Página 10 dos resultados de 1025 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Efeito da poda na composição mineral das folhas de oliveira

Rodrigues, M.A.; Arrobas, Margarida
Fonte: Sociedade Portuguesa da Ciência do Solo Publicador: Sociedade Portuguesa da Ciência do Solo
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
27.17%
A poda exerce um efeito regenerador nas oliveiras, mesmo quando decrépitas. Ao aumentar a relação raiz/parte aérea incrementa o vigor da planta, na medida em que a água e os nutrientes ficam disponíveis para uma reduzida fracção da canópia. Nestas circunstâncias, a concentração nos tecidos pode aumentar ou, pelo contrario, reduzir se, devido a fenómenos de diluição, induzidos pelo estimulo no crescimento vegetativo dos jovens ramos. Neste trabalho divulgam-se resultados de um ensaio de campo instalado em olivais que vinham sendo podados no passado com regularidade quadrienal. A experiência consistiu em podar um grupo árvores e deixar outro grupo similar sem poda. A poda que marcou o início da experiência foi efectuada em Março de 2005 em olivais das cvs, Santulhana e Madural situados no concelho de Macedo de Cavaleiros em Trás-os-Montes.

Recomendação de fertilização baseada na remoção de nutrientes na lenha de poda e nos frutos

Arrobas, Margarida; Ferreira, I.Q.; Claro, Ana Marília; Rodrigues, M.A.
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
27.17%
As recomendações de fertilização para o olival são ainda bastante empíricas, devido à dificuldade em demonstrar a resposta das árvores à aplicação de fertilizantes. Neste trabalho procura-se uma aproximação ao problema estimando a quantidade total de nutrientes numa árvore e a exportação de nutrientes do sistema através da poda e da colheita. Na experiência foram usadas 14 árvores de 10 anos da cultivar Cobrançosa de um olival de sequeiro situado em Lombo, Macedo Cavaleiros. As árvores foram decompostas em folhas, raminhos, ramos intermédios, pernadas principais e t ronco. Ramos intermédios, pernadas e troncos foram separados em lenho e casca. A azeitona foi separada entre polpa e caroço. A partir da lenha de poda foi determinada a massa de todos os componentes. A massa do material remanescente nas árvores foi estimada através da relação volume/massa do material removido na lenha de poda.

Efeito da poda e de épocas de colheita sobre características agronômicas da mandioca

Oliveira,Sandra Pereira de; Viana,Anselmo Eloy Silveira; Matsumoto,Sylvana Naomi; Cardoso Júnior,Nelson dos Santos; Sediyama,Tocio; São José,Alcebíades Rebouças
Fonte: Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM Publicador: Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
27.27%
O experimento foi conduzido na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, em Vitória da Conquista - BA, no período de novembro de 2005 a fevereiro de 2007, com o objetivo de avaliar o efeito da poda e épocas de colheita sobre características agronômicas da mandioca. Utilizou-se o delineamento em blocos casualizados, com três repetições. Os tratamentos foram arranjados segundo esquema fatorial 6 x 2, com seis épocas de colheita (30, 60, 90, 120, 150 e 180 dias após a poda, realizada aos 300 dias posteriores ao plantio) e dois sistemas de condução da cultura (com poda da haste principal, à altura de 0,20 m da superfície do solo, e sem poda). Menor peso de parte aérea e menor produtividade de raízes tuberosas foram observados em plantas podadas. Embora não tenha sido verificada redução na porcentagem de matéria seca e amido em raízes, houve decréscimo na produção de amido e farinha, avaliados em kg ha-1. A produtividade de raízes tuberosas, produtividade de amido e farinha aumentaram linearmente com as épocas de colheita. Maior tempo de cocção foi verificado para raízes tuberosas provenientes de plantas podadas, quando comparadas com aquelas não-podadas.

Uso de poda verde, plásticos refletivos, antitranspirante e potássio na produção de pêssegos.

