Página 3 dos resultados de 11333 itens digitais encontrados em 0.014 segundos

Medicamentos fora de uso e desperdício de medicamentos numa cidade do norte de Portugal

Pinto, Isabel C.; Nascimento, Luís; Guilherme, M.; Magalhães, A.; Santos, E.; Vasques, R.
Fonte: Instituto Politécnico de Leiria Publicador: Instituto Politécnico de Leiria
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
36.9%
Na atualidade, torna-se importante perceber que destino é dado aos medicamentos fora de uso e o conhecimento que as pessoas têm acerca do assunto, uma vez que a falta de informação pode levar a graves consequências para a saúde pública e meio ambiente. Este estudo tem como objetivos verificar a proporção de desperdício de medicamentos por parte dos utentes do Centro de Saúde de Bragança e determinar os fatores relacionados; averiguar o conhecimento e comportamentos dos utentes acerca do destino a dar aos medicamentos fora de uso. Este estudo transversal e descritivo-correlacional usou um questionário aplicado a uma amostra de 148 utentes das unidades do Centro de Saúde de Bragança. Mais de metade dos inquiridos era do género feminino (67,6%), com idades superiores a 45 anos (60,1%), com residência em meio rural (78,4%). A proporção de desperdício de medicamentos foi relativamente baixa, 60,8% alegaram terminar sempre as embalagens de medicamentos. Existe, portanto, uma proporção de desperdício de 39,2%. A razão para não terminar a embalagem de medicamentos foi porque se sentirem melhor (53,4%) ou tamanho inadequado da embalagem (16,2%). No entanto, 75,0% disseram verificar sempre a data de validade. 31,1% dos indivíduos deita medicamentos fora de uso para o lixo...

Implantação, evolução, aspectos técnicos e perspectivas da regulamentação técnica de biodisponibilidade relativa e bioquivalência de medicamentos genéricos e similares no Brasil; The implementation, evolution, technical aspects and perspectives regarding technical regulation of relative bioavailability and bioequivalence of generic and similar medicines in brazil

Bueno, Marcia Martini
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/03/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.9%
A Política de Saúde no Brasil, que inclui a Política Nacional de Medicamentos, a criação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a promulgação da Lei de Medicamentos Genéricos, bem como a publicação das Resoluções que estabelecem os critérios técnicos para seu registro, revolucionou o mercado farmacêutico brasileiro na última década, introduzindo vários conceitos como Equivalência Farmacêutica e Terapêutica, Biodisponibilidade e Bioequivalência. Tais conceitos constituem as bases científicas para a implantação dos medicamentos genéricos, aliados à certificação de Boas Práticas de Fabricação e Controle de Qualidade (BPFs). Após cinco anos, os medicamentos genéricos representam cerca de 10% do mercado farmacêutico brasileiro em unidades com redução mínima de 35% no preço do genérico em relação ao medicamento de referência, em função de que o fabricante não necessita investir em estudos clínicos para comprovação da eficácia e segurança, garantidas pela comprovação da equivalência terapêutica com o medicamento de referência. O mercado brasileiro de genéricos é muito atrativo, pois 86% dos fármacos registrados no país não são patenteados e mais de 50% da população brasileira não tem acesso a medicamentos por problemas econômicos. Por outro lado...

Estoque domiciliar de medicamentos na comunidade ibiaense acompanhada pelo Programa Saúde da Família

Ribeiro, Maria Ângela
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.91%
É grande o uso e a disponibilidade de medicamentos no meio doméstico. Um estoque domiciliar de medicamentos pode influenciar nos hábitos de consumo dos moradores, favorecendo a automedicação e a reutilização de prescrições. Este estudo objetivou estudar o estoque de medicamentos na comunidade Ibiaense acompanhada pelo Programa Saúde da Família (PSF). Buscou-se descrever as características dos usuários, as condições de armazenamento, as classes terapêuticas e formas farmacêuticas, a procedência dos medicamentos e o custo dos medicamentos provenientes do Sistema Público de Saúde. Foram visitados 285 domicílios, no período de julho a setembro de 2004. Verificou-se que a média de medicamentos por domicílio foi de 8,4 e que 93,5% das famílias entrevistadas apresentaram pelo menos um medicamento em estoque. Os medicamentos estocados em maior número foram: analgésicos (11,15%), seguidos dos diuréticos (6,42%), antibacterianos para uso sistêmico (5,82%), antiinflamatórios (5,08%) e os antiácidos (4,10%). Embora seja considerável o número de medicamentos estocados nos domicílios, foi pequeno o número de medicamentos sem prescrição médica procedentes do Sistema Público de Saúde , sendo este um reflexo favorável dos serviços de Assistência Farmacêutica do Município. Por outro lado...

