Página 15 dos resultados de 11333 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Perfil de utilização de medicamentos por indivíduos com hipertensão arterial e diabetes mellitus em municípios da Rede Farmácia de Minas

Pereira,Vinícius Oliveira de Moura; Acurcio,Francisco de Assis; Guerra Júnior,Augusto Afonso; Silva,Grazielle Dias da; Cherchiglia,Mariangela Leal
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
Este trabalho descreve o perfil de utilização de medicamentos de indivíduos com hipertensão e/ou diabetes, que adquirem esses produtos por meio de uma rede pública de farmácias, com ênfase nas diferenças entre sexos. No primeiro bimestre de 2010 foram entrevistados indivíduos hipertensos e/ou diabéticos, em metade dos 64 municípios então participantes da Rede Farmácia de Minas. Os 4.777 entrevistados tinham em média 60,9 anos, fato que pode ter contribuído para a elevada média de medicamentos utilizados (4,0 entre as mulheres e 3,5 entre os homens). Os medicamentos mais frequentes foram os que atuam no sistema cardiovascular (56,3%), trato alimentar e metabólico (14,9%), sistema nervoso (13,8%) e estão de acordo com o perfil epidemiológico dos entrevistados. As mulheres, juntamente com os mais idosos destacaram-se no que diz respeito à utilização de um maior número de medicamentos. Os resultados deste estudo mostraram elevados gastos com medicamentos pelos entrevistados e sugerem o delineamento de ações educativas voltadas para o uso racional de medicamentos, entre esses indivíduos.

Uso de medicamentos em crianças de zero a seis anos matriculadas em creches de Tubarão, Santa Catarina

Carvalho,Diélly Cunha de; Trevisol,Fabiana Schuelter; Menegali,Bruno Thizon; Trevisol,Daisson José
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
OBJETIVO: Identificar o padrão de utilização de medicamentos, nos últimos seis meses, em crianças entre zero e seis anos, em quatro creches de Tubarão, Santa Catarina, no ano de 2007. MÉTODOS: Estudo transversal realizado por meio de questionário semi-estruturado, aplicado aos pais ou responsáveis pelas 413 crianças incluídas na pesquisa, após consentimento informado. Foram coletados dados sobre utilização de medicamentos e informações de saúde. A análise estatística foi feita com auxílio do programa Statistical Package for the Social Sciences 15.0. RESULTADOS: A média de idade das crianças foi 3,7±1,3 anos, sendo 195 (47%) meninas e 218 (53%) meninos. Dentre os adultos que responderam ao questionário, 75% eram mães e 43% tinham oito anos de estudo. Diante de situação de doença, 47% forneciam os medicamentos que tinham em casa. Das crianças pesquisadas, 82 (20%) apresentavam doença crônica e 75 (18%) portavam doença aguda no momento da pesquisa. Houve histórico de reações adversas aos medicamentos em 82 (20%) crianças, sendo a mais freqüente a alergia. A classe de medicamentos mais utilizada foi a dos analgésicos e antitérmicos (45%) e o motivo de uso principal foi febre (32%). Nos últimos seis meses...

A percepção da comunidade sobre a atuação do Serviço de Atenção Farmacêutica em ações de educação em saúde relacionadas à promoção do uso racional de medicamentos

