carga l?quida negativa dos inibidores do cotil?done, confirmada pelo aumento dos tempos de reten??o em HPLC e pela redu??o da massa molecular em espectrometria de massa. A maior pot?ncia dos inibidores do cotil?done em rela??o aos inibidores da semente em ensaios in vitro sugere uma possibilidade de envolvimento nos mecanismos de defesa da planta, embora ensaios comparativos ?in vivo? n?o tenham sido realizados. A atividade dos inibidores Bowman Birk na preven??o de processos carcinog?nicos induzidos est? associada principalmente ? sua atividade em inibir a quimotripsina. O processo de germina??o de sementes da Macrotyloma axillare possibilitou a obten??o de isoformas pequenas, compreendidas entre as sete liga??es dissulfeto dos inibidores BBI DE-3 e DE-4 j? descritos por Joubert e cols. 1979, com atividade aumentada antiquimotripsina (oito vezes) e antitripsina (quatro vezes). __________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: The extracts of seeds and cotil?dones of Macrotyloma axillare heat treatments the 90?C for 30 min. followed by precipitation for cold etanol to obtain saturation of 60-80% results in the partial purification of inhibitors of protease of the type Bowman Birk. The isolation of the isoinhibitors with high text of purity is reached by means of ionexchange chromatography. The analysis of the chromatography in loaded resins demonstrates a reduction of the load liquid negative of the inhibitors of the cotyledons...

An?lise e modelagem hidrometeorol?gica na Bacia do Rio Tocantins em Marab?-PA

SANTOS, Daniel Menin?a
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.39%
Esta pesquisa objetivou desenvolver um modelo estat?stico de previs?o de vaz?o para Marab? - PA, bem como avaliar a estrutura din?mica atmosf?rica associada aos extremos do regime hidrol?gico da bacia do rio Tocantins. O modelo hidrol?gico de regress?o linear m?ltipla utilizou as s?ries de observa??es fluviom?tricas e pluviom?tricas obtidas no banco de dados da ANA. Os testes de valida??o do modelo estat?stico com coeficiente de Nash acima de 0,9 e erro padr?o de 1,5 % e 5% nos per?odos de cheia e estiagem, respectivamente, permitem que as previs?es de vaz?o em Marab? possam ser geradas com anteced?ncia de 2 a 4 (3 a 5) dias para o per?odo da cheia (estiagem). Atrav?s da t?cnica de composi??es considerando todos os anos com registro de vaz?o acima/muito acima e abaixo/muito abaixo do normal, obtidos pela metodologia dos percentis, investigaram-se as caracter?sticas regionais da precipita??o e a estrutura din?mica atmosf?rica em cada m?s (Novembro a Abril). As composi??es dos anos com vaz?o acima/muito acima mostraram que a precipita??o sobre a bacia foi acima do normal em todos os meses, sendo que os padr?es de grande escala indicaram a configura??o associada ao fen?meno La Ni?a no Pac?fico e condi??es de resfriamento no Atl?ntico Sul; intensifica??o tanto do ramo ascendente zonal da c?lula de Walker como do ramo ascendente meridional da c?lula de Hadley; intensifica??o da Alta da Bol?via posicionada mais a leste e anomalias negativas de ROL associadas ? atua??o conjunta da ZCAS e ZCIT. Inversamente...

Caracteriza??o de regimes de umidade em regi?es tropicais: compara??o entre floresta e savana

SILVA, Ludmila Monteiro da
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
35.98%
Este trabalho tem como objetivo investigar um m?todo de classifica??o de regimes de umidade, baseado na caracteriza??o de diferentes ?estados? da Camada Limite Atmosf?rica Tropical (CLAT), tanto acima de uma ?rea de floresta quanto acima de uma ?rea de savana, de acordo com a metodologia proposta por Mahrt (1991). A partir dessa classifica??o ? elaborado um aperfei?oamento da mesma que incorpora tanto uma an?lise da estabilidade termodin?mica da CLAT para a ?rea de floresta, quanto uma investiga??o sobre a contribui??o da Energia Potencial Dispon?vel para Convec??o (CAPE) para a classifica??o dos regimes de umidade. Para essas an?lises foram utilizados dados de radiossondagens e de torres micrometeorol?gicas, coletados durante o per?odo menos chuvoso de cada regi?o. Esses dados foram obtidos durante experimentos de campo realizados nas ?reas de estudo, sendo que para a ?rea de floresta (Caxiuan?) se utilizaram os dados do experimento COBRA-PAR? (realizado no per?odo de 06 a 13/11 de 2006), enquanto que para a ?rea de savana (Daly Waters) se utilizaram os dados do experimento ?KOORIN? (realizado no per?odo de 15/07 a 13/08 de 1974, na Austr?lia). A compara??o entre os regimes de umidade de cada regi?o sugere que, caso houvesse a savaniza??o da Amaz?nia...