Levantamento do consumo de medicamentos por estudantes de ensino médio em duas escolas de Porto Alegre-RS

Almeida, Claudia Rejane Chiarel
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.9%
Esse estudo foi realizado em duas escolas de ensino médio, Instituto Vicente Pallotti (particular) e Escola Estadual Tubino Florinda Sampaio (pública), localizadas na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em 2008. Para obter os dados da pesquisa foi aplicado um questionário quantitativo em 438 alunos, distribuídos em 33 turmas (turnos da manhã e noite). O questionário foi aplicado em sala de aula, após a prévia assinatura do termo de consentimento pelos responsáveis dos alunos, pedido de autorização para a instituição e para os professores responsáveis pela aula no momento da aplicação. Foi verificado o consumo de medicamentos em alunos do ensino médio de duas escolas de Porto Alegre. Foi analisada a freqüência com que alunos utilizaram os medicamentos, a maneira em que foram utilizados (regularmente ou de vez em quando), os que esses alunos esperavam obter com o uso desses medicamentos, os medicamentos mais consumidos. Foi traçado um perfil da amostra pesquisada, informando a distribuição por série, idade, sexo dos alunos, escolaridade e profissões dos responsáveis, verificando também através de que fontes tomaram conhecimento desses medicamentos. Verificou-se ainda se alguma propaganda de medicamentos já chamou a atenção desses alunos...

Gestão de medicamentos vencidos nas drogarias do município de Agudo - RS

Dumke, Tanusa Teresa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.9%
A questão do gerenciamento dos resíduos sólidos em serviços de saúde aparece cada vez com mais força no cenário ambiental e da saúde. Com o aumento do número de farmácias e drogarias abertas nos últimos tempos e o conseqüente aumento da comercialização de medicamentos, aumenta também a quantidade de resíduos dessa natureza gerados pelos estabelecimentos e pela população. O problema que motivou este estudo foi a preocupação em saber como ocorre o descarte dos medicamentos vencidos nas drogarias do município de Agudo – RS, um município que não possui coleta seletiva e teve um aumento significativo no número de drogarias nos últimos anos. Para tanto, foi realizada inicialmente, uma pesquisa teórica sobre resíduos sólidos, classificação destes resíduos, resíduos de serviços de saúde, resíduos farmacêuticos e medicamentos vencidos, mais especificamente sobre descarte desses medicamentos com prazo de validade expirado. O método utilizado foi o estudo de casos múltiplos, baseado em entrevistas estruturadas que foram aplicadas nas drogarias do município buscando obter informações importantes a respeito da metodologia de descarte dos medicamentos vencidos adotada em cada uma das mesmas. Além disso...

Incorporação de novas tecnologias de informação em um sistema de distribuição de medicamentos : avaliação quanto ao aumento da segurança de pacientes; Incorporation of new information technologies in a system of drug distribution: evaluation in increasing the safety of patients

Almeida, Silvia Helena Oliveira de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.9%
Introdução: A área Hospitalar vem sofrendo constantes mudanças organizacionais devido à introdução de novas tecnologias que incentivam a segurança do paciente. Aquelas aplicadas à distribuição de medicamentos podem abreviar o número de erros de distribuição, obter em tempo real um elevado nível de informação sobre todo processo e gerir melhor o tempo do profissional farmacêutico, de forma a aumentar a intervenção deste na prevenção de erros de medicações e consequentemente, os cuidados farmacêuticos ao doente internado. Objetivos: Avaliar o impacto da implantação de novas tecnologias que visam à maior segurança do paciente em um sistema de distribuição de medicamentos de um hospital universitário. A avaliação foi dividida em: 1) individualização de medicamentos por reembalagem, com o uso de código de barras na identificação dos medicamentos; 2) identificação dos pontos críticos no novo processo estabelecido para o Sistema de Distribuição de Medicamentos por Prescrição Individual; 3) identificação e análise de erros de medicação após implantação de sistema de controle por código de barras. Métodos: Foram realizados estudos de delineamento transversal. Para a avaliação do processo de individualização foi desenvolvido um instrumento de avaliação adaptado de recomendações internacionais e estudos anteriores...