Vinholes,Eduardo Rocha; Alano,Graziela Modolon; Galato,Dayani
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
A educação em saúde visa democratizar o acesso ao conhecimento e tornar os indivíduos da comunidade capazes de atuar como corresponsáveis na promoção da saúde. O objetivo deste trabalho foi apresentar a experiência do Serviço de Atenção Farmacêutica em ações na comunidade com vistas a promover o uso racional de medicamentos. Utilizou-se uma abordagem qualitativa, do tipo pesquisa-ação. Realizou-se a descrição da experiência e o levantamento das percepções dos responsáveis pelos grupos envolvidos nas palestras. Foram realizadas 22 palestras alcançando 565 participantes; os temas pré-selecionados envolviam assuntos como polimedicação, automedicação e adesão terapêutica, e os que surgiram no decorrer das palestras foram classificados como temas emergentes, representados por experiências dos participantes quanto às doenças e suas formas de tratamento, os efeitos colaterais de medicamentos, o manejo não farmacológico de problemas de saúde, qualidade, segurança e eficácia de medicamentos genéricos e o acesso aos medicamentos. Na percepção dos líderes dos grupos foi mencionado que as palestras contribuíram para o uso racional de medicamentos, proporcionando a mudança de postura, segundo alguns relatos. As palestras colaboraram para reforçar que o papel da equipe de saúde não é apenas o de permitir o acesso aos medicamentos...

Reações adversas a medicamentos como determinantes da admissão hospitalar

PFAFFENBACH,GRACE; CARVALHO,OLGA MARIA; BERGSTEN-MENDES,GUN
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2002 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
OBJETIVO: A freqüência de reação adversa a medicamentos (RAM) como determinante da hospitalização não está bem documentada na literatura médica brasileira. Objetivou-se determinar esta freqüência, documentando o padrão de uso de medicamentos antes da hospitalização. MÉTODOS: O estudo foi realizado em um hospital escola de atenção terciária à saúde. Constou de duas fases distintas, sendo a primeira a análise dos dados disponíveis a respeito dos diagnósticos que levaram à admissão hospitalar na enfermaria de Medicina Interna durante o ano de 1997. Após esta análise, foi realizado em 1999 o monitoramento intensivo das RAMs de pacientes internados durante quatro meses e o registro dos medicamentos usados nos 15 dias que antecederam a internação e os padrões de morbidade dos pacientes da enfermaria. RESULTADOS: Em 1997, ocorreram 938 internações, 53,4% de pacientes masculinos, com 1,1 diagnóstico por internação e nenhum diagnóstico de RAM. Na segunda fase do estudo, dos 135 pacientes, 52% do sexo feminino, 92% usaram medicamentos antes da internação, e destes, 42% se auto-medicaram nos 15 dias anteriores à internação. A média de uso de medicamentos foi de 3,7. RAM foi responsável por ou teve participação em 6...

Informação sobre medicamentos na imprensa: uma contribuição para o uso racional?

Lage,Eloína Araújo; Freitas,Maria Imaculada de Fátima; Acurcio,Francisco de Assis
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
O artigo tem por objetivo identificar como o tema "medicamentos" é apresentado pela imprensa e verificar a contribuição deste meio de comunicação para o uso racional de medicamentos. A pesquisa foi realizada a partir de artigos publicados por um jornal de grande circulação nacional disponibilizados em bancos de dados em CD-ROM e Internet. Os artigos que focalizaram temas relacionados a medicamentos foram selecionados e analisados pelo método de análise de conteúdo, com a identificação das categorias que emergiram no transcorrer do estudo. Este trabalho apresenta os resultados relativos a 377 textos jornalísticos que abordaram medicamentos no contexto da "medicina e saúde", em uma amostra aleatória de 1.067 artigos. Nos textos analisados, mensagens alertando para aspectos negativos relacionados ao uso de medicamentos foram menos veiculadas do que mensagens positivas. Destaca-se a necessidade de acompanhamento e avaliação da qualidade da informação veiculada pela imprensa visando ao uso racional de medicamentos.

Por que o uso racional de medicamentos deve ser uma prioridade?