Hidroqu?mica dos lagos Bolonha e ?gua Preta, mananciais de Bel?m-Par?

SODR?, Silvana do Socorro Veloso
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.37%
A Regi?o Metropolitana de Bel?m ? abastecida com ?gua pot?vel pela Companhia de Saneamento do Par? (COSANPA), que utiliza os mananciais do Utinga, lagos Bolonha e ?gua Preta, considerados os mais importantes da regi?o, respons?veis pelo abastecimento de 75% dessa popula??o. Os mananciais recebem diuturnamente contribui??o das ?guas do rio Guam?, para manter seus n?veis de ?gua. A amostragem das ?guas (superficiais e fundo) foi feita em 12 pontos, 11 no lago ?gua Preta e 1 no lago Bolonha. Todas as coletas foram realizadas com o auxilio de uma garrafa hidrol?gica (Niskin). O trabalho teve como objetivo estudar os par?metros abi?ticos como temperatura, turbidez, cor aparente, condutividade el?trica, pH, oxig?nio dissolvido, nitrato, N-amoniacal, fosfato, s?lidos suspensos e transpar?ncia da ?gua, para avaliar seu comportamento frente a sazonal idade e hidrologia nos lagos. As vari?veis hidrol?gicas estudadas foram vaz?es de entrada e sa?da dos lagos, precipita??o pluviom?trica, varia??o dos n?veis de ?gua e varia??o dos volumes de ?gua. A batimetria no lago ?gua Preta foi realizada para obter dados atuais de profundidades m?dias. Aos resultados foi aplicado um tratamento estat?stico a fim de avaliar as rela??es entre os par?metros estudados. Os par?metros turbidez...

Varia??o geogr?fica de Osteocephalus taurinus Steindachner, 1862 (Amphibia : Anura : Hylidae)

ESTUPI??N-TRISTANCHO, Ruth Amanda
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
35.98%
Osteocephalus taurinus ? uma esp?cie nominal de ampla distribui??o na Amaz?nia e nos llanos do Orinoco. Sua grande varia??o morfol?gica indica que se trata de um complexo de esp?cies. O presente estudo examina a varia??o geogr?fica de v?rios caracteres morfol?gicos e morfom?tricos da esp?cie nominal, avalia a hip?tese de tratar-se de fato um complexo de esp?cies; e testa a teoria da atual distribui??o das formas, atrav?s de padr?es biogeogr?ficos, ecol?gicos e de reg?men de precipita??o j? definidos. A partir de 431 esp?cimes estudados foram selecionadas 16 popula??es, nas quais foram analisados 20 caracteres anat?micos internos, 14 caracteres morfom?tricos e seis caracteres morfol?gicos externos. Atrav?s de an?lises estat?stica e mapas de isolinhas evidenciou-se que O. taurinus n?o se trata de um complexo de esp?cies e sim possui uma grande varia??o intra e interpopulacional das carater?sticas morfom?tricas e morfol?gicas. Simultaneamente, foram observados caracteres anat?micos internos polim?rficos. O primeiro componente obtido atrav?s de uma an?lise de componentes principais mostra uma varia??o clinal do tamanho corporal ao longo da distribui??o geogr?fica total, mais evidente nos machos. Em outros caracteres analisados, a varia??o fico independente do cline. O padr?o espacial do tamanho indicou que as formas maiores ocorrem nas terras baixas da Amaz?nia...

Ecologia de dois grupos de sag?is-brancos, mico argentatus (Linnaeus 1771) em um fragmento florestal natural, Santar?m-Par?

