Página 17 dos resultados de 5661 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Oftalmologia e atenção primária a saúde

Portes,Arlindo José Freire
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%

Hipertensão venosa episcleral idiopática unilateral em mulher jovem

Lavezzo,Marcelo Mendes; Barreira Junior,Alan Kardec; Suzuki,Ricardo; Malta,Roberto Freire Santiago
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
O objetivo é relatar o caso de uma paciente de 33 anos, que veio ao Pronto Socorro de Oftalmologia apresentando queixa de redução da acuidade visual à esquerda, de caráter insidioso e progressivo, há dois anos. Ao exame oftalmológico, apresentava ingurgitamento dos vasos da conjuntiva bulbar, pressão intraocular muito elevada e nervo óptico com escavação total à esquerda. Foi submetida à campimetria computadorizada 24:2 WW e SITA-SWAP do olho direito, ambas com resultados dentro da normalidade. As tomografias de crânio e órbitas, bem como ultrassonografia com doppler do globo ocular, artérias oftálmicas e veias supraorbitárias não apresentavam anormalidades. Diante disso, aventou-se a hipótese diagnóstica de hipertensão venosa episcleral idiopática, um diagnóstico de exclusão, visto que patologias intracranianas e intraorbitárias haviam sido excluídas. Paciente foi tratada clinicamente com colírios hipotensores, com redução importante da pressão intraocular à esquerda, porém não o suficiente, evoluindo para trabeculectomia.

Conhecimento em cirurgia refrativa entre estudantes de medicina da Universidade Estadual de Londrina

Gameiro Filho,Aluisio Rosa; Aquino,Nathalia Mayumi Thomaz de; Pacheco,Eliana Barreiros de Arruda; Oguido,Ana Paula Miyagusko Taba; Casella,Antonio Marcelo Barbante
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
OBJETIVO: Avaliar o conhecimento de estudantes de Medicina da Universidade Estadual de Londrina (UEL), em cirurgia refrativa, assim como analisar o percentual de estudantes que são portadores de ametropias, seus métodos de correção e seu interesse ou não na realização do procedimento cirúrgico. MÉTODOS: Realizou-se um levantamento através de questionário autoaplicável, previamente testado, entre 154 estudantes do primeiro ao quarto ano de Medicina da Universidade Estadual de Londrina entre setembro e novembro de 2011. RESULTADOS: Foi relatado que 70,8% dos estudantes possuíam algum tipo de erro de refração, sendo a miopia o erro mais prevalente, com 72,5% dos estudantes amétropes apresentando-a, associada ou não a outros erros de refração. Os óculos foram o método de correção visual referido como o mais utilizado, por 80% dos pesquisados. Quanto à cirurgia refrativa, 85,7% dos estudantes já haviam ouvido falar a respeito, porém, apenas 42,9% sabiam como o procedimento é realizado, sendo o oftamologista a principal fonte de informação sobre o tema, para 23,5% dos alunos. Apenas 43,2% dos alunos têm interesse na realização da cirurgia, e apenas 3 (1,9%) estudantes já foram submetidos ao procedimento. CONCLUSÃO: Apesar da importância da cirurgia refrativa na Oftalmologia verificou-se baixo conhecimento acerca do tema entre os estudantes...

Perfil refracional dos présbitas na Amazônia brasileira

Chaves,Cláudia Maria Osório; Chaves Filho,Cláudio do Carmo; Chaves,Cláudio do Carmo
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
OBJETIVO: Determinar o perfil refracional dos présbitas na Amazônia ocidental brasileira, estabelecendo-se como piloto a cidade de Manaus e nove das sessenta e uma cidades do interior do estado do Amazonas. MÉTODOS: Estudo retrospectivo dos prontuários de 8.225 pacientes. Foram examinadas pessoas maiores de 40 anos, em 10 cidades do estado do Amazonas (Manaus e 09 municípios da hinterlândia), no período de setembro/2008 a dezembro/2011. Os dados foram classificados por faixa etária, sexo, atividade econômica (aposentados ou não), tipo de ametropia e acuidade visual para longe e perto com e sem correção. O método consistiu no exame oftalmológico de rotina que incluiu o exame de refração. A análise estatística dos dados utilizou estudos quantitativos. RESULTADOS: Dos pacientes atendidos, 53,0% eram do sexo feminino; a faixa etária mais prevalente era de 51 a 60 anos; 66,0% não são aposentados e ainda desenvolvem alguma atividade laborativa; a maior prevalência das ametropias registrada foi de astigmatismos diversos (43,0%) e a acuidade visual para longe, sem correção, foi de 15,0% com 20/200 e, com correção, foi de 45,0% com 20/30 ou mais; em relação à visão para perto, a acuidade visual foi de 40,0% para J6...