Aquino,Daniela Silva de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
A Organização Mundial de Saúde diz que há uso racional de medicamentos quando pacientes recebem medicamentos apropriados para suas condições clínicas, em doses adequadas às suas necessidades individuais, por um período adequado e ao menor custo para si e para a comunidade. Porém, o que se observa, mostra uma realidade bastante diferente. Pelo menos 35% dos medicamentos adquiridos no Brasil são feitos através de automedicação. Os medicamentos respondem por 27% das intoxicações no Brasil e 16% dos casos de morte por intoxicações são causados por medicamentos. Além disso, 50% de todos os medicamentos são prescritos, dispensados ou usados inadequadamente, e os hospitais gastam de 15 a 20% de seus orçamentos para lidar com as complicações causadas pelo mau uso dos mesmos. A proposta de alívio imediato do sofrimento, como em um passe de mágica, é um apelo atraente, mas tem seu preço. Este preço nem sempre se restringe ao desembolso financeiro e pode ser descontado na própria saúde. Os requisitos para o uso racional de medicamentos são muito complexos e envolvem uma série de variáveis, em um encadeamento lógico. Para que sejam cumpridos, devem contar com a participação de diversos atores sociais: pacientes...

Influência da propaganda na utilização de medicamentos em um grupo de idosos atendidos em uma unidade básica de saúde em Aracaju (SE, Brasil)

Lyra Jr,Divaldo Pereira de; Neves,Aline Souza; Cerqueira,Karine Santos; Marcellini,Paulo Sergio; Marques,Tatiane Cristina; Barros,José Augusto Cabral de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
O crescimento da população idosa brasileira tem levado a uma maior tendência ao uso de medicamentos. A sua utilização inadequada pode ser induzida por vários fatores, dentre eles a propaganda, podendo trazer danos à saúde do usuário. O objetivo do estudo foi avaliar a influência da propaganda no consumo de medicamentos por um grupo de idosos atendidos em unidade básica de saúde de Aracaju, Sergipe. No período de abril a junho de 2007, um grupo de 230 idosos, com idade acima de 60 anos, de ambos os gêneros, foi entrevistado. A maioria dos entrevistados (73%) possuía pelo menos uma doença crônica e 73,9% consumiam pelo menos um medicamento regularmente. Do total de entrevistados, 17,8% da amostra relataram utilizar medicamentos por influência da propaganda; 2,2% consideraram que os medicamentos veiculados na mídia nunca fazem mal e 6,5% acreditavam que eles sempre fazem bem. No estudo, correlações foram feitas e demonstraram que quem mais consome medicamentos influenciados pela propaganda também considera que eles sempre fazem bem e vice-versa (p= 0,04). Os dados revelaram que parte dos idosos sofreu influência da propaganda no consumo de medicamentos, não levando em consideração os riscos que estes poderiam causar.

Utilização de medicamentos por gestantes usuárias do Sistema Único de Saúde no município de Santa Rosa (RS, Brasil)

Brum,Lucimar Filot da Silva; Pereira,Patricia; Felicetti,Lilian Leticia; Silveira,Renata Dischke da
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
Com o objetivo de descrever o uso de medicamentos prescritos e não prescritos, realizou-se um estudo descritivo em gestantes em pré-natal no Sistema Único de Saúde (SUS) no município de Santa Rosa, Estado do Rio Grande do Sul. Os dados sobre o uso de medicamentos foram coletados através de entrevista estruturada e consulta aos prontuários das gestantes. A prevalência do uso de medicamentos foi de 90%, correspondendo a uma média de uso de 4,1 medicamentos por gestante, dos quais 83,6% foram prescritos e 16,4% foram utilizados por automedicação. Do total de medicamentos, 17,5% estão incluídos na categoria C de risco ao feto. O uso de medicamentos é frequente, e a maioria das gestantes utilizou um ou mais fármacos prescritos ou não prescritos. Esses dados sugerem a necessidade de medidas de intervenção para promover o uso racional de medicamentos durante a gestação.