CORR?A, Honorly K?tia Mestre
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
35.98%
Este trabalho apresenta os resultados de um estudo de longo-prazo sobre ecologia e comportamento de dois grupos silvestres de Mico argentatus em um fragmento florestal natural, isolado por uma matriz de vegeta??o de savana, na regi?o de Alter do Ch?o, Amaz?nia central. Os grupos, denominados Cm1 e Cm2 foram habituados e monitorados durante 12 meses em 2000 e quatro meses em 2001 (Cm1) e sete meses em 2000 e tr?s meses em 2001 (Cm2). An?lises de varia??o temporal envolveram tr?s per?odos sazonais distintos (Chuvosa-In?cio. Chuvosa-Final e Seca) em 2000, e a compara??o longitudinal dos meses julho e setembro em 2000-2001. An?lises das rela??es entre as vari?veis ecol?gicas (abund?ncia de principais recursos: frutos e insetos) e os padr?es ecol?gicos e comportamentais entre os grupos foram estabelecidos. Os grupos apresentaram composi??es e tamanhos diferentes, que variaram entre 4-8 e 8-11 membros, em Cm1 e Cm2, respectivamente. Os dados quantitativos foram coletados utilizando-se a amostragem de varredura instant?nea com amostras de um minuto de dura??o a cada intervalo de cinco minutos, durante todo o per?odo de atividade di?ria do grupo. Os resultados mostraram que ambos os grupos gastam mais da metade do tempo em forrageio e alimenta??o. A dieta foi constitu?da de frutos...

Caracteriza??o quali-quantitativa do fitopl?ncton da zona de arrebenta??o de uma praia amaz?nica

QUEIROZ, Jislene Brito Matos; SILVA, Nayra Iris Sozinho da; PEREIRA, Luci Cajueiro Carneiro; COSTA, Rauqu?rio Andr? Albuquerque Marinho da
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
35.97%
A estrutura da comunidade fitoplanct?nica da praia da Princesa (Ilha de Maiandeua) foi estudada durante um ciclo nictemeral nos meses de novembro/08, mar?o/09, junho/09 e setembro/09, de modo a verificar os efeitos de algumas vari?veis ambientais sobre esta comunidade. O microfitopl?ncton da praia da Princesa esteve representado por 98 t?xons, com predom?nio das diatom?ceas, seguidas dos dinoflagelados e cianof?ceas. Nas amostras qualitativas, Coscinodiscus perforatus Ehrenberg se destacou como abundante nos meses de mar?o (45,6%) e junho (45,1%), enquanto que a an?lise quantitativa revelou Dimeregramma minor (Gregory) Ralfs como dominante, principalmente, em novembro (82,0%) e setembro (83,0%). A biomassa fitoplanct?nica (clorofila-a) foi significativamente mais elevada em mar?o (U= 0,0; p<0,05). Os valores m?dios de densidade fitoplanct?nica total foram significativamente mais elevados no per?odo chuvoso (F= 6,2; p<0,05), principalmente em junho (1223 ? 110 x 103 c?ls L-1). As curvas de K-domin?ncia revelaram um decl?nio gradual na diversidade ao longo do per?odo seco. A an?lise de ordena??o (MDS) evidenciou a forma??o de tr?s grupos, enquanto que a an?lise de componentes principais (PCA) mostrou a salinidade e a turbidez como as principais vari?veis que definiram os componentes. A praia da Princesa ? um ambiente din?mico...

Estudos de pr?-formula??o e formula??o de Heliotropium indicum (L.) DC (Boraginaceae)