Correlações entre straylight, aberrometria, opacidade e densitometria do cristalino em pacientes com catarata

Valbon,Bruno Freitas; Alves,Milton Ruiz; Ambrósio Jr,Renato
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
OBJETIVO:Correlacionar os níveis de straylight, de scattering, de opacidade do cristalino (LOCS III) e das aberrações ópticas intraoculares em pacientes com catarata nuclear. MÉTODOS: Estudo observacional, prospectivo envolvendo 30 olhos de 30 pacientes com diagnóstico de catarata nuclear. A avaliação do straylight (espalhamento de luz) através do Log(s) foi realizada pelo C-Quant (Oculus, Wetzlar, Germany). A densitometria do cristalino (scattering) através do PNS (Pentacam Nucleus Staging) foi realizada pela tomografia de córnea e segmento anterior (Pentacam® - Oculus, Wetzlar, Germany) e a análise do tipo e graduação da opacidade do cristalino foi feito pelo Lens Opacities Classification System (LOCS III). O Ray tracing (iTrace, Vista, Tracy Technologies) foi utilizado para avaliação da aberrometria total e intraocular onde foi calculado com a integração da Topografia de Plácido. Os critérios de exclusão foram: doença corneana, doenças da retina e/ou nervo óptico e cirurgia ocular prévia. O Teste de Kolmogorov-Smirnov foi utilizado para avaliar a distribuição normal e o Teste de Spearman (não paramétrico) utilizado para as correlações entre as variáveis Log(s) x PNS; Log(s) x LOCS III; LOCS III x PNS; RMS IO x PNS; RMS IO x LOCS III e RMS IO x Log(s). Foi considerado como estatisticamente significante p≤ 0...

Desempenho visual dos pacientes pseudofácicos com diferentes lentes intraoculares

Hida,Wilson Takashi; Nakano,Celso Takashi; Yamane,Iris Souza; Motta,Antonio Francisco Pimenta; Tzeliks,Patrick Frenzel; Alencar,Luciana Malta de; Oshika,Tetsuro; Netto,Marcelo Vieira; Ventura,Dora Fix; Kara-Junior,Newton
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
OBJETIVO: Comparar a performance visual dos pacientes submetidos ao implante das lentes intraoculares multifocais difrativas Tecnis® MF ZM900, Acrysof® Restor® SN60D3, Acrysof® SN60WF e Acrysof® SN60AT. MÉTODOS: Estudo prospectivo comparativo, não randomizado, que incluiu 142 olhos de 71 pacientes com catarata, provenientes do ambulatório de oftalmologia do HC-FMUSP. A avaliação oftalmológica contou com medida da acuidade visual para longa, intermediária e curta distância, sem correção e com a melhor correção óptica, teste de sensibilidade ao contraste, pupilometria e análise de frente de onda por meio do aberrômetro. Todos os exames foram realizados com seis meses de pós-operatório. RESULTADOS: A média de idade dos pacientes foi de 60,7±6,6 anos no grupo Tecnis, 63,1±4,4 anos no grupo Restor e 63,7±4,2 anos no grupo monofocal (SN60AT no olho contralateral SN60WF). A acuidade visual para perto não corrigida e corrigida para longe foi estatisticamente superior nos grupos multifocal Restor e multifocal Tecnis em comparação ao grupo monofocal SN60AT/SN60WF (p<0,001). Não houve diferença estatística entre os grupos na comparação da acuidade visual para longe (p=0,56). A sensibilidade ao contraste fotópica monocular foi estatisticamente inferior nos grupos Restor e Tecnis (p<0...

