Página 2 dos resultados de 10572 itens digitais encontrados em 0.049 segundos

A abordagem ergonomica como proposta para melhoria do trabalho e produtividade em serviços de alimentação

Santana, Angela Maria Campos
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xiv, 223f.| il., tabs. +anexo
POR
Relevância na Pesquisa
75.91%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnologico; Estudo referente à abordagem ergonômica como base para a promoção da melhoria do trabalho e produtividade em serviços de alimentação. Ressalta-se o entendimento sobre o trabalho e as formas de organização do mesmo, buscando conhecer como os fatores físicos, organizacionais, posturais, de movimento, tecnológicos e do próprio trabalho têm implicações sobre a qualidade de vida no trabalho, stress e desempenho. A análise ergonômica do trabalho é utilizada para estudar dois sistemas de alimentação para a coletividade hospitalar - o setor de lactário (Brasil) e a cozinha dietética (EUA), possibilitando a compreensão de como sistemas de trabalho diferentes em sua forma organizacional e tecnológica têm efeitos diferentes sobre a produtividade.

Sistema de informação gerencial para previsão de produtividade do trabalho na alvenaria de elevação

Mori, Luci Mercedes De
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 222 f.| il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
75.93%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil.; Os indicadores de produtividade de mão-de-obra são elementos importantes para o sistema de produção da construção civil, no fornecimento de informações para a elaboração de planejamento financeiro do empreendimento, da programação físicofinanceira e para o controle do processo produtivo. Neste sentido, o objetivo deste trabalho consiste no desenvolvimento de um sistema de informação gerencial, para fazer predição dos níveis de produtividade que devem ocorrer frente a condições ambientais predeterminadas, considerando o conjunto de fatores mais influentes na produtividade do trabalho do serviço de alvenaria de elevação. A metodologia se baseou na seleção de atributos, mineração de dados e redes neurais. Foram coletados indicadores diários de produtividade, cada um deles associados a 24 fatores passíveis de afetá-los, nas cidades de Florianópolis-SC e Maringá-PR. Esses dados, após serem tratados e normalizados, foram selecionados pelas ferramentas de seleção de atributos information gain, Qui-quadrado e heurística Correlationbased Feature Selection (CFS). Para se identificar os fatores de maior influência...

Associações entre crenças relacionadas ao trabalho e suas influências na saúde dos trabalhadores e na produtividade, no setor de produção de frangos de corte

Alencar, Maria do Carmo Baracho de
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 185 f.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
75.91%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção; O objetivo deste estudo foi o de verificar as influências de crenças relacionadas ao trabalho no surgimento de sintomas relacionados à saúde dos trabalhadores e influências na produtividade no setor de frangos de corte, na região do Paraná. A metodologia consistiu de vários passos: seleção de granjas para as análises, Análise Ergonômica do Trabalho, aplicação de dois questionários: um contendo questões relevantes ao trabalho, à saúde dos trabalhadores e à produtividade no setor, e outro contendo questões sobre crenças individuais e relacionadas ao trabalho adaptado e elaboradas conforme modelos existentes e aplicados em outros setores de produção animal. Também foram coletados dados durante o mesmo período dos índices de mortalidade totais das aves ao final da produção dos últimos 3 lotes, no mesmo período das demais coletas de dados. A amostragem consistiu de 80 trabalhadores integrados ao sistema de produção de ambos os sexos, idade variando entre 16 e 59 anos de idade, com atividades diretas dentro dos galpões em 60 granjas, sendo 30 de responsabilidade de um supervisor e região (A) e 30 de outro supervisor e região (B). Para a análise estatística foram utilizados: Teste de Fischer...