Consumo de medicamentos entre adultos na área de abrangência de uma Unidade de Saúde da Família

Vosgerau,Milene Zanoni da Silva; Soares,Darli Antonio; Souza,Regina Kazue Tanno de; Matsuo,Tiemi; Carvalho,Gisele dos Santos
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
No Brasil, são poucos os estudos sobre consumo de medicamentos em adultos. Assim, o objetivo de pesquisa foi verificar o perfil de consumo de medicamentos e identificar fatores associados ao uso entre adultos de vinte a 59 anos. O delineamento da pesquisa foi transversal. A amostra foi composta por 374 indivíduos da área de abrangência de uma unidade saúde da família de Ponta Grossa (PR). As entrevistas ocorreram entre dezembro de 2006 e janeiro de 2007. O período recordatório foi de sete dias. Os medicamentos foram classificados segundo a Anatomical Therapeutic Chemical Classification. Testes de qui quadrado e de regressão logística foram utilizados para análise estatística. A prevalência de consumo de medicamentos foi de 67,1%. A utilização variou entre um e dezessete medicamentos. O analgésico foi a classe terapêutica mais consumida. Após análise multivariada, as variáveis que permaneceram associadas significativamente foram sexo, autopercepção de saúde, presença de doenças crônicas e filiação a plano de saúde. A farmácia comercial foi o principal local de acesso aos medicamentos (63,6%). A prevalência de consumo de medicamentos foi semelhante à encontrada em estudo nacional e internacional. Os achados desta pesquisa poderão nortear as ações das equipes saúde da família.

Conhecimento dos pacientes sobre os medicamentos prescritos após consulta médica e dispensação

Oenning,Diony; Oliveira,Bruna Volpato de; Blatt,Carine Raquel
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
As orientações sobre medicamentos fornecidas aos pacientes são fundamentais para o sucesso do tratamento, uma vez que a ausência delas é uma das principais causas do uso incorreto dos medicamentos. O objetivo deste estudo foi verificar o conhecimento dos pacientes sobre seu tratamento medicamentoso, após consulta médica e dispensação, realizadas na unidade básica de saúde do município de Grão Pará, em Santa Catarina. Foram entrevistados 111 indivíduos, 70 após a consulta médica e 41 após a dispensação dos medicamentos. O nível de conhecimento foi verificado mediante perguntas relativas ao nome do medicamento, indicação, dose, frequência de uso, duração do tratamento, efeitos adversos e precauções. Após a consulta médica, 28,5% foram classificados com nível bom de conhecimento; 17,1%, regular; e 64,4%, insuficiente. Após a dispensação, 4,9% dos pacientes foram classificados com bom nível de conhecimento; 87,8%, regular; e 7,3%, insuficiente. A maioria dos entrevistados não possui bom nível de informação para a administração de medicamentos. Os resultados encontrados após a dispensação foram melhores que os resultados encontrados após a consulta médica, o que sugere a importância do farmacêutico na orientação dos pacientes para a correta utilização dos medicamentos.

Estudo de utilização de medicamentos parenterais em uma unidade de internação pediátrica de um hospital universitário

Souza,Maria Clara Padovani de; Goulart,Marta Aparecida; Rosado,Viviane; Reis,Adriano Max Moreira
Fonte: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo Publicador: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
A administração de medicamentos parenterais tem grande importância na assistência pediátrica e no risco para aquisição de infecções hospitalares. Este estudo observacional transversal visou descrever a utilização de medicamentos em uma unidade de internação pediátrica. Elaborou-se um instrumento de coleta de dados, as variáveis relativas à farmacoterapia foram coletadas da prescrição médica e a análise estatística descritiva foi realizada no SPSS. A amostra foi constituída de 75 pacientes pediátricos, sendo 56,0 % do sexo masculino; apresentando como predominante a faixa etária de lactentes. O tempo de internação mais freqüente foi maior que 20 dias (24,0%) seguida de 6 a 10 dias (21,3%) e menos de 3 dias (17,3%). A via parenteral foi prescrita para 56 pacientes (74,7%) e 19 (25,3%) utilizaram outras vias ou não utilizaram medicamentos; sendo que a via parenteral endovenosa foi utilizada por 52 (92,9%) dos pacientes. O número de medicamentos parenterais prescritos abrangeu 47 fármacos. A média do número de medicamentos por paciente foi quatro, o que implica em exigência de maior tempo da equipe de enfermagem em atividades relacionadas à administração de medicamentos. O número elevado de medicamentos prescritos desperta preocupações em relação à segurança. O farmacêutico deve estimular a conversão da via de administração parenteral para a oral.

