Página 25 dos resultados de 7591 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Repercussões da aposentadoria na qualidade de vida do idoso

Alvarenga,Líria Núbia; Kiyan,Luciana; Bitencourt,Bianca; Wanderley,Kátia da Silva
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
Trata-se de um estudo qualitativo, com objetivo de compreender como o idoso vivencia a aposentadoria e suas repercussões na qualidade de vida. A metodologia adotada foi a análise de conteúdo, a partir de categorias temáticas obtidas por meio de entrevistas semiestruturadas com idosos, aposentados, que freqüentam o Ambulatório do Serviço de Geriatria do Hospital do Servidor Público Estadual - SP. Foram entrevistados seis indivíduos, sendo predominante o relato de atitudes positivas frente à aposentadoria. Observou-se que o significado atribuído a aposentar-se e a capacidade de planejamento foram determinantes para o modo como a aposentadoria foi vivenciada. Mudança de ambiente, esvaziamento da rotina e disponibilidade de alimentos apareceram como fatores atrelados a alterações no hábito alimentar e também no peso corporal. Logo, a aposentadoria é um momento de mudanças nos aspectos sociais, emocionais e nutricionais dos idosos e que repercutem de forma positiva ou negativa conforme os significados que lhe são atribuídos.

Perfil do idoso vítima de trauma atendido em uma Unidade de Urgência e Emergência

Lima,Rogério Silva; Campos,Maria Luíza Pesse
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
O objetivo deste artigo foi identificar o perfil epidemiológico do idoso vítima de trauma atendido em uma Unidade de Urgência e Emergência de um hospital universitário. Trata-se de um estudo quantitativo, do tipo descritivo e transversal. O tratamento dos dados deu-se pelo uso de estatística descritiva e de gráficos e tabelas. A maioria das vítimas residia na cidade de Campinas (93,5%) e era do sexo feminino (66,7%), a faixa etária predominante foi de 70 a 74 anos e grande parte possuía comorbidades (77,8%) com prevalência da Hipertensão Arterial. Quanto ao tipo de acidente resultante do trauma as quedas da própria altura apresentaram maior incidência (79,6%). As lesões resultantes caracterizaram-se pelo predomínio de lesões de superfície (22,7%) seguido pelo traumatismo cranioencefálico leve (15,1%). Com relação ao destino da vítima nas primeiras 24 horas 49,1% obteve alta hospitalar e 22,2% sofreu internação hospitalar para abordagem cirúrgica da lesão.

Utilização de ferramentas computacionais por idosos de um centro de referência e cidadania do idoso

Frias,Marcos Antonio da Eira; Peres,Heloisa Helena Ciqueto; Paranhos,Wana Yeda; Leite,Maria Madalena Januário; Prado,Cláudia; Kurcgant,Paulina; Tronchin,Daisy Maria Rizatto; Melleiro,Marta Maria
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
Este estudo exploratório descritivo teve como objetivo identificar o uso de ferramentas computacionais por um grupo de idosos de um Centro de Referência e Cidadania do Idoso do município de São Paulo. Entre as 55 pessoas pesquisadas, foi evidenciado que 33 (60,0%) possuem computador em casa, 42 (76,4%) idosos afirmaram ter realizado curso para utilizar o computador, 22 (58,2%) usam o computador há menos de dois anos e 40 (85,5%) idosos usam a ferramenta por até 2 horas por dia. As ferramentas de comunicação mais usadas foram 41 (75,0%) correios eletrônicos, 25 (45,0%) comunicadores instantâneos e 17 (31,0%) sites de relacionamento. As finalidades de uso das tecnologias foram atualização e informação, pesquisas, diversão e comunicação com parentes e amigos. Conclui-se que o enfermeiro deve estar atento a este perfil tecnológico que se desenha junto à população idosa e buscar formas de inserir as ferramentas computacionais para auxiliar na assistência a este grupo.