Inovação, internacionalização e produtividade do trabalho

Ribeiro, Melany Lopes
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
75.94%
O estudo explora do ponto de vista empírico as relações entre a produtividade do trabalho, a inovação tecnológica e a internacionalização da indústria transformadora norte-americana através da análise dos dados em painel. O trabalho de investigação apresenta uma função de produção de Cobb-Douglas, com base na qual, é estimado um modelo econométrico que procura explicar a produtividade do trabalho através de um conjunto de variáveis explicativas ligadas à inovação, e à internacionalização da atividade empresarial. O modelo empírico também inclui as variáveis do capital humano, da intensidade capitalística e da produtividade total dos fatores de produção. O modelo é estimado para os 17 setores da indústria transformadora norte-americana, de acordo com a classificação das Nações Unidas, ISIC revisão 2, para o período de 1990 a 2009. A investigação econométrica revelou que existe uma relação de cointegração entre as variáveis estudadas permitindo inferir a importância da inovação, da internacionalização e do capital humano na produtividade do trabalho.; The study explores from the empirical point of view, the relationship between labor productivity, technological innovation and the internationalization of the USA manufacturing through a panel data analysis. The empirical study employs a Cobb-Douglas production function do estimate an econometric model that seeks to explain labor productivity through a set of explanatory variables related do innovation and internationalization of firm’s activities. It also includes variables such as human capital...

A dinâmica da produtividade do trabalho em Portugal

Simões, N. N.
Fonte: Dinâmia Publicador: Dinâmia
Tipo: Trabalho em Andamento
Publicado em //2004 POR
Relevância na Pesquisa
85.83%
resumem-se dinâmicas bastante diversificadas. No conjunto das mais importantes inscrevem-se as relacionadas com a eficiência interna de cada empresa, com a mobilidade dos recursos entre unidades com níveis de produtividade distintos bem como a permanente entrada e saída de empresas do agregado em análise. Apenas a partir do momento em que dispomos de dados recolhidos ao nível da empresa é possível deduzir o papel desempenhado por cada uma destas forças na determinação das variações agregadas. Para tal é necessário recorrer à aplicação de técnicas de decomposição adequadas. Procedendo nesse sentido concluiremos que, nas empresas de grande dimensão a actuar na economia portuguesa, na segunda metade da década de 90, tiveram lugar intensos fluxos de factores, os quais tenderam a motivar reduções da eficiência do conjunto. Ainda assim os efeitos da redução da dimensão das unidades que, de um ano para o outro, se mantiveram na amostra constituíram um eixo fundamental na expansão da produtividade do conjunto. A diminuição da dimensão das estruturas organizacionais generalizou-se como pilar das políticas de melhoria da eficiência empresarial. Estes resultados que apontam para um contributo negativo da reafectação requerem uma resposta adequada das autoridades políticas. A análise começa por determinar que aspectos são resumidos nas taxas de variação líquida do emprego. Para que sectores de actividade se estão a dirigir os trabalhadores? Para que regiões? Para que empresas? De que modo estas decisões individuais de trabalhadores e empresas se resumem no bem-estar do conjunto.

Pessoal ocupado e jornada de trabalho: uma releitura da evolução da produtividade no Brasil

Barbosa Filho,Fernando de Holanda; Pessôa,Samuel de Abreu
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
75.96%
Esse artigo recalcula a evolução da produtividade do trabalho e da produtividade total dos Fatores (PTF) no Brasil entre os anos de 1982 e 2012 usando uma série de horas trabalhadas em vez da série de pessoal ocupado. Para tanto, utilizamos dados da PNAD e da PME para construir uma série mensal de horas trabalhadas que compatibilizasse as mudanças metodológicas da PNAD e da PME. A comparação da série de horas trabalhadas com a de pessoal ocupado revela a redução da jornada de trabalho no Brasil, fenômeno consistente em todo o período de análise e que impacta a produtividade. Com isso, a utilização de uma série de horas trabalhadas possibilita uma releitura da evolução da produtividade nas últimas três décadas no Brasil. Em particular, mostramos que a perda da produtividade do trabalho (-0,6% a.a) ocorrida entre os anos de 1982 e 1992 é explicada pela redução da jornada de trabalho média (-0,7%) da economia brasileira. Os resultados indicam que, no período 1982-2012, tanto a produtividade do trabalho (35,8%) quanto a PTF (16,3%) apresentaram uma elevação superior à sugerida por boa parte da literatura sobre o tema baseada em séries de pessoal ocupado.