Regulamentação Sanitária de Medicamentos

Mastroianni, Patrícia de Carvalho; Lucchetta, Rosa Camila
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.9%
A regulamentação sanitária de medicamentos é uma das oito diretrizes da Política Nacional de Medicamentos. Trata-se da fiscalização e regulamentação de registro de medicamentos e da autorização de funcionamento desde os produtores até o varejo de medicamentos, bem como das restrições àqueles sujeitos a controle especial. A regulamentação sanitária de medicamentos tem como objetivo garantir eficácia, segurança, qualidade e custo aos produtos farmacêuticos. Os estudos clínicos dos medicamentos de Referência, a bioequivalência ou biodisponibilidade relativa e testes de equivalência dos medicamentos similares e genéricos são meios de avaliar a eficácia e a segurança. A qualidade é garantida lote a lote pelas Boas Práticas de Fabricação e Controle dos produtos farmacêuticos e a certificação da empresa pela ANVISA. O custo é avaliado pela câmara técnica de medicamento (CMED), que estabelece os critérios para fixação e ajuste de preços dos produtos farmacêuticos. No pós-registro, a efetividade, segurança e qualidade dos produtos são avaliadas por meio das comprovações exigidas na renovação do registro e, principalmente, pelo programa de farmacovigilância. Palavras-chave: Registro de Produtos. Medicamentos de Referência. Medicamentos Similares. Medicamentos Genéricos. Alteração de Registro de Produtos. ABSTRACT Health Regulations for Drugs The health regulation of drugs is one of eight guidelines issued within the National Drug Policy. It refers to the supervision and regulation of drug registration and the approval of operations...

Análise das demandas judiciais solicitando medicamentos encaminhados à Diretoria de Assistência Farmacêutica da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina nos anos de 2003 e 2004

Pereira, Januária Ramos
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 132 f.| tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
36.91%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Farmácia; Introdução: O paciente, ao receber a prescrição médica com indicação de um determinado medicamento, tenta obtê-lo em uma unidade do Sistema Único de Saúde. A indisponibilidade do medicamento gera uma circunstância limite para o cidadão, que muitas vezes decide recorrer à Justiça. O crescente número de mandados judiciais impetrados contra a Secretaria de Estado de Saúde de Santa Catarina, solicitando o fornecimento de medicamentos ensejou a condução do estudo. Objetivo: Descrever a evolução dos processos judiciais impetrados contra o Estado de Santa Catarina determinando fornecimento de medicamentos nos anos de 2003 e 2004. Metodologia: Os dados necessários à descrição da evolução dos processos judiciais foram levantados junto à Diretoria de Assistência Farmacêutica da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina. Esses dados foram agrupados através da criação de um banco de dados e submetidos a tratamento estatístico de padrão descritivo. As variáveis consideradas foram: número de solicitações por via judicial; número de produtos por processo judicial; produtos solicitados; regiões do estado responsáveis por maior número de solicitações; a que tratamento se destinavam os medicamentos; condutor da ação; vinculação do prescritor ao sistema público de saúde ou a consultório particular...

Consumo de medicamentos por adultos : prevalência no Brasil e no Distrito Federal

Galvão, Taís Freire
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
36.9%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2014.; Introdução: Os medicamentos são tecnologias essenciais para prevenção e tratamento de doenças. Para avaliar a segurança e adequação das terapias medicamentosas, o seu uso na população precisa ser investigado frequentemente. Objetivo: Estimar a prevalência do consumo de medicamentos entre adultos de 18 a 65 anos no Brasil e no Distrito Federal. Métodos: Foram realizadas duas pesquisas distintas: uma revisão sistemática com meta-análise dos estudos de utilização de medicamentos realizados no Brasil e um estudo transversal de base populacional com adultos residentes no Distrito Federal. Na revisão foram feitas buscas em fontes de informação científica em saúde, sem limite de data ou idioma. Os estudos foram selecionados por dois pesquisadores independentes, que extraíram os dados e avaliaram a qualidade. A prevalência do consumo de medicamentos dos estudos individuais foi combinada por meio de meta-análises. Para selecionar os participantes do estudo transversal, foi realizada amostragem probabilística em dois estágios nos setores censitários do Distrito Federal. Os participantes foram entrevistados na residência para se obter informações sociodemográficas e sobre o uso de medicamentos nos últimos sete dias. Foi empregada regressão de Poisson com variância robusta para ajustar as covariáveis seguindo um modelo hierarquizado. Resultados: Na revisão sistemática foram incluídos 11 estudos que investigaram a prevalência do consumo de medicamentos no intervalo de 3 a 90 dias. A prevalência do consumo de medicamentos em adultos foi 50% (intervalo de confiança [IC] 95%: 36-63%; 7 estudos...