TREVISAN, R.; HERTER, F.G.; COUTINHO, E.F.; GONÇALVES, E.D.; SILVEIRA, C.A.P.; FREIRE, C.J. da S.
Fonte: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.41, n. 10, p. 1485-1490, out. 2006. Publicador: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.41, n. 10, p. 1485-1490, out. 2006.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.27%
O objetivo deste trabalho foi avaliar técnicas que viabilizem a produção de pêssegos de melhor qualidade, ao potencializar características externas como a coloração vermelha na epiderme e o tamanho, bem como características químicas relativas ao sabor. Num pomar comercial de pessegueiros da cultivar Maciel, no Município de Pelotas, RS, foram avaliados os efeitos da poda verde, o uso de dois tipos de plástico refletivo sob a copa das plantas, diferentes concentrações de cloreto de potássio (KCl) incorporado ao solo, com ou sem KCl via foliar e antitranspirante. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso. O uso de 1.200 g de KCl via solo, combinado com 10 g de KCl via foliar e poda verde, produziu coloração vermelha mais intensa na epiderme dos pêssegos. O uso de 1.600 g de KCl no solo, combinado com poda verde, produziu pêssegos com maior peso médio, maior diâmetro e baixa acidez titulável. A cobertura do solo, sob a copa das plantas, com plástico de ráfia, combinado com poda verde, resultou num maior teor de sólidos solúveis totais nos frutos. O uso dessas práticas culturais, realizadas na pré-colheita, influencia positivamente a qualidade final das frutas de pessegueiro da cultivar Maciel.; 2006

Manejo do dossel vegetativo da videira e seu efeito na composição do vinho Merlot.

MIELE, A.; RIZZON, L.A.; MANDELLI, F.
Fonte: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.44, n. 5, p. 463-470, maio 2009. Publicador: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.44, n. 5, p. 463-470, maio 2009.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.27%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de modalidades de poda verde da videira (Vitis vinifera L.) na composição do vinho Merlot. Um experimento foi conduzido de 1993/1994 a 1996/1997, em Bento Gonçalves, RS, com uma testemunha e 11 modalidades de poda verde em vinhedo conduzido em latada. A análise de componentes principais mostrou que o efeito da poda verde variou conforme o ano. Considerando a média dos quatro anos avaliados, os três principais componentes foram responsáveis por 72% da variação total. A desbrota, desponta e desfolha realizada no início da floração, com eliminação de todas as folhas abaixo dos cachos foi a modalidade de poda que apresentou os valores mais elevados de intensidade de cor, absorbâncias a 280 e 520 nm, antocianinas, taninos, álcool, 3-metil-1-butanol/2-metil-1-propanol, álcool em peso/extrato seco reduzido e fósforo, e foi a mais indicada para a produção de vinho Merlot.; 2009

Primeira produção de cafeeiros (Coffea arabica L.) cultivar catuaí após recepa em duas épocas, conduzidos em espaçamentos crescentes.

PEREIRA, S. P.; BARTHOLO, G. F.; GUIMARÃES, P. T. G.; LIVRAMENTO, D. E. do; ROMANIELLO, M. M.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 4., 2005, Londrina. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2005. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 4., 2005, Londrina. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2005.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.27%
O experimento foi instalado na Fazenda Experimental da EPAMIG em Machado, sul de Minas Gerais, em 1992, com o objetivo de avaliar as conseqüências da redução de espaçamentos entre as linhas e entre as plantas na linha de plantio sobre a produção e a fenologia do cafeeiro. O delineamento experimental utilizado foi um fatorial 4 x 3 com parcela subdividida, sendo quatro distâncias entre as linhas (2,0? 2,5? 3,0 e 3,5 m) e três distâncias entre as plantas na linha de plantio (0,5? 0,75? 1,0 m), e duas épocas de poda (uma precoce feita logo após a colheita no mês de julho 2002 e a outra tardia no mês de janeiro de 2003), em totalizando 24 tratamentos dispostos em blocos ao acaso em três repetições. Em julho de 2002 e em janeiro de 2003 foram realizadas as podas tipo "recepa", no qual foram conduzidas duas brotações por planta. Em agosto de 2004 foi avaliada a produção da parcela útil de cada uma das parcelas. A produtividade da primeira colheita após a poda foi influenciada positivamente pela adoção dos espaçamentos mais adensados. Os cafeeiros que foram submetidos à poda tardia não produziram, em julho de 2004, como aqueles podados precocemente.; 2005

Manejo do dossel vegetativo e seu efeito nos componentes de produção da videira Merlot.

