Página 19 dos resultados de 11333 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

Intervenção interdisciplinar enquanto estratégia para o uso racional de medicamentos em idosos; An interdisciplinary intervention as a strategy for rational use of drugs by the elderly

Medeiros, Eloá Fátima Ferreira de; Moraes, Clayton Franco; Karnikowski, Mauro; Nóbrega, Otávio de Tolêdo; Karnikowski, Margô Gomes de Oliveira
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
A presente pesquisa avaliou a efetividade de intervenções interdisciplinares, envolvendo médicos, farmacêuticos e nutricionistas, destinadas à promoção do Uso Racional dos Medicamentos. Trata-se de um estudo de caráter prospectivo e analítico, com uma população de mulheres idosas, onde a efetividade da intervenção foi avaliada de acordo com indicadores de Uso Racional dos Medicamentos preconizados pela Organização Mundial de Saúde. As análises estatísticas foram realizadas utilizando-se do teste t ou one-way ANOVA para variáveis discretas, e o teste de qui-quadrado para avaliação categórica das variáveis. Após a intervenção, houve uma redução média no consumo de medicamentos em relação às consultas da pré-intervenção (p=0,001). Os medicamentos utilizados na terapêutica cardiovascular foram os mais consumidos, o que se encontra em consonância com as doenças autoreferidas pelas idosas. Foi possível verificar que a intervenção interdisciplinar em idosas pôde contribuir para melhoria dos indicadores de Uso Racional dos Medicamentos, em especial os de prescrição. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT; This research assessed the effectiveness of interdisciplinary interventions involving physicians...

Análise bioética da propaganda e publicidade de medicamentos; Bioethical analysis of drugs advertisement and publicity

Fagundes, Maria José Delgado; Soares, Magnely Gomes Alves; Diniz, Nilza Maria; Pires, Jansen Ribeiro; Garrafa, Volnei
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
Sob a perspectiva da “ética da proteção” e da “bioética de intervenção”, a pesquisa analisa a influência das peças publicitárias de medicamentos veiculadas à classe médica na prescrição de medicamentos. Estuda, ainda, a qualidade das informações nas propagandas de medicamentos de venda sob prescrição, antes e depois da Resolução da Diretoria Colegiada da Anvisa - RDC 102/2000, que regulamenta a propaganda de medicamentos no país, bem como discute o papel regulador do Estado na área. Primeiramente, foram entrevistados 50 médicos de Brasília, a fim de examinar como percebem os efeitos da propaganda sobre sua atividade profissional. Em seguida, foram avaliadas 10 peças publicitárias, 5 veiculadas antes e 5 depois da RDC 102/2000. Os resultados permitiram concluir que: a) 98% dos médicos recebem visitas regulares de representantes comerciais; b) 86% recebem brindes; c) 68% crêem na influência direta da propaganda sobre a prescrição; d) 14% disseram prescrever medicamentos em função do recebimento de prêmios; e) 68% acreditam existir inverdades nas informações das peças publicitárias; f) antes da RDC, as informações (contra-indicações, indicações, precauções, cuidados e advertência) nas propagandas representava 28% dos casos; após a RDC...

Conhecimentos, práticas e percepção de risco do uso de medicamentos no Distrito Federal; Knowledge, practices and risk perception in relation to the use of medicaments in the Federal District, Brazil

Almeida, Maristela Raquel de; Castro, Lia Lusitana Cardozo de; Caldas, Eloísa Dutra
Fonte: Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unesp de Araraquara Publicador: Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unesp de Araraquara
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
Este é um estudo transversal realizado em 2008/2009 no Distrito Federal com 997 participantes, que responderam a um questionário estruturado com 27 perguntas. Os entrevistados foram categorizados em cinco grupos: funcionários de drogaria (FD), funcionários de hospital (FH), pacientes de drogaria (PD), pacientes de hospital (PH) e outros. Os entrevistados do grupo FD foram os que mais afirmaram perceber sempre a presença do profissional farmacêutico na drogaria (35%, p<0.001). Somente 28,1% dos respondentes afirmaram saber o que é interação medicamentosa, com frequência maior para FD (p<0,0001) e PH (p=0,0138); destes, 37,3% descreveram corretamente o termo. Mais de 80% dos participantes leem sempre ou às vezes a bula, mas os do grupo PH são os que menos compreendem seu conteúdo. A frequência do uso de medicamentos sem receita médica foi maior entre os FD (p=0,0033) e menor entre os PH (p<0.0001). Os medicamentos considerados de maior risco pelos participantes foram inibidores de apetite, antibióticos e remédios para dormir e mais de 1/3 dos entrevistados consideraram que todos os medicamentos “fazem mal a saúde”. A maioria guarda os medicamentos em gavetas e armários e somente 13% os mantêm fora do alcance de crianças. O estudo sugere que o ambiente...