Agropecuária brasileira: desempenho regional e determinantes de produtividade

Felema,João; Raiher,Augusta Pelinski; Ferreira,Carlos Roberto
Fonte: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural Publicador: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
75.88%
Este estudo teve por objetivo medir a produtividade líquida do trabalho e da terra no Brasil, em seus estados e municípios, e identificar os fatores que exercem influência sobre estas produtividades, com base nos dados do Censo Agropecuário de 2006, do IBGE. Tais produtividades podem ser não uniformes na agropecuária brasileira, dado que apresentam comportamentos diferentes à estrutura produtiva e às características intrínsecas a cada região. Utilizaram-se modelos de regressão linear múltipla para identificar a influência de fatores de produção no desempenho da agropecuária do País. Como resultado, observou-se que os melhores índices quanto à produtividade do trabalho e da terra estão localizados principalmente nas regiões Sul e Sudeste, havendo concentração dos mais altos valores em apenas alguns municípios do País. Por fim, a análise geral das estimativas demonstrou que as variáveis "insumos agropecuários" e "mecanização" apresentaram participação positiva na agropecuária da maioria dos estados brasileiros.

Uma análise da relação entre o comércio internacional e a produtividade do trabalho : o caso da indústria de transformação do Brasil

Ézio Maciel Silva, Igor; Chaves Lima, Ricardo (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
75.92%
O início da década de 1990 foi marcado por mudanças na economia brasileira, dentre elas a abertura comercial. Também nesse período, constata-se a retomada do crescimento da produtividade na economia. Muitas teorias e trabalhos empíricos estudaram os impactos do comércio externo sobre a produtividade e o crescimento econômico, mas houve pouco consenso entre eles. Este trabalho tem por objetivo examinar a relação entre o comércio internacional (exportações e importações) e a produtividade do trabalho na indústria de transformação do Brasil. Para tanto, foram utilizados dados trimestrais das variáveis e a técnica dos vetores autorregressivos. Os resultados indicaram que as variáveis do comércio internacional afetam positivamente a produtividade. Além disso, as variações da produtividade se mostraram mais relacionadas a variações no volume de importação de: insumos mais eficientes, produtos estrangeiros que irão competir com os nacionais, e, principalmente, novas tecnologias. Deste modo, a relação entre a produtividade da indústria de transformação do Brasil e o comércio internacional parece mais compatível com o que versa a teoria do crescimento endógeno; Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

A relação entre o uso de álcool e drogas para os afastamentos do trabalho

Nesi, Fernanda
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Monografia de Curso de Pós-graduação Lato Sensu
PT_BR
Relevância na Pesquisa
75.86%
Monografia apresentada ao Setor de Pós-graduação da Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC, para obtenção do título de especialista em Saúde Mental.; Os prejuízos causados nas empresas relacionados a acidentes de trabalho e queda da produtividade estão, na maioria das vezes, vinculados a problemas com a dependência química. O Brasil já é o segundo maior consumidor de drogas do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Estudos epidemiológicos indicam que o alcoolismo afetará 10% da população em algum momento das suas vidas. Só nos EUA os prejuízos diretos e indiretos relacionados ao uso de drogas em 1992, foram estimados em U$ 246 bilhões de dólares. Este custo está relacionado à perda de produtividade por doenças relacionadas ao consumo de drogas ou mortes prematuras, além de custos de tratamento da própria dependência e comorbidades, perda de bens (imóveis), custos administrativos por acidentes automobilísticos e a crimes relacionados ao consumo de drogas. No Brasil, os custos econômicos identificáveis do abuso de drogas chegam a 4,2% do PIB, fora o imensurável, porém evidente ônus pessoal, familiar e social relacionado ao uso/abuso de drogas. Segundo o GREA, da USP, a intoxicação pela ingestão de álcool provoca 25% dos acidentes de trabalho e responde por 45% das faltas e licenças dos trabalhadores. Outros dados afirmam que os funcionários com problemas de alcoolismo e outras dependências químicas apresentam um índice 8 vezes maior em atrasos que os demais trabalhadores; produtividade em torno de 30% abaixo da média e...