MIELE, A.; MANDELLI, F.
Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 34, n. 4, p. 964-973, dez. 2013. Publicador: Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 34, n. 4, p. 964-973, dez. 2013.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.27%
A poda verde é uma prática cultural utilizada para melhorar as condições do dossel vegetativo dos vinhedos, visando a favorecer a qualidade da uva e do vinho. Nesse sentido, realizou-se este experimento entre as safras de 1993/1994 e 1996/1997, com diferentes modalidades de poda verde, num vinhedo do cv. Merlot conduzido em latada. Houve 12 tratamentos e três repetições, sendo o delineamento experimental em blocos casualizados. Os tratamentos constituíram-se da testemunha e de 11 diferentes modalidades de poda verde, ou seja, desbrota, desponta e desfolha, algumas delas em diferentes épocas do ciclo vegetativo da videira. O componente principal 1, da análise de componentes principais (ACP) feita em cada ano, separadamente, mostra que o tratamento 10 (desbrota + desponta + desfolha realizada no início da floração, eliminando-se as folhas abaixo dos cachos) discriminou-se nos quatro anos, e os tratamentos 7 (desfolha realizada 21 dias antes da colheita, eliminando-se metade das folhas abaixo dos cachos) e 6 (desfolha realizada 21 dias antes da colheita, eliminando-se as folhas abaixo dos cachos), em três deles; a ACP da média dos quatro anos também evidencia essa discriminação entre eles. Constata-se que o tratamento 10 foi um dos que tiveram intensidade de poda verde mais intensa...

Aptidão agroclimática de videira para vinho de acordo com a época de poda na região Nordeste do Brasil.

TEIXEIRA, A. H. de C.; TONIETTO, J.; PEREIRA, G. E.; ANGELOTTI, F.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA, 17., 2011, Guarapari. Riscos climáticos e cenários agrícolas futuros: anais. Guarapari: Incaper, 2011. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA, 17., 2011, Guarapari. Riscos climáticos e cenários agrícolas futuros: anais. Guarapari: Incaper, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.27%
Índices bioclimáticos foram usados na delimitação das áreas com diferentes aptidões agroclimáticas na produção de vinho para elaboração de vinhos variando-se as épocas de poda no Nordeste do Brasil. Utilizou-se uma relação entre os coeficientes de cultura e os graus-dias acumulados com a evapotranspiração de referência no cálculo do requerimento hídrico, que juntamente com a precipitação, fez parte do índice hídrico da videira (IHV), o qual foi aplicado também em conjunto com dados mensais médios de temperatura do ar (Ta). Constatou-se que se pode ter alguma limitação térmica para a qualidade do vinho na região, dependendo da época de poda, sendo que as regiões e épocas de poda com elevados valores de Ta, proporcionam maiores teores de açúcar e de álcool no vinho, bem como menor a acidez. Destacaram-se os estados da Bahia, Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Sergipe e a porção oeste do Maranhão para épocas de poda em maio.; 2011

Rootstock performance and bud development evaluation to optimize Vitis vinifera production

Dias, Frederico Alcântara Novelli
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia; UFLA; brasil; Departamento de Agricultura Publicador: Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia; UFLA; brasil; Departamento de Agricultura
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 21/08/2015 ENG
Relevância na Pesquisa
27.27%
Wine grapes are constrained to a narrow climatic range and consequently are especially sensitive to climate change, with potential effects on yield, quality and profitability. Researches to increase knowledge about reproductive development and new agriculture practices, and opening of new wine making areas are important to overcome climates limitations. In Brazilian southeast, a new management approach called double pruning allows the change of wine grape harvest season from wet summer to dry winter. Thus, the present thesis had as issue evaluation of different rootstocks on grapevine Syrah performance and wine quality in Brazilian southeast; and the validation of a new grapevine model, called Microvine, to winter bud development studies. A competition of ten rootstocks under Syrah was developed during two seasons in south of Minas Gerais state, Brazil. Rupestris du Lot and IAC 766 induced the highest pruning weight, while R110 and 161-49C showed the lowest vegetative development. The average yield per plant of two seasons identified Rupestris du Lot, IAC 766, 1045P and Kober 5BB as the most productive rootstocks. The more vigorous rootstocks did not affect negatively grape quality of Syrah under double pruning management. Syrah’ wine from productivity and vigorous rootstocks...

