Página 13 dos resultados de 1305 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Representações sociais de velhice em contexto de prestação formal de cuidados

Faria, Carina
Fonte: Universidade da Madeira Publicador: Universidade da Madeira
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 19/02/2013 POR
Relevância na Pesquisa
26.71%

Estereótipos acerca das pessoas idosas em estudantes do ensino superior, no distrito de Bragança

Magalhães, Carlos Pires
Fonte: Asociación Nacional de Psicología Evolutiva y Educativade la Infancia, Adolescencia Mayores y Discapcidad Publicador: Asociación Nacional de Psicología Evolutiva y Educativade la Infancia, Adolescencia Mayores y Discapcidad
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
26.71%
Este estudo procurou investigar a existência de estereótipos acerca das pessoas idosas em estudantes do ensino superior, no distrito de Bragança. Para a sua concepção recorreu-se a metodologias quantitativas. Construiu-se um instrumento de colheita de dados, com base na vasta bibliografia e nos estudos já realizados neste âmbito. A amostra submetida a tratamento estatístico foi de 375 indivíduos. O instrumento revelou uma boa consistência interna. Uma elevada percentagem da amostra concorda com a totalidade dos estereótipos de orientação positiva e discorda da maioria dos estereótipos de orientação negativa. Estes resultados vão ao encontro dos objectivos preconizados pelo Plano de Acção Internacional apresentado em 2002 na II Assembleia Mundial para o Envelhecimento, e estão em consonância com o estudo de Rodriguez e Postigo (2004) e com Royo et al. (2006), que salientam a tendência actual para uma imagem mais positiva acerca da velhice. Apesar do predomínio da discordância, alguns dos estereótipos persistem, estes incluem-se na estereotipia de dependência e na estereotipia da decadência da imagem física. Das várias hipóteses traçadas em função das distintas variáveis independentes, constatou-se que «o sexo»...

Estereótipos acerca das pessoas idosas em estudantes do ensino superior, no distrito de Bragança

Magalhães, Carlos Pires
Fonte: Universidad de Extremadura. Departamento de Psicología y Antropología Publicador: Universidad de Extremadura. Departamento de Psicología y Antropología
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
26.71%
O presente estudo procurou investigar a existência de estereótipos acerca das pessoas idosas em estudantes do ensino superior, no distrito de Bragança. Para a sua concepção recorreu-se a metodologias quantitativas. Nesse sentido construiu-se um instrumento de colheita de dados, com base na vasta bibliografia e nos estudos já realizados neste âmbito. A amostra submetida a tratamento estatístico foi de 376 indivíduos. O instrumento revelou uma boa consistência interna. A análise descritiva e exploratória dos estereótipos evidencia, para o contexto espaciotemporal estudado, que uma elevada percentagem da amostra concorda com a totalidade dos estereótipos de orientação positiva e discorda da maioria dos estereótipos de orientação negativa. Estes resultados vão ao encontro dos objectivos preconizados pelo Plano de Acção Internacional apresentado em 2002 na II Assembleia Mundial para o Envelhecimento, e estão em consonância com o estudo de Rodriguez e Postigo (2004) e com Royo et al. (2006), que salientam a tendência actual para uma imagem mais positiva acerca da velhice. Apesar do predomínio da discordância, alguns dos estereótipos persistem...

Estereótipos acerca das pessoas idosas em estudantes do ensino superior, no distrito de Bragança

Magalhães, Carlos Pires
Fonte: INFAD Publicador: INFAD
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
26.71%
Este estudo procurou investigar a existência de estereótipos acerca das pessoas idosas em estudantes do ensino superior, no distrito de Bragança. Para a sua concepção recorreu-se a metodologias quantitativas. Construiu-se um instrumento de colheita de dados, com base na vasta bibliografia e nos estudos já realizados neste âmbito. A amostra submetida a tratamento estatístico foi de 375 indivíduos. O instrumento revelou uma boa consistência interna. Uma elevada percentagem da amostra concorda com a totalidade dos estereótipos de orientação positiva e discorda da maioria dos estereótipos de orientação negativa. Estes resultados vão ao encontro dos objectivos preconizados pelo Plano de Acção Internacional apresentado em 2002 na II Assembleia Mundial para o Envelhecimento, e estão em consonância com o estudo de Rodriguez e Postigo (2004) e com Royo et al. (2006), que salientam a tendência actual para uma imagem mais positiva acerca da velhice. Apesar do predomínio da discordância, alguns dos estereótipos persistem, estes incluem-se na estereotipia de dependência e na estereotipia da decadência da imagem física. Das várias hipóteses traçadas em função das distintas variáveis independentes, constatou-se que «o sexo»...