Prescrição inadequada de medicamentos a idosos portadores de doenças crônicas em um plano de saúde no município de São Paulo, Brasil

Manso,Maria Elisa Gonzalez; Biffi,Elaine Cristina Alves; Gerardi,Thiago José
Fonte: Universidade do Estado do Rio Janeiro Publicador: Universidade do Estado do Rio Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
INTRODUÇÃO: A polifarmácia e a prescrição de medicamentos inapropriados para idosos podem causar uma série de efeitos indesejados, comprometendo sua capacidade funcional. OBJETIVO: Verificação da presença de prescrição de medicamentos inapropriados em um grupo de idosos vinculados a um plano de saúde privado com cobertura na cidade de São Paulo-SP. METODOLOGIA: Estudo realizado mediante a análise de prescrições feitas a um grupo de idosos vinculados a um plano de saúde privado, todos portadores de doenças crônico-degenerativas e acompanhados por médicos de especialidades diversas, na capital do estado de São Paulo, durante os anos de 2012 e 2013. Os medicamentos foram examinados segundo os Critérios de Beers revisados pela American Geriatrics Society em 2012. RESULTADOS: Foram observadas prescrições feitas a 2.500 idosos com um total de 8.760 medicamentos. Destes, 2.926 33,4% foram considerados inapropriados para uso em idosos. Os fármacos mais prescritos foram os anti-inflamatórios não esteroides, seguidos por medicamentos cardiovasculares e de ação central. A maioria desses idosos não possui médico de referência...

Automedicação e guarda de medicamentos por universitários das áreas de saúde e tecnologia; Self-medication and drug storage among undergraduate students in the areas of health and technology

Medeiros, Stephanie Barbosa de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.82%
This study aimed to compare self-medication and domestic drug storage among undergraduate students in the areas of health and technology. This is a descriptive study of cross-sectional type and quantitative approach, conducted in a Public University of Natal, Rio Grande do Norte, Brazil. The sample consisted of 300 students of the third year of undergraduate courses at the Center for Health Sciences and Technology Center, selected through a simple random sample. The project was authorized by the Ethics Committee of Federal University of Rio Grande do Norte (CAAE 0137.0.051.000-10). Data collection lasted twelve months and was conducted during the period of study participants, in the university environment. The instrument for data collection was a structured questionnaire consisting of open and closed questions. For data analysis, we used descriptive statistics and applied Fisher s exact test and Chi-square test with adopted level of significance α=5% and 10%. For the variables that correlated with self-medication (p<0.05), we subsequently calculated the odds ratios and confidence intervals. The prevalence of undergraduate students who performed self-medication in the 15 days prior to the collection accounted for 33.7% and, by analyzing each knowledge area...

Análise da prescrição de fármacos não constantes da Relação Municipal de Medicamentos Essenciais do município de São Paulo, 2008-2013; Prescription analysis of drugs not included in the Municipal List of Essential Medicines of São Paulo, 2008-2013

Bonfim, José Ruben Ferreira de Alcântara
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
Introdução. Desde 2006 a Assistência Farmacêutica da Coordenação de Atenção Básica da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo (SMS-SP) recebeu, por ano, em média, cerca de 125 solicitações de medicamentos não constantes da Relação Municipal de Medicamentos Essenciais - Remume-SP, antes de 2011, e a partir deste ano 250 solicitações, demanda que ainda não foi objeto de estudo para se conhecer de forma sistemática sua natureza e as implicações quanto à regulação sob o marco do acesso racional a fármacos.Objeto do estudo. Avaliou-se as solicitações de produtos farmacêuticos não constantes da Remume-SP, de 2008 a 2013. Método. Análise de documentos, segundo a prática médica com base em provas científicas, de solicitação de medicamentos não disponíveis na Remume-SP decorrente de prescrição médica por meio de Formulário de Justificação para aquisição de medicamentos não constantes da Remume-SP, e oriunda de serviços da SMS-SP no período do estudo. Resultado. Analisou-se os processos advindos de 1.174 solicitações, de 2008 a 2013, que levou à não autorização de aquisição de 58,9 por cento (N=692), pelos seguintes motivos: 1- não há prova suficiente na literatura, 15 (17 por cento ); 2- consta da Remume-SP...