QUALIDADE FÍSICO-QUÍMICA DA UVA E PERFIL SENSORIAL VÍNICO PARA DIFERENTES CULTIVARES DE VIDEIRA SUBMETIDAS À PODA MECANIZADA

SANTOS,ANTONIO ODAIR; PEREIRA,SÔNIA ELISABETE; MOREIRA,CLÁUDIO ALVES
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
27.27%
Estudos ao longo do Globo têm mostrado que a mecanização da poda, dentre outros processos de manejo da videira, é adequada para a obtenção de vinhedos com “stands” bem formados e com qualidade de produção equivalente ou superior àqueles conduzidos sob manejo manual, sobretudo com economia de capital humano e financeiro. Informações sobre o padrão de poda que influencia diretamente a ecofisiologia do dossel, a composição do rendimento e a qualidade de derivados da uva são existentes para condições de manejo tradicional manual, mas incipientes para a uma condição mecanizada, no Brasil. Um experimento foi realizado com Vitis sp. e Vitis vinifera, visando a estudar os impactos da adoção inicial da poda mecanizada, sobre a composição do rendimento, qualidade da uva e perfil sensorial dos vinhos produzidos no experimento. Os resultados mostraram que a aplicação da poda mecanizada em vinhedos tradicionais causou pequenas flutuações na qualidade da uva, em duas safras analisadas.

Influência da vassoura de bruxa na fenologia do Cupuaçuzeiro

FALCÃO,Martha de Aguiar; MORAIS,Ronaldo Ribeiro de; CLEMENT,Charles Roland
Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Publicador: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1999 PT
Relevância na Pesquisa
27.27%
O cultivo do cupuaçuzeiro [Theobroma grandiflorum (Willd. ex Spreng.) Schum.] está em franca expansão na Amazônia brasileira. O principal fator limitante é a vassoura de bruxa, doença causada pela Crinipellis perniciosa (Stahel) Singer, cujo único controle econômico conhecido é a poda fitossanitária. A fenologia de dez cupuaçuzeiros em monocultivo, em solo Latossolo Amarelo distrófico adubado na região de Manaus, AM, foi avaliada de maio 1987 a dezembro 1990. O número de flores foi reduzido pela vassoura e pela poda, mas a duração e periodicidade da floração não foram muito afetadas. O número médio de frutos por planta caiu de 36 em 1987 para 6 em 1989, afetado pela vassoura e pela poda, tendo recuperado para 15 em 1990. A frutificação foi antecipada e sua duração reduzida em comparação ao estudo anterior, possivelmente devido à adubação e/ou ao genótipo estudado. O vingamento caiu de 1,4% em 1987 para 0,5% em 1989 e aumentou para 1,8% em 1990, sugerindo a recuperação das plantas. A brotação foliar e queda das folhas aumentaram marcadamente como resultado da influência da vassoura de bruxa em 1988 e foram reduzidas pela poda no período de 1989-90. Os fenofases não foram muito afetados pela vassoura de bruxa embora o número de flores e frutos tenham sido.

Produção e qualidade de mini tomate em sistema orgânico com dois tipos de condução de hastes e poda apical

Takahashi,Keiko; Cardoso,Antonio II
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2015 PT
Relevância na Pesquisa
27.27%
RESUMO:O tomate é uma das dez hortaliças com maior acúmulo de dados agronômicos. No entanto, apesar da grande importância do manejo cultural na produtividade do tomateiro, ainda há carência de pesquisa no cultivo de mini tomate. Neste sentido, o presente trabalho teve objetivo de avaliar o efeito da poda apical e condução de hastes em plantas de mini tomate enxertadas, cultivadas no sistema orgânico, sobre a produção e qualidade dos frutos. O experimento foi conduzido em Itatinga-SP. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso, com quatro tratamentos, 16 repetições e quatro plantas úteis por parcela. Os tratamentos foram resultantes do fatorial 2x2, sendo dois tipos de condução de hastes (duas hastes: haste principal e uma haste secundária conduzida imediatamente abaixo do primeiro cacho da haste principal, denominada de condução tradicional; ou duas hastes secundárias conduzidas a partir das gemas localizadas nas axilas das duas primeiras folhas localizadas imediatamente após o ponto de enxertia, denominada de condução de "hastes baixeiras") e dois tipos de poda apical (três ou cinco folhas entre a poda apical e o último cacho). A condução de duas "hastes baixeiras" foi superior à tradicional para número de cachos por planta (18...