Uso da toxina botulínica para correção de estrabismo

Sugano,Débora Mayumi; Fernandez,Celso Lopez; Rehder,José Ricardo Carvalho de Lima
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
OBJETIVO: Verificar os efeitos da aplicação da toxina botulínica tipo A para o tratamento do estrabismo. MÉTODOS: Realizou-se a aplicação de toxina botulínica tipo A (Prosigne®) em 20 pacientes acompanhados no ambulatório de oftalmologia da Faculdade de Medicina do ABC (FMABC), no período de 2006 a 2009, para o tratamento da esotropia. A aplicação foi realizada em 15 crianças com esotropias menores de 50 dioptrias prismáticas (PD) nos dois músculos retos mediais e em cinco adultos com esotropia secundária à paralisia ou paresia do VI nervo, somente no músculo antagonista ao acometido. A incidência de efeitos indesejáveis também foi avaliada. O tempo de seguimento mínimo foi de três meses. RESULTADOS: Três crianças com esotropia foram submetidas a uma segunda aplicação, totalizando 18 aplicações. Destas, 14 aplicações realizaram no mínimo seis meses de acompanhamento. A idade média no momento da aplicação, no grupo das crianças foi de 1,89(±0,54) anos. O desvio convergente médio antes da aplicação foi de 36,67(±6,18) PD; após uma semana foi de -5,06(±23,05) PD, e após três meses foi de 17,50(±14,51) PD. Aos seis meses de acompanhamento cerca de 50% (7/14) das aplicações apresentaram desvio menor que 10 PD. As complicações apresentadas foram: blefaroptose em 38...

Comparação de resposta da pressão intraocular frente a duas diferentes intensidades e volumes do treinamento resistido

Conte,Marcelo; Scarpi,Marinho Jorge
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
Objetivo: Verificar a influência de duas diferentes intensidades e volumes de treinamento resistido na pressão intraocular. Método: Dezenove boxeadores (13 homens e 6 mulheres; idade média de 22 ± 3 anos) foram randomicamente submetidos a duas diferentes sessões de exercícios resistidos: resistência muscular com 3 séries de 15 repetições máximas e hipertrofia muscular com 4 séries de 8RM. A pressão intraocular foi obtida com Tonometro de Perkins antes, durante e após as sessões de exercício resistido. Os dados foram expressos em média e desvio padrão. Foi realizada análise de variância (ANOVA) com medidas repetidas e pós teste de Tukey. Resultados: Foi observada redução da pressão intraocular durante as sessões de treinamento resistido. Contudo, a sessão de exercício para resistência muscular promoveu uma redução significativa da pressão intraocular comparada a de hipertrofia muscular. Ao final da sessão de resistência muscular a pressão intraocular retornou aos valores prévios ao exercício, por outro lado na sessão de hipertrofia muscular a pressão intraocular após o término dos exercícios apresentou-se acima dos valores iniciais. Conclusão: O treinamento resistido pode influenciar os valores da pressão intraocular...

Percepção da aplicação tópica ocular de drogas: comparação entre instilação de gotas em olhos abertos e vaporização em olhos fechados

Portes,Arlindo José Freire; Silva,Bruna Dantas Dias da; Vieira,Laura Beliene Ramos; Santos,Fernando Moreira dos; Moraes,Nathalya Coutinho Gonçalves de
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
Objetivo: Avaliar por questionário qual o nível de facilidade ou dificuldade para aplicação tópica de medicações oculares: vaporização em olho fechado ou instilação de gotas em olho aberto e constatar por meio da observação de pacientes pelos autores qual o método que foi utilizado com maior adequação técnica para aplicação de drogas tópicas oculares. Métodos: A pesquisa foi um ensaio clínico pareado e randomizado, realizada nos meses de agosto e setembro de 2012 no ambulatório de Oftalmologia da Policlínica Ronaldo Gazolla (Campus Arcos da Lapa, Faculdade de Medicina da Universidade Estácio de Sá, RJ) em 50 pacientes conveniados de planos de saúde ou do SUS. Foi utilizado um frasco de colírio e um de vaporizador com solução Optive®. Cada participante aplicou em um dos olhos a solução por vaporização ou instilação de gotas através de um processo randomizado. Foi perguntado aos pacientes questões pré-formuladas sobre a praticidade de ambos os métodos e observada à técnica de aplicação. Resultados: 32% acharam difícil ou muito difícil a vaporização em olho fechado e 34% a instilação de colírio (p=0...

Achados histopatológicos em 431 córneas de receptores de transplantes no Rio de Janeiro

Vaz,Luiz Carlos Aguiar
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
Foram examinadas 431 córneas de receptores de transplantes no Rio de Janeiro recebidas em sua maioria do Banco de Olhos associado à Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO) e, as últimas, do Rio-transplante, após o fechamento temporário do Banco de Olhos. É notável a diferença entre os percentuais e o ordenamento das principais causas de transplante achadas neste levantamento, todos por comprovação histopatológica dos diagnósticos, e as citadas em bibliografia encontradas em Sorocaba, Porto Alegre, Florianópolis, Manaus e Recife baseadas apenas no levantamento dos prontuários clínicos.