Aspectos atuais da herniorrafia no idoso

Pitrez,Fernando Antônio Bohrer; Pioner,Sérgio Ricardo; Lemchen,Hélio; Irigaray,João Henrique; Nunes e Silva,Daniel
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2000 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
A hérnia no paciente maior de 65 anos, ainda hoje, admite questionamentos quanto à sua etiologia, evolução e manejo. As condições clínicas do paciente e a debilidade dos tecidos da parede abdominal multiplicam as dificuldades inerentes à herniorrafia. O manejo cirúrgico apropriado é o reparo eletivo precoce, que apresenta índices limitados de complicações, sendo de maneira geral uma operação segura. Em casos de emergência, tentativas de desencarceramento estão contra-indicadas, já que em idosos a sintomatologia de sepse intra-abdominal inicia1 é frustra. O tratamento cirúrgico deve ser preconizado, pois nas operações de emergência a morbi/mortalidade da herniorrafia está significativamente elevada. A presente revisão pretende analisar os fatores envolvidos no sucesso da herniorrafia no idoso, destacando os aspectos atuais do pré, trans e pós-operatório.

Diálise no paciente idoso: um desafio do século XXI - revisão narrativa

Franco,Marcia Regina Gianotti; Fernandes,Natália Maria da Silva
Fonte: Sociedade Brasileira de Nefrologia Publicador: Sociedade Brasileira de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
Com o aumento da expectativa de vida, com a melhora do arsenal terapêutico, conhecimento e controle das doenças crônicas degenerativas, a população mundial tem atingido faixas etárias elevadas. Por ser a idade avançada fator de risco para a doença renal crônica (DRC), juntamente com o bônus da maior sobrevida, vive-se hoje o ônus da maior e progressiva incidência de pacientes idosos em terapia renal substitutiva (TRS). A diálise nos pacientes idosos, que há três décadas era considerada fora de questão, hoje em dia é rotina para o nefrologista, que enfrenta o desafio de prestar atendimento a pacientes idosos com DRC em estágio 5 com indicação dialítica. Atualmente, o grupo de pacientes idosos incidentes em diálise é o que mais cresce. Apesar de não se haver chegado a um consenso, parece ser indiscutível que o importante é viver com qualidade de vida. Neste artigo, buscamos discutir a diálise no paciente idoso.

Contribuições da antropologia para uma abordagem das questões relativas à saúde do idoso

Uchôa,Elizabeth
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
Discute-se a especificidade da abordagem antropológica para a investigação de questões relativas à saúde do idoso. Alguns estudos sobre o envelhecimento realizados em diferentes culturas são utilizados como exemplos da variedade de formas de envelhecer e de experiências relativas ao envelhecimento, levando à distinção de dois tipos de elementos que influenciam este processo: aqueles intrínsecos ao envelhecimento biológico e os relacionados às características do indivíduo, à dinâmica social e às políticas públicas vigentes na sociedade em questão. Uma abordagem antropológica leva em conta a articulação entre estes dois tipos de elementos e o papel específico de cada um deles na construção de maneiras típicas de envelhecer, na identificação de problemas de saúde e no desenvolvimento de estratégias para enfrentá-los. Ressalta-se a potencialidade da abordagem antropológica no campo da Saúde Pública contemporânea.

A saúde bucal do idoso brasileiro: revisão sistemática sobre o quadro epidemiológico e acesso aos serviços de saúde bucal

Moreira,Rafael da Silveira; Nico,Lucélia Silva; Tomita,Nilce Emy; Ruiz,Tânia
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
O envelhecimento populacional, evento concomitante à queda da taxa de fecundidade, alterou significativamente a estrutura da pirâmide etária brasileira. Paralelamente à transição demográfica, a transição epidemiológica vem alterando os padrões de morbimortalidade, sem que haja, no entanto, adequada oferta de atenção à saúde para esse grupo populacional. Por meio de busca em bases de dados, objetivou-se realizar uma revisão sistemática da literatura, no período de 1986 a 2004, sobre os problemas bucais mais prevalentes entre os idosos brasileiros e conhecer os principais obstáculos no acesso aos serviços de saúde. Os valores médios do índice CPO-D encontrados nos artigos pesquisados foram de 25 a 31. Verificou-se grande porcentagem de indivíduos edêntulos. As principais barreiras quanto ao acesso aos serviços odontológicos foram a baixa escolaridade, a baixa renda e a escassa oferta de serviços públicos de atenção à saúde bucal. Diante desses fatores, a saúde bucal do idoso brasileiro encontra-se em situação precária, com elevados índices de edentulismo, refletindo a ineficácia historicamente presente nos serviços públicos de atenção odontológica, limitado a extrações em série e serviços de urgência...