Percepção dos usuários sobre acesso aos medicamentos na atenção primária

Santa Helena,Ernani Tiaraju de; Andersen,Silvia Escarlate; Menoncin,Sergio Mauricio
Fonte: Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2015 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
ResumoPretende-se a avaliar o acesso aos medicamentos na atenção primária a partir da perspectiva do usuário. Trata-se de estudo seccional com 692 usuários, entrevistados na atenção primária em Blumenau, no Estado de Santa Catarina, no ano de 2010. Foram estudadas variáveis que estimam algumas dimensões do acesso em relação a duas modalidades de atenção primária. As associações foram testadas por meio dos testes de qui-quadrado e t de Student. A maioria era do sexo feminino (78,0%), com média de idade de 43,3 anos, e utilizava 2,6 medicamentos em média. O acesso a medicamentos foi de 75,0%. A mediana de tempo de espera foi de 3,0 minutos, e de dispensação, 2,0 minutos. Usuários assistidos por equipes de Estratégias Saúde da Família, quando comparados com aqueles dos Ambulatórios Gerais, eram mais idosos (26,8% vs 18,5%; p<0,0001), de menor escolaridade (74,6% vs 60,9%; p<0,01), tomavam em média mais medicamentos (3,0 vs 2,2; p<0,0001), estocavam menos medicamentos nos domicílios (37,2% vs 63,5%; p<0,0001) e recebiam menos informações sobre como acessar medicamentos não disponíveis (56,9% vs 90,1%; p<0,0001), e mais informações sobre as possíveis interações medicamentosas (13,6% vs 6,6%; p<0,005) e sobre as reações adversas (23...

Ensayos clínicos con medicamentos en el Complejo Hospitalario Universitario A Coruña : características generales, complejidad para el servicio de farmacia hospitalaria y coste evitado en medicamentos

Calvín Lamas, Marta María
Fonte: Universidade da Corunha Publicador: Universidade da Corunha
Tipo: Tese de Doutorado
SPA
Relevância na Pesquisa
36.82%
[Resumen]Objetivos: Determinar las características de los ensayos clínicos (EC) con medicamentos desarrollados en el Complejo Hospitalario Universitario A Coruña, establecer una escala de complejidad desde la perspectiva del servicio de farmacia, evaluar la complejidad y cuantificar el coste evitado en medicamentos. Material y métodos: Estudio de prevalencia. Período de estudio: características 2008-2014 (n=422), complejidad 2008-2013 (n=340), coste evitado 2001-2012 (EC reumatología), 2009-2014 (EC coagulopatías congénitas) y 1996-2013 (EC cáncer de próstata). Se desarrolló una escala de complejidad cuya consistencia interna fue determinada mediante el alfa de Cronbach. Se calculó el coste evitado por EC, por paciente y total en el período de estudio. Resultados: Los EC estudiados eran fase III 60,2%, doble ciego 51,0%, aleatorizados 76,3%, internacionales 81,8%, comerciales 85,1% y en adultos 96,9%. Oncología y reumatología realizaron el 56,2%. El alfa de Cronbach de la escala de complejidad fue 0,738. El 12,1% de los EC tuvieron complejidad alta y el 55,0% complejidad media. El coste evitado total en EC de reumatología (n=44) fue 2.813.589€, en EC en coagulopatías congénitas (n=11) 2.689.474€ y en EC en cáncer de próstata (n=5) 696.002€. Conclusiones: Se observa una tendencia creciente en los EC realizados. En los comerciales predominan fase III...