A entrevista biográfica na (re)construção de cinco histórias de ser e se tornar idoso(a)

Cozinheiro, Sofia; Vieira, Ricardo
Fonte: Instituto Politécnico de Leiria Publicador: Instituto Politécnico de Leiria
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
26.71%
A velhice, à semelhança de outras fases da vida, não é adquirida mas sim construída e reconstruída através daquele que a vive e do contexto onde se vive, sendo por isso auto e hetero construída. Partindo desta premissa, esta comunicação, pretende dar a conhecer a heterogeneidade do ser idoso. Uma heterogeneidade formada a partir de subjectividades, de idiossincrasias, de diferentes caminhos e escolhas exemplificadas em cinco idosos estudados. O estudo que suporta esta apresentação foi realizado no âmbito do Mestrado em Educação e Diversidade Cultural. O mesmo busca conhecer e compreender o mundo subjectivo dos idosos através do entendimento dos factos na perspectiva do outro – Metodologia Etnográfica. A etnografia é uma forma de investigação que recolhe dados com a preocupação de compreender o outro. Esse outro não tem necessariamente de ser um outro submisso ou subalterno, esse outro pode ser o outro banal ou familiar que se encontra ao nosso lado ou no meio de nós, e neste caso a “[…] etnografia permite ao investigador ver-se naquilo que já pensava conhecer, evidenciando o seu etnocentrismo” (Caria, 2003: 12). As entrevistas biográficas foram as ferramentas usadas para captar o mundo interior dos cinco idosos. As entrevistas demonstram que a identidade do idoso é um processo que se constrói e reconstrói ao longo do tempo...

A influência da solidão na afectividade e saúde na velhice

Figueiredo, Maria da Conceição Ribeiro Santos Leonardo
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.71%
Este estudo teve como objectivo avaliar os efeitos da solidão na afectividade e na saúde na velhice. Foi recolhida uma amostra de 148 participantes, 64 indivíduos do sexo masculino e 84 indivíduos do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 65 e os 92 anos. Foram utilizadas as seguintes medidas: A escala da solidão da Universidade Califórnia em Los Angeles (UCLA; versão portuguesa, de autoria de Félix Neto); Positive Affect and Negative Affect Scales (PANAS; Watson, Clark & Tellegen, 1988) e a Short Form de 36 itens - 2ª versão (SF-36v2; versão traduzida e validada para a população portuguesa, pelo centro de Estudos de Investigação em Saúde, 1997). Demonstrou-se a existência de correlações negativas entre a solidão e a afectividade positiva e a saúde, e positivas entre a solidão e a afectividade negativa. Constatou-se ainda através dos resultados obtidos que o grupo dos indivíduos com índice mais baixo de solidão relataram mais Afectividade Positiva, menos Afectividade Negativa e descreveram um melhor estado geral de saúde.; This study aimed to evaluate the effects of loneliness on affectivity and health in old age. It collected a sample of 148 participants, 64 males and 84 females, aged between 65 and 92 years. We used the following measures: The scale of loneliness at the University of California at Los Angeles (UCLA; Portuguese version...

Quarta idade e velhice extrema: substituição da polifarmácia por um comprimido de hidromorfona de liberação controlada para o controle da dor crônica; Fourth age and extreme old age: replacement of polypharmacy by a controlled-release hydromorphone tablet to control chronic pain