Evolução da produtividade industrial brasileira e abertura comercial; Evolution of the Brazilian industrial productivity and trade liberalization

Rossi Jr., José Luiz; Ferreira, Pedro Cavalcanti
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
PT-BR
Relevância na Pesquisa
75.93%
Este trabalho avalia a evolução da produtividade industrial brasileira utilizando um painel para 16 setores da indústria de transformação no período 1985/97 eopapel da abertura econômica nesse processo. Os resultados mostram que a produtividade da indústria brasileira, seja ela medida pelo conceito de produtividade total dos fatores (PTF) ou de produtividade do trabalho, passou por duas fases distintas: de 1985 a 1990, há um processo de estagnação; e de 1990 a 1997, a indústria passa a apresentar significativas taxas de crescimento. A abertura comercial, caracterizada por menores tarifas nominais e menores taxas de proteção efetiva, exerce um efeito positivo sobre o aumento da produtividade. Em todas as regressões do modelo em que se utilizam técnicas de estimação em painéis não se pode rejeitar a hipótese de que aumentos nas barreiras comerciais implicam menores taxas de crescimento da produtividade do trabalho e da PTF. Esse resultado confirma a evidência internacional de que países mais abertos crescem mais rápido, o que poderia desestimular a adoção de políticas de restrição comercial como estratégia de desenvolvimento e de proteção à indústria nacional.; p. 1-36 : il.

Produtividade no Brasil: desempenho e determinantes

De Negri, Fernanda (Organizadora); Cavalcante, Luiz Ricardo (Organizador)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI)
Tipo: Livros
PT-BR
Relevância na Pesquisa
75.96%
Discute a evolução dos indicadores de produtividade da economia brasileira sob diversas óticas. Analisa os problemas associados à mensuração da produtividade, focando, a produtividade total dos fatores (PTF) no Brasil ao longo das últimas décadas. Compara os níveis e a evolução da produtividade do trabalho no Brasil com dados relativos à China, aos Estados Unidos, à Alemanha e ao México. Analisa de que forma o problema da produtividade é percebido pelas empresas brasileiras e quais seriam, na visão dos empresários, os principais gargalos e obstáculos ao crescimento da produtividade. Resume as principais contribuições recentes do Ipea na temática da heterogeneidade estrutural e da produtividade do trabalho. Aborda a produtividade agrícola no Brasil. Verifica como se compõe a produtividade do trabalho ao longo das relações intersetoriais devido a alterações temporais exclusivamente tecnológicas na indústria brasileira.; 445 p. : il.

Rede de pesquisa formação e mercado de trabalho: coletânea de artigos

Oliveira, Marina Pereira Pires de (Organizadora); Nascimento, Paulo A. Meyer M. (Organizador); Maciente, Aguinaldo Nogueira (Organizador); Caruso, Luiz Antonio (Organizador); Schneider, Eduardo Miguel (Organizador)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI)
Tipo: Livros
PT-BR
Relevância na Pesquisa
75.85%
Apresenta estudos publicados que pontuam os principais desafios colocados para o Brasil na formação e melhor aproveitamento de recursos humanos de todos os níveis, trazendo ainda recomendações de política pública. Aborda temas sobre a produtividade do trabalho, a qualidade dos empregos e da formação do trabalhador, a capacidade do país de lidar com sua heterogeneidade produtiva, econômica, regional e social, pontos chave para garantir as condições essenciais para o desenvolvimento e adensamento tecnológico da nossa indústria e dos nossos serviços, nos próximos anos. Traz um panorama sobre o mercado de trabalho, qualificação profissional e estruturas de emprego. Analisa as metodologias para identificação das competências laborais demandadas por diferentes setores econômicos e na inovação, bem como nas estratégias de qualificação das firmas. Verifica os desafios para maior aproximação entre a educação profissional e a acadêmica, fazendo uma comparação com modelos de outros países, bem como uma análise histórica da governança das políticas de educação profissional no Brasil. Analisa a quantidade e a qualidade da formação de engenheiros no país à luz das necessidades projetadas pelo desenvolvimento do Brasil...