Análise do perfil de aquisição domiciliar de medicamentos no Brasil a partir dos dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009; Analysis of the household medicine acquisition profile in Brazil based on data of the 2008-2009 Household Budget Survey

Goes, Fernanda Caroline Silva
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
36.91%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas, 2014.; O uso irracional de medicamentos é um problema mundial, com impacto negativo na efetividade do tratamento, aumento de reações adversas e de resistência microbiana, e desperdício de recursos. Estudos de utilização de medicamentos são importantes fontes de informação para subsidiar intervenções efetivas que minimizem o problema. Este é um estudo transversal de base populacional com base nos dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 2008/2009 do IBGE com o objetivo de investigar a aquisição de medicamentos nos domicílios brasileiros (últimos 30 dias). A POF teve a participação de 55.970 domicílios, e seus resultados foram extrapolados para toda a população brasileira a partir de fatores de expansão. Os medicamentos obtidos foram classificados de acordo com o Anatomical Therapeutic Chemical (ATC). A aquisição de medicamentos foi reportada por 81,2% dos domicílios, com média nacional de 2,4 medicamentos por domicilio e 0,72 medicamento por habitante, sendo maiores nas regiões Sul e Sudeste (0,81 e 0,79 medicamento/habitante, respectivamente). Segundo dados do SINAN e SINITOX...

Diferenças de preços entre medicamentos genéricos e de referência no Brasil

Vieira,Fabiola Sulpino; Zucchi,Paola
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.9%
OBJETIVO: Verificar a magnitude da diferença de preço entre os medicamentos genéricos e os respectivos medicamentos de referência, além de avaliar o efeito da concorrência entre eles quanto aos seus preços. MÉTODOS: De janeiro de 2000 a junho de 2004, foram acompanhadas 135 apresentações de medicamentos genéricos e seus respectivos medicamentos de referência por um período de até quatro anos. Os preços foram extraídos de publicações específicas voltadas para o comércio farmacêutico, e foram anotados os preços para ambos os medicamentos, desde o lançamento do genérico e durante período de comercialização posterior. RESULTADOS: Os genéricos foram introduzidos, em média, com preços 40% menores do que os medicamentos de referência e esta diferença tendeu a aumentar ao longo do tempo. Comparando a diferença de preço do genérico em relação ao seu medicamento de referência observou-se aumento de 68% nos quatro anos seguintes ao seu lançamento. CONCLUSÕES: A introdução de medicamentos genéricos no mercado farmacêutico brasileiro contribuiu para a oferta de medicamentos a preços menores. Entretanto, a procura dos medicamentos genéricos não provocou redução dos preços da maioria dos medicamentos de referência.

Uso de medicamentos do nascimento aos dois anos: Coorte de Nascimentos de Pelotas, RS, 2004

Oliveira,Edilson Almeida de; Bertoldi,Andréa Dâmaso; Domingues,Marlos Rodrigues; Santos,Iná Silva; Barros,Aluísio J D
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.91%
OBJETIVO: Descrever a utilização de medicamentos em crianças aos três, 12 e 24 meses de idade. MÉTODOS: Estudo transversal utilizando dados da Coorte de Nascimentos de Pelotas, RS, de 2004. Foram incluídas 3.985 crianças aos três meses, 3.907 aos 12 meses e 3.868 aos 24 meses de idade. O desfecho considerado foi o uso de medicamentos pelas crianças nos 15 dias anteriores à entrevista. Informações sobre as variáveis independentes (medicamentos utilizados, fonte de indicação, forma de aquisição, regularidade do uso e grupos terapêuticos) foram coletadas por meio de questionário padronizado, em entrevista aos pais nos domicílios. RESULTADOS: As prevalências de uso de medicamentos aos três, 12 e 24 meses foram de 65,0% (IC 95%: 63,5;66,5), 64,4% (IC 95%: 62,9;65,9) e 54,7% (IC 95%: 53,1;56,2), respectivamente. Com o avanço da idade observou-se diminuição no número total de medicamentos utilizados e aumento na automedicação, essa última chegando a 34% aos 24 meses. Também, a freqüência do uso de medicamentos em caráter eventual aumentou e diminuiu a de uso contínuo. Os medicamentos foram adquiridos principalmente com recursos próprios e cerca de 10% foi adquirido pelo Sistema Único de Saúde. Observou-se mudança no perfil dos grupos terapêuticos mais utilizados em função da idade. Aos três meses...