LAURETTI, Gabriela Rocha; MATTOS, Anita Leocádia de
Fonte: Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor Publicador: Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
26.71%
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Cerca de 4,5 milhões de pessoas terão idade superior a 80 anos até 2020. Frequentemente, esta população necessita de polifarmácia para o controle da dor. O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia, custo e segurança da administração única, diária de hidromorfona de liberação controlada em pacientes com idade > 80 anos. MÉTODO: Oito pacientes (82 a 89 anos, quarta idade), e dois pacientes (93 e 99 anos, velhice extrema) foram avaliados. Todos utilizavam opioides, antidepressivos, anti-inflamatórios não esteroides, paracetamol e anticonvulsivantes para o controle da dor. Todos os fármacos com finalidade analgésica foram substituídos por um comprimido diário de 8 mg de hidromorfona de liberação controlada (OROS). Dor e efeitos adversos foram avaliados. RESULTADOS: O número de comprimidos diários para controle da dor diminuiu de 6-7 para um de hidromorfona. Houve diminuição da sensação de mal estar gástrico matinal, secundária à ingestão de grande número de comprimidos. Não foram relatadas náusea ou indisposição. Não foi relatada sonolência diária, sendo que os pacientes referiram melhor padrão de sono. CONCLUSÃO: A substituição da polifarmácia por um comprimido diário de hidromorfona melhorou o padrão analgésico...

Avaliação da atitude de crianças que convivem com idosos em relação à velhice; Evaluación de la actitud de los niños que viven con ancianos relacionadas a la vejez; Evaluation of the attitudes of children living with seniors toward aging

Luchesi, Bruna Moretti; Dupas, Giselle; Pavarini, Sofia Cristina Iost
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
26.71%
Com o envelhecimento populacional, é importante conhecer como outras faixas etárias percebem os idosos. Trata-se de um estudo quantitativo, transversal e descritivo, que teve como objetivo avaliar a atitude de crianças que convivem com idosos, em relação à velhice. Realizaram-se entrevistas com 54 crianças de sete a dez anos, que moravam com idosos. Após a caracterização sociodemográfica, foi aplicada a Escala Todaro para Avaliação de Atitudes de Crianças em Relação a Idosos, a qual avalia domínios persona, cognição, relacionamento social e agência. A maioria das crianças tinha nove anos, era do sexo masculino e morava com um idoso há mais de cinco anos. Os resultados apontaram atitudes consideradas positivas. O domínio persona apresentou relação com o tempo de moradia com o idoso. Os resultados deste trabalho permitem que as equipes de saúde planejem ações de intervenção educacional, visando manter e melhorar as atitudes de crianças em relação aos idosos.

Estilo de vida na velhice: Samira Cristina Jóia. -

Jóia, Samira Cristina
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 121 f.
POR
Relevância na Pesquisa
26.71%
Pós-graduação em Saúde Coletiva - FMB; Dados da literatura têm associado o estilo de vida com o aparecimento de patologias crônicas, com o grau de autonomia e o tempo de sobrevivência dos seres humanos. Estudo realizado na cidade de Botucatu - SP em 2003 com pessoas de 60 anos e mais, mostrou que estes constituíam 3 grupos classificados segundo sua definição de qualidade de vida e como viviam a vida, situações coincidentes. O objetivo deste trabalho foi compreender como a vida do idoso, a partir do seu relato, o levou a ter valores, crenças, conceitos e referências morais na velhice e que terminaram por determinar o estilo de vida que levam. Foram realizadas entrevistas domiciliares com idosos participantes do inquérito de 2003 norteadas pela frase “Fale sobre sua vida”. Através de metodologia qualitativa se buscou reproduzir a experiência de vida desses idosos e reconhecer ações que o encorajaram ou não a mudanças durante a vida. Os dados foram analisados segundo a Grounded Theory que possibilitou compreender o conjunto das experiências dos idosos. Foi possível compreender não apenas o movimento da vida desta geração de brasileiros, mas explicar a alocação destes nos três grupos ao mostrar as semelhanças de suas vidas dentro de cada grupo; Data from the literature have associated the lifestyle with the onset of chronic diseases...

Velhice e Terceira Idade: tempo, espaço e subjetividade

Rozendo, Adriano da Silva; Justo, José Sterza
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 143-159
POR
Relevância na Pesquisa
26.71%
The elders began to be highlighted in the social scene, not only by their numerical growth, but mainly for their redeployment into new social spaces and accelerating its pace of life. This article aims to analyze the specializations and the time built around the aging and trace its repercussions in the subjectivity production of the oldest. Therefore, it was taken as the object of analysis the differentiation of old age in the aging process.; Os mais velhos passaram a se destacar no cenário social, não apenas pelo seu crescimento numérico, mas, principalmente, pela sua redisposição em novos espaços sociais e pela aceleração do seu ritmo de vida. Este artigo pretende analisar as espacializações e temporalizações criadas em torno do envelhecimento e apontar suas repercussões na produção de subjetividade dos longevos. Para tanto, foi tomado como objeto de análise a diferenciação da terceira idade no processo de envelhecimento.