COSTA, Russany Silva da
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
35.98%
Heliotropium indicum L. (Boraginaceae) ? um subarbusto que atinge at? 70 cm de altura, ? amplamente distribu?do geograficamente. A esp?cie ? conhecida como fedegoso na regi?o norte e nordeste. Diante do potencial biol?gico desta esp?cie este trabalho objetiva determinar par?metros de qualidade da droga vegetal at? o produto final e avaliar a atividade antimicrobiana de suas folhas, com finalidade de se obter uma formula??o fitoter?pica semi-s?lida. Para isso utilizou-se par?metros de controle de qualidade f?sico, qu?mico e f?sico-qu?mico descritos na Farmacop?ia Brasileira e literatura pertinente. A droga vegetal foi classificada como p? grosso, apresentou valores m?dios de perda por desseca??o e cinzas totais de 12,88% e 17,14%, respectivamente. A an?lise termogravim?trica do p? e do extrato liofilizado mostrou que ambos apresentaram boa estabilidade t?rmica at? 180?C. Os espectros na regi?o do IV mostraram um aumento na intensidade das bandas de absor??o do extrato liofilizado, que pode est? relacionado ? extra??o dos constituintes qu?micos da matriz celular. A prospec??o qu?mica do extrato confirmou a presen?a de classes de metab?litos secund?rios j? relatados em literatura. A fra??o clorof?rmica sugere a presen?a de alcal?ides pelo teste de precipita??o com reagente de Dragendorff. A CCD e a CLAE mostraram uma poss?vel presen?a de uma mesma subst?ncia nas fra??es alcalo?dicas e hex?nicas. O extrato bruto de H. indicum L. inibiu o crescimento de Staphylococcus aureus apresentando halos de 12...

Climate estimates for Eastern Amazon with OLAM model

SILVA, Renato Ramos da; VITORINO, Maria Isabel; KUHN, Paulo Afonso Fischer; ANANIAS, Daniela dos Santos
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
35.97%
O modelo OLAM tem como caracter?stica a vantagem de representar simultaneamente os fen?menos de escala global e regional atrav?s de um esquema de refinamento de grades. Durante o projeto REMAM o modelo foi aplicado para alguns estudos de caso com objetivo de avaliar o desempenho do modelo na estimativa do clima da regi?o leste da Amaz?nia em per?odos de El Ni?o e La Ni?a. Estudos de caso foram feitos para os per?odos chuvosos dos anos 2010 e 2011que apresentaram condi??es oce?nicas distintas. Inicialmente, os resultados do modelo foram comparados com dados observados da regi?o de estudo. Os resultados mostraram que o modelo consegue representar bem os principais centros convectivos da regi?o e adjac?ncias, da evolu??o local do ciclo diurno de temperatura, e da din?mica dos ventos. Posteriormente, a an?lise dos resultados mostrou que, se tivermos bons dados de condi??o inicial e boa representa??o da evolu??o das condi??es de temperatura da superf?cie do mar, o modelo consegue prever com anteced?ncia de dois e tr?s meses se uma esta??o chuvosa ser? mais seca ou ?mida.; ABSTRACT: The OLAM model has as its characteristics the advantage to represent simultaneously the regional and global meteorological phenomena using a refining grid scheme. During REMAM project OLAM was applied for a few case studies with the goal to evaluate its performance to estimate the regional climate for the eastern Amazon during periods of El Ni?o and La Ni?a. Case studies were performed for the rainy periods of the years 2010 and 2011 that were driven by distinct oceanic conditions. Initially...

Evolu??o dos fluidos mineralizantes e modelo gen?tico dos veios de quartzo aur?feros em zona de cisalhamento do dep?sito Ouro Roxo, Prov?ncia Tapaj?s, Jacareacanga (PA), Brasil

VELOSO, ?ngela Su?lem Rocha; SANTOS, M?rcio Dias; JAVIER RIOS, Francisco
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
35.98%
O dep?sito aur?fero Ouro Roxo, localizado no munic?pio de Jacareacanga, Prov?ncia Aur?fera do Tapaj?s, sudoeste do Par?, formou-se em um sistema hidrotermal que gerou veios de quartzo sulfetados, em zona de cisalhamento N-S, d?ctil-r?ptil, obl?qua, denominada Ouro Roxo-Canta Galo, cortando granitoides calcioalcalinos da Su?te Intrusiva Tropas, de idade paleoproterozoica e hospedeira da mineraliza??o, em rochas localmente milonitizadas. Tr?s tipos de fluidos foram caracterizados como geradores do dep?sito: 1) fluido aquoso H2O-NaCl-MgCl2-FeCl2 de salinidade baixa a moderada, com temperatura de homogeneiza??o total (Th) = 180-280?C; 2) salmoura H2O-NaCl-CaCl2 com Th = 270-400?C, provavelmente portadoras de Cu e Bi, relacionadas geneticamente a um evento magm?tico contempor?neo ao cisalhamento que sofreu dilui??o pela mistura com ?gua mete?rica, baixando sua salinidade e temperatura (Th = 120-380?C); 3) fluido aquocarb?nico de m?dia salinidade, com Th = 230-430?C, que foi interpretado como o fluido mineralizante mais primitivo, provavelmente aur?fero, relacionado com o cisalhamento. As condi??es de temperatura e press?o (T-P) de forma??o do min?rio, estimadas conjuntamente pelo geoterm?metro da clorita e as is?coras das inclus?es fluidas...