Uso de medicamentos no primeiro trimestre de gravidez: avaliação da segurança dos medicamentos e uso de ácido fólico e sulfato ferroso

Lunardi-Maia,Tânia; Schuelter-Trevisol,Fabiana; Galato,Dayani
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.91%
OBJETIVO: Identificar o perfil de uso de medicamentos no primeiro trimestre de gravidez com ênfase na avaliação da segurança e na adoção do ácido fólico e do sulfato ferroso por gestantes em uma Unidade Básica de Saúde da região Sul do Brasil. MÉTODOS: Trata-se de estudo transversal aninhado a uma coorte de gestantes. Os medicamentos foram classificados segundo a Anatomical Therapeutic Chemical (ATC), e a segurança avaliada segundo a Food and Drug Administration (FDA) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Foi investigado o uso/prescrição de sulfato ferroso e ácido fólico segundo o protocolo do Ministério da Saúde. RESULTADOS: Foram incluídas 212 gestantes. Dessas, 46,7% estavam em uso de medicamentos no momento do diagnóstico da gravidez e 97,6% utilizaram medicamentos no primeiro trimestre gestacional. O percentual mais elevado de automedicação ocorreu antes do início do pré-natal (64,9%). Observou-se maior exposição a medicamentos de risco D e X, segundo a classificação do FDA, antes do início do pré-natal (23,0%). Entre as gestantes, 32,5% não seguiam o protocolo de uso de ácido fólico e sulfato ferroso do Ministério da Saúde. No total...

Estado nutricional e uso de medicamentos em idosos assistidos pela Estratégia Saúde da Família

Joany Felizardo Neves, Sabrina; Kruse Grande de Arruda, Ilma (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.91%
INTRODUÇÃO: O processo de envelhecimento leva a redução das funções biológicas que somadas a um estilo de vida inadequado estimula a ocorrência de doenças crônicas e alterações do estado nutricional o que consequentemente estimula o uso de medicamentos. Os idosos são a parcela da população mais medicalizada, porém nesse grupo o uso de medicamentos pode levar a resultados indesejados, e ainda afetar o estado nutricional, outrossim uma condição nutricional inadequada pode alterar a ação dos medicamentos, diminuindo sua eficácia terapêutica e/ou aumentando a probabilidade da ocorrência de efeitos colaterais, reações adversas e interações medicamentos-nutrientes. OBJETIVO: Avaliar o estado nutricional e sua relação com uso de medicamentos em idosos residentes em áreas adscritas a Estratégia Saúde da Família (ESF) do município do Recife. MÉTODOS: Estudo transversal com amostra de 400 indivíduos acima de 60 anos, residentes na área de abrangência da ESF em Recife/PE, selecionados por amostra probabilística sistemática. Os dados foram coletados em pesquisa domiciliar com aplicação de formulário e aferição de peso e estatura utilizados para composição do Índice de Massa Corporal que foi categorizado em baixo peso (IMC<22)...