Atitudes em relação ao idoso, a velhice pessoal e ao portador de deficiencia fisica em adultos portadores de deficiencia fisica

Marineia Crosara de Resende
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
26.71%
Condições especiais como a deficiência física e o envelhecimento mobilizam as pessoas em direção ao ajustamento do self, das crenças e das atitudes. Planejamos uma pesquisa sobre atitudes em relação ao idoso, à velhice pessoal e ao portador de deficiência física, participaram 242 pessoas portadoras de deficiência física, com idade entre 24 e 39 anos. Procedimentos englobaram aplicação coletiva de questionário sociodemográfico, do Índice de Barthel, avalia independência nas atividades de vida diária, e de três Escalas diferencial semântica composta por 30 itens que avaliam os domínios Cognição, Agência, Relacionamento Social e Persona. As Escalas DS avaliaram atitudes em relação ao idoso - O idoso é, ao envelhecimento pessoal - Quando eu ficar velho eu serei e às pessoas portadoras de deficiência física – O portador de deficiência física é. A análise estatística mostrou a predominância de respostas positivas, respostas negativas fracas ou moderadas para todos os objetos. Em relação ao velho, as atitudes mais positivas foram predominantes em pessoas do sexo feminino, naqueles com mais baixo nível de escolaridade e nos que apresentaram maior índice de dependência. Atitudes negativas predominaram nos domínios agência...

Significados associados a tarefa de cuidar de idosos de alta dependencia no contexto familiar

Cinara Sommerhalder
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
26.71%
A avaliação da tarefa de cuidar é influenciada por eventos objetivos e subjetivos e pelos recursos pessoais e sociais. Embora considerada apenas em termos de ônus, há interesse clínico e social na identificação dos benefícios associados à tarefa e que influenciam o bem-estar subjetivo do familiar cuidador. Este estudo objetivou descrever as avaliações cognitivas positivas e negativas informadas por cuidadores familiares de idosos dependentes. O estudo descritivo envolveu 20 cuidadoras primárias de idosos na faixa de 65 a 94 anos, acometidos por doenças da área neurológica (Barthel < 35). 45% das cuidadoras tinham entre 59 e 79 anos, 40% entre 40 e 58 anos, 15% menos de 40 anos; 55% tiveram até quatro anos de escolaridade, 35% entre quatro e 11 anos e 10% eram analfabetas; 45% eram filhas, 40% esposas e 15% eram outros parentes. 65% cuidavam há mais de três anos, 20% entre um e três anos e 15% cuidavam há menos de um ano; 55% eram donas de casa; 65% tinham uma renda familiar mensal < R$780,00. Elas foram submetidas a uma entrevista em profundidade e responderam a um Inventário de Benefícios e Ônus Percebido, construído a partir de pesquisa prévia com especialistas e literatura especializada. O Inventário continha questões positivas (19) e negativas (29)...

Dança : uma interação entre o corpo e a alma dos idosos

Monica de Avila Todaro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
26.71%
A qualidade de vida na velhice interessa a todos os profissionais que acreditam que essa fase da vida pode ser favorecida por oportunidades educacionais e sociais. Esta pesquisa teve como objetivo avaliar os efeitos de um programa de dança, considerada como atividade física e de expressão, sobre o estado funcional e o bem-estar físico, psicológico e social de idosos sedentários. Participaram do estudo 40 sujeitos com idade entre 60 e 89 anos, sendo 14 homens e 26 mulheres, que viviam no Asilo São Vicente de Paulo, localizado na cidade de Atibaia, SP. 47% eram desquitados, 40% solteiros, 8% casados e 5% viúvos; 70% tinham cursado da 1ª a 4ª série e 22% tinham cursado da 5ª a 8ª série; 5% tinham 2º grau e 3% eram analfabetos. Cem por cento dos sujeitos eram funcionalmente independentes em AVDs e AIVDs, e não praticavam atividade física com regularidade. O delineamento envolveu préteste e pós-teste para os grupos experimental (E) e controle (C), e tratamento para o grupo E (quatro meses, com duas sessões semanais de 60 minutos cada). A coleta de dados foi feita com o auxílio de oito instrumentos, a saber: um questionário sócio-demográfico, escala de satisfação global com a vida, uma escala de satisfação referenciada a domínios...