Estoques e fluxos de carbono em planta??es florestais jovens de Acacia mangium e Schizolobium parahyba var. Amazonicum na Amaz?nia Oriental

FREITAS, Jorge Fernando Barros de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
35.97%
Planta??es florestais s?o consideradas como alternativas de uso da terra para mitiga??o dos efeitos das mudan?as clim?ticas, devido ao potencial de sequestro de carbono em esp?cies arb?reas. No entanto, h? poucas informa??es sobre estoques e fluxos de carbono em esp?cies comumente usadas em planta??es florestais, sobretudo na Amaz?nia. O objetivo deste estudo foi determinar o estoque de carbono na fitomassa e o efluxo de di?xido de carbono do solo em plantios de Acacia mangium Willd e Schizolobium parahyba var. amazonicum em diferentes espa?amentos. O estudo foi conduzido em Dom Eliseu, Par?, cujo clima apresenta temperatura m?dia anual em torno de 25 ?C e precipita??o anual de 2250 a 2500 mm; o solo predominante ? Latossolo amarelo distr?fico t?pico A moderado textura muito argilosa. Neste estudo foram selecionadas duas esp?cies (A. mangium e S. parahyba) em dois espa?amentos (4,0 m x 2,0 m e 4,0 m x 3,0 m), com duas repeti??es, totalizando 4 tratamentos e 8 parcelas, estudadas por um per?odo de um ano, dos 2,5 aos 3,5 anos de idade. As parcelas mediram 48 m x 60 m. Mediram-se altura total, di?metro ? altura do peito, fluxo de CO2 do solo, e estimou-se o estoque de carbono na fitomassa acima do n?vel do solo. O efluxo de CO2 do solo nos plantios de A. mangium tiveram uma m?dia global de 5...

Biologia reprodutiva e h?bito alimentar de Dendrophryniscus minutus (Melin, 1941)(Amphibia : Bufonidae) na Floresta Nacional de Caxiuan?, Par?

TRAVASSOS, Alessandra Elisa Melo
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
35.98%
Este estudo teve como objetivo examinar caracter?sticas da biologia reprodutiva, condi??o nutricional e h?bito alimentar do anuro de serrapilheira por meio de indiv?duos coletados na Esta??o Cient?fica Ferreira Pena, Floresta Nacional de Caxiuan? no per?odo de abril de 1997 a abril de 1998. Uma amostragem de 166 esp?cimes foi examinada para obten??o de medidas de comprimento rostro-cloaca, massa de corpos de gordura, di?metro, massa e n?mero de ?vulos nas f?meas, e volume dos test?culos em machos. O h?bito alimentar da esp?cie foi determinado atrav?s da an?lise dos conte?dos estomacais. A estrutura da popula??o amostrada indicou um padr?o com a predomin?ncia de indiv?duos adultos, incluindo f?meas gr?vidas, nos meses de chuva, e o recrutamento de juvenis no in?cio da esta??o seca. Igualmente, o di?metro e a massa de ?vulos no ov?rio, utilizados como indicadores de est?gio de desenvolvimento gonadal, foram maiores na esta??o chuvosa. Entre os machos, os maiores valores de volume dos test?culos tamb?m apareceram em fevereiro e abril, mas n?o houve um padr?o evidente de correla??o com a precipita??o. O consumo de alimento n?o apresentou um padr?o claro de varia??o entre os meses e n?o foi correlacionado ? massa do corpo de gordura. As medidas de corpos de gordura foram positivamente correlacionadas aos est?gios de desenvolvimento dos ?vulos em f?meas...