Gestão de resíduos de medicamentos : estudo sobre os comportamentos e ações desenvolvidas pelos intervenientes nesta gestão

Cavaleiro, Ana Rita Marques
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.91%
O desenvolvimento da sociedade leva ao aumento do consumo de produtos farmacêuticos, que consequentemente, origina uma maior produção de resíduos e um maior desperdício de medicamentos. Os destinos finais incorretos que se dão a estes resíduos podem ter consequências de elevado grau de gravidade no ambiente, e igualmente, na saúde pública. Desta forma, é importante entender como é feita a gestão deste tipo de resíduos, desde o primeiro responsável, passando pelo próprio consumidor, até ao responsável pela sua eliminação e valorização. Este estudo pretende perceber qual é o papel dos intervenientes na gestão dos resíduos de medicamentos, quais são os tratamentos que as Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR’s) usam na redução ou eliminação de resíduos de medicamentos nas águas residuais, entender quais são os comportamentos e os conhecimentos da população relativamente a este tipo de resíduos, e por fim, qual é o desperdício de medicamentos que existe em Portugal. Para atingir os objetivos referidos, procedeu-se a uma entrevista presencial a responsáveis de 3 ETAR’s de diferentes dimensões, nomeadamente, a de Coimbra, a da Figueira da Foz e a da Mealhada, e utilizou-se um questionário de autopreenchimento...

Centros de informação sobre medicamentos no Brasil : passado, presente e perspectivas do Sistema Brasileiro de Informação sobre Medicamentos

Carlos Cezar Flores Vidotti
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/12/1999 PT
Relevância na Pesquisa
36.91%
Introdução. Após discussão dos diferentes fatores que justificam aexistência de Centros de Informação sobre Medicamentos (CIM), foram apresentadas as definições de informação sobre medicamentos (IM)e de centro de informação sobre medicamentos (CIM), e relacionadas às atividades usuais dos centros, tendo a informação passiva como atividade fundamental. O farmacêutico especialista em informação sobre medicamentos é o profissional com perfil mais adequado para atuar nos CIM, devendo ser capaz de fazer uma avaliação crítica da literatura e utilizar-se de fontes de informação sobre medicamentos reconhecidas, imparciais e atualizadas, e de comunicar a informação relevante em tempo hábil para sua utilização. Foram enunciadas as vantagens de uma rede de CIM. Método. As atividades do Centro Brasileiro de Informação sobre Medicamentos (Cebrim) foram descritas a partir de seus relatórios anuais de atividades, com destaque para as atividades de 1998. O desenvolvimento do Sistema Brasileiro de Informação sobre Medicamentos (Sismed) foi descrito na perspectiva do Cebrim, seu centro gerador. Dados sobre a situação atual de funcionamento dos CIM foram levantados a partir da análise das respostas de questionários remetidos a todos os CIM do Brasil. Resultados e Discussão. O Cebrim recebeu 754 solicitações de informação sobre medicamentos em 1998...

Avaliação do nível de conhecimento da população sobre os impactos do descarte inadequado de medicamentos à saúde pública e ao meio ambiente

Coelho, Anapaula Coimbra
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.91%
Os medicamentos podem ser considerados resíduos tóxicos. Dependendo da sua composição e dos níveis de toxicidade, podem contaminar o meio ambiente e trazer serias conseqüências, por isso não devem ser descartados em lixo doméstico. Este estudo objetivou expor o nível de conhecimento da população sobre os impactos do descarte inadequado de medicamentos à saúde pública e ao meio ambiente e averiguar se a população descarta corretamente os medicamentos vencidos ou em desuso. Para realizar a pesquisa, foram aplicados questionários estruturados a uma amostra de 50 usuários do serviço de uma farmácia comunitária localizada no Distrito Federal. Observou-se que 84% dos entrevistados possuíam medicamentos nas suas residências; 90% relataram descartar os medicamentos vencidos no lixo doméstico; 68% consideraram inadequada a forma de descarte e a destinação final dos medicamentos vencidos; 60% demonstraram ter a consciência dos problemas que a prática de se descartarem inadequadamente os medicamentos vencidos causa ao meio ambiente. Os entrevistados não sabiam como proceder de forma correta o descarte, alegando que falta receber informação, orientação por parte do governo em relação ao descarte correto de medicamentos vencidos e/ou em desuso. Nesse sentido...