Contribuci??n de la experiencia del Departamento de Farmacia y Tecnolog??a Farmac??utica (Universidad de Barcelona) para la creaci??n y organizaci??n del Sistema de Registro de Medicamentos en Angola

Vidal Bravo-da-Rosa, G.; Garc??a Montoya, E.; P??rez Lozano, P.; Mi??arro Carmona, M.D.; Tico Grau, J.R.; Su???? Negre, J.M.; Bel Prieto, E.
Fonte: Universidad de Granada, Facultad de Farmacia Publicador: Universidad de Granada, Facultad de Farmacia
Tipo: Artigo de Revista Científica
SPA
Relevância na Pesquisa
36.82%
El gobierno de Angola despu??s de consolidar el proceso de paz y reconciliaci??n nacional, se encuentra en un proceso de transici??n del estado de emergencia al estado de desarrollo econ??mico y social sostenible, a trav??s de iniciativas capaces de solucionar los principales problemas nacionales, de los que pueden mencionarse en lo relativo al sector farmac??utico: la inexistencia en el sistema de salud de servicios que garantice el registro, control e inspecci??n de medicamentos. Este trabajo fue dise??ado con la intenci??n de apoyar el ??rea de regulaci??n y reglamentaci??n del sector farmac??utico angole??o, contribuyendo a la mejora institucional del Ministerio de Salud de Angola mediante el desarrollo de dos importantes comisiones t??cnicas en relaci??n con la evaluaci??n t??cnico cient??fica de la documentaci??n presentada para el registro de medicamentos, a petici??n de la Direcci??n Nacional de Medicamentos y Equipamientos (DNME). La creaci??n de estas comisiones aseguran los m??s elevados patrones de salud p??blica adem??s de prevenir los riesgos decurrentes de la utilizaci??n de medicamentos en Angola, ya que como funci??n primordial emitir??n dict??menes sobre la evaluaci??n de la seguridad, eficacia y calidad de los medicamentos.; After consolidating the peace process and national reconciliation...

Estudo dos medicamentos utilizados pelos pacientes atendidos em laboratório de análises clínicas e suas interferências em testes laboratoriais: uma revisão da literatura; Profile of medicines used for outpatients assisted at clinical analysis laboratory and the interference in laboratory tests:a literature review

Ferreira, Bárbara; Santos, Karina dos; Rudolph, Steph; Alcanfor, Joana D'arc Ximenes; Cunha, Luiz Carlos da
Fonte: Ricardo Menegatti Publicador: Ricardo Menegatti
Tipo: Artigo de Revista Científica
OTHER
Relevância na Pesquisa
36.82%
v.6,n.1,p.33.43,jan./abr. 2009.; Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal de Goiás.; A interferência de medicamentos em análises clínicas assume importante papel na rotina laboratorial pela probabilidade de interferir nos ensaios e modificar o diagnóstico clínico-laboratorial. Muitos fármacos exercem efeitos in vivo, in vitro ou ambos simultaneamente sobre os testes laboratoriais. O objetivo do presente trabalho foi identificar os medicamentos mais usados pelos pacientes que foram atendidos pelo Centro de Análises Clínicas Rômulo Rocha em Goiânia (GO) no período de junho a dezembro de 2007 e analisar possíveis interações entre estes medicamentos e exames laboratoriais. Para isso foi traçado um estudo descritivo e retrospectivo, através da análise de 600 fichas dos medicamentos mais utilizados pelos pacientes e usuários dos serviços prestados pelo laboratório. Dentre os medicamentos pesquisados foram selecionados os cinco mais utilizados para que fosse feita uma discussão a respeito de suas interações em testes laboratoriais. Os cinco medicamentos mais utilizados foram: captopril, enalapril, hidroclorotiazida, levotiroxina sódica e propranolol. Dentre os cinco medicamentos verificou-se maior interferência in vivo do que in vitro. Como exemplo dessas interferências podemos citar: o captopril que pode proporcionar resultados falso-positivos em cetonas na urina; o enalapril que pode interferir no fator antinúcleo positivamente; a hidroclorotiazida que aumenta a concentração da uréia in vivo; a levotiroxina sódica que pode provocar redução por efeito fisiológico no exame de apolipoproteína B e o propranolol que pode provocar níveis elevados de uréia sanguínea. Os resultados obtidos podem...