Regula????o da propaganda de medicamentos: an??lise do processo de constru????o da RDC 96/08

Paula, Fernanda Affonso de
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.79%
Trata-se de um estudo que analisa as a????es do ??rg??o Regulador daPropaganda de Medicamentos no per??odo de 2005 a 2009. A propaganda ?? um instrumento de promo????o da comercializa????o de medicamentos e de acordo com a pr??pria Ag??ncia Nacional de Vigil??ncia Sanit??ria (ANVISA) e estudos acad??micos 90 por cento das pe??as publicit??rias exibidas cont??m irregularidades. O setor regulado, representado pelas ag??ncias de publicidade, ind??stria e com??rcio varejista farmac??utico, atua como um forte agente influenciador sobreas normas. Isso ocorre em detrimento do que ?? preconizado como uso racionale da Pol??tica Nacional de Medicamentos. O trabalho analisa os debates ocorridos na C??mara Setorial de Propaganda de Produtos Sujeitos ?? Vigil??ncia Sanit??ria da ANVISA, as proposi????es dos setores envolvidos na ??rea da propaganda de medicamentos, informa????es veiculadas pela pr??pria Ag??ncia e estudos acad??micos sobre o setor. O trabalho tamb??m analisa as estrat??gias empregadas pela ANVISA para fiscaliza????o e monitora????o do setor, bem como a transpar??ncia na constru????o da Resolu????o de Diretoria Colegiada (RDC) 96/2008. Durante os quatro anos de discuss??o da regula????o de propaganda de medicamentos no pa??s, a nova RDC 96/2008...

Variáveis psicossociais associadas à adesão à terapêutica farmacológica em doentes crónicos : conhecimento, crenças e satisfação com a informação sobre medicamentos

Dias, Narcisa Maria Oliveira Carvalho
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 24/10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
A reduzida adesão à farmacoterapia nas doenças crónicas mantém-se um relevante problema, apesar de todos os esforços para diminuir a sua dimensão. A adesão inadequada comporta consequências ao nível económico, clínico e humanístico. Reconhece-se atualmente que o envolvimento do doente nas decisões relativas ao tratamento da sua doença é um fator chave para melhorar o seu comportamento de adesão. Esta investigação teve como principal objetivo explorar um conjunto de variáveis psicossociais associadas ao comportamento de adesão à farmacoterapia em 164 doentes crónicos portugueses, da região norte, centro e sul do país. Os resultados permitiram identificar uma associação entre crenças gerais e específicas acerca dos medicamentos e a adesão e uma associação entre a satisfação com a informação sobre medicamentos e as crenças sobre os mesmos. Identificou-se também que as facetas do conhecimento sobre medicamentos mais ignoradas pelos doentes coincidem com os principais motivos de insatisfação com a informação. O farmacêutico apresenta-se como a fonte preferida pelos doentes para se informarem sobre medicamentos. Estes resultados revelam a necessidade de se identificarem as crenças de cada doente sobre os medicamentos e a sua satisfação com a informação sobre os mesmos...