Aspectos gerais da avaliação pré-operatória do paciente idoso cirúrgico

Vendites,Soraya; Almada-Filho,Clineo de Melo; Minossi,José Guilherme
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
As intervenções cirúrgicas em pacientes idosos têm se tornado cada vez mais frequentes, uma vez que esta população vem apresentando crescimento em número significativo nas últimas décadas e consequentemente expondo-se por mais tempo às morbidades de resolução cirúrgica. Apesar de um número importante de idosos apresentarem envelhecimento saudável e tolerarem o ato cirúrgico sem muitas intercorrências, sabe-se também que a morbi-motalidade que envolve a operação é mais frequente no indivíduo idoso e requer muito mais cuidado naquele com comorbidades. O presente trabalho se propõe a rever alguns aspectos que merecem ser mais cuidadosamente observados, porque envolvem modificações morfológicas e funcionais do organismo senescente, que guardam relação com o aumento da morbidade e da mortalidade em todo o período peri-operatório. A avaliação pré-operatória, portanto, deve pautar-se em exame criterioso de toda história clínica do paciente com vistas a estabelecer medidas de prevenção de eventos mórbidos, evitar iatrogenias, estabelecer critérios que alertem para um maior risco e desenvolver enfoque multidisciplinar.

Cirurgia de revascularização do miocárdio no idoso: estudo descritivo de 144 casos

DEININGER,Maurílio Onofre; OLIVEIRA,Orlando Gomes de; GUEDES,Marcelo Gentil Almeida; DEININGER,Eugênia Di Giuseppe; CAVALCANTI,Antônio Carlos Wanderley; CAVALCANTI,Maria das Graças Feitosa Wanderley; QUEIROGA,Ricardo Wanderley; LOPES,Norland de Souza
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1999 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
Realizamos análise retrospectiva de todos os pacientes com idade igual ou superior a 70 anos, submetidos à operação de revascularização do miocárdio isolada, no período de janeiro de 1992 a dezembro de 1997, objetivando avaliar a morbimortalidade. Do total de 144 pacientes, 92 (63,9%) eram do sexo masculino, idade entre 70 e 84 anos, média de 73,51 anos e desvio padrão de 2,82. A grande maioria encontrava-se com angina classe funcional III ou IV (79,16%). Tiveram relação com a ocorrência de maior mortalidade, a presença no período pré-operatório de: obesidade (p = 0,004), insuficiência cardíaca congestiva (classe III/IV - p = 0,03) e/ou infarto agudo do miocárdio (< 21 dias - p = 0,01). Houve amplo predomínio de pacientes com lesões em três ou mais vasos, com média de 3,48 anastomoses/paciente. Utilizamos a artéria torácica interna pediculada em 126 (87,5%) pacientes; nos últimos 2 anos este índice atingiu 98,9%. As principais complicações presentes no período pós-operatório, mais relacionadas com o óbito, foram: insuficiência renal com diálise (p < 0,0001), infecção (p < 0,0001), com sepse, suporte respiratório prolongado (p < 0,0001), e baixo débito cardíaco (p = 0,003). Para a análise estatística utilizamos o teste T de Student...