Significados de velhice bem-sucedida e sua relação com suporte social e saude percebida em idosos residentes na comunidade : dados do PENSA; Successful aging, social support and perceived health according community-dwelling elderly: data from PENSA

Fernanda Heringuer Moreira Rosa
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
26.71%
Não informado.; Not informed.

A (RE)CONSTRUÇÃO DE CONTEXTOS E CULTURAS DA VELHICE E DO ENVELHECIMENTO: ABORDAGENS DA GERONTOLOGIA SOCIAL/CRÍTICA / A (re)construction of contexts/cultures of old age and ageing: social/critical gerontology approaches

Pedro Lebre Rocha; Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto; José Alberto Correia; Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto; Maria Teresa Medina; Faculdade de Psicologia e Ciências da E
Fonte: Trabalho & Educação Publicador: Trabalho & Educação
Formato: application/pdf
Publicado em 02/11/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.96%
It' understood that the social and critical theory, as well as the processes of it production (f.e., scientific research), are "languages" to objectify a social phenomena. Therefore, both processes shoub be an objecto f reflexivity about the sociocognitive representation of the social phenomena. From these epistemological/methodological prepositions, it's analysed the knowledge from Social/Critical Gerontology by theories of "social use of knowledge" and "double rupture". Thus, it are reviewed some theories about construction and reconstruction of contexts/cultures of old age/ageing in 3rd/4th Ages. From this review, it's concluded: (i) the 3rd/4th Ages and old age/ageing are different categories; (ii) there is a social relationship between political and economical agencies, and the construction and reconstruction of contexts/cultures of old age/ageing in 3rd/4th Ages; (iii) the analyses of spacial/ temporal belongings are an important subject of constrution and reconstrution theories; (iv) there is no single theoritical framework about spacial/temporal belongings, due to the retired elderly agency. ___Entende-se que a teoria social e crítica, assim como os processos da sua reprodução (p.e., a investigação científica)...

Velho/Idoso: construindo o sujeito da terceira idade

Marques, Ana Maria; UNIVALI
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2004 POR
Relevância na Pesquisa
26.96%
este artigo objetiva mostrar como diferentes linguagens vão conferir positividades à velhice, a partir do final da década de 70 e no decorrer das décadas de 80 e 90, quabdo estes sujeitos são construidos na literatura acadêmica, mas políticas públicas e nos agenciamentos de grupos de idosos ou de terceira idade. A velhice, frequentemente entendida como etapa de debilidade física, fase final da vida, vai ser dada a ler como momento de aproveitar a vida para fazer o que antes o trabalho ou outras atividades, especialmente ligadas a família, impediam que fosse realizado. Os direitos de cidadania conferem respeito, dignidade e novas espectativas de vida ao idoso, apresentado como terceira idade

ESTATUTO DO IDOSO E AS PRÁTICAS DISCURSIVAS SOBRE A VELHICE

Silva, Andreia Maria Ribeiro; Momesso, Maria Regina
Fonte: PROLÍNGUA Publicador: PROLÍNGUA
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 12/06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
26.96%
O corpus de análise do presente artigo é a Lei n° 10.741, de 1° de Outubro de 2003, que “dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências”. O chamado Estatuto do Idoso surgiu para regulamentar o art. 230 da Constituição Federal de 1988, que atribuiu à família, à sociedade e ao Estado o dever de amparar as pessoas idosas. As diversas formas de representação da velhice presentes no Estatuto evidenciam o interdiscurso que permeia cada título, capítulo e artigo da Lei, pois, a Lei n° 10.741, na realidade, é a materialização do esforço de políticos, segmentos organizados da sociedade e especialistas. A opção pelo referencial teórico da Análise do Discurso Francesa justifica-se pelo fato de possibilitar a análise das condições sócio-históricas de surgimento do discurso jurídico sobre o idoso. Pretende-se, portanto, analisar o discurso jurídico sobre o idoso brasileiro, de modo a captar, nos diversos artigos de lei, efeitos de sentido possíveis para a velhice.