A padronização do ensino em oftalmologia

Kara-Junior,Newton
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%

Nível de conhecimento sobre glaucoma primário de ângulo aberto entre os estudantes de medicina

Martins,Saulo Costa; Mendes,Marcos Henrique; Guedes,Ricardo Augusto Paletta; Guedes,Vanessa Maria Paletta; Chaoubah,Alfredo
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
Objetivo: Avaliar o conhecimento dos alunos de graduação do curso de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora em relação ao glaucoma primário de ângulo aberto. Métodos: Neste estudo transversal, aplicou-se aos alunos dos 5º e 6º ano um questionário contendo 11 questões referentes a epidemiologia, fatores de risco, sintomas, diagnóstico, tratamento, consequências do glaucoma e por último se consideram os conhecimentos adquiridos na universidade como suficientes. Características dos alunos (idade, sexo, especialidade pretendida) foram identificadas. Resultados: Entre os estudantes, 52,9% eram mulheres. A origem genética da doença foi identificada por 22,5%. Quase a metade (46,1%) não sabia que o glaucoma na maioria das vezes é assintomático. Aproximadamente 1 em cada 3 alunos não sabia que a cegueira do glaucoma era irreversível. A grande maioria (91,2%) identificou corretamente que a tonometria era um exame importante na avaliação do glaucoma e que o tratamento poderia ser clínico (70,6%) ou cirúrgico (71,6%). Porém, poucos alunos deram a real importância para os exames de fundoscopia (35...

Avaliação da função lacrimal, da superfície ocular e do filme lacrimal em pacientes soropositivos para o HIV

Mosena,Carolina Ramos; Pinheiro,Marcus Vinicius Vieira; Alhadeff,Paula Azevedo; Neiva,Thyarles Tomich; Felberg,Sérgio
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
Objetivo: Avaliar a função lacrimal, a superfície ocular e o filme lacrimal de pacientes com sorologia positiva para o vírus HIV. Métodos: Estudo observacional, transversal, quantitativo e analítico, realizado entre junho e outubro de 2011, no Departamento de Oftalmologia do HSPE-SP, com 32 pacientes no total, sendo 16 soropositivos para o HIV e 16 soronegativos. Resultados: Não houve diferença estatística significante na média da idade entre os grupos estudados (p = 0,083). O padrão do teste de cristalização da lágrima foi estatisticamente diferente no grupo de pacientes HIV (com predomínio dos padrões III e IV) em relação ao grupo controle (no qual predominaram os padrões I e II), tanto no olho direito como no esquerdo (p = 0,019 e p < 0,001, respectivamente). As demais variáveis estudadas não mostraram-se estatisticamente relevantes entre os grupos. Conclusão: Os pacientes soropositivos para o HIV não apresentaram alterações da função lacrimal e da superfície ocular, porém amostras de lágrimas evidenciaram diferenças consideradas estatisticamente significantes nos padrões dos testes de cristalização do filme lacrimal...

Avaliação das características do atendimento de urgências oftalmológicas em um hospital público da Grande São Paulo

Hussein,Renata Prota; Rangel,Flavia Lucia Beraldi; Almeida,Hirlana Gomes; Gracia,Marina; Rehder,Jose Ricardo; Kara-Junior,Newton
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
Objetivo: Avaliar as características dos pacientes atendidos no pronto socorro de oftalmologia, a fim de identificar medidas que melhorem a eficácia do atendimento e nortear o aprimoramento de outros serviços de urgência. Métodos: Estudo transversal e observacional, com 300 pacientes, atendidos no Hospital Municipal de Santo André (SP), de 15 a 22 de agosto de 2011. Os dados foram coletados por meio de avaliação clínica e de entrevistas com pacientes baseadas em um questionário. Resultados: Observou-se que 73,7% residiam a uma distância de até 20 km do hospital, 71,6% das urgências verdadeiras e 61,3% das urgências falsas procuraram atendimento em até uma semana do início dos sintomas. Conclusão: Considera-se a necessidade de disponibilizar para a população informações a respeito do tipo e da gravidade de urgências oculares, com ênfase na prevenção e na importância das doenças mais prevalentes, como corpo estranho corneano e úlcera de córnea, além de políticas de saúde direcionadas à criação de centros de atendimento especializados regionais, a fim de minimizar barreiras para acesso e aumentar a rapidez no tratamento de urgências oculares.