Influência da poda de renovação e controle da ferrugem nas reservas de carboidratos e produção de pessegueiro precoce; Influence of the renewal pruning and control of the rust in the carbohydrate reserves and production of precocious peach tree

ARAUJO, João Paulo Campos de; RODRIGUES, Alessandro; SCARPARE FILHO, João Alexio; PIO, Rafael
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
27.27%
Este trabalho objetivou verificar a influência da poda de renovação e controle da ferrugem nas reservas de carboidratos não-estruturados em ramos e raízes do pessegueiro cultivar Flordaprince, bem como o possível efeito na produção e qualidade dos frutos. O trabalho foi conduzido no Departamento de Produção Vegetal da ESALQ-USP, em Piracicaba. O delineamento experimental utilizado foi em sete blocos ao acaso, constando de três tratamentos, sendo cada parcela constituída de quatro plantas. O tratamento 1 consistiu na realização da poda de renovação que foi executada 45 dias após a colheita, no mês de outubro de 2003. No tratamento 2, não se realizou a poda de renovação, e foi feito o controle da ferrugem. No tratamento 3, não foi realizada a poda de renovação, tampouco o controle da ferrugem, ocasionando desfolha antecipada. Os dados foram submetidos às análises de variância e à comparação das médias, pelo teste de Tukey. O espaçamento utilizado foi de 3,0 por 1,2 m, correspondendo a 2.777 plantas ha-1. As plantas foram conduzidas em sistema de líder central e receberam as práticas culturais normalmente utilizadas. Foram coletadas amostras de raízes e ramos que foram secos, moídos e submetidos à análise de laboratório para verificação dos teores de carboidratos não-estruturados. Ocorre flutuação na concentração de carboidratos solúveis nas raízes e nos ramos de acordo com a época da coleta...

EFEITO DO ETHEPHON EM VIDEIRA 'RUBI' (Vitis vinifera L.), CULTIVADA NA REGIÃO NOROESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO

FRACARO,ANTONIO AUGUSTO; BOLIANI,APARECIDA CONCEIÇÃO
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
27.27%
O experimento foi conduzido em vinhedo comercial da cv. Rubi, localizado na região Noroeste do Estado de São Paulo. Teve, como objetivo, verificar o efeito do ethephon, aplicado antes da poda de produção, na porcentagem de desfolhamento, tempo de realização da poda, brotação dos ramos, produção da videira, tentando reduzir os custos, melhorando a produtividade e a qualidade. Concluiu-se que a aplicação de 7500ppm de ethephon, 20 dias antes da poda, foi o tratamento que proporcionou maior porcentagem de desfolhamento, menor tempo de realização da poda, maior porcentagem de gemas brotadas e maior produção.

Exigência térmica e produtividade da amoreira-preta em função das épocas de poda

Segantini,Daniela Mota; Leonel,Sarita; Cunha,Antonio Ribeiro da; Ferraz,Rafael Augusto; Ripardo,Ana Karolina da Silva
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
27.27%
O período de colheita de amora-preta ocorre de novembro a fevereiro nos estados do Sul do Brasil, onde se concentra a maior área de cultivo do País. Sabendo-se que frutas ofertadas fora do pico da safra possuem preços mais vantajosos, objetivou-se escalonar a colheita da amoreira-preta através da realização da poda hibernal em diferentes épocas, levando-se em conta o número de horas de frio e os grausdia acumulados. O presente trabalho foi conduzido na Fazenda Experimental São Manuel, no município de São Manuel-SP. Foram utilizadas plantas de amoreira-preta "Tupy", de 3 anos de idade, conduzidas em 4 hastes principais, em espaldeira em T, com 1,2 metro de altura. O delineamento experimental utilizado foi o esquema fatorial 2x5, constando de 2 sistemas de cultivo (não irrigado e irrigado) e de 5 tratamentos (épocas de poda: 20-05, 26-06, 24-07, 23-08 e 26-09), com repetições em blocos. A irrigação não alterou a duração do ciclo da amoreira-preta, mas proporcionou aumento na produtividade, independentemente das épocas de poda. Quanto maior o número de horas de frio acumulado, menor o ciclo e menor a necessidade em graus-dia da amoreira-preta 'Tupy'. A poda hibernal realizada em 20-05 proporcionou um pico de colheita de amora-preta em meados de setembro...