Ambiente de negócios, investimentos e produtividade; Texto para Discussão (TD) 2130 : Ambiente de negócios, investimentos e produtividade

Cavalcante, Luiz Ricardo
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
75.98%
Neste trabalho, estimam-se os coeficientes que relacionam ambiente de negócios, investimentos e produtividade do trabalho com base em um painel de dados referente a 81 países no período entre 2005 e 2011. Regressões em painel com efeitos fixos – que consideram o efeito das variáveis omitidas e, portanto, os aspectos idiossincráticos de cada país invariantes no tempo – são usadas para quantificar os impactos de melhorias no ambiente de negócios sobre os níveis de estoque de capital por trabalhador e, portanto, sobre os investimentos. Em seguida, estimam-se também os impactos dos níveis de estoque de capital por trabalhador sobre a produtividade do trabalho. Com base nos coeficientes obtidos, projeta-se o estoque de capital por trabalhador no Brasil caso o ambiente de negócios em 2011 alcançasse os níveis de um conjunto de países de referência. Em particular, caso o Brasil atingisse, naquele ano, o ambiente de negócios da China – medido de acordo com o Doing Business, publicado pelo Banco Mundial –, seus níveis de investimentos poderiam ser cerca de 15% maiores. A equiparação com países como a Polônia ou a Turquia poderia significar incrementos da ordem de 30% nos níveis de investimentos. Caso o ambiente de negócios no Brasil alcançasse os níveis do México ou do Chile...

Evolução da produtividade industrial brasileira e abertura comercial; Texto para Discussão (TD) 651: Evolução da produtividade industrial brasileira e abertura comercial

Rossi Júnior, José Luiz; Ferreira, Pedro Cavalcanti
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
75.94%
Este trabalho avalia a evolução da produtividade industrial brasileira — utilizando um painel de 16 setores da indústria de transformação no período 1985/97 — e o papel da abertura econômica neste processo. Os resultados mostram que a produtividade da indústria brasileira, seja ela medida pelo conceito de produtividade total dos fatores (PTF) ou de produtividade do trabalho, passou por duas fases distintas: de 1985 a 1990, há um processo de estagnação e de 1990 a 1997, a indústria passa a apresentar significativas taxas de crescimento. A abertura comercial, caracterizada por menores tarifas nominais e menores taxas de proteção efetiva, exerce um efeito positivo sobre o aumento da produtividade. Em todas as regressões do modelo — em que se utilizam técnicas de estimação em painéis — não se pode rejeitar a hipótese de que aumentos nas barreiras comerciais implicam menores taxas de crescimento da produtividade do trabalho e da PTF. Este resultado confirma a evidência internacional de que países mais abertos crescem mais rápido e desestimularia a adoção de políticas de restrição comercial como estratégia de desenvolvimento e de proteção à indústria nacional.; 31 p. : il.