Inovação na Indústria Farmacêutica Portuguesa de Medicamentos Genéricos

Diniz, Paulo Jorge Sampaio
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /04/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
Mestrado em Gestão e Estratégia Industrial; A indústria de medicamentos genéricos assume um papel cada vez mais importante na indústria farmacêutica, na sociedade e na economia, no entanto, apesar da sua evolução muito positiva no mercado, enfrenta desafios importantes que podem condicionar a sua sustentabilidade. A inovação tem sido considerada central para o desenvolvimento, crescimento e competitividade das empresas, contudo Tidd et al. (2003), entre outros, argumentam que não existe um modelo perfeito para gerir o processo de inovação e que este depende das circunstâncias específicas da empresa. Com os dados obtidos junto de uma empresa portuguesa de medicamentos genéricos, elaborámos um estudo de caso com o objectivo de compreender como é que a inovação pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento de vantagens competitivas na indústria farmacêutica de medicamentos genéricos. Neste estudo de caso observa-se a importância e o papel que a inovação pode ter como resposta às alterações da envolvente e ao desenvolvimento de vantagens competitivas, o estudo revela que as inovações organizacionais podem facilitar o processo de desenvolvimento de produto e processo, permitindo sobretudo, explorar e criar conhecimento melhorando a eficiência das actividades de inovação. Revela ainda que as empresas farmacêuticas de medicamentos genéricos podem mudar e adaptar as suas estruturas organizacionais em momentos de grandes alterações da envolvente. Observou-se também que a inovação tecnológica pode permitir à indústria de medicamentos genéricos ultrapassar barreiras à entrada dos medicamentos genéricos no mercado através do desenvolvimento de produtos e processos inovadores que não violem a propriedade industrial concedida.; The generic drug industry takes an increasingly important role in the pharmaceutical industry...

Alergia a Medicamentos Reportada em Crianças que Frequentam Infantários

Carreiro-Martins, P; Belo, J; Marques, J; Papoila, AL; Caires, I; Araújo-Martins, J; Pedro, C; Rosado-Pinto, J; Virella, D; Leiria-Pinto, P; Neuparth, N
Fonte: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
Introdução: A prevalência de alergia a fármacos na população geral não se encontra devidamente caraterizada, existindo poucos estudos publicados que tenham abordado esta situação em crianças com idades inferior a seis anos de idade. Este estudo tem como objetivo principal estimar a prevalência de alergia a medicamentos reportada pelos pais de crianças de infantários de Lisboa e do Porto. Material e Métodos: No âmbito da Fase II do projeto “ENVIRH – Ambiente e Saúde em Creches e Infantários” foi aplicado um questionário sobre alergia a medicamentos aos pais das crianças, recrutadas por amostragem aleatória estratificada dos infantários. Resultados: Foram analisados 1 169 questionários, 52,5% de rapazes. A idade média foi de 3,5 ± 1,5 anos. A prevalência de alergia a medicamentos reportada foi de 4,1% (IC 95%: 3,0 - 5,2%). Os fármacos mais referidos foram os antibióticos (em 27 reações) e os AINEs (em seis reações). Na análise multivariável, a alergia a medicamentos reportada associou-se diretamente com a idade da criança (OR 1,19; IC 95% 1,01 - 1,41) e com a referência a alergia alimentar (OR 3,19; IC95% 1,41 - 7,19) e inversamente com o nível de escolaridade dos pais (OR 0,25; IC95% 0,10 - 0...

Alergia a Medicamentos Reportada em Crianças que Frequentam Infantários

Carreiro-Martins, P; Belo, J; Marques, J; Papoila, AL; Caires, I; Araújo-Martins, J; Pedro, C; Rosado-Pinto, J; Virella, D; Leiria-Pinto, P; Neuparth, N
Fonte: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
Introdução: A prevalência de alergia a fármacos na população geral não se encontra devidamente caraterizada, existindo poucos estudos publicados que tenham abordado esta situação em crianças com idades inferior a seis anos de idade. Este estudo tem como objetivo principal estimar a prevalência de alergia a medicamentos reportada pelos pais de crianças de infantários de Lisboa e do Porto. Material e Métodos: No âmbito da Fase II do projeto “ENVIRH – Ambiente e Saúde em Creches e Infantários” foi aplicado um questionário sobre alergia a medicamentos aos pais das crianças, recrutadas por amostragem aleatória estratificada dos infantários. Resultados: Foram analisados 1 169 questionários, 52,5% de rapazes. A idade média foi de 3,5 ± 1,5 anos. A prevalência de alergia a medicamentos reportada foi de 4,1% (IC 95%: 3,0 - 5,2%). Os fármacos mais referidos foram os antibióticos (em 27 reações) e os AINEs (em seis reações). Na análise multivariável, a alergia a medicamentos reportada associou-se diretamente com a idade da criança (OR 1,19; IC 95% 1,01 - 1,41) e com a referência a alergia alimentar (OR 3,19; IC95% 1,41 - 7,19) e inversamente com o nível de escolaridade dos pais (OR 0,25; IC95% 0,10 - 0...