Incontinência urinária no idoso

Reis,Rodolfo Borges dos; Cologna,Adauto José; Martins,Antonio Carlos Pereira; Paschoalin,Edson Luis; Tucci Jr,Silvio; Suaid,Haylton Jorge
Fonte: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Publicador: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
A prevalência da incontinência urinária no idoso varia de 8 a 34% segundo o critério ou método de avaliação. A principais causas são: alterações teciduais da senilidade que comprometem o trato urinário inferior e o assoalho pélvico, do sistema nervoso central e periférico, alterações hormonais como a menopausa, poliúria noturna, alterações psicológicas, hiperplasia prostática benigna, doenças concomitantes e efeitos colaterais de medicamentos. A incontinência pode ser transitória ou permanente. Além da anamnese cuidadosa para caracterização das perdas urinárias, a busca de causas associadas ou concomitantes e o diário miccional, recorre-se com freqüência a exames especializados como a urodinâmica. O diagnóstico preciso é importante para o manejo adequado que pode requerer apenas medidas conservadoras baseadas em orientações e mudanças de hábitos, como o uso de medicamentos, ou então métodos invasivos que incluem procedimentos cirúrgicos específicos.

A situação social do idoso no Brasil: uma breve consideração

Mendes,Márcia R.S.S. Barbosa; Gusmão,Josiane Lima de; Faro,Ana Cristina Mancussi e; Leite,Rita de Cássia Burgos de O
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
O envelhecimento é uma questão explorada por pesquisadores, epidemiologistas e estatísticos por meio de investigações científicas encontradas na literatura nacional e internacional, que revelam a projeção notória desta população de idosos. No panorama mundial, bem como nos países em desenvolvimento, a população idosa aumenta significativamente e o contraponto desta realidade aponta que o suporte para essa nova condição não evolui com a mesma velocidade. Diante disto, a preocupação com esse novo perfil populacional vem gerando, nos últimos anos, inúmeras discussões e a realização de diversos estudos com o objetivo de fornecerem dados que subsidiem o desenvolvimento de políticas e programas adequados para essa parcela da população. Isto devido ao fato que a referida população requer cuidados específicos e direcionados às peculiaridades advindas com o processo do envelhecimento sem segregá-los da sociedade. Assim sendo, esse artigo tem como objetivo discutir sobre a situação social do idoso no Brasil, considerando os aspectos demográficos, epidemiológicos e os aspectos psicossociais com destaque para a aposentadoria, a importância da família e as relações interpessoais.

Autonomia do paciente idoso com câncer: o direito de saber o diagnóstico

Visentin,Angelita; Labronici,Liliana; Lenardt,Maria Helena
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
O crescimento da população idosa no Brasil e no mundo suscita novos desafios para os profissionais de saúde, dentre eles o aumento do número de doenças crônicas, em especial, o câncer. O enfermeiro depara-se, no cotidiano de sua prática de cuidados, com inúmeras situações que geram dilemas e questões éticas que envolvem o paciente e/ou familiares. Tem-se como objetivo refletir a respeito do direito do idoso de saber o seu diagnóstico e do respeito a sua autonomia. Considera-se significativa esta reflexão, pois o ato de cuidar, intrínseco nas ações de enfermagem, deve ser e estar pautado em atitudes éticas e no respeito ao direito do paciente de conhecer o seu diagnóstico.

O idoso em diálise

Kusumota,Luciana; Oliveira,Marília Pilotto de; Marques,Sueli
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
Em decorrência, principalmente, do envelhecimento populacional e mudanças no perfil epidemiológico, tem-se observado um crescente aumento do número de idosos em terapia renal substitutiva. O presente relato aponta e descreve os principais aspectos e as características do idoso em diálise; e destaca como imprescindível o atendimento em saúde, incluindo o cuidado de enfermagem, direcionado e especializado, diante das especificidades e necessidades desta parcela de pacientes nos centros de diálise.