Vulnerabilidade social, individual e programática em idosos da comunidade: dados do estudo FIBRA, Campinas, SP, Brasil

Rodrigues,Natália Oliveira; Neri,Anita Liberalesso
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
26.96%
Condições socioculturais e econômicas interagem com os processos biológicos ao longo da vida, determinando vulnerabilidade ou resiliência na velhice. O objetivo foi investigar relações entre vulnerabilidade social (gênero, idade e renda); individual (comorbidades, sinais e sintomas, incapacidade funcional, suporte social percebido e saúde percebida) e programática (índices de SUS-dependência e de vulnerabilidade social e acesso aos serviços de saúde) em amostra de indivíduos com 65 anos e mais. Participaram 688 idosos recrutados em domicílio, em 88 setores censitários urbanos sorteados, em Campinas, SP. Os dados (de autorrelato) foram obtidos em sessão única de coleta. Dos entrevistados, 470 eram mulheres, com mais comorbidades e sinais e sintomas, mas mais envolvidas em atividades avançadas de vida diária (AAVD) e atividades instrumentais de vida diária (AIVD) do que os homens. A média de idade foi 72,28 ± 5,41 anos e a de renda familiar 4,72 ± 5,28 salários mínimos. As variáveis que melhor explicaram a variabilidade dos dados foram acesso e uso de serviços de saúde, índices de SUS-dependência e de vulnerabilidade social e renda familiar. Condições sociais e renda familiar covariam com vulnerabilidade individual na velhice.

Concepções de idosos sobre espiritualidaderelacionada ao envelhecimento e qualidade de vida

Chaves,Lindanor Jacó; Gil,Claudia Aranha
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.96%
Resumo O aumento da expectativa de vida e a promessa de longevidade culminam na reflexão acerca da importância da espiritualidade no envelhecimento. Neste artigo, objetivou-se verificar e analisar a concepção do idoso sobre espiritualidade e como esta interfere em sua qualidade de vida. Estudo descritivo, exploratório, quanti-qualitativo, amostra composta de 12 participantes acima de 60 anos. Foram utilizados: entrevista semiestruturada, questionários sociodemográficos e WHOQOL (Bref, SRPB e domínio VI). Na análise, optou-se pelo programa estatístico SPSS 21.0 e pela Análise de Conteúdo. A pontuação média nos Domínios Psicológico e Relações Sociais mostrou-se mais elevada, o WHOQOL-SRPB revelou médias altas em todas as facetas e associação positiva com Domínios Bref. Na análise de conteúdo, há relação entre Qualidade de Vida e Espiritualidade; esta é concebida como Apoio, Relação com o Sagrado e Transcendência, e se distingue da Religião, definida pela Afiliação religiosa, Cultural e Dogmas. A relação entre Espiritualidade e Velhice se dá pela capacidade de suportar limitações, dificuldades e perdas inerentes ao processo; assim, observou-se a heterogeneidade da vivência espiritual, tendo todos em comum o reconhecimento de sua importância e sua relevância para se viver a velhice com Qualidade de Vida.

Atividade Física e Bem-Estar na Velhice

Santana,Maria da Silva; Chaves Maia,Eulália M
Fonte: Instituto de Salud Publica, Faculdad de Medicina -Universidad Nacional de Colombia Publicador: Instituto de Salud Publica, Faculdad de Medicina -Universidad Nacional de Colombia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
26.96%
Objetivo Este trabalho analisa como as necessidades e valor social das atividades físicas na percepção do idoso se coloca para as práticas de saúde de modo geral em benefício próprio. O objetivo principal foi investigar as representações sociais da atividade física na terceira idade. Método Pesquisa de corte transversal, interdisciplinar e qualitativa, orientada pela Teoria das Representações Sociais. A amostra com 62 pessoas de 50 a 78 anos do nordeste do Brasil foi de conveniência, não-probabilística e censitária. Os dados foram coletados através da técnica de associação livre de palavras e analisados pelo software EVOC/2000. Resultados A análise das evocações permitiu identifcar três tipos de elementos relacionados às Representações Sociais da atividade física atribuídos pelos idosos: a) dimensão psicológica (felicidade, bem-estar); b) dimensão social (dança); c) di­mensão biofísica (ginástica, hidroginástica e saúde). O termo felicidade foi o que mais se destacou no teste de evocações de palavras. Relacionando velhice à Re­presentação Social da atividade física, o estudo mostra que, por meio de um pro­cesso cíclico de valorização-desvalorização da velhice, a atividade física assume um papel preponderante na vida de idosos...