O financiamento por capitação ajustada pelo risco em contexto de integração vertical de cuidados de saúde : a utilização dos consumos com medicamentos como proxy da carga de doença em ambulatório

Santana, Rui Manuel Candeias
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
RESUMO - Introdução - Com o presente projecto de investigação pretendeu-se estudar o financiamento por capitação ajustado pelo risco em contexto de integração vertical de cuidados de saúde, recorrendo particularmente a informação sobre o consumo de medicamentos em ambulatório como proxy da carga de doença. No nosso país, factores como a expansão de estruturas de oferta verticalmente integradas, inadequação histórica da sua forma de pagamento e a recente possibilidade de dispor de informação sobre o consumo de medicamentos de ambulatório em bases de dados informatizadas são três fortes motivos para o desenvolvimento de conhecimento associado a esta temática. Metodologia - Este trabalho compreende duas fases principais: i) a adaptação e aplicação de um modelo de consumo de medicamentos que permite estimar a carga de doença em ambulatório (designado de PRx). Nesta fase foi necessário realizar um trabalho de selecção, estruturação e classificação do modelo. A sua aplicação envolveu a utilização de bases de dados informatizadas de consumos com medicamentos nos anos de 2007 e 2008 para a região de Saúde do Alentejo; ii) na segunda fase foram simulados três modelos de financiamento alternativos que foram propostos para financiar as ULS em Portugal. Particularmente foram analisadas as dimensões e variáveis de ajustamento pelo risco (índices de mortalidade...

Análise do impacto na despesa pública com medicamentos decorrente da alteração do sistema de preços de referência

Tempero, José Manuel dos Santos Taveira Mota
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
RESUMO - Com o presente trabalho pretende-se analisar o impacto na despesa pública com medicamentos decorrente da implementação do Decreto-Lei 48-A/2010, de 13 de Maio, e do Decreto-Lei 106-A/2010, de 1 de Outubro, nos anos de 2011 e 2012. Os referidos diplomas alteraram as regras de formação do preço de referência e terão contribuído para a redução da despesa do SNS com medicamentos verificada em 2011 e 2012. Crê-se que antes da implementação dos referidos diplomas, o mercado concorrencial de medicamentos genéricos não apresentava a competição necessária, não se verificando a aproximação dos preços praticados ao seu custo marginal, de acordo com o previsto na teoria económica clássica. Pretende-se identificar o mercado total dos grupos homogéneos e analisar 50% do seu valor, através da identificação do preço de referência efectivo do 1º trimestre de 2011 ao 4º trimestre de 2012 e do cálculo do preço de referência expectável, na ausência da implementação dos referidos diplomas, com base nas regras existentes antes da implementação dos referidos diplomas. A identificação o peso relativo da alteração das regras do sistema de preços de referência, na despesa do SNS com medicamentos ocorrida em 2011 e 2012...

O uso de medicamentos em puérpuras interfere nas recomendações quanto ao aleitamento materno?

Lamounier,Joel A.; Cabral,Christiano M.; Oliveira,Bárbara C.; Oliveira,Anderson B.; Oliveira Jr.,Aneildo M.; Silva,Ana Paula A. e
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2002 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
Objetivo: estudar a freqüência do uso de medicamentos no pós-parto imediato e verificar possíveis interferências nas recomendações quanto à amamentação.Métodos: foi realizado um estudo transversal em quatro maternidades de Belo Horizonte, no período de julho de 1998 a julho de 1999, incluindo 2.173 parturientes. A amostra foi calculada com base em dados da Secretaria Municipal de Saúde sobre o número de partos ocorridos nessas instituições, no ano de 1995, ou seja, em torno de 5% do total em um ano. A distribuição da amostra foi aleatória, utilizando o calendário de semanas epidemiológicas. Através de entrevistas junto às mães, usando um questionário próprio, e da coleta de dados obtidos de prontuários médicos da mãe e do recém-nascido, foi avaliada a freqüência do uso de medicamentos no pós-parto imediato. Os medicamentos foram agrupados em categorias quanto à compatibilidade com amamentação, à incompatibilidade, ao uso criterioso em monitorar e observar o recém-nascido para possíveis efeitos indesejáveis.Resultados: de um total de 2.173 mulheres, em 2.090 (96,2%) foram prescritos medicamentos no pós-parto imediato. Dos medicamentos utilizados, 2.054 (98,3%) foram de drogas sem contra-indicação à amamentação natural; 338 (16...