Épocas de poda e uso da irrigação em figueira 'roxo de valinhos' na região de Botucatu, SP

Leonel,Sarita; Tecchio,Marco Antonio
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
27.27%
O trabalho teve como objetivo avaliar a poda de frutificação da figueira 'Roxo de Valinhos' em julho, agosto, setembro e outubro, com e sem o uso de irrigação complementar, nos ciclos de 2004/2005 e 2005/2006, em experimento realizado em Botucatu (SP). O delineamento experimental adotado foi o de parcelas subdivididas, com cinco repetições, sendo as parcelas correspondentes aos tratamentos com e sem irrigação e as subparcelas, as quatro épocas de poda realizadas. Foram avaliadas características de crescimento, produtividade e sazonalidade. Pelos resultados, permitiu-se concluir que agosto, com o uso de irrigação complementar, foi o mês mais favorável para a realização da poda da figueira, no município de Botucatu (SP), proporcionando maior crescimento dos ramos, e maiores produtividades médias no ensaio tanto no ciclo agrícola 2004/2005 (5,13 t ha-1), quanto no de 2005/2006 (5,82 t ha-1). Em condições não irrigadas, melhores respostas foram obtidas com poda em julho, agosto e setembro de 2004/05 e julho e agosto de 2005/06. O período produtivo da figueira no município estendeu-se de dezembro a abril, e com o uso de irrigação houve maior número de colheitas e ampliação do ciclo produtivo.

Uso do Ethephon antes da poda de produção em videira 'Niagara Rosada' (Vitis labrusca L.)

Fracaro,Antonio Augusto; Pereira,Fernando Mendes; Nachtigal,Jair Costa
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 PT
Relevância na Pesquisa
27.27%
Em regiões tropicais e subtropicais do Brasil, a produção de 'Niagara Rosada' tem sido problemática, principalmente devido à dificuldade de emissão e desenvolvimento das brotações após a poda de produção realizada nos meses de ocorrência de temperaturas mais baixas, o que tem causado redução nas produções e desestímulo dos viticultores. Para tentar solucionar esse problema, foram conduzidos três experimentos, em pomares comerciais localizados na região Noroeste do Estado de São Paulo, com o objetivo de estudar o efeito do ethephon, aplicado antes da poda de produção, no desfolhamento da planta, na emissão e desenvolvimento das brotações e na duração do período da poda até a floração. Foram testadas quatro doses de Ethephon (0; 3; 6 e 9 L.ha-1) aplicadas via foliar, 15 dias antes da poda de produção, realizada no mês de junho de 2001. Pelo que foi observado no presente trabalho, o ethephon, embora não causando efeito significativo no número de gemas brotadas, no desenvolvimento das brotações, evidenciou aumento destas variáveis, quando aplicado em pomares pouco enfolhados e em condições climáticas amenas. Com relação ao desfolhamento das plantas, os melhores resultados foram observados nas doses de 6 e 9L.ha-1.

Caracterização fenológica físico-química e uso da geoestatística em goiabeira (Psidium guajava L.) Pedro Sato sob diferentes épocas de poda; Phenological and Physio-chemical caracterization and use of geostatistics in guava tree (Psidium guajava L.) ´Pedro Sato´, at different pruning times

Hojo, Ronaldo Hissayuki
Fonte: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DAG - Programa de Pós-graduação; UFLA; BRASIL Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DAG - Programa de Pós-graduação; UFLA; BRASIL
Tipo: Dissertação
Publicado em 04/09/2014 PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.27%
O presente estudo constou da execução de três experimentos, todos conduzidos em função de épocas de poda (setembro e dezembro de 2003, março e junho de 2004), num pomar de goiabeira ´Pedro Sato´ com quatro anos de idade em Lavras, MG. No primeiro experimento, buscou-se caracterizar a sua fenologia e, no segundo, a produção e a qualidade dos frutos produzidos, verificando-se, tanto no primeiro como no segundo caso, a importância da possibilidade de produção em diferentes épocas do ano, com qualidade aceitável para o consumidor, bem como auxiliar o produtor no manejo da cultura de acordo com o desenvolvimento da planta. Utilizando-se 10 plantas para cada época de poda, num delineamento de blocos casualizados, foram avaliados, no primeiro estudo, os dados sobre os estádios fenológicos e, no segundo estudo, a produção e qualidade dos frutos produzidos, todos de acordo com a época de poda. Com bases nos dados obtidos, no primeiro trabalho foi possível estabelecer a indicação das diferentes fenofases da cultura e no segundo trabalho foi possível, com base nas condições locais, observar a produção de frutos em praticamente todos os meses do ano com o manejo das podas, bem como a apresentação do produto com qualidade aceitável ao consumidor. Já no terceiro experimento...