Labor productivity in Brazil during the 1990s; Texto para Discussão (TD) 906: Labor productivity in Brazil during the 1990s; A produtividade do trabalho no Brasil durante a década de 1990

Bonelli, Regis
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
EN-US
Relevância na Pesquisa
75.92%
A década de 1990 foi um período caracterizado por mudanças fundamentais na economia brasileira, muitas das quais induzidas pela política econômica governamental. À liberalização comercial e financeira seguiram-se medidas visando à reforma do Estado, como a privatização, e a bem-sucedida tentativa de estabilização econômica com o Plano Real. Essas mudanças tiveram importantes implicações em relação a diversos aspectos do desempenho macroeconômico. Mas poucos desses aspectos foram tão bem-sucedidos quanto o que se refere ao aumento da produtividade. Este estudo analisa esse tema. Entre seus resultados destacam-se: a) na década de 1990 rompeu-se a trajetória de taxas decrescentes de aumento da produtividade; o ganho de produtividade havia chegado, inclusive, a ser negativo na década de 1980; b) o crescimento da produtividade agregada representou uma elevada parcela do crescimento do PIB real, invertendo tendência anterior; c) o sacrifício em termos de emprego foi aparentemente menor do que se supunha até a recente divulgação de resultados preliminares do Censo Demográfico de 2000; d) quanto à incidência setorial dos ganhos de produtividade, a indústria foi o destaque — mas taxas muito elevadas de crescimento da produtividade caracterizaram também os setores de comunicações e serviços industriais de utilidade pública; e) nesses últimos casos...

Determinantes da produtividade na indústria brasileira; Determinants of productivity in the Brazilian industry

Messa, Alexandre
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
PT-BR
Relevância na Pesquisa
75.9%
Este artigo investiga, no âmbito da indústria, os determinantes do comportamento da produtividade do trabalho ao longo do período compreendido entre 1996 e 2012. Para tal, procede-se em dois passos. O primeiro consiste em estimar as funções de produção setoriais, utilizando dados no nível da firma – disponibilizados pela Pesquisa Industrial Anual (PIA), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Tais estimações permitem, então, a identificação dos determinantes da produtividade para a firma média de cada setor. O segundo consiste na agregação dos resultados setoriais com vistas a verificar a importância de cada determinante para a indústria agregada.; p. 29-39

Labor productivity in Brazil during the 1990s; Discussion Paper 117 : Labor productivity in Brazil during the 1990s; A produtividade do trabalho no Brasil durante a década de 1990

Bonelli, Regis
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Discussion Paper
EN-US
Relevância na Pesquisa
75.92%
A década de 1990 foi um período caracterizado por mudanças fundamentais na economia brasileira, muitas das quais induzidas pela política econômica governamental. À liberalização comercial e financeira seguiram-se medidas visando à reforma do Estado, como a privatização, e a bem-sucedida tentativa de estabilização econômica com o Plano Real. Essas mudanças tiveram importantes implicações em relação a diversos aspectos do desempenho macroeconômico. Mas poucos desses aspectos foram tão bem-sucedidos quanto o que se refere ao aumento da produtividade. Este estudo analisa esse tema. Entre seus resultados destacam-se: a) na década de 1990 rompeu-se a trajetória de taxas decrescentes de aumento da produtividade; o ganho de produtividade havia chegado, inclusive, a ser negativo na década de 1980; b) o crescimento da produtividade agregada representou uma elevada parcela do crescimento do PIB real, invertendo tendência anterior; c) o sacrifício em termos de emprego foi aparentemente menor do que se supunha até a recente divulgação de resultados preliminares do Censo Demográfico de 2000; d) quanto à incidência setorial dos ganhos de produtividade, a indústria foi o destaque — mas taxas muito elevadas de crescimento da produtividade caracterizaram também os setores de comunicações e serviços industriais de utilidade pública; e) nesses últimos casos...