Idoso em situação de dependência: estresse e coping do cuidador informal

Rocha,Bruno Miguel Parrinha; Pacheco,José Eusébio Palma
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
OBJETIVO: Estudar a relação entre o estresse psicológico (estresse) e a adaptação psicológica (coping) do cuidador informal do idoso em situação de dependência. MÉTODOS: Estudo transversal envolvendo uma amostra selecionada por conveniência de 110 cuidadores informais do Conselho de Faro, Portugal. A coleta de dados, realizada nos domicílios, ocorreu por meio da aplicação de quatro instrumentos junto a esses cuidadores (dados sociodemográficos, avaliação da intensidade do estresse, escala de avaliação de coping abreviada e avaliação de dependência de Barthel). RESULTADOS: As estratégias de coping centradas no problema (Qui-quadrado = 10,243, p<0,037) e no meio (Qui-quadrado = 9,574, p <0,048) foram utilizadas pelos cuidadores informais de idosos mais dependentes. Contudo, as estratégias centradas no cuidador foram as que geraram menos estresse (β = -0,378, p<0,000). CONCLUSÃO: As "estratégias de coping centradas no cuidador" são aquelas que geram menor perceção de estresse nos cuidadores informais.

Fraturas do fêmur proximal no idoso: estudo de custo da doença sob a perspectiva de um hospital público no Rio de Janeiro, Brasil

Fernandes,Roberta Arinelli; Araújo,Denizar Vianna; Takemoto,Maíra Libertad Soligo; Sauberman,Marco Vinicio
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
O artigo visa a estimar o custo direto médico do tratamento hospitalar de pacientes idosos com fraturas de fêmur proximal, no Hospital Municipal Lourenço Jorge, na cidade do Rio de Janeiro. Estudo observacional, prospectivo, para estimar a utilização de recursos e custos diretos médicos associados à hospitalização por fratura de fêmur proximal em idosos, em 2007 e 2008, sob a perspectiva do prestador de serviços. Foi utilizado um instrumento de coleta de dados através do qual foram registrados recursos identificados na revisão prospectiva dos prontuários. Aos recursos utilizados foram atribuídos custos em reais (R$) baseando-se em valores do ano 2010. Foram realizadas análises descritivas dos custos e utilização de recursos, bem como avaliada a associação de variáveis clínicas e demográficas com o custo final observado. Foram incluídos 82 pacientes, 81,7% do sexo feminino, idade média de 76,96 anos, hospitalização média de 12,66 dias. A mediana de custo por paciente foi de R$ 3.064,76 (IC95%: 2.817,63 a 3.463,98). Hospitalização clínica e procedimento cirúrgico foram responsáveis por 65,61% e 24,94% dos custos, respectivamente. Pacientes submetidos ao tratamento cirúrgico até o quarto dia de hospitalização apresentaram mediana de custos menor do que pacientes submetidos após o quarto dia (R$ 2.136...

Modelos de atenção à saúde do idoso: repensando o sentido da prevenção

Veras,Renato Peixoto; Caldas,Célia Pereira; Cordeiro,Hesio de Albuquerque
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
A partir de uma análise crítica sobre os atuais modelos de atenção à saúde para idosos, este artigo de opinião apresenta uma proposta de linha de cuidados para este segmento etário tendo como foco a promoção e prevenção da saúde. A alternativa para evitar a sobrecarga desse sistema é investir em políticas de prevenção de doenças, estabilização das enfermidades crônicas e manutenção da capacidade funcional. O conhecimento científico já identificou corretamente os fatores de risco para a população idosa, mas isso não basta. É prioritário utilizar esse conhecimento para efetuar a necessária transição do modelo assistencial clínico para o modelo com ênfase na prevenção. O modelo precisa configurar-se como um fluxo de ações de educação, promoção da saúde, prevenção de doenças evitáveis, postergação de moléstias, cuidado precoce e reabilitação de agravos. Ou seja, uma linha de cuidado para o idoso que seja um percurso assistencial por dentro de uma rede articulada, referenciada e com um sistema de informação desenhado em sintonia com essa lógica.

A arte de cuidar do idoso: gerontologia como profissão?