PRODUCTION OF ‘NIAGARA BRANCA’ AND ‘CONCORD’ VARIETIES SUBMITTED TO TWO HARVESTS BY SEASON AT DEPRESSÃO CENTRAL OF RIO GRANDE DO SUL; PRODUÇÃO DE VIDEIRAS ‘NIAGARA BRANCA’ E ‘CONCORD’ SUBMETIDAS A DUAS SAFRAS POR CICLO VEGETATIVO NA DEPRESSÃO CENTRAL DO RIO GRANDE DO SUL

ANZANELLO, Rafael; UFRGS; SOUZA, Paulo Vitor Dutra de; UFRGS; GONZATTO, Mateus Pereira; UFRGS
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 24/06/2008 ENG
Relevância na Pesquisa
27.27%
The adequate pruning management of grapevine permits to change its fenology, modifying the crop periods and creating conditions for two annual harvests. A winter pruning period (08/08/05) and two periods of summer pruning (04/11/05 and 02/12/05) were evaluated in order to obtain two annual harvests, using Niagara Branca and Concord grape varieties (both Vitis labrusca). This experiment was performed during the 2005/2006 season in grapevines conducted by cordon training in Eldorado do Sul county, Rio Grande do Sul, Brazil. Variables associated to fenology, plant production, weight of grapes, total soluble solids, total titratable acidity and ratio total soluble solids by total titratable acidity related to harvests were analyzed. The fenology of plants pruned in winter was 156 days for ‘Niagara Branca’ and 161 days for ‘Concord’, and the harvest was performed around January, 15th. Regarding the summer pruning performed on 04/11/05 and 02/12/05, fenology cycle of shoots was 127 and 113 days for the ‘Niagara Branca’ and 134 and 120 days for the ‘Concord’, respectively. Harvest was realized in middle April, 15th. The summer pruning realized in 04/11/05 provided higher production per plant and grapes of higher weight...

Ciclo fenológico de cultivares de Vid (Vitis vineferal L.) para mesa en condiciones tropicales.

Piña,Sonia; Bautista,Dámaso
Fonte: Decanato de Agronomía de la Universidad Centroccidental "Lisandro Alvarado" (UCLA) Publicador: Decanato de Agronomía de la Universidad Centroccidental "Lisandro Alvarado" (UCLA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2004 ES
Relevância na Pesquisa
27.27%
A fin de establecer los eventos fenológicos se determinó la duración de las diferentes fases del ciclo de desarrollo de los cultivares mejorados de vid para mesa Italia, Regina, Napoleón, Sultanina, Alphonse Lavallée, Red Globe, Datal, Perlón, Matilde y Michelli Palieri, injertados sobre el portainjerto ‘Criolla Negra’, durante los primeros cuatro ciclos productivos después de su formación en la Estación Experimental del Instituto de la Uva en El Tocuyo, estado Lara, Venezuela (9º 48’ N; 630 msnm). Se determinó la duración promedio de los eventos de brotación, floración, envero y vendimia desde la poda, así como la duración total del ciclo de crecimiento y sus subperíodos. El viñedo fue establecido en espaldera vertical, conducido en cordón bilateral y regado mediante surcos. El período de poda a brotación fue aproximadamente 11 y 12 días en los cultivares Sultanina, Perlón, Matilde, Regina, Red Globe, Italia y Napoleón mientras que para el resto fue de 13-14 días. La floración ocurrió entre los 34 y 39 días después de la poda, para todos los cultivares. El envero se presentó entre los 71 y 109 días a partir de la poda y correspondió al subperíodo que fundamentalmente determinó la duración total del ciclo. Según la duración del ciclo total...