Medicamentos subutilizados en el ámbito comunitario, Área Salud Coronado, Costa Rica

Jiménez H.,Luis Guillermo; Blanco Sáenz,Rigoberto
Fonte: Revista Costarricense de Salud Pública Publicador: Revista Costarricense de Salud Pública
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2006 ES
Relevância na Pesquisa
36.91%
En este estudio de prevalencia de medicamentos, los objetivos fueron identificar los determinantes que promueven la subutilización de medicamentos, los usos alternativos de los medicamentos no utilizados, la gestión de los residuos, desechos y disposición final de los medicamentos en el ámbito comunitario. Se aplicó una encuesta y fueron inventariados los medicamentos en una comunidad urbano rural representativa. Se visitaron 440 viviendas, donde se determinaron tres categorías de medicamentos subutilizados:vencidos (9%); los que no se sabe cuándo se vencen (17%) y los que no estaban vencidos;pero estaban sin uso (26%). Se asoció la subutilización de medicamentos con la edad, el estado civil, el nivel educativo, dificultades para el uso y manejo de los medicamentos, el consumo incompleto y las alternativas de tratamiento:medicina natural y homeopatía. La razón principal encontrada para la acumulación de medicamentos en el hogar fue como reserva en caso de emergencia; los desechos no se clasifican y los medicamentos subutilizados terminan en el basurero. Se evidenció la necesidad de una política nacional para la promoción, uso racional y manejo de los medicamentos, sin que esto implique un abuso de los servicios de salud...

Uso de medicamentos do nascimento aos dois anos: Coorte de Nascimentos de Pelotas, RS, 2004

Oliveira,Edilson Almeida de; Bertoldi,Andréa Dâmaso; Domingues,Marlos Rodrigues; Santos,Iná Silva; Barros,Aluísio J D
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.91%
OBJETIVO: Descrever a utilização de medicamentos em crianças aos três, 12 e 24 meses de idade. MÉTODOS: Estudo transversal utilizando dados da Coorte de Nascimentos de Pelotas, RS, de 2004. Foram incluídas 3.985 crianças aos três meses, 3.907 aos 12 meses e 3.868 aos 24 meses de idade. O desfecho considerado foi o uso de medicamentos pelas crianças nos 15 dias anteriores à entrevista. Informações sobre as variáveis independentes (medicamentos utilizados, fonte de indicação, forma de aquisição, regularidade do uso e grupos terapêuticos) foram coletadas por meio de questionário padronizado, em entrevista aos pais nos domicílios. RESULTADOS: As prevalências de uso de medicamentos aos três, 12 e 24 meses foram de 65,0% (IC 95%: 63,5;66,5), 64,4% (IC 95%: 62,9;65,9) e 54,7% (IC 95%: 53,1;56,2), respectivamente. Com o avanço da idade observou-se diminuição no número total de medicamentos utilizados e aumento na automedicação, essa última chegando a 34% aos 24 meses. Também, a freqüência do uso de medicamentos em caráter eventual aumentou e diminuiu a de uso contínuo. Os medicamentos foram adquiridos principalmente com recursos próprios e cerca de 10% foi adquirido pelo Sistema Único de Saúde. Observou-se mudança no perfil dos grupos terapêuticos mais utilizados em função da idade. Aos três meses...

Evaluación del suministro de medicamentos en los servicios de atención primaria de salud de Rosario, Argentina, 2005

Botta,Carina A.
Fonte: Organización Panamericana de la Salud Publicador: Organización Panamericana de la Salud
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 ES
Relevância na Pesquisa
36.91%
OBJETIVO: Evaluar el sistema público de selección y adquisición de medicamentos en el municipio de Rosario, Argentina, durante el año 2005 desde la perspectiva de la gestión farmacéutica. MÉTODOS: Se utilizó una combinación de varias herramientas de gestión: análisis de Pareto para determinar el peso de los diferentes medicamentos en el presupuesto de la Secretaría de Salud Pública del municipio de Rosario; el análisis de las categorías terapéuticas para establecer posibles prioridades de sustitución terapéutica que reduzcan el gasto en los medicamentos de prescripción libre; el análisis comparativo de los precios de los medicamentos para medir el rendimiento de las compras, y el análisis de los plazos de espera para calificar a los proveedores. RESULTADOS: En 2005 se adquirieron 371 medicamentos: a 12,4% de ellos correspondió 74,9% del presupuesto total (grupo A), mientras que a 12,7% correspondió 14,9% (grupo B) y 74,9% consumió el restante 10,2% del presupuesto (grupo C). La mayor proporción del gasto correspondió a medicamentos de prescripción libre (grupo A: 82,1%; grupo B: 68,0%; grupo C: 58,0%), generalmente de primera elección y bajo costo. Los medicamentos del grupo A pertenecían a 21 subgrupos terapéuticos y se identificaron oportunidades de ahorro en 5 de ellos. El precio local abonado fue 2...