Pavarini,Sofia Cristina Iost; Mendiondo,Marisa Silvana Zazzetta de; Barham,Elizabeth Joan; Varoto,Vania Aparecida Gurian; Filizola,Carmen Lúcia Alves
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
As estatísticas indicam que teremos no Brasil, em 2025, mais de 32 milhões de pessoas com mais de 60 anos. A maior longevidade trará um aumento significativo de doenças crônicas que, como conseqüência, poderão acarretar maior dependência dos idosos. Este século será marcado, então, por novas necessidades de cuidado. Considerando que a gerontologia é a ciência que estuda o processo de envelhecimento em suas mais diversas dimensões e que, na prática, na ótica atual, se constitui em uma especialidade de diferentes profissões, este texto traz uma reflexão sobre a formação de profissionais envolvidos na arte de cuidar do idoso. Sendo a gerontologia uma ciência interdisciplinar, o melhor caminho a seguir é a especialização das profissões existentes ou a criação de uma nova profissão? Esta é uma questão polêmica que merece atenção ao se pensar na enfermagem e em outras profissões da área da saúde, e nas perspectivas e dilemas da gerontologia e sua interdisciplinaridade.

O idoso portador de nefropatia diabética e o cuidado de si

Lenardt,Maria Helena; Hammerschmidt,Karina Silveira de Almeida; Borghi,Ângela Cristina da Silva; Vaccari,Élide; Seima,Márcia Daniele
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
Trata-se de pesquisa qualitativa convergente assistencial, cujo objetivo é descrever ações de cuidados de si, alicerçadas nos hábitos de cuidado do idoso renal crônico portador de nefropatia diabética, em tratamento hemodialítico. Coletaram-se dados e aplicaram-se escalas de avaliação funcional concomitante aos cuidados de enfermagem, junto a sete idosos, no período de 26 de abril a 31 de junho de 2006. Para ordenação e análise das informações empregou-se proposição metodológica do Discurso do Sujeito Coletivo. Emergiram oito idéias centrais: obedecer parcialmente ao que é explicado; cuidados com açúcar, doces e uso de adoçante; obedecer à prescrição médica e alternar local da aplicação; dependência para aplicação da insulina; manter o braço livre de qualquer esforço; dependência pelo déficit visual e desconhecimento dos medicamentos; controle alimentar, distração e tranqüilidade; tendência ao isolamento. O desafio para o cuidado de si está na construção da independência e nas possibilidades de diálogos abertos e produtivos entre os idosos e familiares.

Proxêmica: as situações reconhecidas pelo idoso hospitalizado que caracterizam sua invasão do espaço pessoal e territorial

Prochet,Teresa Cristina; Silva,Maria Júlia Paes da
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
O cuidar é um contínuo desafio que abrange o diálogo conscientizado, a negociação e a atenção aos detalhes. Os objetivos deste trabalho foram identificar as situações que caracterizam invasão do espaço pessoal e territorial, por idosos hospitalizados; e identificar as situações em que, apesar de haver invasão, o idoso possa considerá-las agradáveis. Estudo exploratório-descritivo realizado com 30 idosos hospitalizados com a aplicação da Escala de Medida do Sentimento Frente à Invasão do Espaço Territorial e Pessoal, em hospital público do interior de São Paulo em 2007. As situações consideradas desagradáveis que caracterizam invasão do espaço territorial foram vinculadas ao desrespeito e a mudança sem permissão do seu espaço físico; as referentes à invasão de seu espaço pessoal foram aquelas ligadas à exposição de partes íntimas durante a realização dos procedimentos. As situações agradáveis, apesar da invasão, são as que ocorrem os toques afetivos.

Implantação do Grupo de Atenção à Saúde do Idoso (GRASI) no Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (SP): relato de experiência

Diogo,Maria José D´Elboux; Ceolim,Maria Filomena; Cintra,Fernanda Aparecida
Fonte: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo Publicador: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2000 PT
Relevância na Pesquisa
36.56%
Este trabalho visa relatar a experiência de implantação do Grupo de Atenção à Saúde do Idoso (GRASI) junto ao ambulatório de clínica médica do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (SP), cuja espinha dorsal foi a elaboração e desenvolvimento de um Programa Educativo para idosos e familiares. O programa incluiu temas de interesse da clientela (memória, sono, prevenção de quedas e alterações da visão), e de interesse dos pesquisadores (autocuidado, aspectos emocionais, senescência e senilidade). Os participantes avaliaram a experiência como sendo de significativa contribuição para o seu cotidiano, bem como para aquisição de novos conhecimentos e novas amizades.