Regimes t?rmico e h?drico em solos sob ecossistemas naturais e ?rea agr?cola no Leste da Amaz?nia

CARVALHO, Saulo Prado
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.39%
A temperatura e umidade do solo s?o vari?veis cujo conhecimento ? fundamental para determinar os balan?os de energia e ?gua na biosfera. Os regimes t?rmico e h?drico dos solos sob cada ecossistema apresentam varia??es consider?veis, de acordo com sua mineralogia, o clima local e a vegeta??o. Nesse contexto, as temperaturas e umidades do solo foram medidas sob tr?s ecossistemas existentes na regi?o leste da Amaz?nia, a saber: floresta nativa (FLONA Caxiuan?, 01? 42' 30" S e 51? 31' 45" W), pastagem nativa (Soure, 00? 43' 25" S e 48? 30' 29" W) e ?rea agr?cola (!garap?-A?u, 01? 07' 59" S e 47? 36' 55" W). Os dados de campo na floresta e na pastagem foram coletados entre dezembro de 2001 e fevereiro de 2005; enquanto que na ?rea agr?cola, o monitoramento foi limitado de agosto de 2003 a fevereiro de 2005. Estas observa??es das vari?veis f?sicas do solo foram analisadas levando em considera??o as vari?veis meteorol?gicas medidas simultaneamente tais como o fluxo de radia??o solar incidente e a precipita??o pluviom?trica, que interferem diretamente nas vari?veis do solo em cada sitio escolhido para estudo. As temperaturas do solo foram monitoradas por meio de sondas t?rmicas em profundidades de 0,05; 0,20 e 0,50 m. Flux?metros de calor mediram esta vari?vel em n?veis de profundidade em 0...

O USO DE PRODUTOS ORBITAIS PARA A PARAMETRIZAÇÃO DE PROCESSOS FÍSICOS EM MODELOS NUMÉRICOS REGIONAIS E SUAS ALTERAÇÕES CLIMATOLÓGICAS

Pereira, Gabriel; Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ); Siqueira Silva, Maria Elisa; Universidade de São Paulo; Caria Moraes, Elisabete; Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2013 POR
Relevância na Pesquisa
26.38%
As mudanças de uso e cobertura da terra ocasionam alterações no balanço de energia, na temperatura do ar, na precipitação, na umidade do ar e na circulação regional e global. Consequentemente, mapas de uso e cobertura da terra e suas respectivas características físico-químicas e biológicas constituem-se em uma importante variável na modelagem numérica de sistemas terrestres. Dadas às circunstâncias acima descritas, estas informações constituem-se em uma importante variável para a modelagem numérica de sistemas terrestres. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo principal verificar o impacto nas simulações numéricas do RegCM4 oriundas da atualização do mapa de uso e cobertura da terra e dos parâmetros físicos  da vegetação. Em relação às variáveis meteorológicas, as principais diferenças encontradas na evapotranspiração, precipitação, umidade relativa do ar e temperatura a 2 metros concentram-se na região noroeste do Estado do Mato Grosso, nas divisas dos Estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso com a Bolívia (áreas alagadas do Pantanal brasileiro)...

COMPORTAMENTO ESPACIAL DA DENGUE E SUA RELAÇÃO COM O CLIMA NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA

Magalhães, Gledson Bezerra; Universidade Federal do Ceará; Zanella, Maria Elisa Elisa; Universidade Federal do Ceará
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 09/12/2013 POR
Relevância na Pesquisa
26.57%
O objetivo desse trabalho constituiu-se em analisar a manifestação da dengue na Região Metropolitana de Fortaleza entre os anos 2001 a 2009, relacionando a quantidade de casos e as incidências da doença com a infestação predial de seu principal vetor e com as características climáticas da região. Para isso, foram adquiridos dados de precipitação, temperatura do ar, infestação da larva do mosquito Aedes aegypti, número de casos e incidência de dengue. Confeccionaram-se mapas, gráficos e estabeleceram-se correlações estatísticas entre as variáveis. Nos anos de grandes quantidades de chuva e homogeneidade espacial da precipitação na quadra chuvosa, a maior quantidade de casos de dengue ocorreu entre um a dois meses depois dos grandes totais pluviométricos, o que não se verifica em anos com poucas precipitações onde a maior quantidade de casos de dengue ocorreu tanto no mês com maior total pluviométrico como em outros meses que tiveram precipitação ou que sucedeu em até 2 meses os picos de chuva. Nos anos em que ocorreram poucos casos de dengue...