Excipientes de medicamentos e as informações da bula

Balbani,Aracy Pereira Silveira; Stelzer,Lucilena Bardella; Montovani,Jair Cortez
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
OBJETIVO: Avaliar a presença de conservantes, corantes, adoçantes e aromatizantes em 73 apresentações farmacêuticas de 35 medicamentos para uso oral, e as informações da bula sobre excipientes. MÉTODOS: Selecionamos 35 medicamentos, de venda livre ou sob prescrição médica, comercializados no Brasil. A amostra incluiu: analgésicos/antitérmicos, antimicrobianos, mucolíticos, antitussígenos, descongestionantes, anti-histamínicos, broncodilatadores, corticosteróides, antiinflamatórios e suplementos vitamínicos. Foram analisadas 73 apresentações desses fármacos, anotando-se as informações da bula sobre conservantes, corantes, adoçantes e aromatizantes. RESULTADOS: A bula de um medicamento (1,3%) não mencionava os ingredientes inativos. Os conservantes mais encontrados nos medicamentos foram metilparabeno e propilparabeno (43% e 35,6% respectivamente). Os adoçantes mais usados foram: sacarose (açúcar) (53,4%), sacarina sódica (38,3%) e sorbitol (36,9%). Vinte e um produtos (28,7%) continham dois adoçantes. Predominaram os medicamentos sem corante (43,8%), seguidos pelos coloridos por amarelo crepúsculo (amarelo FD&C no. 6) (15%). Cinco produtos (6,8%) continham mais de um corante. A tartrazina (amarelo FD&C no. 5) foi encontrada em sete formulações (9...

Perfil das solicitações de medicamentos de alto custo ao Sistema Único de Saúde em Minas Gerais

Públio,Rilke Novato; Couto,Braulio Roberto Gonçalves Marinho; Valadão,Analina Furtado; Rezende,Edna Maria
Fonte: Fundação Getulio Vargas Publicador: Fundação Getulio Vargas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
O acesso universal aos serviços de saúde, previsto na Constituição Federal, deveria garantir assistência terapêutica integral, inclusive de medicamentos do componente especializado (de alto custo). Considerando que esse é um dos maiores desafios ao Sistema Único de Saúde, o objetivo deste estudo foi analisar custos do fornecimento desses medicamentos aos usuários de planos privados de saúde, pela Secretaria Estadual de Saúde, no estado de Minas Gerais. Foram selecionados processos de solicitações de medicamentos do componente especializado deferidos pela Secretaria Estadual de Saúde, no primeiro semestre de 2008. O método record linkage foi utilizado para verificar junto à Agência Nacional de Saúde Suplementar, se os solicitantes eram ou não beneficiários de planos privados de saúde. Os dados mostraram que cerca de 37% dos gastos com esses medicamentos foram de solicitações dos usuários de planos privados e que o custo mediano desses medicamentos foi mais elevado, com diferença significativa, em relação às solicitações dos usuários que não tinham plano. Observou-se ainda que o custo dos medicamentos solicitados pela Gerência Regional de Saúde de Belo Horizonte foi significativamente mais alto em relação às demais. Conclui-se pela necessidade de aprofundar estudos sobre implementação de políticas de assistência farmacêutica pelos planos privados de saúde...

Consumo de medicamentos em região do Estado de São Paulo (Brasil), 1985

Simões,Maria Jacira S.; Farache Filho,Adalberto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1988 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
Com o objetivo de avaliar as características do consumo de medicamentos na população urbana de Araraquara, SP, Brasil, foram coletados dados, por meio de entrevistas domiciliares, de uma amostra da população que consumiu pelo menos um medicamento nos quinze dias que antecederam a data da entrevista. O estudo foi realizado no período de agosto a setembro de 1985. Verificou-se que 42,1% dos medicamentos utilizados foram adquiridos sem prescrição médica. O consumo entre o sexo feminino foi maior que para o sexo masculino. Na automedicação o grupo que apresentou taxa mais elevada, segundo a faixa etária, foi o de 50 anos e mais, com 31,6%. Grande parte do consumo de medicamentos constituiu-se dos industrializados (97,6%). As prescrições médicas, feitas em consultas anteriores, e avalia das como bem sucedidas foram retomadas em situações diversas (12,0%), revelando o importante papel que o médico desempenha na formação dos critérios de escolha dos remédios utilizados nas práticas de automedicação. O farmacêutico e/ou balconista de farmácia contribui com 10,0% dos medicamentos usados que tiveram essa via de indicação. As orientações feitas por amigos, vizinhos e parentes (9,1%) revelaram intenso circuito de trocas de socializações quanto aos quadros móbidos e indicações terapêuticas.