Perfil epidemiológico dos pacientes com glaucoma congênito atendidos no Hospital Regional de São José

Brink,Deyse Bianca Campos; Brasil,Marília Bastos Quirino; Brink,Günther Bernardes
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
Objetivo Delinear um perfil epidemiológico de pacientes com glaucoma congênito atendidos no serviço de Oftalmologia do Hospital Regional de São José, bem como a evolução destes pacientes com os tratamentos empregados. Métodos Foi realizado um estudo longitudinal, retrospectivo, descritivo que avaliou 32 pacientes com glaucoma congênito atendidos em ambulatório, desde a primeira consulta quando ingressaram no serviço e consultaram pelo menos duas vezes no período de 1º de março de 2009 até 1º de fevereiro de 2011. Resultados Houve predominância do sexo feminino (59,37%). Com relação à lateralidade, ambos os olhos foram acometidos em 91% dos casos. A maioria dos pacientes (78,12%) apresentava glaucoma congênito primário. Oitenta e cinco cirurgias foram realizadas para o glaucoma congênito, destes 63,52% foram submetidos à trabeculotomia. A pressão intraocular aferida na primeira e na última consulta diminuiu em 85,93% dos 64 olhos, já em relação à pressão intraocular média houve uma diminuição de 82,81% em relação ao valor na primeira consulta. Ao realizar a comparação do diâmetro corneano horizontal da primeira consulta em relação à última...

Avaliação da função lacrimal, da superfície ocular e do filme lacrimal em pacientes soropositivos para o HIV

Mosena,Carolina Ramos; Pinheiro,Marcus Vinicius Vieira; Alhadeff,Paula Azevedo; Neiva,Thyarles Tomich; Felberg,Sérgio
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
Objetivo Avaliar a função lacrimal, a superfície ocular e o filme lacrimal de pacientes com sorologia positiva para o vírus HIV. Métodos Estudo observacional, transversal, quantitativo e analítico, realizado entre junho e outubro de 2011, no Departamento de Oftalmologia do Hospital do Servidor Público Estadual “Francisco Morato de Oliveira”, com 32 pacientes no total, sendo 16 soropositivos para o HIV e 16 soronegativos. Resultados Não houve diferença estatística significante na média de idade entre os grupos estudados (p = 0,083). O padrão do teste de cristalização da lágrima foi estatisticamente diferente no grupo de pacientes HIV (com predomínio dos padrões III e IV) em relação ao grupo controle (no qual predominaram os padrões I e II), tanto no olho direito como no esquerdo (p = 0,019 e p < 0,001, respectivamente). As demais variáveis estudadas não mostraram-se estatisticamente relevantes entre os grupos. Conclusão Os pacientes soropositivos para o HIV não apresentaram alterações da função lacrimal e da superfície ocular, porém amostras de lágrimas evidenciaram diferenças consideradas estatisticamente significantes nos padrões dos testes de cristalização do filme lacrimal...

Validade da aferição da acuidade visual realizada pelo professor em escolares de 1ª à 4ª série de primeiro grau de uma escola pública do município de São Paulo, Brasil

Temporini,Edméa Rita; José,Newton Kara; Taiar,Alberto; Ferrarini,Maria de Lourdes
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1977 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
Trata-se de avaliação da medida da acuidade visual pelo professor, comparativamente àquela efetuada pelo médico-oftalmologista, utilizando-se ambos da tabela optométrica de Snellen. Éste estudo foi realizado em decorrência do Plano de Oftalmologia Sanitária Escolar (POSE), em desenvolvimento no Estado de São Paulo, que atinge escolares de 1ª série, classe especial e pré-primário das escolas estaduais de 1º grau, onde a atuação dos professores constitui fator básico da programação, principalmente no seu aspecto educativo e na verificação da acuidade visual. Foram testados 1.352 escolares de 1ª a 4ª série de 1º grau de um estabelecimento de ensino do município de São Paulo (SP) em 1975. Encontrou-se uma concordância de resultados em 80,86% dos casos. Com a diferença de 2 linhas entre os resultados do professor e do médico, constataram-se 122 casos (9,02%) e, com a diferença de 3 linhas, 54 casos (3,99%). À medida em que se consideravam diferenças maiores, decrescia progressivamente o número de casos discordantes encontrados. Observou-se que, à medida em que aumentava a desigualdade de aferição entre o professor e o oftalmologista, isto se verificava em ambos os olhos, o que evidencia uma dificuldade de interpretação daquelas crianças para responder o teste. Considerou-se altamente válida a aplicação do teste de acuidade visual pelo professor devidamente treinado...