Influência da propaganda na utilização de medicamentos em um grupo de idosos atendidos em uma unidade básica de saúde em Aracaju (SE, Brasil); The influence of the advertising in the medication use in a group of elderly attended in a primary health care unit in Aracaju (Sergipe, Brasil)

LYRA JR, Divaldo Pereira de; NEVES, Aline Souza; CERQUEIRA, Karine Santos; MARCELLINI, Paulo Sergio; MARQUES, Tatiane Cristina; BARROS, José Augusto Cabral de
Fonte: Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva Publicador: Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.82%
O crescimento da população idosa brasileira tem levado a uma maior tendência ao uso de medicamentos. A sua utilização inadequada pode ser induzida por vários fatores, dentre eles a propaganda, podendo trazer danos à saúde do usuário. O objetivo do estudo foi avaliar a influência da propaganda no consumo de medicamentos por um grupo de idosos atendidos em unidade básica de saúde de Aracaju, Sergipe. No período de abril a junho de 2007, um grupo de 230 idosos, com idade acima de 60 anos, de ambos os gêneros, foi entrevistado. A maioria dos entrevistados (73%) possuía pelo menos uma doença crônica e 73,9% consumiam pelo menos um medicamento regularmente. Do total de entrevistados, 17,8% da amostra relataram utilizar medicamentos por influência da propaganda; 2,2% consideraram que os medicamentos veiculados na mídia nunca fazem mal e 6,5% acreditavam que eles sempre fazem bem. No estudo, correlações foram feitas e demonstraram que quem mais consome medicamentos influenciados pela propaganda também considera que eles sempre fazem bem e vice-versa (p= 0,04). Os dados revelaram que parte dos idosos sofreu influência da propaganda no consumo de medicamentos, não levando em consideração os riscos que estes poderiam causar.; The growth of the Brazilian elderly people has led to a trend to an increase in the medication use. The inadequate use of drugs can be induced by some factors...

Estudo, em ambiente hospitalar, da utilização de medicamentos que atuam no sistema nervoso central

Marcelo Polacow Bisson
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/06/1996 PT
Relevância na Pesquisa
36.82%
A proposta do presente estudo foi avaliar a utilização de medicamentos em ambiente hospitalar, enfocando aqueles que atuam no Sistema nervoso central (S.N.C.), analisando a frequência de prescrição dos diferentes grupos farmacológicos, e por grupo terapêutico dos medicamentos que atuam no S.N.C., o custo envolvido por grupo terapêutico, droga e clínica, além de analisar o índice de polifarmácia por clínica. O local de estudo foi um hospital geral da cidade de São Paulo (São Paulo, Brasil), com aproximadamente 400 leitos, de corpo clínico fechado e especializado, onde foram analisadas 1130 prescrições médicas de 09 clínicas, durante o período de sete meses. Pôde-se verificar que o grupo farmacológico mais prescrito foi o dos medicamentos que atuam no sistema digestivo e nutrição, e que o grupo dos medicamentos que atuam no S.N.C. não ficou entre os cinco mais - prescritos. O grupo terapêu~ico dos ansiolíticos foi o mais prescrito, e o diazepam a droga mais prescrita deste grupo, enquanto o grupo dos hipnóticos apresentou uma pequena utilização pelo hospital quando comparado aos dados encontrados na literatura. A Unidade de Terapia Intensiva (U.T.I.) representou o maior custo dentre todas as clínicas estudadas...