Padrões de consumo de medicamentos em dois povoados da Bahia (Brasil)

Haak,Hildebrando
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1989 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
Um estudo realizado junto a núcleos familiares em dois povoados baianos, (Brasil), revelou que os medicamentos modernos são amplamente utilizados no contexto da automedicação. O uso de medicamentos tradicionais foi de relevância limitada nesse quadro. A atitude da população em relação aos medicamentos modernos foi de ampla aceitação. Segundo as normas biomédicas, tal uso deveria ser considerado como irracional. Fatores agravantes nesse quadro foram: 1) a preferência pela aplicação de medicamentos a recém-nascidos; 2) o alto custo financeiro envolvido na compra de medicamentos; 3) o exagerado nível de expectativa em relação aos antibióticos, analgésicos e vitaminas. É recomendada a intensificação de pesquisa sobre o uso de medicamentos em nível local, no intuito de gerar soluções criativas para o problema do uso irracional de remédios. A automedicação poderia tornar-se importante parte da "Assistência Primária à Saúde" e a medicina preventiva poderia desempenhar papel-chave em tal pesquisa e nas subseqüentes campanhas de conscientização do público.

Indicadores do uso de medicamentos prescritos e de assistência ao paciente de serviços de saúde

Santos,Vania dos; Nitrini,Sandra M Ottati Oliveira
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
OBJETIVO: Descrever a prática terapêutica de médicos alopatas e avaliar a assistência ambulatorial prestada a pacientes de unidades de saúde. MÉTODOS: O estudo foi realizado em Ribeirão Preto, SP, utilizando como base metodológica os indicadores de uso de medicamentos da Organização Mundial da Saúde. Nos de prescrição, trabalhou-se com 10 unidades de saúde e 6.692 receitas de clínicos e pediatras. Nos indicadores de assistência ao paciente a amostra foi composta por 30 pacientes em cada unidade, sendo o número de unidades variável para cada indicador. Foi utilizado o teste de comparação de proporções. RESULTADOS: O número médio de medicamentos por receita foi de 2,2 compatível com o observado na literatura. Das prescrições, 30,6% foram feitas pela denominação genérica, valor considerado baixo. A prescrição de antibióticos ocorreu em 21,3% das receitas, com maior percentual entre os pediatras (28,9%). Em 8,3% das receitas houve prescrição de injetável, sendo o maior percentual observado entre os clínicos (13,1%). Em 83,4% das prescrições, os medicamentos constavam da Lista de Medicamentos Padronizados, indicativo de sua aceitação entre os profissionais. O tempo médio de consulta foi de 9,2 minutos e o de dispensação de 18...

Gastos publicos com medicamentos para o tratamento da osteoporose na pos-menopausa

Brandao,Cristina Mariano Ruas; Ferre,Felipe; Machado,Gustavo Pinto da Matta; Guerra Junior,Augusto Afonso; Andrade,Eli Iola Gurgel; Cherchiglia,Mariangela Leal; Acurcio,Francisco de Assis
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
OBJETIVO: Analisar os gastos com medicamentos para o tratamento da osteoporose na pós-menopausa e os fatores associados ao gasto médio per capita . MÉTODOS: Pareamento probabilístico-determinístico a partir das bases das Autorizações de Procedimentos de Alta Complexidade com o Sistema de Informação sobre Mortalidade, resultando em coorte histórica de pacientes que utilizaram medicamentos de alto custo para o tratamento da osteoporose na pós-menopausa de 2000 a 2006. O gasto médio mensal com medicamentos foi estratificado por faixas etárias e descrito de acordo com as características demográficas, clínicas e tipo de medicamento utilizado. Foi utilizado modelo de regressão linear para avaliar o impacto de características demográficas e clínicas sobre o gasto médio mensal per capita com os medicamentos. RESULTADOS: Foram identificadas 72.265 mulheres que receberam medicamentos para o tratamento da osteoporose na pós-menopausa. O gasto médio mensal per capita no primeiro ano de tratamento foi de R$ 90,00 (dp R$ 144,49). A maioria das mulheres tinha de 60 a 69 anos de idade, iniciaram tratamento em 2000, eram residentes na região Sudeste...