Crenças sobre saúde ocular entre professores do sistema público de ensino do Município de São Paulo, SP - Brasil

Armond,Jane de Eston; Temporini,Edméa Rita
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2000 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
OBJETIVO: Verificar crenças em saúde ocular relacionadas ao uso de óculos, esforço visual e danos à visão por leitura em diferentes situações, para subsidiar programas de treinamento de professores. MÉTODOS: Levantamento de dados entre professores de primeira série do ensino fundamental, das escolas públicas da região sul do Município de São Paulo, SP -- Brasil. Foi obtida uma população de 545 sujeitos, distribuídos em 120 escolas. Elaborou-se questionário auto-aplicável, estruturado com base em estudo exploratório. RESULTADOS: A população apresentou média de idade de 37,8 anos e média de tempo de magistério de 13,2 anos. A maioria (67,4%) não recebeu orientação em saúde ocular nos últimos três anos. Quase a totalidade (99,4%) acreditava na necessidade do uso constante de óculos; 62,3% consideraram ser o uso intensivo da visão fator agravante de distúrbios oftalmológicos; conseqüências danosas à visão por ver televisão a menos de 2 metros foram admitidas por 95% dos docentes e 59,9% deles acreditavam ser prejudicial à visão assistir à televisão com luzes apagadas; 45,6% acreditavam que a leitura em veículos em movimento pode causar problemas de visão. CONCLUSÕES: Foram evidenciadas crenças populares relacionadas à saúde ocular...

PERCEPÇÕES DOS ATORES SOCIAIS SOBRE O ATENDIMENTO PRESTADO PELO LABORATÓRIO ÓPTICO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA PRIMÁRIA DE SAÚDE ESCOLAR (PROASE) NO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO PRETO

Ferriani,Maria das Graças Carvalho; Candido,Giovanna Teresinha
Fonte: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo Publicador: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2001 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
O presente estudo objetivou avaliar o atendimento prestado pelo Laboratório Óptico do PROASE, segundo a percepção dos familiares e professores dos escolares que adquiriram óculos no período de 1991 a 1995, no município de Ribeirão Preto. Utilizamos para a análise dos dados a proposta indicada para análise de conteúdo e para atingirmos os significados manifestos no material qualitativo, utilizamos a técnica de análise temática. Concluímos que os atores sociais manifestam de forma positiva a importância do programa e deixam evidente que o PROASE não só na área de oftalmologia vem trazendo contribuições relevantes para saúde das crianças em idade escolar.

Manifestações oculares do paciente infectado pelo HIV atendido no Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo

Matos,K. T. F.; Santos,M. C. M.; Muccioli,C.
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1999 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
OBJETIVO: Avaliar as manifestações oculares do paciente HIV positivo. MATERIAL E MÉTODOS: É um estudo retrospectivo em 1100 pacientes ambulatoriais HIV positivo em três anos com ficha padrão e exame oftalmológico completo, atendidos no Departamento de Oftalmologia da Escola Paulista de Medicina. RESULTADOS: Dos 1100 pacientes, 869 (79%) eram do sexo masculino e 231 (21%) do feminino. Os fatores de risco mais importantes foram: homossexualidade masculina em 303 (27,55%), heterossexualidade em 272 (24,73%), usuários de drogas endovenosas em 168 (15,27%) e causa indeterminada ou não revelada em 246 (22,36%). As queixas oculares mais freqüentes foram: 432 (39,27%) pacientes com baixa da acuidade visual; 138 (12,55%) com embaçamento visual; 64 (5,82%) com dor ocular, 186 (16,9%) com queixas inespecíficas e 235 (21,36%) pacientes não apresentavam qualquer queixa. As manifestações oculares mais freqüentes foram: retinite por CMV em 246 (22,36%) dos pacientes; exsudatos algodonosos em 110 (10%), blefarite em 51(4,64%) e toxoplasmose ocular em 48 (4,36%). CONCLUSÃO: Houve progressão da doença entre os heterossexuais e aumento da incidência no sexo feminino nesta população estudada. Os que apresentavam queixas oculares foram a maioria. A manifestação ocular mais freqüente foi a retinite por CMV em 246 (22...