Produtividade no Brasil: uma análise do período recente; Texto para Discussão (TD) 1955: Produtividade no Brasil: uma análise do período recente; Productivity in Brazil: an analysis of the recent period

Cavalcante, Luiz Ricardo; De Negri, Fernanda
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
76%
O objetivo deste trabalho é analisar a evolução recente dos indicadores de produtividade no Brasil por meio da sistematização dos resultados obtidos em análises precedentes e da coleta de dados complementares sobre o tema. Discute-se, inicialmente, a relação entre crescimento econômico e produtividade nas abordagens que usam medidas totais e parciais dessa variável, e demonstra-se que algo entre 30% e 50% do crescimento do produto interno bruto (PIB) per capita do país na última década pode ser creditado ao aumento das taxas de ocupação e de participação no mercado de trabalho. Isso explica por que o PIB per capita descola-se da produtividade do trabalho quando suas trajetórias são mostradas graficamente. Portanto, a preservação das maiores taxas de crescimento do PIB per capita somente pode ser alcançada se houver um crescimento representativo da produtividade do trabalho ao longo dos próximos anos, uma vez que, de acordo com as projeções demográficas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), não se espera uma elevação das taxas de participação e ocupação no futuro próximo. Discutem-se também os resultados obtidos nas análises sobre a trajetória recente da produtividade total dos fatores (PTF) no Brasil...

Produtividade do trabalho e rigidez estrutural no Brasil nos anos 2000

Squeff, Gabriel Coelho; De Negri, Fernanda
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
PT-BR
Relevância na Pesquisa
75.95%
O Presente artigo mostra que o baixo crescimento da produtividade é um dos principais fatores a explicar o fraco desempenho econômico da América Latina de modo geral e do Brasil, em particular, nas últimas décadas. Um dos fatos estilizados sobre o qual há pouca discordância no Brasil é o baixo crescimento da produtividade agregada, seja ela a do trabalho ou a produtividade total dos fatores (PTF), nos últimos vinte ou trinta anos. Apesar de alguns autores apontarem para uma aceleração do crescimento da produtividade total dos fatores no início dos anos 2000, em comparação à década anterior, em termos históricos, este crescimento é muito pouco expressivo. Além disso, após a crise de 2008, observa-se novamente uma estagnação no crescimento da PTF na economia brasileira (Bonelli e Bacha, 2013; Ellery, 2013). De modo geral, a análise dos indicadores de produtividade do trabalho evidencia a mesma tendência pela PTF, qual seja, o baixo crescimento ou a relativa estagnação da produtividade. No caso da produtividade do trabalho, esta evidência é válida independentemente da fonte de informação utilizada – seja a partir das Contas Nacionais ou das pesquisas anuais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – e dos indicadores de produção utilizados.; p. 27-38 : il. Inclui referência bibliográfica

Structural Heterogeneity in Santa Catarina's Industry; Heteorogeneidade estrutural na indústria catarinense

Cândido, Carolina Silvestre; Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Perin, Fernanda Steiner; Universidade Federal de Santa Catarina; Cário, Silvio Antônio Ferraz; Universidade Federal de Santa Catarina
Fonte: UFSC Publicador: UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2013 POR
Relevância na Pesquisa
75.93%
This paper has as main goal to study the Santa Catarina’s industrial structural heterogeneity in a comparison with the Brazilian industry in order to contribute with the studies about the economics reality of Santa Catarina, identifying its relation with innovation and verifying the existence of a productive convergence. The Cepal’s economics theory presents, through the ideas of Aníbal Pinto, the structural heterogeneity as a result of the unequal generation and diffusion of the technical progress within a productive structure. The structural heterogeneity takes place in the internal productive gap that means the existence, in one productive structure, of developed and undeveloped productive sectors with different levels of productivity. The unequal generation and diffusion of the technical progress generates different levels of labor productivity that reflects in unequal wages and opportunities of access to information, knowledge aggravating the social inequality. Through the analyzes, from 1996 to 2011, of Industrial Transformation Value and Employed Persons data it is possible to calculate the labor productivity as a proxy for productive and structural heterogeneity – as proposed by IPEA (2011) – and observing it through the Industrial Newsletter of Industry and Trade – BIC – proposed by APEX – it is possible to prove the existence of structural heterogeneity in the Santa Catarina’s and Brazilian Industry...