Uso racional de medicamentos: relato de experiência no ensino médico da Unesc, Criciúma/SC

Franceschet-de-Sousa,Iane; Biscaro,Andressa; Biscaro,Fernanda; Fernandes,Marcelo Soares
Fonte: Associação Brasileira de Educação Médica Publicador: Associação Brasileira de Educação Médica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
O presente estudo objetivou disseminar entre os alunos do curso de Medicina da Unesc a lógica do Uso Racional de Medicamentos e suas aplicações na prática médica. Utilizou-se como modelo o curso de formação sobre Uso Racional de Medicamentos promovido pela OMS, por meio do método didático-pedagógico da aprendizagem baseada em problemas, a mesma concepção utilizada pelo curso de Medicina da Unesc. Com apoio e financiamento da Diretoria de Pesquisa e da Diretoria de Extensão e Ação Comunitária (Unesc), o trabalho foi desenvolvido a partir de duas vertentes: a primeira visou capacitar acadêmicos do curso de Medicina na lógica do Uso Racional de Medicamentos; a segunda vertente objetivou desenvolver ações educativas na comunidade dos bairros adjacentes à universidade, envolvendo temas como Uso Racional de Medicamentos. Foram capacitados 35 alunos e realizadas intervenções na comunidade que abrangeram 689 pessoas. Os acadêmicos envolvidos neste trabalho passaram a visualizar a prescrição de medicamentos de forma mais racional e ainda adquiriram a noção da importância de priorizar uma lista de medicamentos essenciais, tendo como base condutas pautadas nas melhores evidências disponíveis.

Vivenciando a seleção de medicamentos em hospital de ensino

Magarinos-Torres,Rachel; Pagnoncelli,Dante; Cruz Filho,Almiro Domiciano da; Osorio-de-Castro,Claudia Garcia Serpa
Fonte: Associação Brasileira de Educação Médica Publicador: Associação Brasileira de Educação Médica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
A seleção de medicamentos essenciais orienta a utilização eficaz, segura e racional de medicamentos. O texto descreve e discute o processo e os resultados alcançados pelo trabalho da Comissão de Farmácia e Terapêutica do Instituto Fernandes Figueira no momento de revisão de sua lista de medicamentos, ressaltando as implicações para a gestão, para a clínica e para a formação médica e da equipe multidisciplinar. Os dados trabalhados foram resgatados de documentos produzidos pelo grupo entre abril de 2005 e março de 2008. Foram trabalhados três grupos de medicamentos. Os achados apontam diminuição mínima de 44% no quantitativo de itens. O processo envolveu grande número de profissionais de diferentes categorias e setores do hospital. Embora demorada e complexa, estima-se que a revisão da lista de medicamentos tenha despertado todos para a necessidade de repensar a utilização do arsenal terapêutico, contribuindo para uma formação mais centrada no paradigma da evidência científica e favorecendo a adesão aos produtos finais.

Medicamentos genéricos: uma alternativa para o mercado brasileiro

Bermudez,Jorge
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1994 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
A análise das características da indústria farmacêutica no mundo e os aspectos mercadológicos desse segmento no Brasil deixam evidentes a dependência externa e a oligopolização, com predomínio de empresas de caráter mutinacional, refletindo uma tendência mundial. As iniciativas governamentais recentes no Brasil, com o objetivo de diminuir essa dependência, aliadas à gravidade da questão dos preços e custos de medicamentos no Brasil, comparados a preços mundiais, fundamentam a proposta de avaliar os medicamentos genéricos como uma alternativa viável para o mercado brasileiro. Um dos aspectos mais alarmantes é a verificação do superfaturamento de matérias-primas evidenciada pelos denominados "preços de transferência", prática constatada em diversos países. Analisando os conceitos internacionais sobre medicamentos genéricos, denominação genérica e equivalência farmacêutica, com base ainda em recomendações da Organização Mundial da Saúde e avaliando as experiências de diversos países, são propostas uma série de medidas destinadas a implementar, gradativamente, uma política de medicamentos genéricos bioequivalentes e intercambiáveis como um dos mecanismos de regulação do mercado brasileiro.